Ficção e previsões para um futuro qualquer | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
69585 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
>>> Irene Ravache & Alma Despejada na programação online do Instituto Usiminas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A visão certa
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Asia de volta ao mapa
>>> 7 de Setembro
>>> Rebelde aristocrático
>>> Cócegas na língua
>>> Animazing
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Anjos e Demônios, o filme, com Tom Hanks
>>> Quem tem boca vai a Roma
Mais Recentes
>>> Minha vida de menina de Helena Morley pela Companhia das Letras (2020)
>>> Minha formação de Joaquim Nabuco pela 34 (2020)
>>> Mestre da Critica de Vários autores pela Topbooks (2020)
>>> Memórias para servir à História do Reino do Brasil de Luís Gonçalves dos Santos pela Senado (2020)
>>> Memórias de um Sargento de Milícias de Manuel Antônio de Almeida pela Abc (2020)
>>> A Unica Esperança de Alejandro Bullon pela Casa Publicadora Brasileira (2013)
>>> Memórias de Carlota Joaquina de Marsilio Cassotti pela Planeta (2020)
>>> Marquês de São Vicente de Eduardo Kugelmas pela 34 (2020)
>>> Machado de Assis & Joaquim Nabuco. Correspondência de Graça Aranha pela Topbooks (2020)
>>> Obra Completa de Luis De Camoes pela Nova (2020)
>>> Literatura e Sociedade de Antônio Candido pela Ouro sobre Azul (2020)
>>> O Tigre na Sombra de Lya Luft pela Record (2012)
>>> Juca Paranhos, o Barão do Rio Branco de Luís Cláudio Villafañe G. Santos pela Companhia das Letras (2020)
>>> Ingleses no Brasil de Gilberto Freyre pela UniverCidade (2020)
>>> Histórias da Gente Brasileira. República. Memórias. 1889-1950 - Volume 3 de Mary Del Priore pela Leya (2020)
>>> Histórias da gente brasileira - Império - Vol. 2 de Mary Del Priore pela Leya (2020)
>>> Histórias da gente brasileira - Colônia - Vol. 1 de Mary Del Priore pela Leya (2020)
>>> Tensoes Mundiais Volume 4 Numero 5 de Manoel Domingos Neto e Monica Dias Martins pela Observatorio das Nacionalidades (2008)
>>> História econômica do Brasil de Roberto C. Simonsen pela Senado (2020)
>>> História dos Fundadores do Império do Brasil - 7 volumes - coleção completa de Otávio Tarquínio de Sousa pela Senado (2020)
>>> História do Brasil: Uma interpretação de Mota, Carlos Guilherme and Lopez, Adriana pela 34 (2020)
>>> História do Brasil de Boris Fausto pela Edusp (2020)
>>> Historia da Vida Privada Em Portugal: Volume 1 Idade Média de Direção de José Mattoso pela Abc (2020)
>>> Historia da Vida Privada Em Portugal: OS Nossos Dias de Direção de José Mattoso pela Abc (2020)
>>> História da saúde no Brasil de Luiz Antonio Teixeira (Compilador), Tânia Salgado Pimenta (Compilador), Gilberto Hochman (Compilador) pela Hucitec (2020)
>>> História da Arte no Brasil: Textos de Síntese de Myriam Andrade Ribeiro de Oliveira, Angela Ancora da Luz, Sonia Gomes Pereira pela Ufrj (2020)
>>> Temas de Direito Constitucional Volume 1 de Luís Roberto Barroso pela Renovar (2002)
>>> História Da América Portuguesa de Sebastião Da Rocha Pita pela Senado (2020)
>>> História da Alimentação no Brasil de Luís da Câmara Cascudo pela Global (2020)
>>> No caminho de Swann. de Marcel Proust pela Globo (2003)
>>> Hipólito José da Costa de Sergio Goes de Paula pela 34 (2020)
>>> Serious Candida Infections: Risk Factors, Treatment and Prevention de John H. Rex e Françoise Meunier Editores pela Pfizer (1995)
>>> Grande Reforma Urbana Do Rio De Janeiro, A: Pereira Passos, Rodrigues Alves E As Ideias De Civilização E Progresso de Andre Nunes De Azevedo pela PUC Rio (2020)
>>> Natural Racional Social - Razão Médica e Racionalidade Científica Moderna. de Madel T. Luz pela Campus (1988)
>>> Getúlio 3 (1945-1954) de Lira Neto pela Companhia das Letras (2020)
>>> Getulio 1930-1945: Do Governo Provisorio Ao Estado Novo de Lira Neto pela Companhia das Letras (2020)
>>> Para gostar de ler. Vol.4 - Crônicas.. de Vários pela Ática (1980)
>>> Getúlio 1 (1882-1930) de Lira Neto pela Companhia das Letras (2020)
>>> Viver o Amor. de José Carlos Pedroso pela Edições Paulinas (1978)
>>> General Osorio de Doratioto, Francisco pela Companhia das Letras (2020)
>>> Ganhadores: A greve negra de 1857 na Bahia de João José Reis pela Companhia das Letras (2020)
>>> Formação de Cidades no Brasil Colonial de Santos, Paulo Ferreira pela Ufrj - IPHAN (2020)
>>> Flores votos e balas de Alonso, Angela pela Companhia das Letras (2020)
>>> A Saude dos Filhos de E. Nauta pela Circulo do Livro (1987)
>>> Gibi Mônica N°8. Lendas da Jumenta Voadora de Mauricio de Sousa Editora pela Panni Comics (2007)
>>> Ficção e Confissão de Antônio Candido pela Ouro sobre Azul (2020)
>>> Essencial padre Antônio Vieira: o que o turista deve ver de Vieira, Padre Antônio and Bosi, Alfredo pela Penguin (2020)
>>> Gibi Mônica N°83 A árvore encantada de Mauricio de Sousa Editora pela Panni Comics (2013)
>>> Escravidão - Vol. 1: Do primeiro leilão de cativos em Portugal até a morte de Zumbi dos Palmares de Laurentino Gomes pela Globo Livros (2020)
>>> Esaú e Jacó de Assis, Machado de pela Abc (2020)
COLUNAS

Sexta-feira, 22/5/2020
Ficção e previsões para um futuro qualquer
Ana Elisa Ribeiro

+ de 1800 Acessos

Geralmente, o que estava na literatura já adiantava o que poderia nos acontecer. Na ficção, há inúmeros exercícios de imaginação - ou planejamento? - das tragédias e bizarrices que poderíamos viver ou ser obrigados/as a viver. Muitos/as de nós têm exemplos para dar, menos e mais sofisticados.

Hoje mesmo, no café da manhã, me peguei falando em uma possível reforma que faria no mundo, caso alguém me desse um cargo de presidente de algum conselho para melhorias. É claro que isso jamais acontecerá, e muito menos a mim, mas nada me impede de conjeturar, tomando café e olhando perdidamente o céu pela janela gradeada da cozinha. Eu pensava nas coisas que alteraria completamente, nas rotinas de que não sentiria a menor falta, do trabalho de um jeito mais humano, de relações de amizade mais sinceras, de pessoas assim & assado, mas era tudo pura imaginação. No fundo, acredito mais nas pioras e na correria por uma espécie de compensação, quando tudo isto se amenizar.

Quando me vi pensando em reformas, logo veio a capa de um livro de Monteiro Lobato, A reforma da natureza, que li quando bem jovem e de que me lembro até hoje, tais foram as curiosidades que me marcaram nele. Uma protagonista livre para imaginar já me soava suficientemente relevante. E as ideias dela, que pareciam inicialmente boas, mostravam-se logo sem funcionalidade. Que pena. Talvez a minha reforma também não ficasse bem, em curto tempo, mas não custa tentar, ao menos nos meus pensamentos.

Muitos/as de nós podemos compor uma lista de livros e de filmes que prenunciaram - agora até parece que foi isso - diferentes crises mundiais ou nacionais; fins de mundo de todo jeito, sob todas as mitologias; ataques alienígenas de diferentes feições e níveis de violência; genocídios em variadas modalidades; alterações em diversas dimensões. Até uma pandemia semelhante à do Coronavírus já pintou por aí, em filmes, pelo menos. E quem acreditaria? A gente saía do cinema sorrindo, comendo pipoca, jogando perdigotos nos/as amigos/as e ia logo se sentar na lanchonete mais próxima, sem lavar as mãos. Tudo ficção. Só que não.

Além de trabalhar loucamente de dentro de casa - o que não me desagrada, confesso -, passo bastante tempo, ainda hoje, perplexa com o fato de viver, intensamente, uma pandemia digna dos livros de História. Se não formos exterminados, ou pelo vírus ou pela política, e chegarmos lá, mais adiante no tempo, teremos o que contar aos/às netos/as, quando fizerem trabalhos de escola. E como estará a escola?

A escola é uma das personagens centrais desta encrenca toda. Está entre as instituições mais atingidas, e por todos os lados. Já que, no Brasil, educação nunca foi assunto sério, a escola sofre porque teve de se adaptar numa espécie de "se vira nos 30" e porque só leva bordoada, para onde quer que olhe. A escola, que nunca-jamais foi digital, nem as particulares, de repente teve de migrar tudo para alguma plataforma que surgiu magicamente. Uma parte boa do que se faz em escolas, hoje, está dentro de plataformas privadas que não são da própria escola. Professores/as em pânico, pais/mães também em pânico, gestores/as igualmente, mas nem sempre pelas mesmas razões.

A escola tem um papel fundamental na organização geral de nossas vidas. As crianças vão à escola para aprender, é claro, para desenvolver competências, para se socializarem, etc. Mas também vão à escola para não estarem em casa, para estarem sob os cuidados de outras pessoas, que cuidarão delas e de sua segurança, ao longo de várias horas de um dia, por anos a fio, até que cresçam e sejam mais autônomas. Não se deixa uma criança sozinha em casa. Tecnicamente, isso dá polícia e conselho tutelar. Mas quem disse que as condições, no Brasil, são essas? Incontáveis mulheres pobres precisam deixar seus filhos sozinhos ou uns cuidando dos outros enquanto trabalham nas casas de outras mulheres, que deixam seus filhos com aquelas primeiras e assim as coisas funcionam. Há o que fazer? Não há. E este costuma ser um esquema entre mulheres, infelizmente só elas.

Nesta bizarrice toda que vivemos hoje, além das infinitas explicações sobre epidemiologia na TV, remédios e testes científicos, ouvimos falar em aumentos de violência, inclusive contra crianças, e a piração geral a que foram levadas as instituições escolares: umas pelo excesso, outras pela falta. As escolas públicas, em sua maioria, não conseguem fazer muito porque não alcançam imensa parte de seus/suas estudantes digitalmente. Quem não sabia que é assim ou é muito distraído/a ou está de brincadeira.

Em todo caso, este cenário confuso tem servido também para me fazer pensar, ali diante das grades da janela, no que nós, pesquisadores de educação e tecnologias, andamos falando ao longo dos últimos vinte ou trinta anos. Claramente, podemos ser separados/as em alas, para as quais vou propor nomes que sirvam para os dias de hoje, dos mais otimistas aos menos: entusiastas desmedidos/as, ponderados/as-meio-inocentes e medrosões/onas-de-carteirinha. Não sei mais onde me incluir. Só sei que me sinto excluída como professora de estudantes sem banda larga, sem hardware, sem os cliques para usar programas interessantes e plataformas inteligentes. Como me senti inútil e ignorada... nos últimos dois meses. Só não me senti mais triste porque não fui da ala que quis crer que nossa educação podia contar com tecnologias digitais, que os equipamentos já estavam nas mãos de todos/as e que seria possível dar um salto em direção ao futuro. Quando eu lia isso, eu só pensava: uai, que coisa! Estão falando do mesmo país que eu? Euzinha, que dou aulas também no ensino médio e que senti tantos olharezinhos de desprezo justamente por isso.

Estava na ficção. Estava lá que o mundo se acabaria numa bagunça infernal. Estava em todos os enredos que haveria uma luta entre o bem e o mal. A gente saiu do cinema rindo e brincando, mas estava lá. Era aviso? Não era. Era prenúncio? Não sei. Só não era imaginação pura. Era medo, certamente. A gente sempre teve medo do que não controla. Agora precisa respeitar o que não controla e não vê. Ainda passarei alguns dias do lado de dentro das grades da janela, tentando acreditar que teremos condições razoáveis de repensar a vida para depois desta pandemia, incluindo as condições ridículas e desiguais em que as escolas funcionam, simplesmente porque têm de tocar o barco, mesmo com tanto vento contrário.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 22/5/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Sobreviver à quarentena de Luís Fernando Amâncio
02. Piada pronta de Luís Fernando Amâncio
03. A noite do meu bem, de Ruy Castro de Julio Daio Borges
04. Ah!... A Neve de Marilia Mota Silva
05. Estudo de uma tensão de Celso A. Uequed Pitol


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2020
01. Ler, investir, gestar - 17/1/2020
02. Meu reino por uma webcam - 19/6/2020
03. Filmes de guerra, de outro jeito - 10/7/2020
04. Ficção e previsões para um futuro qualquer - 22/5/2020
05. Relatório de compra - 7/2/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




BOM DIA LEITURAS DIÁRIAS VOLUME 2
MAX LUCADO
MUNDO CRISTÃO
(2014)
R$ 15,00



A RIQUEZA NA BASE DA PIRÂMIDE
C. K. PRAHALAD
BOOKMAN
(2005)
R$ 30,00



INVESTIGAÇÃO PREPARATÓRIA
ADEL EL TASSE
JURUÁ
(2010)
R$ 44,00



RAH, O MENSAGEIRO DO SÉTIMO RAIO
LUCI GUIMARÃES WATANABE
ATUAL
(1995)
R$ 6,90



AGUA VIVA
FORREST TOMAS
LOYOLA
(1991)
R$ 19,99



EL ZAPATO SUCIO (TEATRO CUBANO) - EM ESPANHOL
AMADO DEL PINO
EDICIONES ALARCOS
(2002)
R$ 14,00



DON QUIJOTE DE LA MANCHA 2 - NIVEL 3
MIGUEL DE CERVANTES SAAVEDRA
EDELSA GRUPO DIDASCA
(1996)
R$ 5,50



A FELICIDADE NÃO SE COMPRA
IRWIN SHAW
CÍRCULO DO LIVRO
(1981)
R$ 5,00



TROCA D ARMAS
LUISA VALENZUELA
ART
(1986)
R$ 5,00



LA EDUCACION POR LA DANZA: ENFOQUE METODOLÓGICO
P. OSSONA
PAIDOS (BUENOS AIRES)
(1976)
R$ 30,28





busca | avançada
69585 visitas/dia
2,2 milhões/mês