Cornos e burros | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
44557 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 21/3/2002
Cornos e burros
Adriana Baggio

+ de 3600 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Sabemos que, na prática, política não se faz como rezam as regras. A princípio, os partidos políticos deveriam ter uma base ideológica sólida e coerente, com propostas para a resolução dos problemas inerentes às organizações sociais, desde a direção de uma escola até a presidência do país. Cada partido escolheria a linha que achasse mais adequada, baseando-se na história, filosofia, economia, sociologia, antropologia e também no empirismo, para ajudar a definir uma plataforma de atuação política. Dentro desta lógica, o partido deveria ter em seus quadros candidatos alinhados e comprometidos com a plataforma para concorrer aos cargos eletivos. Se dois ou mais partidos têm uma base ideológica parecida, existe a possibilidade da formação de alianças, para que determinada proposta seja fortalecida e tenha mais chances na eleição.

A realidade é bem diferente. A maioria dos partidos tem uma proposta ideológica volúvel, e fica oscilando ao sabor do vento dos interesses; poucos candidatos comprometem-se com as propostas de seus partidos, pulando de um para outro por vários motivos, menos o de alinhamento ideológico. A gente sempre soube disso. E quando falo em “a gente”, quero determinar um universo pequeno, privilegiado, que consegue acompanhar e perceber os acontecimentos além do que a mídia mostra. Eu mesma não me incluiria neste grupo. Se hoje arrisco a escrever sobre o assunto é porque todas essas artimanhas estão cada vez mais aparentes. E é justamente isso que me incomoda.

Já não bastasse a maneira sórdida como o jogo político se arma, seus participantes perderam completamente a noção de decoro. Não existe mais a cortesia de tentar fazer as coisas por baixo do pano. A deturpação das relações políticas acontece às claras. Pode-se argumentar que as informações estão mais acessíveis porque a mídia tem tido um papel efetivo, divulgando de maneira mais ampla e profunda os acontecimentos, sem tanto rabo preso. Mas em geral, a imprensa só divulga aquilo que vêm à tona, que está à disposição para ser noticiado, ou que o lado adversário resolve “entregar”. É claro que existem exceções. Algumas bandidagens que realmente tiveram o mérito de serem orquestradas na surdina, foram desmascaradas por profissionais de imprensa idealistas e talentosos. Quando isso acontece, o público fica um pouco menos ignorante em relação às atitudes de seus representantes democráticos.

A minha impressão, no entanto, é que muitas atitudes consideradas escandalosas estão completamente expostas à mídia, sem que isso envergonhe seus protagonistas. Talvez seja a onda dos reality shows, onde a exposição faz desaparecer o pudor; talvez seja apatia da opinião pública, amortecida pela quantidade de absurdos que acontecem todos os dias; talvez seja a falta de medo de uma represália qualquer. Mas o fato é que os envolvidos nas mais recentes situações escandalosas não têm a menor elegância pública. A governadora do Maranhão e candidata à presidência da república, Roseana Sarney, não teve pudor algum ao reclamar que a polícia deixou de avisar antes de dar a batida que encontrou aquele monte de dinheiro em espécie em sua empresa. Como se fossem normais os privilégios que a classe política tem junto à justiça. Outros que não têm vergonha são aqueles que chiaram com as novas regras de alianças partidárias para as eleições. Como se fosse normal a promiscuidade entre os partidos, onde a formação ou rompimento de relações são baseados em interesses que passam longe das propostas ideológicas. Nessa mesma linha, o PFL sai do governo sem nem mesmo um leve rubor. Como se fosse normal apoiar durante 7 anos uma proposta de dirigir um país e de um dia para o outro sair com a desculpa esfarrapada de que não existe mais afinidade entre o partido e a base governista. Ou então o bode-marido expiatório da vez, que tem a pachorra de ler uma declaração que todo mundo sabe que não é dele, dando motivos estapafúrdios para existência de R$ 1,34 milhões em espécie e identificados em sua empresa. Ah, e dizendo que não deu nenhuma explicação antes por conta de uma terrível crise de depressão.

Pior do que ser traído, roubado e enganado, é ser chamado de burro. E é isso que tem acontecido conosco. Antes éramos enganados de uma maneira mais cortês, mais suave. Existia uma preocupação maior em esconder as tramóias da opinião pública. Fingia-se que não havia nada de errado, e a gente fingia que acreditava. Hoje não. Existe uma descompostura total, uma arrogância sem limites. É a certeza de tudo poder e de nunca ser atingido, nem pela justiça, nem pela opinião pública, nem pelo voto.

Aos trancos e barrancos, ainda sem a isenção devida, a imprensa vem tentando fazer sua parte. Divulga as mentiras descaradas que nos contam, com um leve ar de dúvida, mas não explícito o suficiente para ser acusada de culpar sem provas. Da mesma maneira a justiça, torcendo para que o ventilador não espalhe demais, vê-se obrigada a tomar uma atitude contra aqueles que protege. É quase como se dissesse: “por favor, sejam mais discretos. Se continuar assim, vou precisar fazer cumprir a lei. Pelo menos escondam esse dinheiro em algum lugar não tão óbvio, troquem as notas carimbadas por outras, dêem ouvidos quando avisarem que a polícia vai dar uma passadinha.”

A cortesia, essa qualidade tão desprezada na dureza dos nossos dias, deveria ter sua importância reconsiderada. Uma atitude cortês pode acalmar muitas crises. A atitude cortês mostra que a gente ainda merece algum tipo de respeito. Pode ser a diferença entre o casamento e divórcio. O cônjuge que trai, mas não tem a decência de esconder, além do mal de estar enganando, ainda desrespeita o outro. Ou está chamando-o de burro, ou está mostrando que não liga a mínima. É mais ou menos o que tem acontecido conosco. Não sabemos se estamos sendo chamados de burros, ou se nossas reações são tão improváveis que não vão surtir o mínimo efeito.

Por via das dúvidas, poderíamos passar a achar um absurdo as coisas que têm acontecido. A queda nas pesquisas eleitorais mostra que a candidata Roseana está sofrendo as conseqüências de sua prepotência de coronela. Por outro lado, aumentam os índices de José Serra. Até ele começa a ser cogitado como uma possível saída para um PFL desmoralizado, junto de nomes tão díspares como Silvio Santos ou Ciro Gomes. Pelo jeito não adianta nada mesmo. Enquanto não formos despudoradamente enganados novamente, vamos continuar com esse corno ideológico na cabeça.


Adriana Baggio
Curitiba, 21/3/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Criatividade é transbordamento de Carla Ceres
02. Por que não devemos ter Copa do Mundo no Brasil de Adriana Baggio
03. Eduardo Mineo, muito prazer de Eduardo Mineo
04. A Oposição Adestrada de Daniel Aurelio


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2002
01. Todos querem ser cool - 27/6/2002
02. Menos Guerra, Mais Sexo - 31/1/2002
03. Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo! - 20/6/2002
04. Homens, cães e livros - 15/8/2002
05. No banheiro com Danuza - 28/11/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/4/2002
17h42min
Esse é efetivamente o pensamento de grande maioria do povo brasileiro, mesmo daqueles menos esclarecidos. Parabens à autora pela lucidez e coragem apresentada no texto.
[Leia outros Comentários de ´Marcílio Lima]
8/4/2002
21h32min
Obrigada, Marcílio. Você é de Floripa? Estou com saudades da sua cidade.
[Leia outros Comentários de Adriana]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




INOCÊNCIA - COLECAO TRAVESSIAS
VISCONDE DE TAUNAY
MODERNA
(1998)
R$ 8,00



O ESPIÃO INVISÍVEL
MARK FOWLER
SCIPIONE
(1993)
R$ 8,88



85 VEZES SILVIO SANTOS AS MELHORES CARICATURAS DO REI DOS DOMINGOS
VÁRIOS AUTORES
ASTRAL
(2016)
R$ 27,44



GUIA PORTUGAL. O GUIA DE VIAGEM MAIS FACIL DE USAR
VÁRIOS AUTORES
PUBLIFOLHA
(2009)
R$ 70,00



A PSICOLOGIA DO ANORMAL E A VIDA CONTEMPORÂNEA
JAMES C. COLEMAN
PIONEIRA
(1973)
R$ 60,00



SEMPRE SERÁS LEMBRADA
JOSUÉ MONTELLO
NOVA FRONTEIRA
(1999)
R$ 7,48



MONTEIRO LOBATO VIDA E OBRA TOMO I
EDGARD CAVALHEIRO
COMPANHIA NACIONAL
(1956)
R$ 14,00



ESTORIAS PARA CRIANÇAS QUE OS ADULTOS DEVEM LER ESCONDIDOS
RICARDO BANDEIRA
DO AUTOR
(1977)
R$ 5,00



PAIXÃO E CRIME O PROCESSO DO DR. JACCOUD
CARLOS LACERDA
NOVA FRONTEIRA
(1965)
R$ 10,00



ECLIPSE
STEPHENIE MEYER
INTRÍNSECA
(2008)
R$ 34,90
+ frete grátis





busca | avançada
44557 visitas/dia
1,2 milhão/mês