Mulheres à beira de um ataque de nervos | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
28879 visitas/dia
957 mil/mês
Mais Recentes
>>> 'D. Quixote de La Mancha pelas mãos de Canato'
>>> Projeto nacional de educação musical estará em santos no próximo dia 24.10, em Guarujá 25.09 e Santo
>>> Teatro Fase abre palco para comédia
>>> Artistas da 33ª Bienal participam do open studio na Residência Artística da FAAP
>>> Europa de Portas Abertas 2018
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Alice in Chains, Rainier Fog (2018)
>>> Cidades do Algarve
>>> Gosta de escrever? Como não leu este livro ainda?
>>> Assum Preto, Me Responde?
>>> Os olhos de Ingrid Bergman
>>> Não quero ser Capitu
>>> Desdizer: a poética de Antonio Carlos Secchin
>>> Pra que mentir? Vadico, Noel e o samba
>>> De quantos modos um menino queima?
>>> Entrevista com a tradutora Denise Bottmann
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> O conservadorismo e a refrega de símbolos
>>> Ingmar Bergman, cada um tem o seu
>>> Em defesa do preconceito, de Theodore Dalrymple
>>> BRASIL, UM CORPO SEM ALMA E ACÉFALO
>>> Meus encontros com Luiz Melodia
>>> Evasivas admiráveis, de Theodore Dalrymple
>>> O testemunho nos caminhos de Israel
>>> UM OLHAR SOBRE A FILOSOFIA (PARTE FINAL)
>>> Os livros sem nome
>>> O mundo era mais aberto, mãe...
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Retrato em branco e preto
>>> Dilma na Copa 2014
>>> Receita para se esquecer um grande amor
>>> Duas escritoras contemporâneas
>>> Henry Moore: o Rodin do século XX
>>> Entrevista com Antonio Henrique Amaral
>>> O assassinato de Jesse James pelo covarde Robert Ford
>>> Dando nome aos progres
Mais Recentes
>>> Diferentes formas de amar de Susana balan pela Best seller
>>> O novo paradigma dos negocios de Michael ray e alan rizsler pela Um
>>> Prisma--girando a piramide corporativa. de Werner k. p. kugelmeier pela Publit
>>> A fazenda mal assombrada de Alexandre dias pela Lachatre
>>> Conhecendo e trabalhando com o visual basic 6.0. de Pedro luiz cortes e roberto alessandre scherr. pela Erica
>>> Aguerra se torna mundial de Folha de sao paulo pela Folha de sao paulo
>>> Visual basic--simples e objetivo 3.0. de Ignacio c. m. massum. pela Erica
>>> Windows 98--answers--certified tech support. de Martin s. mattews an carole boggs mattews pela Mcgraw-hill
>>> Wit: Jornada de um Poema de Margaret Edson pela Peixoto Neto (2000)
>>> Bestiário de Júlio Cortázar pela Edibolso (1977)
>>> Conflito de Culturas de Coelho de Sousa pela Ministério da Educação e Saúde (1953)
>>> Segredo Rebelde de Marcelo Ferla pela Futuro (2006)
>>> Planejamento e Organização do Turismo de Ivan Fernandes pela Campus (2011)
>>> Turismo e Empreendedorismo de Jovo Ateljevic pela Campus (2011)
>>> Stagium: As Paixões da Dança de Décio Otero pela Hucitec (1999)
>>> A Capitania das Minas Gerais de Augusto de Lima Júnior pela Livraria Itatiaia (1978)
>>> Histórias do Japão de José Arrabal pela Peirópolis (2004)
>>> As brumas de avalon de Marion zimmer Bradley pela Imago (1985)
>>> As brumas de avalon de Marion zimmer Bradley pela Imago (1985)
>>> Recordação da casa dos mortos de Dostoievski pela Saraiva (1949)
>>> Era no tempo do Rei de Luiz Antonio Aguir pela Ática (2009)
>>> Planejamento e gestao estrategica nas empresas. de Luiz alberto a. dos santos. pela Atlas
>>> Comportamento organizacional de John a. wagner e john r. hollenbeck pela Saraiva
>>> Bom sono de Richard ferber pela Celebris
>>> Em dia com a digestao de Serafina petrocca pela Epoca
>>> Religioes do povo de Giorgio paliari pela Am
>>> Escoliose--a causa das nossa dores fisicas. de Antonio benedito do nascimento pela Ottoni
>>> Gibi audax-ano 1-numero 5. de Editora abril pela Abril
>>> Gibi nick raider--4--chinatow de Ediroa record pela Record (2018)
>>> Programando em clipper 5.01. de Stephen j. straley pela Berkeley ebras
>>> Priv@cidade.com de Charles jennigs e lori fena pela Futura
>>> Adobe photoshop 5 in 24 hours de Carla rose pela Sams
>>> Liebieghaus de Vierte auflage pela Verte auflage
>>> Roses de David Squire pela Tiger Books International (1995)
>>> Sime Gen: The Unity Trilogy de Jacqueline Lichtenberg e Jean Lorrah pela Meisha Merlin Publishing (2003)
>>> O Poder Regulamentar Autônomo do Presidente da República de André Rodrigues Cyrino pela Fórum (2005)
>>> Los Llamados a Seguir a Cristo de Serafin Matellán pela Instituto Teológico de Vida Religiosa (1973)
>>> Reencarnação e Emigração Planetária de Dinkel Dias da Cunha pela Cátedra (1989)
>>> The Last Ride de Thomas Eidson pela Penguin Books (1996)
>>> Em Nome Do Pai de Pedro Cavalcanti pela Códex (2003)
>>> The Pact de Jodi Picoult pela Harper Perennial (2006)
>>> Second Glance de Jodi Picoult pela Washington Square Press (2003)
>>> Ornate Wallpapers de Victoria and Albert Museum pela Harry N. Abrams Publishers (1986)
>>> O Jantar da Lagartixa de Ateneia Feijó pela Rocco (2003)
>>> Faro Felino de Tessy Callado pela Rocco (2004)
>>> Cartografias Cotidianas de Elke Coelho e Danillo Villa pela Uel (2011)
>>> Prostituição: O Eterno Feminino de Eliana dos Reis Calligaris pela Escuta (2006)
>>> El Hombre y Sus Cuerpos de Annie Besant pela Editorial Schapire (1950)
>>> Cirurgia Estética de Rolando Zani pela Gráfica Estadão (1986)
>>> As Catilinárias de Amélie Nothomb pela Record (1997)
COLUNAS

Quinta-feira, 21/2/2002
Mulheres à beira de um ataque de nervos
Adriana Baggio

+ de 4400 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Segunda-feira em João Pessoa. Pouca coisa para fazer, nenhuma vontade de ficar em casa. As opções no cinema também não estavam ajudando. Um estalone, um shuazeneguer e outras tranqueiras. Dentre estas, o "Avassaladoras". A curiosidade, somada à falta de opção (até parece o roteiro do filme...), me levou à sala 3 no Multiplex do Mag Shopping para encarar a película com Giovanna Antonelli e Reynaldo Gianecchini. Fui com uma amiga, para a gente, pelo menos, poder comentar sobre as besteiras que íamos assistir. Quanto a isso, não resta dúvidas. A maioria dos filmes sobre mulheres não conseguem fugir dos estereótipos.

Com "Avassaladoras" não é diferente. O filme tem uma abertura graficamente bonita, com uma música cantada por Paulo Ricardo (perfeitamente adequado...). Parecia mais o primeiro capítulo de alguma novela da Globo. As primeiras cenas servem para que a gente identifique o gênero do filme: ah!, é uma comédia. Uma Giovanna Antonelli fazendo o estilo bonita-desastrada aparece em sua workstation moderníssima em uma agência de design gráfico, em frente ao seu Mac. O galã cafa, de cafajeste e cafona, como escreveu o pessoal do Estadão, Reynaldo Gianecchini, está chamando para uma reunião. Laura (a personagem vivida por Giovanna) e sua outra amiga atrapalhada saem destrambelhadas pelos corredores, tropeçando e enroscando na porta da sala de reuniões. Fiquei me perguntando: precisava isso? O filme todo é cheio dessas atuações ridículas, constrangedoras, uma mistura de Didi (dos Trapalhões, é claro) com Meg Ryan.

Bem, o filme conta a história de Laura, uma mulher produto dos tempos modernos: bonita, independente, bem-sucedida profissionalmente, mas ainda sozinha aos 34 anos. Suas amigas, idem. A única que tem namorado talvez seja a que está em pior situação, porque o cara é um tipo brutamontes folgado. Outra é a típica executiva viciada em trabalho, e a última, uma perua no melhor estilo boutique-academia-clínica estética. Para não fugir ao sinal dos tempos, a perua trabalha junto com Laura, mas faz questão de esclarecer que não nasceu pra isso. Já a avó de Laura, coitada, parece ser uma daquelas folhinhas de antigamente, cheia de ditados tais como: cada tampa tem sua panela, o homem certo sempre aparece, o que for para ser será, tudo tem seu tempo. Um personagem desperdiçado, com certeza.

Continuando, Laura Antonelli começa a entrar em desespero por estar tanto tempo sozinha, sem namorado e sem sexo, e acaba procurando uma agência de casamentos. A dona da agência solta pérolas de dicas para conquistar os homens, tais como "nunca passe mais de cinco minutos ao telefone com ele, para que ele pense que você sempre tem algo mais interessante para fazer". Laura acaba conhecendo Miguel, vivido por Caco Ciocler, um árabe do tipo "diamante bruto", primo da dona da agência. Apesar de se darem bem, eles não têm muito a ver um com outro. Miguel é simples, autêntico. Laura é sofisticada, um pouco metida à besta. É aí que a gente começa a pensar que a diretora vai fazer com que as diferenças sejam superadas e passar a moral de que o amor supera até um abismo no vocabulário. Mesmo com as diferenças, os dois acabam iniciando um relacionamento e a vida de Laura muda depois de uma noite de amor com Miguel. É como aqueles comerciais de Vinólia, onde as mulheres estão todas de roupas sóbrias, exceto a que usa o sabonete. Assim é a nova Laura, mais leve, mais feliz, mais colorida. Mesmo não tendo certeza de querer levar adiante sua relação com Miguel, ela vai curtindo. Nesse meio tempo, o galã cafa de Giane descobre essa nova Laura, e eles transam. Resumindo: um dia, em uma festa em sua casa, Laura tem ao seu lado o galinha do Giane, e o tosco do Miguel. E percebe que não quer nenhum deles.

Toda essa apresentação é para dizer que, apesar de tudo, achei alguns aspectos do filme surpreendentes. Mesmo com todos os estereótipos, as frases feitas, a encenação patética, alguns pontos ficaram, senão realistas e verossímeis, pelo menos não tão óbvios. Laura, no fim das contas, não fica nem com Miguel, nem com Giane. Confesso que fiquei surpresa pela história não ter resvalado para um final previsível, tipo "vale a pena tentar superar as diferenças para viver um grande amor" ou "a moça íntegra que redime o galinha, instantaneamente transformado em um animal monogâmico". Na verdade, as experiências vividas com os dois homens serviram para ela desencanar, relaxar. Ajudou muito a orientação do escritor cujo livro fala sobre a solidão feminina. O escritor é gay, e é o único na história que entende a alma das mulheres. Da boca do personagem saem algumas idéias curiosas, tipo: com a independência financeira, as mulheres não precisariam mais procurar homens tão bem-sucedidos quanto elas; poderiam se dar ao luxo de aumentar o campo de escolha, para poder encontrar alguém de quem realmente gostassem, mesmo que tivessem que sustentar essa pessoa. A avó de Laura, em um dos raros diálogos sem clichês, fala algo parecido: por que as mulheres têm mania de olhar só pra cima, e procurar homens que sejam sempre melhores do que elas? Por que não olhar ao lado, ou para baixo?

De clichês em clichês, trapalhadas em trapalhadas, o filme segue até um final interessante, já que não previsível. Laura, na verdade, continua sozinha, mas agora está bem, feliz consigo mesma. Aprendeu a não ficar ansiosa por estar só; aprendeu que pode ser feliz mesmo sem estar com alguém; aprendeu que depende muito dela encontrar ou não um companheiro. Sua amiga perua casou com Miguel, o tosco. Na festa, a executiva leva cantadas de Giane, o safado, mais cafa do que nunca (ponto para o roteiro!). E a única que tinha namorado acaba ficando grávida dele (que tragédia...). Na verdade, pensando bem, as que ficaram solteiras ainda estão em melhor situação do que as que terminaram com alguém. Ah! Laura está em Nova York. As amigas mostram fotos dela durante a festa de casamento. Ficou um negócio meio estranho, abrupto. Parece que o contrato de Giovanna Antonelli acabou antes das filmagens, e eles tiveram que dar um jeito no final.

Mulheres: se vocês resolverem encarar "Avassaladoras", levem as amigas. Assistam o filme, dêem risada se conseguirem, e depois do cinema saiam para o boteco mais próximo. Mesmo sem um final muito previsível, a fita continua sendo daquelas que encaixa a mulher em estereótipos falsos, pré-moldados, preconceituosos. A melhor coisa é tomar umas e dar risada da própria vida, que pelo menos é autêntica. E nem perca tempo chamando seu namorado. Já está tão difícil arranjar um, pra que botar tudo a perder forçando a barra para um programa que ele vai odiar? Vá sozinha, divirta-se e ganhe bônus para gastar em oportunidades que valham mais a pena!


Adriana Baggio
Curitiba, 21/2/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Um Furto de Ricardo de Mattos
02. A falta que Tom Wolfe fará de Rafael Lima
03. Sebastião Rodrigues Maia, ou Maia, Tim Maia de Renato Alessandro dos Santos
04. Como se me fumasse: Mirisola e a literatura do mal de Jardel Dias Cavalcanti
05. Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá? de Renato Alessandro dos Santos


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2002
01. Todos querem ser cool - 27/6/2002
02. Menos Guerra, Mais Sexo - 31/1/2002
03. Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo! - 20/6/2002
04. Homens, cães e livros - 15/8/2002
05. No banheiro com Danuza - 28/11/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
22/2/2002
17h28min
Querida Adriana Qual o filme que você viu que mais se aproxima da condição feminina nestes tempos de vulguraridades,banalizações,etc,etc? Não vale dizer Infedelidade com a direção extraordinária de Liv Ulmann.Esse eu gostei muito. Grato Heraldo
[Leia outros Comentários de heraldo vasconcellos]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




COURBET - GÊNIOS DA PINTURA Nº 80
ABRIL CULTURAL
ABRIL CULTURAL
(1967)
R$ 8,49



ENERGIA HUMANA E SONS - LA ENERGÍA HUMANA Y LOS SONIDOS
J. TOMAS ZEBERIO
MARYMAR
(2017)
R$ 19,90



UMA INTRODUÇÃO BÁSICA A UM CURSO EM MILAGRES
KENNETH WAPNICK
FORGIVENESS
(1993)
R$ 130,00



REFLEXOS DOS OLHOS D'GUA
CRISTINA PORTO
FTD
(2003)
R$ 20,00



WORLD OF WARCRAFT - SOMBRAS DA HORDA
MICHAEL A. STACKPOLE
GALERA RECORD
(2013)
R$ 18,00



SOCIOLOGIA DO DIREITO (O FENÔMENO JURÍDICO COMO FATO SOCIAL)
F. A. DE MIRANDA ROSA
ZAHAR
(1975)
R$ 15,00



A VINGANÇA
JIM HARRISON
34
(1996)
R$ 17,00



JOURNAL OF THE BRAZILIAN COMPUTER SOCIETY Nº 2 VOL 4 NOVEMBER 97
SOCIEDADE BRASILEIRA DE COMPUTAÇÃO
SBC
(1997)
R$ 7,00



LEO HALLIWELL NA AMAZÔNIA
OLGA S. STREITHORST
CASA PUBLICADORA BRASILEIRA
(1979)
R$ 119,90



RELAÇÕES
HELENO GODOY
ICBC
(2006)
R$ 9,00





busca | avançada
28879 visitas/dia
957 mil/mês