Por que o mundo existe?, de Jim Holt | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
64869 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conto HAYEK, de Maurício Limeira, é selecionado em coletânea da Editora Persona
>>> Os Três Mosqueteiros - Um por Todos e Todos por Um
>>> Sesc 24 de Maio recebe o projeto Parlavratório - Conversas sobre escrita na arte
>>> Cia Caravana Tapioca faz 10 anos e comemora com programação gratuita
>>> Eugênio Lima dirige Cia O GRITO em novas intervenções urbanas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
>>> Dave Brubeck Quartet 1964
Últimos Posts
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
>>> Mimético
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Uma vida bem sucedida?
>>> A morte da Capricho
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Bienal do Livro Bahia
>>> A primeira hq de aventura
>>> Como Passar Um Ano Sem Facebook
>>> Mulheres de cérebro leve
>>> O curioso caso de Alberto Mussa
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> Digestivo Cultural: 10 anos de autenticidade
Mais Recentes
>>> Os Mistérios da Rosa-cruz de Christopher Mcintosh pela Ibrasa (1987)
>>> Las Glandulas Nuestros Guardianes Invisibles de M. W. Kapp pela Amorc (1958)
>>> Experiências Práticas de Ocultismo para Principiantes de J. H. Brennan pela Ediouro (1986)
>>> As Doutrinas Secretas de Jesus de H. Spencer Lewis pela Amorc (1988)
>>> Amigos Secretos de Anamaria Machado pela Ática (2021)
>>> A Vós Confio de Charles Vega Parucker pela Amorc (1990)
>>> O Segredo das Centúrias de Nostradamus pela Três (1973)
>>> Para Passar em Concursos Jurídicos - Questões Objetivas com Gabarito de Elpídio Donizetti pela Lumem Juris (2009)
>>> Dicionário espanhol + Bônus: vocabulário prático de viagem de Melhoramentos pela Melbooks (2007)
>>> Memorias De Um Sargento De Milicias de Manuel Antônio de Almeida pela Ática (2010)
>>> Turma da Mônica Jovem: Escolha Profissional de Maurício de souza pela Melhoramentos (2012)
>>> Xógum Volume 1 e 2 de James Clavell pela Círculo do Livro
>>> Viva à Sua Própria Maneira de Osho pela Academia
>>> Virtudes - Excelência Em Qualidade na Vida de Paulo Gilberto P. Costa pela Aliança
>>> Vida sem Meu Filho Querido de Vitor Henrique pela Vitor Henrique
>>> Vida Nossa Vida de Francisco Cândido Xavier pela Geem
>>> Vida Depois da Vida de Dr. Raymond e Moody Jr pela Circulo do Livro
>>> Vícios do Produto e do Serviço por Qualidade, Quantidade e Insegurança de Paulo Jorge Scartezzini Guimarães pela Revista dos Tribunais
>>> Viagem na Irrealidade Cotidiana de Umberto Eco pela Nova Fronteira
>>> Uma Só Vez na Vida de Danielle Steel pela Record (1982)
>>> Uma Família Feliz de Durval Ciamponi pela Feesp
>>> Um Roqueiro no Além de Nelson Moraes pela Speedart
>>> Um Relato para a História - Brasil: Nunca Mais de Prefácio de D. Paulo Evaristo pela Vozes
>>> Um Longo Amor de Pearl S Buck pela Circulo do Livro
>>> Um Estranho no Espelho de Sidney Sheldon pela Circulo do Livro
COLUNAS

Segunda-feira, 28/4/2014
Por que o mundo existe?, de Jim Holt
Ricardo de Mattos

+ de 5000 Acessos

"Chega o momento em que o espírito prefere o que confirma seu saber àquilo que o contradiz, em que gosta mais de respostas do que de perguntas. O instinto conservativo passa então a dominar, e cessa o crescimento espiritual" (Gaston Bachelard).

Costumamos dividir os questionadores em duas classes não hierárquicas. A primeira apenas questiona e vive numa eterna promenade intelectual, acenando ocasionalmente para Sísifo. A segunda possui um ponto de partida e vai de estação em estação, cada interrogação expressando seu desejo de saber mais e melhor. A primeira classe não aceita simplesmente os caminhos já percorridos, mas periga andar em círculo. A segunda, si afina-se em demasia na trilha escolhida, deve cuidar para não transformar escolha em bitola. Há a estrada, mas há também a paisagem em volta.

Foram as perguntas que nos prenderam ao livro do jornalista e escritor norte-americano Jim Holt. Vivemos fase em que preferimos a companhia de quem pergunta e desconfiamos de quem dá respostas. Kardec foi um grande perguntador e Frankl, em suas Memórias menciona ocasião que percebeu ser melhor deixar de lado o que sabia para melhor ouvir. Karl Jaspers chega mesmo a recomendar esta postura nas paginas iniciais de sua monumental Psicopatologia Geral. O espírito humano ainda precisa lidar com limites inerentes ao corpo que habita e à época em que vive, mas a opção deliberada do indivíduo em entregar-se ao instinto conservativo identificado por Bachelard afigura-se-nos verdadeiro suicídio intelectual. Houve momento em que aos padres católicos era permitido ler os livros vetados pelo Index, com a finalidade de melhor combatê-los. Si participamos deste tipo de velhacaria em alguma encarnação, ignoramos. De qualquer forma, entrar em contato com aquilo que nos confronta ou que pede maiores explicações a respeito dos ideais que abraçamos representa-nos um exercício de crescimento espiritual.

Por que o mundo existe? - Um mistério existencial vem da ótima safra de livros do ano passado. Seu ponto de partida é a questão encontrada por Holt no livro Introdução à Metafísica de Martin Heidegger: por que existe algo e não apenas o nada? Mostra-nos Holt que esta pergunta, que não tem dez palavras - e que, na verdade, remonta a Leibniz -, originou páginas e mais páginas de artigos e livros, bem como debates e polêmicas. As respostas, fornecidas por teólogos, filósofos, físicos, astrônomos e matemáticos entre outros, variam da inexistência do Nada à conclusão de que nada existe. De permeio, o pensamento humano numa variedade e profundidade tão grande que o talento de Holt revela-se ao não deixar que o diálogo entre as posturas transforme-se em galimatias. A simples opção pelo artigo "o" antes de "nada" cria a distinção conceitual entre um substantivo - nada - e uma alternativa ontológica - o nada. A maior parte da sequência dos capítulos conta com interlúdios, textos avulsos e mais leves que refrigeram o motor antes de seguir viagem.

Como articulista, Holt dedica-se a escrever artigos sobre matemática teórica para o New York Times e para a The New Yorker. Não nos consideramos uma nulidade em Matemática apenas porque conhecemos as quatro operações básicas. A prova dos nove, por sua vez, é um mistério intransponível desde quarta-série primária. Outro destes mistérios é o jogo de truco. O autor, evidentemente compreendendo que poderia ser lido por especialistas e por toupeiras, consegue fazer-se inteligível a ambos, temperando tudo com humor elegante. Há, sim, trechos em que o avanço da leitura requer vagar e voltas. O terceiro capítulo, em que se discorre sobre a história do Nada, é um destes casos. Todavia, superável e sem prejuízo ao entendimento global. O leitor não precisa deixar o livro experto em filosofia, matemática, teologia e física, mas terá uma grande oportunidade de verificar que as palavras e conceitos por elas representados possuem amplitude muitas vezes inimaginável pelo senso comum.

Um destes conceitos é o de identidade ou autoidentidade, "relação que toda e qualquer coisa tem consigo mesma e com nenhuma outra". Holt não deixa de expressá-lo matematicamente recorrendo à fórmula: para cada x, x = x. Transponha-a para outros campos do saber e acender-se-á o rastilho para muitas e diversas especulações e observações a respeito da existência, do autoconhecimento, do ser e do não ser, do sentido, dos papéis e das máscaras, das sombras, etc. Acredita, leitor: não é algo superficial saber até que ponto "x" é realmente igual a "x".

Sobre a existência de Deus e Sua relação com a origem do Universo, equilibram-se argumentos contrários e favoráveis, ambos analisados pelo autor em suas falhas e em suas relações na história das ideias. Existe e está no começo de tudo, segundo Richard Swimburne, filósofo da ciência e da religião e cristão ortodoxo praticante. É uma palavra dispensável quando não se tem algo mais definido por trás, diz o físico Steven Weinberg. Qual, pois, seria o diferencial? O que pode definir a escolha da criatura pelo teísmo ou ateísmo? Ao falarmos em Fé, talvez o leitor pense em velhinhas de véu preto diante de altares ou em cruzados empalando mouros: como não quer ser como eles, desiste de prosseguir. Poucos lembrar-se-ão que a par da epistemologia está a gnosiologia - não falamos de gnosticismo. Ao lado da busca do conhecimento terreno encontra-se a busca do conhecimento espiritual e ambos compõem a busca do conhecimento das coisas divinas. Bastará, todavia, escolher entre ter ou não Fé e, a partir disto, orientar toda sua vida? Nossa experiência pessoal, que mal e mal é sobre a qual podemos falar, indica-nos algo profundamente enraizado, algo que nos orienta a aguardar as respostas que virão para as mais diversas perguntas - como já vieram algumas. Desta forma, em nós, a Fé deriva deste núcleo, desta fonte pessoal e última. Quem mandou os estudiosos darem tão grande atenção ao inconsciente freudiano e tão pequena ao inconsciente frankliano?

Kardec afirma que para todo efeito inteligente há uma causa inteligente. Não há como fazer uma leitura materialista da assertiva sem cair assim num panteísmo extemporâneo e confuso, ou em imbróglios teóricos. Conforme mostra Jim Holt, há quem o faça, como é o caso de matemático platônico cuja teoria faz a conexão entre um mundo físico, um mundo matemático e um mundo mental. Antes, porém, que alguém nos acuse de intercalar convicções pessoais à apreciação do livro de Holt - embora escrevamos para um veículo que não nos cobre neutralidade - observamos que o tema das experiências qualitativas - ou qualia - e outros a ela relacionados, como a subjetividade e a consciência, são gradativamente abordados a partir do "interlúdio" intitulado It from bit, culminando no capítulo O ego: eu realmente existo?. Holt observa que mesmo alguns pensadores admitindo ad argumentandum Deus como a causa de todas as coisas, ainda insistem na pergunta sobre quem O teria criado. Neste ponto, sim, cremos que se trata de opção pelo debate circular.

Efemérides
2014 é ano rico de datas "redondas". Quarenta anos de Julio Daio Borges. Cinquenta anos do golpe militar. Cem anos da primeira guerra mundial, do Jeca Tatu e do Tarzan. 150 anos do Evangelho Segundo o Espiritismo. Duzentos anos de desencarne do Marquês de Sade e dois mil do desencarne do imperador Augustus. Há outras.

Efemérides - Conclusão
Há vinte anos desencarnou Charles Bukowski. Embora ainda não tenhamos sentido vocação especial para seus livros, gostamos de uma frase que ele deixou: "O problema com o mundo é que as pessoas inteligentes estão cheias de dúvida, enquanto os estúpidos estão cheios de confiança".


Ricardo de Mattos
Taubaté, 28/4/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Lançamentos de literatura fantástica (1) de Luís Fernando Amâncio
02. Sabemos pensar o diferente? de Guilherme Carvalhal
03. Senhor Amadeu de Ana Elisa Ribeiro
04. Sobre mais duas novelas de Lúcio Cardoso de Cassionei Niches Petry
05. E por falar em aposentadoria de Fabio Gomes


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2014
01. Memórias de um caçador, de Ivan Turguêniev - 17/3/2014
02. Lares & Lugares - 18/8/2014
03. As Vacas de Stalin, de Sofi Oksanen - 10/2/2014
04. Kardec, A Biografia, de Marcel Souto Maior - 6/1/2014
05. Por que o mundo existe?, de Jim Holt - 28/4/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Sexo: Ainda Tem Mais?
Fátima Deitos
Icone
(2005)



Vagas Estrelas - Autografado
Chico Donato
Corriola
(1985)



Uma Herança Preciosa
Jim Stovall
Sextante
(2010)



Budapeste
Chico Buarque
Companhia das Letras
(2003)



Poesia Gonçalves Crespo
Rolando Morel Pinto
Agir
(1967)



A Agricultura Familiar da Soja na Região Sul
Sergio Schlesinger
Fase
(2008)



O Visível e o Invisível - 4ª Edição - 5ª Reimpressão
Maurice Merleau-ponty
Perspectiva
(2014)



Histórias da minha vida
Jean Marais
Três
(1975)



O Jogo de Búzios por Odu
Adilson Antonio Martins
Pallas
(2013)



Ven - Level 2: Students Book 2
F. Castro
Edelsa Grupo Didascalia S A
(2003)





busca | avançada
64869 visitas/dia
2,2 milhões/mês