Mulheres à beira de um ataque de nervos | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
59182 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Exuberância - Moisés Patrício
>>> Missão à China
>>> Universidade do Livro desvenda os caminhos da preparação e revisão de texto
>>> Mississippi Delta Blues Festival será On-line
>>> Tykhe realiza encontro com Mauro Mendes Dias sobre O Discurso da Estupidez
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Quem somos nós para julgar Michael Jackson?
>>> Culture to Digest
>>> Os novos filmes de Iñárritu
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> One-man show
>>> A difícil arte de fazer arte
>>> O Exército de Pedro
>>> Doida pra escrever
>>> Alguns momentos com Daniel Piza
>>> Desonra, por J.M. Coetzee
Mais Recentes
>>> O Milagre de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2010)
>>> O Melhor de Mim de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2012)
>>> A Escolha de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2012)
>>> Um Amor para Recordar de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2011)
>>> A última Música de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2010)
>>> Primeiro Amor de James Patterson pela Novo Conceito (2014)
>>> Pelos Caminhos de Pedras e de Folhas Secas de Maria José Mamede Galvão pela Caravela (2018)
>>> Violetas na Janela de Patrícia Espirita pela Petit (2020)
>>> Divergente Uma Escolha Pode Te Transformar de Verônica Roth pela Rocco (2012)
>>> Traité Clinique Et Pratique des Maladies Puerpérales Suites de Couches de E Hervieux pela Adrien Delahaye Libraire Éditeur (1870)
>>> Commentaires Thérapeutiques du Codex medocamentarius de Adolphe Gubler pela J B Bailliére Et Fils (1868)
>>> A Esperança de Suzanne collins pela Rocco (2012)
>>> Dictionnaire de Medicine de Chirurgie, de Pharmacie de E Littrè & Ch Robin pela J B Bailliére Et Fils (1865)
>>> Os Pensadores - Fichte de Johann Gottlieb Fichte pela Nova Cultural (1988)
>>> Os Grandes Profetas de Nova Cultura pela Nova Cultural (1985)
>>> Reflexões Sobre a Historia Moderna de Hans Kohn pela Fundo de Cultura (1965)
>>> História da América Portuguesa de Rocha Pita pela Senado Federal (2011)
>>> Guia de Conversação Langenscheidt Inglês de Vários Autores pela Martins Fontes (1998)
>>> Dicionário Inglês Português / Português Inglês de Amanda Marques & David Draper pela Ática (1988)
>>> Francês Para Viagem e Dicionário de Vários Autores pela Berlitz (1991)
>>> No Giro do Mundo os Periódicos do Real Gabinete Português de Leitura 1 de Eduardo da Cruz ( Org. ) pela Real Gabinete Português de Leitura (2014)
>>> Dicionário Espanhol Português / Português Espanhol de Vários Autores pela Dcl
>>> RL - Uma Autobiografia de Rita Lee pela Globo Livros (2016)
>>> Minidicionário Ruth Rocha de Ruth Rocha & Hindenburg da Silva Pires pela Scipione (2001)
>>> Mecânica Vetorial para Engenheiros - Estática de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1994)
>>> Dicionário Júnior da Língua Portuguesa de Geraldo Mattos pela Ftd (1996)
>>> Bá, Tchê! – Dicionário Temático de Luis Augusto Fischer pela Artes e Ofícios (2001)
>>> Mecânica Vetorial para Engenheiros 1 - Estática de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1977)
>>> Dicionário de Porto-Alegrês de Luís Augusto Fischer pela Artes e Ofícios (1999)
>>> Resistência dos Materiais de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1982)
>>> O Constitucionalismo democrático latino-americano em debate de Leonardo Avritzer/Lilian Cristina Bernardo Gomes (Org) pela Autêntica (2017)
>>> Reiki - Medicina Energética de Libby Barnett e Magie Chambers pela Nova Era (1999)
>>> Revista do Livro Ano V Número 20 Dezembro de 1960 de Lêdo Ivo, Mário de Andrade, Heitor Lyra e outros pela Instituto Nacional do Livro (1960)
>>> The Argumentative Indian - Writings on Indian History, Culture de Amartya Sen pela Picador (2005)
>>> O Encanto da Montanha & Caminho ao Lar de Linda Howard pela Harlequin Books (2010)
>>> Afrodiáspora 6 e 7 - Revista de estudos do mundo negro de Vários Autores pela Ipeafro (1985)
>>> Aventura Ardente de Diana Palmer pela Harlequin Books (2013)
>>> Indiscreta de Candace Camp pela Harlequin Books (2005)
>>> Meu Anjo de Sherryl Woods pela Harlequin Books (2005)
>>> Pido la Paz y la Palabra de Blas de Otero pela Cantalapiedra (1955)
>>> Steve Jobs de Walter Isaacson pela Companhia das Letras (2011)
>>> Sem Perdão de Frederick Forsyth pela Abril Cultural (1985)
>>> Comunidades imaginadas de Benedict Anderson pela Companhia Das Letras (2019)
>>> A Segunda Vitória de Morris West pela Abril Cultural (1985)
>>> Os Insaciáveis de Harold Robbins pela Rio Gráfica (1985)
>>> O Fã Clube de Irving Wallace pela Abril Cultural (1985)
>>> Palavra Desordem de Arnaldo Antunes pela Iluminuras (2002)
>>> A Filha Pródiga de Jeffrey Archer pela Nova Cultural (1986)
>>> Escritos Sobre o Racismo, Igualdade e Direitos de André Costa pela Inst. Afirmação de Direitos (2009)
>>> A Origem da Família, Da Propriedade Privada e do Estado de Friedrich Engels pela Boitempo (2019)
COLUNAS

Quinta-feira, 21/2/2002
Mulheres à beira de um ataque de nervos
Adriana Baggio

+ de 4700 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Segunda-feira em João Pessoa. Pouca coisa para fazer, nenhuma vontade de ficar em casa. As opções no cinema também não estavam ajudando. Um estalone, um shuazeneguer e outras tranqueiras. Dentre estas, o "Avassaladoras". A curiosidade, somada à falta de opção (até parece o roteiro do filme...), me levou à sala 3 no Multiplex do Mag Shopping para encarar a película com Giovanna Antonelli e Reynaldo Gianecchini. Fui com uma amiga, para a gente, pelo menos, poder comentar sobre as besteiras que íamos assistir. Quanto a isso, não resta dúvidas. A maioria dos filmes sobre mulheres não conseguem fugir dos estereótipos.

Com "Avassaladoras" não é diferente. O filme tem uma abertura graficamente bonita, com uma música cantada por Paulo Ricardo (perfeitamente adequado...). Parecia mais o primeiro capítulo de alguma novela da Globo. As primeiras cenas servem para que a gente identifique o gênero do filme: ah!, é uma comédia. Uma Giovanna Antonelli fazendo o estilo bonita-desastrada aparece em sua workstation moderníssima em uma agência de design gráfico, em frente ao seu Mac. O galã cafa, de cafajeste e cafona, como escreveu o pessoal do Estadão, Reynaldo Gianecchini, está chamando para uma reunião. Laura (a personagem vivida por Giovanna) e sua outra amiga atrapalhada saem destrambelhadas pelos corredores, tropeçando e enroscando na porta da sala de reuniões. Fiquei me perguntando: precisava isso? O filme todo é cheio dessas atuações ridículas, constrangedoras, uma mistura de Didi (dos Trapalhões, é claro) com Meg Ryan.

Bem, o filme conta a história de Laura, uma mulher produto dos tempos modernos: bonita, independente, bem-sucedida profissionalmente, mas ainda sozinha aos 34 anos. Suas amigas, idem. A única que tem namorado talvez seja a que está em pior situação, porque o cara é um tipo brutamontes folgado. Outra é a típica executiva viciada em trabalho, e a última, uma perua no melhor estilo boutique-academia-clínica estética. Para não fugir ao sinal dos tempos, a perua trabalha junto com Laura, mas faz questão de esclarecer que não nasceu pra isso. Já a avó de Laura, coitada, parece ser uma daquelas folhinhas de antigamente, cheia de ditados tais como: cada tampa tem sua panela, o homem certo sempre aparece, o que for para ser será, tudo tem seu tempo. Um personagem desperdiçado, com certeza.

Continuando, Laura Antonelli começa a entrar em desespero por estar tanto tempo sozinha, sem namorado e sem sexo, e acaba procurando uma agência de casamentos. A dona da agência solta pérolas de dicas para conquistar os homens, tais como "nunca passe mais de cinco minutos ao telefone com ele, para que ele pense que você sempre tem algo mais interessante para fazer". Laura acaba conhecendo Miguel, vivido por Caco Ciocler, um árabe do tipo "diamante bruto", primo da dona da agência. Apesar de se darem bem, eles não têm muito a ver um com outro. Miguel é simples, autêntico. Laura é sofisticada, um pouco metida à besta. É aí que a gente começa a pensar que a diretora vai fazer com que as diferenças sejam superadas e passar a moral de que o amor supera até um abismo no vocabulário. Mesmo com as diferenças, os dois acabam iniciando um relacionamento e a vida de Laura muda depois de uma noite de amor com Miguel. É como aqueles comerciais de Vinólia, onde as mulheres estão todas de roupas sóbrias, exceto a que usa o sabonete. Assim é a nova Laura, mais leve, mais feliz, mais colorida. Mesmo não tendo certeza de querer levar adiante sua relação com Miguel, ela vai curtindo. Nesse meio tempo, o galã cafa de Giane descobre essa nova Laura, e eles transam. Resumindo: um dia, em uma festa em sua casa, Laura tem ao seu lado o galinha do Giane, e o tosco do Miguel. E percebe que não quer nenhum deles.

Toda essa apresentação é para dizer que, apesar de tudo, achei alguns aspectos do filme surpreendentes. Mesmo com todos os estereótipos, as frases feitas, a encenação patética, alguns pontos ficaram, senão realistas e verossímeis, pelo menos não tão óbvios. Laura, no fim das contas, não fica nem com Miguel, nem com Giane. Confesso que fiquei surpresa pela história não ter resvalado para um final previsível, tipo "vale a pena tentar superar as diferenças para viver um grande amor" ou "a moça íntegra que redime o galinha, instantaneamente transformado em um animal monogâmico". Na verdade, as experiências vividas com os dois homens serviram para ela desencanar, relaxar. Ajudou muito a orientação do escritor cujo livro fala sobre a solidão feminina. O escritor é gay, e é o único na história que entende a alma das mulheres. Da boca do personagem saem algumas idéias curiosas, tipo: com a independência financeira, as mulheres não precisariam mais procurar homens tão bem-sucedidos quanto elas; poderiam se dar ao luxo de aumentar o campo de escolha, para poder encontrar alguém de quem realmente gostassem, mesmo que tivessem que sustentar essa pessoa. A avó de Laura, em um dos raros diálogos sem clichês, fala algo parecido: por que as mulheres têm mania de olhar só pra cima, e procurar homens que sejam sempre melhores do que elas? Por que não olhar ao lado, ou para baixo?

De clichês em clichês, trapalhadas em trapalhadas, o filme segue até um final interessante, já que não previsível. Laura, na verdade, continua sozinha, mas agora está bem, feliz consigo mesma. Aprendeu a não ficar ansiosa por estar só; aprendeu que pode ser feliz mesmo sem estar com alguém; aprendeu que depende muito dela encontrar ou não um companheiro. Sua amiga perua casou com Miguel, o tosco. Na festa, a executiva leva cantadas de Giane, o safado, mais cafa do que nunca (ponto para o roteiro!). E a única que tinha namorado acaba ficando grávida dele (que tragédia...). Na verdade, pensando bem, as que ficaram solteiras ainda estão em melhor situação do que as que terminaram com alguém. Ah! Laura está em Nova York. As amigas mostram fotos dela durante a festa de casamento. Ficou um negócio meio estranho, abrupto. Parece que o contrato de Giovanna Antonelli acabou antes das filmagens, e eles tiveram que dar um jeito no final.

Mulheres: se vocês resolverem encarar "Avassaladoras", levem as amigas. Assistam o filme, dêem risada se conseguirem, e depois do cinema saiam para o boteco mais próximo. Mesmo sem um final muito previsível, a fita continua sendo daquelas que encaixa a mulher em estereótipos falsos, pré-moldados, preconceituosos. A melhor coisa é tomar umas e dar risada da própria vida, que pelo menos é autêntica. E nem perca tempo chamando seu namorado. Já está tão difícil arranjar um, pra que botar tudo a perder forçando a barra para um programa que ele vai odiar? Vá sozinha, divirta-se e ganhe bônus para gastar em oportunidades que valham mais a pena!


Adriana Baggio
Curitiba, 21/2/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A noite do meu bem, de Ruy Castro de Julio Daio Borges
02. A maldade humana de Gian Danton
03. O primeiro e pior emprego de Marta Barcellos
04. Mulheres fantásticas e futuristas de Carla Ceres
05. 10 maneiras de tentar abolir o debate de Julio Daio Borges


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2002
01. Todos querem ser cool - 27/6/2002
02. Menos Guerra, Mais Sexo - 31/1/2002
03. Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo! - 20/6/2002
04. Homens, cães e livros - 15/8/2002
05. No banheiro com Danuza - 28/11/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
22/2/2002
17h28min
Querida Adriana Qual o filme que você viu que mais se aproxima da condição feminina nestes tempos de vulguraridades,banalizações,etc,etc? Não vale dizer Infedelidade com a direção extraordinária de Liv Ulmann.Esse eu gostei muito. Grato Heraldo
[Leia outros Comentários de heraldo vasconcellos]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A PARÁBOLA DO PLANETA AZUL II
FERNANDO CARRARO
FTD
(1999)
R$ 9,00



O DESTINO
EMÊ RIBEIRO- EDUARDO MASCARENHAS E OUTROS
TEERCEIRA MARGEM
R$ 35,00



OUVINDO ESTRELAS AUTOBIOGRAFIA
MARCO MAZZOLA
PLANETA
(2007)
R$ 25,00



CONECTE QUÍMICA - VOLUME 2 BOX COMPLETO
EDGARD SALVADOR; JOÃO UBESCO
SARAIVA
(2014)
R$ 40,00



HERMENÊUTICA CONSTITUCIONAL
ALENCAR FREDERICO MARGRAF, RAFAEL DE LAZARI
LUMEN JURIS
(2016)
R$ 60,00



O MAPA DOS OSSOS
JAMES ROLLINS
EDIOURO
(2005)
R$ 8,50



PRÉCIS DE PATHOLOGIE EXTERNE I
F. FORGUE
OCTAVE DOIN
(1908)
R$ 98,00



O MUNDO DA ARTE CRISTANDADE CLÁSSICA E BIZANTINA
JEAN LASSUS
ENCYCLOPAEDIA BRITANNICA ED.
(1979)
R$ 13,00



PINTURAS
J. B. CAMPOS
DO AUTOR
R$ 49,11



POÇOS DE CALDAS - CIDADE
CELESTE CALIL (AUTOGRAFADO)
DO AUTOR
(1995)
R$ 18,00





busca | avançada
59182 visitas/dia
2,1 milhões/mês