150 anos de Miguel de Unamuno | Celso A. Uequed Pitol | Digestivo Cultural

busca | avançada
38320 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> De vinhos e oficinas literárias
>>> Michael Jackson: a lenda viva
>>> Gente que corre
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Reinaldo Azevedo no Fórum CLP
>>> Introdução ao filosofar, de Gerd Bornheim
>>> Companheiro dileto
>>> O Vendedor de Passados
>>> Eugène Delacroix, um quadro uma revolução
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 14/10/2014
150 anos de Miguel de Unamuno
Celso A. Uequed Pitol

+ de 1700 Acessos

Em artigo publicado no jornal argentino La Nación em 1922, o italiano Giovani Papini colocava o escritor espanhol Miguel de Unamuno em companhia ilustre. Para ele, o autor de Vida de Dom Quixote e Sancho era para seu país o mesmo que Fichte, na Alemanha, e Carlyle, na Grã-Bretanha: um verdadeiro "apóstolo espiritual" da pátria. E não foi o primeiro elogio que direcionou a Unamuno: já havia publicado artigo sobre ele em sua revista, Il Leonardo, onde qualificava-o como um dos principais nomes do pensamento europeu daquele momento.

Tudo isto disse um entusiasmado Papini naquele momento. E foi com entuasiasmo semelhante que hoje, 30 de setembro de 2014, quando se comemora os 150 anos de nascimento do grande escritor, muitos jornais de língua espanhola disseram algo parecido de Unamuno. "Um mestre", "pensador chave", "nome de maior altura filosófica", "paradigma de intelectual comprometido", dentre tantos outros elogios distintos que têm em comum o fato de colocarem-no em cima de um púlpito, a falar às multidões lá embaixo.

Há muitos elogios a se fazer a Unamuno. Foi precursor do existencialismo, foi leitor de Kierkegaard de primeira hora (leu-o em dinamarquês), foi talvez mesmo, como disse Borges, o maior escritor em língua espanhola de seu tempo. Mas os elogios de mestre, sacerdote e apóstolo espiritual, proferidos por Papini há quase um século, e muitos outros há quase uma semana, ele dificilmente os merece.

Não me é fácil negar um elogio a Unamuno. Para mim, don Miguel faz parte daquele grupo seleto de autores que levamos para toda a vida em nosso cânone pessoal, visitando-os periodicamente para leituras e releituras. Tem sido assim desde que o descobri, ao entrar na universidade, através das "Obras Completas" editadas pelas Escelicer, cujos nove volumes tomei emprestado diversas vezes. Li todos os seus principais livros - Del sentimiento trágico de la vida, Vida de Don Quijote y Sancho, La agonía del cristianismo, Paz en la guerra, Niebla - e também seus textos jornalísticos, seus diários de juventude, seus relatos de viagem (Por tierras de Portugal y España segue sendo o melhor livro de viagens que li até hoje) e suas páginas de crítica literária. Aprendi muito de todos eles: aprendi, inclusive, o idioma castelhano, que Unamuno manejava como ninguém, e através dele conheci outros nomes do pensamento e das letras hispânicas que foram objeto de sua mirada. E, sobretudo, tornei-me um interessado no seu tema central, o da agonia do homem (no sentido original, do grego "agon", "luta"), da luta entre a razão e a vida na busca pela imortalidade. Repito: devo muito a Unamuno para negar-lhe um elogio. Mas sou obrigado a tal: não vejo neste homem de quem tanto aprendi um líder espiritual, sacerdote ou qualquer outro destes títulos.

Comigo parece concordar o grande Julián Marías, um dos maiores pensadores espanhóis do século passado e autor de um excelente ensaio sobre Unamuno, para quem ele "no era sólo un genial escritor, un intelectual, un profesor de lengua griega en Salamanca, sino, ante todo, una persona, un hombre de esos con los que es forzoso contar, que están ahí viendo las cosas y hablándonos de ellas, sobre todo, viviéndolas con los demás". Algo natural, para quem, como ele, só entendia o "hombre de carne y hueso" e não as coletividades abstratas, as massas e os públicos lá debaixo do palco.

Por isso, ainda que reitor da Universidade da Salamanca, ainda que professor de filologia durante décadas, ainda que intelectual autorizado, a verdade é que o púlpito não caia bem a Unamuno e o papel de grande mestre nacional não lhe servia. Servia, claro, a Fichte, o homem que subia em caixotes de madeira diante do povo para pronunciar seus discursos à nação alemã; servia, também, a Carlyle, que sempre se imaginou um reformador social. Estes foram educadores, sacerdotes, homens de púlpito. O papel de educador da nação espanhola não coube a Unamuno: seria assumido poucos anos depois por José Ortega y Gasset, um dos maiores responsáveis pela definitiva integração da Espanha à cultura europeia. Filósofo, professor de metafísica da Universidade de Madrid e jornalista militante, Ortega foi um grande renovador do ambiente cultural peninsular (e também latinoamericano) com as principais novidades em ciências humanas daquele tempo, das quais a sua Revista de Occidente foi um autorizado veículo e seus ensaios, escritos num estilo claro e elegantíssimo, atraíam todo tipo de leitor culto, especialista ou não, para o mundo do pensamento.

Não é certo colocar os dois lado a lado, e eles nem gostariam disso. Unamuno deplorava o que classificava como "pedanterias kantianas" de Ortega. Este, como a confirmar o que dele pensava Unamuno, disse que não dominava o castelhano como um nativo pelo fato de ser vasco e que por isso seu texto tinha defeitos de estilo típicos de quem aprendeu o idioma, e não o sentiu desde cedo - um grave e absurdo insulto. E quando Ortega assumiu, em 1910, a cadeira de metafísica, Unamuno felicitou-o da seguinte forma: "A Pepe Ortega dale la enhorabuena y dile que si no le escribo directamente es porque no tengo nada objetivo que decirle, y no quiero molestarle con mis arbitrariedades y querellas. Que Dios, el Dios del engaño, le dé luces y fuerzas para engañar a sus discípulos con la filosofía e infundirles la suprema ilusión" . Estas, definitivamente, não são palavras de quem se imagina um educador de um povo.

Por isso, em carta de resposta ao seu admirador Papini, Unamuno saúda a simpatia do italiano da seguinte forma: "Hay una red invisible que une a todos los solitarios que desparramados por el mundo vamos en busca del sobre-mundo, de otra vida con raíces en la eternidad y copa en el infinito. Siento en torno mío voces lejanas de hermanos ignorados; el cielo de este principio de siglo está preñado de aurora". Como poucos soube colocar-se junto ao leitor - não pelo expediente mais fácil, que seria o de simplificar sua linguagem para chegar ao nivel do leitor médio, mas sim, de outra forma, superior: considerar que ele e o leitor, sendo homens, são seres em luta, em busca da imortalidade, em verdade companheiros de caminho, o que está consubstanciado no seu belo prólogo da Vida de Don Quijote y Sancho que emociona a qualquer um:

"Te consume, mi pobre amigo, una fiebre incesante, una sed de océanos insondables y sin riberas, un hambre de universos, y la morriña de la eternidad. Sufres de la razón. Y no sabes lo que quieres. Y ahora, ahora quieres ir al sepulcro del Caballero de la Locura y deshacerte allí en lágrimas, consumirte en fiebre, morir de sed de océanos, de hambre de universos, de morriña de eternidad. Ponete en marcha, solo. Todos los demás solitarios irán a tu lado, aunque no los veas. Cada cual creerá ir solo, pero formaréis batallón sagrado: el batallón de la santa e inacabable cruzada."

Unamuno, o reitor, professor, jornalista, escritor, mestre, gênio, caminhou ao nosso lado e falou a cada um de nós em meio ao caminho a que empreendemos. Não a todos os seus leitores: a cada um deles. Eis aí, nesta capacidade única, partilhada por muito poucos, a razão pela qual sua obra permanece conosco ainda hoje, 150 anos após o seu nascimento.


Celso A. Uequed Pitol
Canoas, 14/10/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Ossos, mulheres e lobos de Eugenia Zerbini
02. A difícil arte de saber mais um pouco de Ana Elisa Ribeiro
03. Ler Oswald Spengler em 2014 de Celso A. Uequed Pitol
04. Mosaico de Rancores, romance de Márcia Barbieri de Jardel Dias Cavalcanti
05. O desenvolvimento dos meios de comunicação de Gian Danton


Mais Celso A. Uequed Pitol
Mais Acessadas de Celso A. Uequed Pitol em 2014
01. Miguel de Unamuno e Portugal - 12/8/2014
02. Entrevista com Dante Ramon Ledesma - 9/9/2014
03. A vida exemplar de Eric Voegelin - 10/6/2014
04. Émile Zola, por Getúlio Vargas - 6/5/2014
05. Ler Oswald Spengler em 2014 - 25/3/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR NO ESTADO DE SÃO PAULO
CEMESP / MPSP
CEMESP / MPSP
(2010)
R$ 15,00



METODOLOGIA DA PESQUISA EM CIÊNCIAS SOCIAIS
KERLINGER
EPU
(1980)
R$ 14,00



MEMÓRIAS DE UM ENGENHEIRO DA CERÂMICA SÃO CAETANO
URAMES PIRES DOS SANTOS
FUNDAÇÃO PRÓ-MEMÓRIA
(2013)
R$ 18,00



O VERAO DO LOBO VERMELHO
MORRIS WEST
RECORD
R$ 6,00



A NOVA TRAIÇÃO DE JUDAS
JAMES ROLLINS
EDIOURO
(2008)
R$ 30,00



XY
SANDRO VERONESI
ROCCO
(2011)
R$ 26,78
+ frete grátis



FASE TERMINAL
ALVARO CARDOSO GOMES
FTD
(1995)
R$ 8,00



CONAN REI #14 - CONCLUSÃO: AQUILÔNIA EM TREVAS
MARVEL ENTERTAINMENT GROUP
ABRIL JOVEM
(1991)
R$ 10,00



MECÂNICA GERAL PARA AS ESCOLAS SUPERIORES VOL 1
G. E. O. GIACAGLIA
NOBEL
(1979)
R$ 15,00



EL PATRON ORO EN LA TEORIA Y EN LA PRACTICA
R. G. HAWTREY
AGUILAR
(1951)
R$ 19,83





busca | avançada
38320 visitas/dia
1,3 milhão/mês