A múmia de seios intumescidos | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
107 mil/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> “Sempre mais que um” tem apresentações no Teatro Alfredo Mesquita
>>> Projeto Memória leva legado de Lélia Gonzalez a 7 capitais
>>> '1798 - Revolta dos Búzios' chega ao cinemas
>>> IV Cinefestival International de Ecoperformance divulga sua programação
>>> O Shopping Praça da Moça debuta com show exclusivo da Família Lima
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
Colunistas
Últimos Posts
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
>>> Pondé sobre o crime de opinião no Brasil de hoje
Últimos Posts
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A Poética do Extravio, Júlio Castañon Guimarães
>>> Armazém de secos e molhados
>>> Uma nova aurora para os filmes
>>> Jornal da Cultura - 17/11/2014
>>> Páginas e mais páginas da vida
>>> No final do telejornal tinha um poeta...
>>> No final do telejornal tinha um poeta...
>>> Máfia do Dendê
>>> CaKo Machini
>>> Alberto Dines sobre a Copa
Mais Recentes
>>> Circuitos Elétricos - Sexta Ed. de James W. Nilsson; Susan A. Riedel pela Pearson Education Do Brasil (2003)
>>> Inteligência Emocional Na Gestão De Resultados de Lee Gardenswartz; Jorge Cherbosque; Anita Rowe pela Laselva (2012)
>>> Os Rolling Stones No Brasil: Do Descobrimento A Conquista, 1968-1999 de Nelio Rodrigues pela Ampersand (2000)
>>> Nosso Lar de Pelo Espirito Andre Luiz, Francisco Candido Xavier pela Feb (2007)
>>> Sinatra de Richard Harvers pela Dorling Kindersley (2004)
>>> O Brasil Em Sobressalto de Oscar Pilagallo pela Publifolha (2002)
>>> O Exercito Brasileiro E A Amazonia - The Brazilian Army And The Amazon de Exército Brasileiro pela Brasilia: Exercito Brasileiro (2024)
>>> Livro Cidadania E Competitividade: Desafios Educacionais Do Terceiro Milênio de Guiomar Namo De Mello pela Cortez (2000)
>>> Historia das Relações Internacionais do Brasil de Raul Mendes Silva / Clóvis Brigagão pela Cebri (2024)
>>> Agulhas Negras de Ac& m pela Ac&m (1993)
>>> As Aventuras De Sherlock Holmes de Arthur Conan Doyle pela Principis (2019)
>>> Dicionário de Espiritualidade de Edições Paulinas pela Edições Paulinas (1989)
>>> Livro Você Globalizado: Dez Estratégias Para Atuar Como Um Executivo Global de Susan Bloch pela Rai (2011)
>>> Riquezas da Mensagem Cristã de D. Cirilo Folch Gomes pela Lumen Christi (1981)
>>> Sistema De Ensino Positivo, 7º Ano - Língua Inglesa Vol. 1,2,3 e 4 de Kenedy Rufino pela Cia. Bras. de Educação e Sistemas de Ensino (2023)
>>> diarios y Memorias de la Guerra del Pacifico Primer Tomo de Arturo Costa de la Torre pela Pacena (1980)
>>> As Aventuras De Pinóquio de Carlo Collodi pela Martin Claret (2002)
>>> The Warren Court And American Politics de Lucas A. Powe Jr. pela Belknap Press: An Imprint Of Harvard University Press (2002)
>>> Livro Professor de 1º Grau : Identidade em Jogo - Magistério Formação e Trabalho Pedagógico de Ezequiel Theodoro da Silva pela Paparius (1995)
>>> Santos de Cada Dia III de José Leite pela Braga
>>> Brasis, Brasil, Brasília de Gilberto Freyre pela Livros do Brasil
>>> Simbiose e Ambiguidade de José Bleger pela Francisco Alves (1985)
>>> Gossip Girl : Nunca Mais ! - Vol. 8 de Cecily Von Ziegesar pela Galera Record (2007)
>>> Crime e castigo vol 1 e vol. 2 de Dostoievski pela Abril (1979)
>>> A Casa Da Praia (pocket) de Beth Reekles pela Astral Cultural (2019)
COLUNAS

Quinta-feira, 24/10/2002
A múmia de seios intumescidos
Adriana Baggio
+ de 7000 Acessos

As histórias relacionadas ao Egito Antigo sempre nos fascinaram. Nossa imaginação é povoada de múmias, faraós, tesouros, pirâmides. No colégio, as aulas sobre a história da jóia do Nilo tinham mais chances de atrair a atenção dos alunos: mais interessante decorar as dinastias e seus faraós do que a lista de presidentes do Brasil.

O francês Christian Jacq, doutor em estudos egiptológicos, deve ter percebido esse filão. O autor lançou uma série de romances baseados em fatos reais sobre o Egito Antigo, que "se nutrem desta [sua] discreta erudição", como diz a orelha de um desses livros. É uma pena que essa erudição seja assim tão discreta. Pelos seus conhecimentos, Christian Jacq teria muito mais a acrescentar nas obras que escreveu até agora. No entanto, o que para algumas pessoas poderia representar uma qualidade a mais em um romance histórico - a possibilidade de unir lazer com conhecimento -, para outras se resumiria em um atestado de chatice. E nesse caso, talvez as séries de romances "Ramsés" e "A Pedra da Luz" não estivessem nas listas de bestsellers do Brasil e do mundo.

"A Rainha Sol" (Bertrand do Brasil, 2002) segue a mesma receita dos livros da série "Ramsés". A história é ambientada no Egito Antigo, conta a história de jovens nobres e tem pitadas de erotismo, suspense e romance. Até aí tudo bem, a receita parece boa. O que depõe contra o livro é superficialidade com que esses assuntos são tratados. Parece um Sidney Sheldon do tempo dos faraós. Nada contra Sidney Sheldon, seu estilo e as centenas de seguidores dessa fórmula de sucesso. O problema é que se esperaria mais de um romance escrito por um historiador.

"A Rainha Sol" conta a história da princesa Akhesa, terceira filha do faraó Akhenaton. Recordando as aulas de história, Akhenaton foi o faraó que tentou estabelecer o monoteísmo na religião egípcia, para tentar diminuir o poder e a ganância dos sacerdotes tebanos. A religião politeísta permitia aos sacerdotes ditar as regras para a adoração dos deuses, incluindo oferendas de tesouros para os templos, sob a guarda deles. Akhenaton resolveu acabar com a festa e declarou Aton, o sol, como único deus, e o faraó como seu único representante na terra.

Akhenaton era casado com Neferiti, cujas representações nos fazem deduzir que deve ter sido uma das mulheres mais belas do antigo Egito. Dessa união nasceram três filhas, sendo Akhesa a mais jovem. Diversos acontecimentos funestos, intrigas políticas e familiares fazem a princesa casar-se com Tutankhamon após a morte de Akhenaton, e ambos assumem o comando do Egito. Ambos, sim. Pelas leis egípcias, apenas um casal poderia governar o império - o faraó e a grande esposa real. Tanto Akhesa quanto Tutantkhamon não passam de adolescentes quando assumem o trono. Pela história, enquanto a grande esposa está interessadíssima nas artimanhas do governo e tenta aprimorar cada vez mais suas habilidades de estadista, o príncipe é retratado como um adolescente afoito, cujos hormônios desregulados fazem com que que só consiga se interessar pelas noites de amor ao lado da mulher.

Para retratar a vida íntima desses personagens o escritor baseou-se em alguns fatos, mas também deve ter cometido uma série de "licenças". O que mais irrita é que tanto Akhesa neste livro, quanto Ramsés em "O Filho da Luz", são adolescentes extremamente precoces. Aos catorze anos, ambos são descritos com tendo uma sabedoria e uma maturidade pouco verossímeis para a idade. É fácil de entender. Como encaixar personagens reais da história em uma trama fictícia, que envolve traições, intrigas e relações que talvez não tenham acontecido com essas pessoas? É mais provável que as maquinações de Akhesa para manter o poder e as tórridas noites de amor descritas nos livros tenham acontecido com personagens anônimos, menos nobres. Mas aí, qual seria a graça?

O "estilo Sidney Sheldon" - apelo gratuito ao erotismo, a idealização das mulheres e dos homens, a pouca verossimilhança dos comportamentos - está presente logo no começo do livro, e já dá o tom da história. Descrições como a que se segue continuam por todo o texto:

Com os olhos de um verde suave, Akhesa contemplou longamente o Sol daquela manhã de fim de inverno, bola de fogo que dava a vida aos seres, tocando-os com seus raios. A moça não se cansava daquele espetáculo grandioso que acalmava suas angústias. Naquele instante, apreciava-o ainda mais. Seus jovens seios intumesceram-se com um legítimo orgulho. Aos quatorze anos, Akhesa era uma magnífica jovem morena, de corpo delgado e bem-feito. Sentia-se adulta, libertada das preocupações da infância. Os folguedos da adolescência já não lhe interessavam. Em seu espírito e em seu coração ocorrera uma grande metamorfose.

A metamorfose de que trata este trecho é a chegada da primeira menstruação da adolescente. Bem, só se no Egito Antigo as meninas sentiam-se adultas e libertas de angústias com essa idade. Na verdade, é justamente por essa época que as angústias começam a aparecer.

Outro ponto: não seria possível encontrar outro motivo para os seios da princesa se intumescerem? A impressão que dá é que o autor fez questão de apresentar estes elementos logo no começo do livro - a idealização, o erotismo - para não perder o leitor. E o leitor que está atrás disso não se decepciona. A linha continua a mesma até o final. Qualquer acontecimento serve de pretexto para exaltar a beleza, a inteligência e a forte personalidade da princesa. Algum diferença em relação às heroínas contemporâneas?

O ponto positivo do livro é que é possível pescar algumas informações sobre os hábitos e costumes da época. Só fica a dúvida de até que ponto essas informações são a versão do historiador ou do romancista. Vale a pena também prestar atenção nas notas de rodapé que indicam a localização de alguns templos citados na história. Com o auxílio do mapa do início do livro, fica mais fácil contextualizar o espaço dos acontecimentos descritos.

Não dá para esperar muito de "A Rainha Sol" em termos de conteúdo. Mas o livro pode ser uma ótima distração para quem aprecia o gênero. Se você está cansado da vida real e já enjoou de Sidney Sheldon, arrisque-se na "discreta erudição" de Christian Jacq. Só cuidado com a múmia de Akhesa - ela deve estar se revirando no sarcófago.

Para ir além





Adriana Baggio
Curitiba, 24/10/2002

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Um grande romance para leitores de... poesia de Renato Alessandro dos Santos
02. Meu reino por uma webcam de Ana Elisa Ribeiro
03. HQs sombrias, anjos e demônios de Carla Ceres
04. Liberdade é pouco de Elisa Andrade Buzzo
05. Jornal: o cadáver impresso de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2002
01. Todos querem ser cool - 27/6/2002
02. Menos Guerra, Mais Sexo - 31/1/2002
03. Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo! - 20/6/2002
04. Querido, eu me rendo - 2/5/2002
05. Homens, cães e livros - 15/8/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Livro Economia Internacional Teoria e Política
Paul R Krugman; Maurice Obstfeld
Makron Books
(1999)



Nunquam
Lawrence Durrell
Expressão e cultura
(1971)



Divina Flor 409
Marcos Santarrita
Global
(2000)



Livro de Bolso Saúde Como Cuidar da Sua Coluna? Coleção Questões Fundamentais da Saúde
Patrícia Horta Andrade e Ângelo Robert Gonçalves
Paulus
(2004)



Guia Visual: Folha De São Paulo: Europa
Vários Autores
Publifolha
(2011)



Livro de Bolso Religião O Grande Conflito
Ellen G. White
Casa
(1995)



Livro Ciência Política Os Intelectuais e o Poder Dívidas e Opções dos Homens de Cultura na Sociedade Contemporânea (Biblioteca Básica)
Norberto Bobbio
Unesp
(1997)



Livro Turismo Nova York Guia da Cidade
Lonely Planet
Globo
(2011)



Criatividade - Progresso e Potencial
Calvin W. Taylor
Ibrasa
(1964)



Os Segredos da Negociação
Juliet Nierenberg
Publifolha
(2003)





busca | avançada
107 mil/dia
2,4 milhões/mês