Mulheres à beira de um ataque de nervos | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
22858 visitas/dia
708 mil/mês
Mais Recentes
>>> Mulheres detêm o poder do mundo em eletrizante romance de Naomi Alderman
>>> Comédia Homens no Divã faz curta temporada no Teatro Municipal Paulo Eiró
>>> Ballet Acadêmico da Bahia apresenta STAR DANCE no TCA, dia 07/06 às 20h
>>> Zé Eduardo faz apresentação no Teatro da Rotina, dia 30.05
>>> Revista busca artigos inspirados no trabalho de professores
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
>>> Cães, a fúria da pintura de Egas Francisco
>>> O Vendedor de Passados
>>> A confissão de Lúcio: as noites cariocas de Rangel
>>> Primavera para iniciantes
>>> Nobel, novo romance de Jacques Fux
>>> De Middangeard à Terra Média
>>> Dos sentidos secretos de cada coisa
>>> O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
>>> Psiu Poético em BH esta semana
Últimos Posts
>>> Greve de caminhoneiros e estupidez econômica
>>> Publicando no Observatório de Alberto Dines
>>> Entre a esperança e a fé
>>> Tom Wolfe
>>> Terra e sonhos
>>> Que comece o espetáculo!
>>> A alforja de minha mãe
>>> Filosofia no colégio
>>> ZERO ABSOLUTO
>>> Go é um jogo mais simples do que imaginávamos
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Lobato e modernistas: uma história mal-contada
>>> Lobato e modernistas: uma história mal-contada
>>> Dos sentidos secretos de cada coisa
>>> Nobel, novo romance de Jacques Fux
>>> Entrevista da Camille Paglia
>>> Primavera para iniciantes
>>> Batchan, elas são lindas...
>>> Batchan, elas são lindas...
>>> Meu cinema em 2010 ― 2/2
>>> Doente de tanto saber
Mais Recentes
>>> A Escrita da História - Novas Perspectivas
>>> O Pensamento de Farias Brito
>>> O Eneagrama no Amor e no Trabalho
>>> História das Literaturas-História Literária de Portugal Volumes 1 e 2
>>> Dicionário Biográfico Musical
>>> Novo Mundo dos Trópicos
>>> Francis Bacon, Descartes e Spinoza
>>> A Verdade como Regra das Ações
>>> A Grande Aventura Masculina
>>> La Dimension Cachée
>>> Segure o grito!
>>> Onde tem bruxa tem fada....
>>> Os bichos que eu tive
>>> Oo empinador de estrelas
>>> D.E.P. - diplomacia, estrategia politica
>>> Mais respeito, eu sou crianca
>>> Escritos dos 15 anos
>>> Droga de Americana
>>> Cecilia Meireles colecao melhores poemas
>>> As confusoes de aninha
>>> A volta do passaro encantado
>>> Os grandes experimentos cientificos
>>> Noçõeds de direito público e privado
>>> Temas de filosofia
>>> Herança
>>> Terra sonambula
>>> Tarsila e o papagaio Juvenal
>>> Sagarana
>>> Sagarana
>>> Quarto de despejo
>>> Petrus Logus os guardiao do tempo
>>> Poemas Negros
>>> Os sofrimentos do jovem werther
>>> O centauro no Jardim
>>> Historia do cerco de Lisboa
>>> Pequena Filocalia
>>> Antologia poética e inéditos
>>> O processo do tenente Ieláguin
>>> Extraordinario
>>> A teus pes
>>> A Mamãe é Rock
>>> O Papai é Pop 2
>>> Teologia Bíblica do Antigo Testamento. Uma História da Religião de Israel na Perspectiva Bíblico TeológiIca
>>> O terror
>>> Depois da queda
>>> Origem
>>> Os impunes
>>> Mundo dos sonhos realidade e imaginação
>>> A Literatura no Brasil- Volume 4
>>> A Literatura no Brasil- volume 6
COLUNAS

Quinta-feira, 21/2/2002
Mulheres à beira de um ataque de nervos
Adriana Baggio

+ de 4400 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Segunda-feira em João Pessoa. Pouca coisa para fazer, nenhuma vontade de ficar em casa. As opções no cinema também não estavam ajudando. Um estalone, um shuazeneguer e outras tranqueiras. Dentre estas, o "Avassaladoras". A curiosidade, somada à falta de opção (até parece o roteiro do filme...), me levou à sala 3 no Multiplex do Mag Shopping para encarar a película com Giovanna Antonelli e Reynaldo Gianecchini. Fui com uma amiga, para a gente, pelo menos, poder comentar sobre as besteiras que íamos assistir. Quanto a isso, não resta dúvidas. A maioria dos filmes sobre mulheres não conseguem fugir dos estereótipos.

Com "Avassaladoras" não é diferente. O filme tem uma abertura graficamente bonita, com uma música cantada por Paulo Ricardo (perfeitamente adequado...). Parecia mais o primeiro capítulo de alguma novela da Globo. As primeiras cenas servem para que a gente identifique o gênero do filme: ah!, é uma comédia. Uma Giovanna Antonelli fazendo o estilo bonita-desastrada aparece em sua workstation moderníssima em uma agência de design gráfico, em frente ao seu Mac. O galã cafa, de cafajeste e cafona, como escreveu o pessoal do Estadão, Reynaldo Gianecchini, está chamando para uma reunião. Laura (a personagem vivida por Giovanna) e sua outra amiga atrapalhada saem destrambelhadas pelos corredores, tropeçando e enroscando na porta da sala de reuniões. Fiquei me perguntando: precisava isso? O filme todo é cheio dessas atuações ridículas, constrangedoras, uma mistura de Didi (dos Trapalhões, é claro) com Meg Ryan.

Bem, o filme conta a história de Laura, uma mulher produto dos tempos modernos: bonita, independente, bem-sucedida profissionalmente, mas ainda sozinha aos 34 anos. Suas amigas, idem. A única que tem namorado talvez seja a que está em pior situação, porque o cara é um tipo brutamontes folgado. Outra é a típica executiva viciada em trabalho, e a última, uma perua no melhor estilo boutique-academia-clínica estética. Para não fugir ao sinal dos tempos, a perua trabalha junto com Laura, mas faz questão de esclarecer que não nasceu pra isso. Já a avó de Laura, coitada, parece ser uma daquelas folhinhas de antigamente, cheia de ditados tais como: cada tampa tem sua panela, o homem certo sempre aparece, o que for para ser será, tudo tem seu tempo. Um personagem desperdiçado, com certeza.

Continuando, Laura Antonelli começa a entrar em desespero por estar tanto tempo sozinha, sem namorado e sem sexo, e acaba procurando uma agência de casamentos. A dona da agência solta pérolas de dicas para conquistar os homens, tais como "nunca passe mais de cinco minutos ao telefone com ele, para que ele pense que você sempre tem algo mais interessante para fazer". Laura acaba conhecendo Miguel, vivido por Caco Ciocler, um árabe do tipo "diamante bruto", primo da dona da agência. Apesar de se darem bem, eles não têm muito a ver um com outro. Miguel é simples, autêntico. Laura é sofisticada, um pouco metida à besta. É aí que a gente começa a pensar que a diretora vai fazer com que as diferenças sejam superadas e passar a moral de que o amor supera até um abismo no vocabulário. Mesmo com as diferenças, os dois acabam iniciando um relacionamento e a vida de Laura muda depois de uma noite de amor com Miguel. É como aqueles comerciais de Vinólia, onde as mulheres estão todas de roupas sóbrias, exceto a que usa o sabonete. Assim é a nova Laura, mais leve, mais feliz, mais colorida. Mesmo não tendo certeza de querer levar adiante sua relação com Miguel, ela vai curtindo. Nesse meio tempo, o galã cafa de Giane descobre essa nova Laura, e eles transam. Resumindo: um dia, em uma festa em sua casa, Laura tem ao seu lado o galinha do Giane, e o tosco do Miguel. E percebe que não quer nenhum deles.

Toda essa apresentação é para dizer que, apesar de tudo, achei alguns aspectos do filme surpreendentes. Mesmo com todos os estereótipos, as frases feitas, a encenação patética, alguns pontos ficaram, senão realistas e verossímeis, pelo menos não tão óbvios. Laura, no fim das contas, não fica nem com Miguel, nem com Giane. Confesso que fiquei surpresa pela história não ter resvalado para um final previsível, tipo "vale a pena tentar superar as diferenças para viver um grande amor" ou "a moça íntegra que redime o galinha, instantaneamente transformado em um animal monogâmico". Na verdade, as experiências vividas com os dois homens serviram para ela desencanar, relaxar. Ajudou muito a orientação do escritor cujo livro fala sobre a solidão feminina. O escritor é gay, e é o único na história que entende a alma das mulheres. Da boca do personagem saem algumas idéias curiosas, tipo: com a independência financeira, as mulheres não precisariam mais procurar homens tão bem-sucedidos quanto elas; poderiam se dar ao luxo de aumentar o campo de escolha, para poder encontrar alguém de quem realmente gostassem, mesmo que tivessem que sustentar essa pessoa. A avó de Laura, em um dos raros diálogos sem clichês, fala algo parecido: por que as mulheres têm mania de olhar só pra cima, e procurar homens que sejam sempre melhores do que elas? Por que não olhar ao lado, ou para baixo?

De clichês em clichês, trapalhadas em trapalhadas, o filme segue até um final interessante, já que não previsível. Laura, na verdade, continua sozinha, mas agora está bem, feliz consigo mesma. Aprendeu a não ficar ansiosa por estar só; aprendeu que pode ser feliz mesmo sem estar com alguém; aprendeu que depende muito dela encontrar ou não um companheiro. Sua amiga perua casou com Miguel, o tosco. Na festa, a executiva leva cantadas de Giane, o safado, mais cafa do que nunca (ponto para o roteiro!). E a única que tinha namorado acaba ficando grávida dele (que tragédia...). Na verdade, pensando bem, as que ficaram solteiras ainda estão em melhor situação do que as que terminaram com alguém. Ah! Laura está em Nova York. As amigas mostram fotos dela durante a festa de casamento. Ficou um negócio meio estranho, abrupto. Parece que o contrato de Giovanna Antonelli acabou antes das filmagens, e eles tiveram que dar um jeito no final.

Mulheres: se vocês resolverem encarar "Avassaladoras", levem as amigas. Assistam o filme, dêem risada se conseguirem, e depois do cinema saiam para o boteco mais próximo. Mesmo sem um final muito previsível, a fita continua sendo daquelas que encaixa a mulher em estereótipos falsos, pré-moldados, preconceituosos. A melhor coisa é tomar umas e dar risada da própria vida, que pelo menos é autêntica. E nem perca tempo chamando seu namorado. Já está tão difícil arranjar um, pra que botar tudo a perder forçando a barra para um programa que ele vai odiar? Vá sozinha, divirta-se e ganhe bônus para gastar em oportunidades que valham mais a pena!


Adriana Baggio
Curitiba, 21/2/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Crônica de Aniversário de Julio Daio Borges
02. A noite do meu bem, de Ruy Castro de Julio Daio Borges
03. Elon Musk de Julio Daio Borges
04. E+ ou: O Estadão tentando ser jovem, mais uma vez de Julio Daio Borges
05. Blockchain Revolution, o livro - ou: blockchain(s) de Julio Daio Borges


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2002
01. Todos querem ser cool - 27/6/2002
02. Menos Guerra, Mais Sexo - 31/1/2002
03. Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo! - 20/6/2002
04. Homens, cães e livros - 15/8/2002
05. No banheiro com Danuza - 28/11/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
22/2/2002
17h28min
Querida Adriana Qual o filme que você viu que mais se aproxima da condição feminina nestes tempos de vulguraridades,banalizações,etc,etc? Não vale dizer Infedelidade com a direção extraordinária de Liv Ulmann.Esse eu gostei muito. Grato Heraldo
[Leia outros Comentários de heraldo vasconcellos]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




COLÔNIA CECÍLIA - RENATA PALLOTTINI (TEATRO ANARQUISTA)
RENATA PALLOTTINI
ACHIAMÉ
(2001)
R$ 10,00



O CURUMIM DOURADO (LITERATURA INFANTO-JUVENIL)
JOSÉ ARRABAL
FTD
(1990)
R$ 4,00



FRANK MILLER RONIN Nº 4
DC COMICS
DC COMICS
R$ 7,00



O DIÁRIO DE
LARISSA MANOELA
NOVA FRONTEIRA
(2016)
R$ 10,00



O NATAL DE POIROT
AGATHA CHRISTIE
RECORD
(1987)
R$ 8,00



CRISTIANÍSMO - SÉRIE CONHECENDO AS RELIGIÕES
VÁRIOS AUTORES
TODOLIVROS / BRASILLEITURA
(2012)
R$ 5,00



MANGÁ VARIANTE REQUIEM FOR THE WORLD Nº 3
IQURA SUGIMOTO
SAMPA ARTE / LAZER
(2004)
R$ 11,90



A HISTÓRIA DE LULA, O FILHO DO BRASIL
DENISE PARANÁ
OBJETIVA
(2009)
R$ 16,99
+ frete grátis



FALA SÉRIO! VOCÊ TAMBÉM NÃO ESTÁ A FIM DELE
IAN KERNER
BEST SELLER
(2006)
R$ 36,04



ORÁCULO DOS ANJOS
AMBIKA WAUTERS
MADRAS
R$ 30,00





busca | avançada
22858 visitas/dia
708 mil/mês