O cavalo e as moscas | Rafael Azevedo | Digestivo Cultural

busca | avançada
41731 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
>>> Jack Ma e Elon Musk
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Marco Lisboa na Globonews
>>> Bibliotecas públicas, escolares e particulares
>>> O Vendedor de Passados
>>> Entre a crise e o espectro do humor a favor
>>> Dicas para a criação de personagens na ficção
>>> Tiros, Pedras e Ocupação na USP
>>> Oficina de conto na AIC
>>> Crônica em sustenido
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> O julgamento do mensalão à sombra do caso Dreyfus
Mais Recentes
>>> A comunicação com além de Rubens B. Figueiredo pela Fase (1982)
>>> Darkness at Noon de Arthur Koestler pela The Macmillan Company (1946)
>>> Cartas Esotericas de Vandeto pela Pensamento
>>> Le Langage Secret des Symboles de David Fontana pela Solar (1993)
>>> From Bethlehem to Calvary de Alice A. Bailey pela Lucis Publishing (1937)
>>> Methodologies of Hypnosis de Peter W. Sheehan pela Lea (1976)
>>> La vida Interna de C.W. Leadbeater pela Glem (1958)
>>> Madru o filho das Estrelas de Frederik Hetmann pela Circulo do Livro (1984)
>>> O Livro do Juízo Final de Roselis Von Sass pela Ordem do Graal na Terra (1976)
>>> História das Religiões de Charles Francis Potter pela Universitária (1944)
>>> Faca sem Ponta, Galinha sem Pé de Ruth Rocha pela Nova Fronteira (1983)
>>> Diccionario de Astrologia de Nicolás de Vore pela Argos S.A. (1951)
>>> Ramsés - o Filho da Luz de Christian Jacq pela Berttrand Brasil (1999)
>>> O Reino dos Deuses de Geoffrey Hoddson pela Feeu (1967)
>>> Introdução ao Estudo do Novo Testamento Grego de William Carey Taylor pela Juerp (1966)
>>> São José de Anchieta de Gabriel Romeiro e Guilherme Cunha Pinto pela Círculo do Livro S.A. (1978)
>>> Na terra da Grande Imagem de Mauricio Collis pela Civilização - Porto (1944)
>>> Oito Syntheses Doutrinarias de Vários pela Roland Rohe (1929)
>>> O Livro do Juízo Final de Roselis Von Sass pela Ordem do Graal na Terra (1976)
>>> Vietnam a Guerrilha Vista por Dentro de Wilfred G. Burchett pela Record (1968)
>>> O Papa e o Concílio de Janus pela Elos
>>> Cristianismo Rosacruz ( Em 02 volumes) de Max Heindel pela Kier (1913)
>>> A Grande pirâmide revela seu segredo de Roselis Von Sass pela Ordem do Graal na Terra (1972)
>>> Obras Interpretação Sintética do Apocalipse de Cairbar Schutel pela O Clarim (1943)
>>> Poesias Completas de Mário de Andrade pela Martins (1974)
>>> As Cruzadas - Livro 1 - a Caminho de Jerusalém de Jan Guillou pela Berttrand Brasil (2006)
>>> O Romance da Astrologia ( Em 03 volumes) de Omar Cardoso pela Iracema
>>> A Grande Caçada de Robert Jordan pela Intrinseca (2014)
>>> Livro Vermelho dos Pensamentos de Millôr de Millôr Fernandes pela Nordica (1974)
>>> Outra Você de Newton Tornaghi pela Rio de Janeiro (1977)
>>> Emagreça Comendo de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva (1993)
>>> Rosa e Lotus Invocações Espirituais de Molinero Yogakrisnanda pela Mandala
>>> Fim dos Tempos de Omar Cardoso pela Artenova (1975)
>>> magia y Sacrificio en la historia de las Religiones de H. Hubert y M. Mauss pela Lautaro (1946)
>>> Apenas uma Sombra de Mulher de Fernando do Ó pela Federação Espírita Brasileira (1950)
>>> Quando tudo falha de Rodolpho Belz pela Casa Publicadora Brasileira (1984)
>>> O Capataz de Salema / Antônio Conselheiro / Marechal, Boi de Carro de Joaquim Cardozo pela Agir/MEC (1975)
>>> La Isla Magia de W.B. Seabrook pela Cenit S.A. (1930)
>>> Un Nuevo Modelo Del Universo de Pedro Ouspensky pela Sol (1950)
>>> La Puerta ( Egipto) de Vários pela Obelisco (1990)
>>> Arpas Eternas (Em 03 volumes) de Hilarion de Monte Nebo pela Fraternidad Cristiana (1952)
>>> Muitas vidas muitos Mestres de Brian L. Weiss M.D. pela Salamandra (1991)
>>> O Sentido da Vida de Valfredo Tepe pela Mensageiro da Fé Ltda (1971)
>>> A aurora cósmica de Eric Chaisson pela Francisco Alves (1984)
>>> Deus Fala a seus Filhos de Elenore Beck pela Verbo Divino (1993)
>>> Encontro com a Alma Gêmea de Paulo Kronemberger pela Novo Milênio (1993)
>>> The Reincarnation Workbook de J.H. Brennan pela The Aquarian Press (1989)
>>> A Granja do Silêncio de Paul Bodier pela Federação Espírita Brasileira
>>> Os Astros Governam nossa Vida de Perpétuo Horário pela Pensamento
>>> La vida de Buda de A. Ferdinand Herold pela Lautaro (1944)
COLUNAS

Quinta-feira, 26/4/2001
O cavalo e as moscas
Rafael Azevedo

+ de 1700 Acessos
+ 1 Comentário(s)

"A fly, Sir, may sting a stately horse and make him wince; but one is but an insect, and the other is a horse still." - Samuel Johnson.

É notável e louvável, embora beire o exagero, a disposição do governo Fernando Henrique Cardoso em aceitar e tolerar os ataques infundados e as ofensas injustificáveis lançadas sobre ele pela sua oposição política, que, sob o disfarce da tão-invocada "liberdade de expressão" julgam-se no direito de ofender e caluniar qualquer um que se ponha entre eles e seus interesses. Fernando Henrique tem suportado calado toda espécie de difamação, vinda tanto da extrema direita representada por Antônio Carlos Magalhães e seus asseclas até a extrema esquerda dos PSTU da vida, passando por moderados como José Genoíno e seus jagunços, e figuras carimbadas como o genial Aldo Rebelo, que agora quer realizar uma reforma completa na língua de nosso país, abolindo certos "estrangeirismos" (aqueles que, segundo ele, ainda não foram definitivamente assimilados à língua - de acordo com o critério dele...), o que, se levado a sério, e seguido à risca, provavelmente nos obrigaria a falar a língua paleolítica da Luzia, aquele fóssil de 30.000 anos descoberto na Bahia, primeiros habitantes conhecidos do território brasileiro.
Mas, como não poderia deixar de ser, é da esquerda que as críticas mais ofensivas e infames vêm. Tem se tornado a coisa mais comum hoje em dia ver na TV petelhos, comunistas, integrantes da intelligentsia do MST e outros seres fisicamente repulsivos reclamando aos brados na televisão sobre a necessidade de se afastar do poder (Fora FHC) o presidente que foi, pela primeira vez na história do país, eleito pela maioria do voto popular por dois mandatos consecutivos. Isso, por si só, já seria considerado subversão ou algo similar em qualquer país minimamente civilizado; é inimaginável que um partido político inicie uma campanha nos EUA com o slogan "Out with Clinton!" ou "Raus Schröder!", na Alemanha... tais pessoas, se tivessem uma idéia tão esdrúxula, e se por um acaso conseguissem botá-la em prática, já estariam sendo devidamente indiciadas criminalmente, e respondendo por todas as bobagens que falaram... não consigo imaginar uma coisa dessa acontecendo em nenhum outro lugar do mundo, com a possível exceção da Itália, cuja política é uma tremenda palhaçada como a nossa. Mas desconfio que mesmo lá "eles" não têm essa audácia e tamanha cara-de-pau. Ultrapassam sem pudor algum esta tão pouco tênue linha que existe entre a crítica racional e a ofensa pessoal. Confundem, ou fingem confundir, liberdade de expressão, preceito básico de uma democracia, e a liberdade para ofenderem e esculhambarem quem bem entenderem. O que é inaceitável. Não se pode ofender de tal maneira os governantes justamente eleitos de um país desta maneira; não estamos falando de sátiras humorísticas, ou simples e inofensivas críticas - são sim virulentos ataques à pessoa, à honra e à dignidade da pessoa escolhida pela grande maioria dos brasileiros pelo voto direto. E o pior é que estes esquerdistas trapalhões, embora ainda não consigam convencer a maioria das pessoas a votar neles, têm grande poder de influência junto à mídia, especialmente a imprensa escrita, tomada por hippies petistas de pochete na cintura e livro do Che embaixo do braço. Assim, faz-se a população crer que a situação está terrível, que atingimos o "fundo do poço", ignorando a estabilidade econômica visível e palpável, e as notáveis benesses que o governo atual trouxe ao nível de vida de grande maioria dos brasileiros, numa bizarra e grotesca tentativa de se mudar a realidade, que seria engraçada, não surtisse ela razoável efeito, derrubando a cada dia os índices de popularidade do sr. Cardoso. É óbvio que o Brasil está longe de ser um país próspero e agradável para se viver, mas é inegável que, apesar de tudo, vivemos um dos melhores, ou melhor, um dos "menos piores" momentos de nossa história recente. Ou alguém duvida que as coisas estão melhores que há alguns anos? Se duvida, deve ser jovem ou burro (quem sabe os dois...) demais para se lembrar dos planos Sarney e Collor, e outras relíquias de nosso passado não muito remoto.
E ainda assim, para reforçar ainda mais a idéia de que o brasileiro espera tudo de (e credita todas as responsabilidades em) seu único governante, boa parte das pessoas põe cada vez mais toda e qualquer culpa, por toda e qualquer desgraça e problema que aflija nossa terra, no "todo-poderoso" presidente - o que faz de nós mais monarquistas e sebastianistas do que Portugal jamais foi! - sem que estas pessoas se lembrem, no entanto, que este mesmo presidente está lutando contra uma máquina administrativa sobrecarregada, um sistema político arcaico e corrupto, e uma economia afetada por décadas de mau gerenciamento. Na falta de argumentos, os "esquerdinhas" de nossa política recorrem aos batidos argumentos de sempre - Fernando Henrique é um entreguista, está vendendo nossos recursos para os imperialistas, e se desfazendo das empresas "estratégicas" (sempre quis saber por quê certas coisas são "estratégicas" pra essa gente!) a preço de banana, em suma, vendendo o nosso país. Enquanto isso, brigam para defender coisas absolutamente injustificáveis, como a manutenção de privilégios inaceitáveis para funcionários públicos, sistemas de previdência pública completamente ineficientes, concessões duvidosas e exclusivistas, e todo tipo de entraves arcaicos que ainda prendem nosso país à época de Getúlio Vargas, quando não à tempos ainda mais distantes. E tudo, os mais escusos e ilícitos interesses, mascarados pela sacrossanta desculpa da "defesa dos interesses nacionais". Se, como disse Samuel Johnson, o patriotismo é o último refúgio do canalha, ele nunca o foi mais em nenhum lugar e época da humanidade do que no Brasil.
Há alguns anos, passei uma temporada com minha banda em Sorocaba, e dividimos por algumas semanas uma casa com uns amigos de lá, entre eles um integrante do PC do B local. Os comunistas sorocabanos são conhecidos por sua "ferocidade", por exemplo, o sujeito que bombardeou o ministro Serra com um ovo certa vez era de lá. Pois bem, pude perceber numa série de conversas com essa pessoa o total despreparo dos "militantes" (e ele era uma pessoa bem "posicionada" na ala jovem do partido!), alguém que desconhece cabalmente os assuntos aos quais ele se propõe a devotar toda sua existência. Eu, se quisesse me tornar engenheiro, procuraria estudar engenharia. Se quisesse me formar um médico, estudaria a medicina. Agora somente na política podem existir pessoas que desejam seguir essa carreira, sem no entanto ter as mais remotas noções do que acontece nos âmbitos políticos, sociais e econômicos do mundo que os cerca. São baderneiros, profissionais do quebra-quebra e do oba-oba, legítimos representantes do "Hay gobierno? Soy contra." Inevitavelmente, em nossas conversas, o sujeito acabava sem argumentos e era obrigado a admitir, constrangido, que botar a culpa de tudo no "FHC" - como eles, de maneira quase infantil, chamam o presidente - era uma "tática de oposição", em suas palavras, ou seja: uma maneira de direcionar o ataque ao principal dos inimigos. Táticas de guerra, quase. Pelo menos tão sujas quanto.
Um outro integrante do PC do B, este mais notório, o sr. Aldo Rebelo pode ser visto xingando o presidente numa das vinhetas de seu partido, junto com mais uma penca de comunistas engravatados. Figuras ensandecidas, totalmente fechadas à qualquer discussão de idéias, e que, uma vez no poder, anseiam por exercê-lo com um vigor totalitário, fora de limites toleráveis, tal qual Stálin, Fidel e Mao fizeram; a proposta de banir palavras estrangeiras da nossa língua (como se uma língua pudesse ser controlada por leis e medidas!) é só uma pequena amostra do que a esquerda brasileira seria capaz de fazer se um dia chegasse ao poder. Graças a Deus, isto não poderia estar mais longe de acontecer.


Rafael Azevedo
São Paulo, 26/4/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O experimento de J. K. Rowling de Marta Barcellos
02. Micro-Twitter-Blogging de Tati de Roterdã
03. Gleiser, o cientista pop de Tais Laporta
04. Jornalismo político ontem e hoje de Luis Eduardo Matta
05. No frigir dos ovos, todos estavam podres de Adriana Baggio


Mais Rafael Azevedo
Mais Acessadas de Rafael Azevedo em 2001
01. A TV é uma droga - 23/11/2001
02. Os males da TV - 6/7/2001
03. A primeira batalha do resto da guerra - 30/11/2001
04. Só existe um Deus, e Bach é seu único profeta - 2/11/2001
05. A Má Semente - 19/2/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
28/6/2002
11h35min
Em outros tempos, lá pelos meus 17, 18 anos, época em que era esquerda rôxo, acharia que este texto foi escrito por um correligionário do Jean-Marie Le Pen, mas hoje lendo-o do alto de meus 35 anos de idade, ele faz sentido. Já que vc citou minha cidade, Sorocaba, só posso concordar contigo pois mesmo a cidade sendo muito bem administrada ao longo de dois bem sucedidos mandatos pelo Sr. Renato Amary (PSDB), um dos melhores já ví em toda a minha vida, que transformou completamente a cidade, fazendo uma verdadeira cirúrgia plástica, rasgando belíssimas avenidas, reformando parques e praças, canalizando córregos, despoluindo o rio (fato raro no país), implantando iluminação pública de última geração, elevando o número de escolas municipais em 5 vezes, enfim tornando-a uma das melhores do interior paulista, sem favelas e mendigos em cruzamentos, com um transporte coletivo de dar inveja a muitas capitais, elogiada em toda a mídia, memso assim há os do contra que criticam assintosamente o coitado do prefeito. Qualquer obra que a Prefeitura vá executar, prontamente caem de porrete no homem, dizendo que vai prejudicar o trânsito, atrapalhar o sossêgo, etc. Uma das maiores virtudes do nosso prefeito é justamente o seu pulso firme, a là Felipão, para comandar o município rumo ao desenvolvimento pleno, só que muitos (principalmente os da esquerda ressentida e invejosa) julgam ver nisso um sinal de despotismo, tirania. Já lí artigos de críticos do prefeito, alguns muito influentes na sociedade sorocabana, dizendo que favelas fazem parte do cotidiano brasileiro, que o prefeito não pode proibí-las ou transferir famílias de áreas de risco para assentamentos. É um completo absurdo, que só pode partir daqueles que em filmes do Tarzan torcem para jacaré.
[Leia outros Comentários de Antonio Fernandes]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




LIÇÕES DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL-VOL. 3
ALEXANDRE FREITAS CÂMARA
LUMENJURIS
(2002)
R$ 41,31
+ frete grátis



CANÇÃO PARA DÉBORA
LUCI GUIMARÃES WATANABE
FTD
(1990)
R$ 8,00



A CALDEIRA DO DIABO
GRACE METALIOUS
ABRIL CULTURAL
(1984)
R$ 4,10



DISCURSO DO MÉTODO - SÉRIE L&PM CLÁSSICOS
DESCARTES
L&PM
(2013)
R$ 18,82



LUZIA HOMEM
DOMINGOS OLIMPIO
ATICA
(1978)
R$ 6,00



NAS PROFUNDEZAS DO MAR SEM FIM
JACQUELYN MITCHARD
ROCCO
(1998)
R$ 9,90



CONSENSO E CONFLITO: EDUCAÇÃO FÍSICA BRASILEIRA 2ª EDIÇÃO
VITOR MARINHO
SHAPE (RJ)
(2005)
R$ 28,82



ENQUANTO A CHUVA CAÍA
CHRISTINE M (M)
NOVO CONCEITO
(2014)
R$ 17,00



A HOLANDA NO TEMPO DE REMBRANDT
PAUL ZUMTHOR
COMPANHIA DAS LETRAS
(1989)
R$ 15,00



PROJETO ÁPIS : LÍNGUA PORTUGUESA 5
VARIOS
ATICA
(2017)
R$ 154,00





busca | avançada
41731 visitas/dia
1,1 milhão/mês