Odeon 100 Anos: o segundo lote de reciclados | Waldemar Pavan | Digestivo Cultural

busca | avançada
21254 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Orquestra Sinfônica de Jerusalém apresenta-se em São Paulo
>>> Mostra Primeiros Passos
>>> José Patrício inaugura exposição inédita em Brasília
>>> Livro mostra a ambiguidade entre amor e desamor
>>> Red Bull Station estreia exposições de letrista e de coletivo feminino em julho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entrevista com a tradutora Denise Bottmann
>>> O Brasil que eu quero
>>> O dia em que não conheci Chico Buarque
>>> Um Furto
>>> Mais outro cais
>>> A falta que Tom Wolfe fará
>>> O massacre da primavera
>>> Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> A luz da alma - Haifa Israel
>>> Tempo & Espaço
>>> Mão única
>>> A passos de peregrinos ll
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES IV
>>> Shomin-Geki, vidas comuns no cinema japonês
>>> Con(fusões)
>>> A passos de peregrinos l
>>> Ocaso
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES I
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A música clássica ensurdece a democracia caótica
>>> Dê-me liberdade e dê-me morte
>>> Telemarketing, o anti-marketing dos idiotas
>>> Memórias da revista Senhor
>>> É o Fim Do Caminho.
>>> Ao Abrigo, poemas de Ronald Polito
>>> O massacre da primavera
>>> Raio-X do imperialismo
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> O Brasil que eu quero
Mais Recentes
>>> Era uma vez um tirano
>>> Menino de Engenho
>>> Os Miseráveis. Tradução e adaptação Walcyr Carrasco.
>>> Valentino: Une grande histoire italienne
>>> Luxury Houses Toscana
>>> O Mestre
>>> Os marxismos depois de Marx
>>> Poética
>>> Locke
>>> Músicos Em Ordem de Batalha
>>> O valete de espadas
>>> A Festa da Língua
>>> Alimento Diário Profetas menores- Ageu e Malaquias
>>> A Salvação Orgânica- Edificação
>>> A Essência do Eneagrama
>>> A aventura é sua - Labirinto de jogos
>>> The Mysteries of Isis - Her Worship and Magick
>>> Araquém Alcântara - Fotografias
>>> O Observador in Natura
>>> Cómo Mirar un Cuadro
>>> Dicas Para um Primeiro Encontro com Final Feliz
>>> A Essência da Maturidade
>>> Biomusica
>>> Liberte-se do Passado
>>> Benjamim
>>> Diário
>>> La Hechicería - Técnica de los maleficios
>>> Maiden, Mother, Crone - The Myth & Reality of the Triple Goddess
>>> Técnicas de Alta Magia - Manual de Autoiniciación - Em Espanhol
>>> Curso de Filosofia Grega + Do século VI a.C. ao século III d.C.
>>> Manual do candidato às eleições & Carta do bom administrador público + Pensamentos políticos selecionados
>>> Platão
>>> Guia Prático da Wicca - A Magia do bem explicada passo a passo
>>> História & Religião VIII Encontro Regional de História RJ
>>> Magia Cigana - Encantamentos, Ervas Mágicas e Adivinhação
>>> Para conhecer o pensamento de Hegel
>>> Ética para executivos
>>> Coffee break produtivo
>>> O Secular Livro da Bruxa
>>> Direito Médico
>>> Audiovisual Español estructural
>>> Tomás de Aquino
>>> Minha limpeza corporal - Le grand Ménage
>>> Max Weber e a política alemã
>>> Isaiah Berlin
>>> La Magia en Acción
>>> Introdução à epistemologia
>>> As causas da grandeza do romanos e da sua decadência
>>> Hannah Arendt
>>> Paixão por vencer. A bíblia do sucesso
COLUNAS

Terça-feira, 18/3/2003
Odeon 100 Anos: o segundo lote de reciclados
Waldemar Pavan

+ de 17100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Tradicionalmente, o mês de março configura-se com o retorno das gravadoras à atividade comercial própriamente dita.

Quem viveu em 2002 sabe que esse foi um ano em que as multinacionais do disco nada investiram em novos talentos, o que mais se viu nas gôndolas foi reciclagem de acervo fonográfico. Em 2003, a saga promete continuar.

Se por um lado a reciclagem atinge benéficamente um público seleto, ávido por quinquilharias musicais, por outro atinge cruelmente o novo talento que tromba pesado com a redução de possibilidades de acesso ao mercado de gravadoras e com a concorrência feroz do mercado de relançamento, ainda não percebido pelo camelô.

Aqui no Brasil, a bola da vez são os relançamentos de discos anteriormente gravados no formato LP, e que agora que têm suas edições contempladas pelo formato CD.

A situação fonográfica por aqui não é muito diferente da de outros rincões. O que muda é apenas o formato: nos EUA, a bola da vez são os lançamentos de coletâneas.

Outro formato que vem recebendo atenção por parte das multinacionais do disco é o DVD, com gravações de espetáculos musicais ao vivo. Claro, sempre de artistas e repertórios já fartamente manjados e consagrados pelo consumidor.

Eu tenho a nitida impressão de que o mercado atual de música no Brasil divide-se claramente em três faces: o das recicladoras, notadamente as multinacionais, que a exemplo do atual governo só recicla projetos do passado; as gravadoras cujo segmento é atualmente representado predominantemente por empresas nacionais; e os realmente independentes, que são artistas que auto-financiam suas produções.

Outro aspecto que vale ser observado é a profissionalização do mercado de relançamentos musicais.

Um nítido exemplo é o relançamento pela EMI de mais 25 albuns remasterizados da série 'Odeon 100 Anos de Música no Brasil'. Sua relação atende a todas as tribos: samba, choro, bossa-nova, funk, rap, psicodélico, instrumental, orquestral, mpb, soul, rockabilly, jovem guarda, mineirices em geral e até pilantragem.

E a saga do relançamento não pára por aí: a mesma EMI, no rastro da comemoração de 100 Anos de Odeon no Brasil, despeja no mercado mais 20 titulos reunidos em 10 CDs que ela batizou de "Artistas 10 Polegadas".

Dez polegadas foi o formato inicial do LP de 12 polegadas. O primeiro formato (10) abrigava no vinil 8 músicas (4 em cada face), enquanto que o segundo (12) expandia a capacidade de armazenamento musical para 12 músicas.

Somando-se os titulos destas duas coleções atinge-se a cifra espantosa de 45 discos relançados pela EMI contra nenhum novo talento anunciado.

Abaixo reproduzo integralmente a redação informativa do catálogo promocional - fornecido aos lojistas pela ex-gravadora e atual recicladora EMI - com o único objetivo de orientar a compra já que, com essa belezura de taxa de juros a 26,5% ao mês, o dinheiro não tem aturado desaforo. Leia com atenção e descubra em que tribo musical o departamento comercial da recicladora o inclui:

ANTONIO ADOLFO E A BRAZUCA
Formada em 1969 por Antonio Adolfo (teclados) Luiz Cláudio Ramos (guitarra), Luizão (baixo), Vitor Manga (bateria), Bimba e Julie (vocais), a Brazuca repaginou valsa, baião e toada (moderna) com psicodelismo e avais dos reis Carlos: Roberto, da Jovem Guarda, e Imperial, da Pilantragem.

BOSSA 3 - OS REIS DO RITMO
Na segunda formação com o líder Luiz Carlos Vinhas (piano), mais Ronnie Mesquita (bateria) e Otavio Bailly Jr. (teclado), este Bossa 3 de 1966, após o estouro do show Gemini V com Leni Andrade e Pery Ribeiro, irradia Bossa ("Samba de Verão", que arranjo!) e samba de morro (Não me diga adeus com apito e tudo).

CASSIANO - APRESENTAMOS O NOSSO CASSIANO
Artífice do soul nacional, o paraibano Genival Cassiano, em 1973, investia no lado orquestral de seus grooves sob os arranjos de Carlos Alberto Girio e regência de Orlando Silveira. Vibrato, eco, falsete e harmonias elaboradas adensam a obra.

CELLY CAMPELLO - ESTÚPIDO CUPIDO
Rockabilly, boogie e até rumba (de Henry Salvador) crepitam na voz deliciosamente teen da estreante Celly (aos 17!), paulista de Taubaté que adubou o rock nativo orquestrado pelo acordeonista Mário Genari Filho no longíqüo 1959.

CESAR CAMARGO MARIANO E HÉLIO DELMIRO - SAMAMBAIA
Formados nas hostes da bossa, o pianista Cesar Camargo Mariano e o violonista/guitarrista Hélio Delmiro casam perícia e improviso (enxuto) neste clássico instrumental de 1981, entre standards e fina caligráfia autoral.

CORO DOS COMPOSITORES DA PORTELA - SAMBAS DE TERREIRO 1972
Em 1971, ainda se cultivavam nas escolas os sambas de terreiro registrados nesta jóia rara pelos próprios bambas (alguns já falecidos) da azul e branco, como Candeia, Paulinho da Viola, Joãozinho da Pecadora, Alberto Lonato, Monarco, Norival Reis, Velha, Catoni, Cabana e Casquinha.

DILERMANDO PINHEIRO - BATUQUE NA PALHINHA
Original do selo Regency entre o final dos 50 e início dos 60, com arranjos de Amâncio Cardoso, produção de Paulo Gesta e Baden Powell, noviço na guitarra, este disco foi reeditado em 1977 pela gravadora Marcus Pereira. Resgata o sincopado ágil do discípulo de Luís Barbosa e seu 'sincopado de palha'.

DÓRIS MONTEIRO E LÚCIO ALVES NO PROJETO PIXINGUINHA
Precursores da bossa, os intimistas Doris e Lucio em diálogos (Mudando de conversa, De conversa em conversa) e solos (Mocinho bonito - Doris - Valsa de uma cidade - Lúcio) com pequeno acompanhamento, regência de Ricardo Albano Junior, mostram em 1978 como articular sambalanço e samba-canção.

EDU LOBO - EDU LOBO
Um dos responsáveis pela fase nordestina da bossa, o carioca Edu Lobo adiciona ao refino do sotaque (Vento Bravo, Viola fora de moda, Zanga zangada) neste disco de 1973, um mergulho sincrético na litúrgia (Kyrie, Incensele, Oremus).

ELIANA PITTMAN - ELIANA PITTMAN
Gravado em 1972 com o Quarteto Cido, de Cidinho (piano), Daniel (baixo), Nelsinho (bateria) e um dos pais do samba-rock, Lus Vagner na guitarra, este solo atesta o ecletismo da filha do jazzista Booker Pittman, do baião (Benzim) ao fox (Murmurando) e o afro samba (Besouro mangangá).

ELZA SOARES - ELZA, CARNAVAL E SAMBA
Cantora completa, Elza está em seu elemento natural neste disco de 1969. Ginga irresistível, quebrada vocal, sambas de arraso (Heróis da Liberdade, Fechei a porta, Que samba bom, Não me diga adeus) e dialogo incadescente com os sopros do Maestro Nelsinho.

GOLDEN BOYS - FUMACÊ
Pioneiríssimo do pop nativo, fundado no final dos 50 dominado pelo The Platters, os cariocas GB, de vocal muito requisitado pela MPB, atravessaram a jovem guarda e neste disco de 70 viajam da inflexão soul de "O cabeção ao malandro Fumacê" e o suingado "Quarentão Simpático".

LÔ BORGES - A VIA LÁCTEA VAMOS QUE EU JÁ VOU
Na sequência do ícone Clube da Esquina 2, do ano anterior, este denso disco de Lô, de 1979, que inclui a música tema e agrega os sócios Wagner Tiso, Milton Nascimento, Toninho Horta, Flávio e Cláudio Venturini, Téo Borges e mais Robertinho Silva, Luis Alves e Copinha na tapeçaria mineira.

LÚCIO ALVES - SUA VOZ INTÍMA, SUA BOSSA NOVA...
O fraseado sútil do grave 'resfriado' do cantor das multidinhas (em oposição às multidões de Orlando Siva), o mineiro Lúcio Alves desfila sob audazes arranjos do maestro Gaia em 1959. Tudo suinga, a orquestrona, o vozeirão exato e até épicos de época como Conceição e Ninguém me ama.

LUIZ ARRUDA PAES E SUA ORQUESTRA - BRASIL DIA E NOITE
Aberta por sopros eloqûentes, a versão de A Voz do Morro de Zé Keti era o prefixo do programa de TV de maior audiência nos anos 50, Noite de Gala. Lançado em 1956, aos 40 anos do maestro paulista, este disco iniciaria uma série com standards repaginados por ele de forma especial.

MARCOS VALLE - MUSTANG COR DE SANGUE
Rei da levada, inventor de grooves, o bossa-novista Marcos Valle investe na toada moderna (num dueto com Milton), incorpora o funk e remodela do frevo ao jingle sempre sobre o filtro do rigor harmônico.

NADINHO DA ILHA - CABEÇA FEITA
Vozeirão intenso, quase sósia do compositor Monsueto, o eloqûente Nadinho, produzido por João de Aquino, trafega neste disco de 1977 por sambas de todos os calibres com a adesão de bambas como Wilson Moreira, Délcio Carvalho, Tia Hilda e Walter Rosa.

PIXINGUINHA - SOM PIXINGUINHA
O gênio do choro, pai da MPB, empunha o sax-tenor em 1971 e disseca parte de sua obra monumental ao lado de ases como Altamiro Carrilho, Zé Menezes, Orlando Silveira, Dinho, Marçal, Geraldo Vespar, Meira, Dom Salvador, Canhoto, numa produção luminosa de Herminio Bello de Carvalho.

RIBAMAR - NOITES CARIOCAS Parceiro de Dolores Duran, este militante pianista da noite, percorreu as principais boates da zona sul do Rio. Em 1975, aos 25 anos de carreira, Ribamar, ás do samba-canção de fossa, revisita favoritas de vários formatos e latitudes.

ROSA MARIA - UMA ROSA COM BOSSA
Descoberta por um Wilson Simonal em ascensão, com quem divide faixa, a afiada Rosa Maria estreou em 1966. Filiou-se no lado antiprotesto da bossa (A resposta, Vê) além de gravar o raro Mário Castro Neves, Tito Madi e o iniciante Luis Carlos Sá (do futuro Sá, Rodrix & Guarabira).

SKOWA E A MÁFIA - LA FAMIGLIA
Ex-Sossega Leão, Skowa & A Máfia (Tchê, Bukassa, Kiki, Monica, Liége, James e Tonho Penhasco) engatam funk/rap no BRock no final dos 80 (Atropelamento e fuga, Amigo do amigo) com aparte de Ed Motta e a benção do patriarca Ben Jor (África Brasil).

SÉRGIO RICARDO - NÃO GOSTO MAIS DE MIM
Estréia fulminante deste pilar da bossa-nova nascido em Marília (SP). Produzido por Aloisio de Oliveira ele já mesclava com extremo requinte, em 1960, protesto (Zelão) e o romantismo de modernista (Pernas, Poema Azul, O nosso olhar, Ausência de você).

SOM IMAGINÁRIO - MATANÇA DO PORCO
Terceiro disco (de 1973) do grupo formado para acompanhar Milton Nascimento em 1970, aqui com Wagner Tiso (teclados), Tavito (guitarra), Luis Alves (baixo) e Robertinho Silva (bateria). Temas incorpados e viajantes, destaque para o do título, escrito para o filme "Os deuses e os mortos", de Ruy Guerra.

WAGNER TISO - WAGNER TISO
Arquiteto orquestral do Clube da Esquina mineiro, Wagner Tiso, num solo de 1978, explora sua veia sinfônica. De "Igreja Majestosa" à "Rapsódia Trespontana", onde celebra a cidade natal, ao baião "Os Cafezais Sem Fim", o folk "Mineiro Pau" e o primal "Choro de Mãe".

WANDERLÉA - VAMOS QUE EU JÁ VOU
Produzido e arranjado pelo papa instrumental Egberto Gismonti (autor de 4 faixas), este disco de 1977 projeta a musa da jovem guarda para outros vôos com o revelado Altay Velloso (guitarra, composições) e o suporte dos colegas de movimento, Roberto e Erasmo.

SÉRIE 'ARTISTAS 10 POLEGADAS' (2 em 1):

01-CAROLINA CARDOSO DE MENEZES
Sucessos em Desfile 1
Sucessos em Desfile 2

02-DALVA DE OLIVEIRA COM ROBERTO INGLEZ
A Voz Sentimental de Dalva de Oliveira
Dalva de Oliveira co Roberto Inglez e sua Orquestra

03-DORIVAL CAYMMI
Eu vou pra Maracangalha
Canções Praieiras

04-FRANCISCO ALVES E MÁRIO REIS
Os Duetos de Francisco Alves e Mário Reis
Album da Saudade

05-FRANCISCO EGYDIO, ROBERT0 PAIVA, TOM JOBIM e VINICIUS DE MORAES
Polêmica
Orfeu da Conceição

06-DEMÔNIOS DA GAROA E CONJUNTO FARROUPILHA
Saudosa Maloca
De Norte a Sul

07-ZÉQUINHA DE ABREU COM ORLANDO SILVEIRA E ANTENÓGENES SILVA
Zéquinha de Abreu com Orlando Silveira e seu Conjunto
Antenógenes Silva - Valsas e Saudades

08-AUGUSTO CALHEIROS E ORLANDO SILVA
A Patativa do Norte
Serenata

09-TRIO IRAKITAN
Três vozes que encantam
Lendas e Pregões do Brasil

10-HEBE CAMARGO E ISAURA GARCIA
Festa de Ritmos
Personalíssima

(Catálogo EMI gentilmente fornecido pela loja Nuvem Nove: Rua Clodomiro Amazonas, 112 - Itaim Bibi - SP/SP - 3078.7051)

Notícia de última hora
Moisés Santana que, na minha arrogante opinião, foi o melhor artista/compositor/cantor/revelação de 2002 estará em curta temporada no Crowne Plaza, anote e não perca:

20 e 27/03/03 - quintas - 21hrs.
Teatro Crowne Plaza
(Rua Frei Caneca, 1360, tel.: 289 0985)

Para saber mais sobre a incrível sonoridade de Moisés Santana clique aqui.


Waldemar Pavan
São Paulo, 18/3/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Piada pronta de Luís Fernando Amâncio
02. A poesia afiada de Thais Guimarães de Jardel Dias Cavalcanti
03. O Wunderteam de Celso A. Uequed Pitol
04. Da varanda, este mundo de Elisa Andrade Buzzo
05. Imprimam - e repensem - suas fotografias de Ana Elisa Ribeiro


Mais Waldemar Pavan
Mais Acessadas de Waldemar Pavan em 2003
01. Odeon 100 Anos: o segundo lote de reciclados - 18/3/2003
02. Simonal e O Pasquim: nem vem que não tem - 18/2/2003
03. Incêndio pleno: amor, pirraça, veneno e cachaça - 28/1/2003
04. Entre o copo, a vitrola, a fumaça e o boicote - 8/4/2003
05. O pulo do negro gato - 14/1/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
19/3/2003
21h26min
Caro W, já me associei ao Carlão para com uma previa avaliaçao da coleção selecionarmos os cds de nosso interesse e dividirmos a grana. Me chamou a atençao a série "Artistas 10 polegadas"(2 em 1)pelo inusitado(ou sei lá o que).
[Leia outros Comentários de Gil Fernandes de Sá]
5/4/2003
12h49min
O autor do artigo não podia ter sido mais irônico com as gravadoras. Porque as pessoas são tão negativas e do "contra"? A música brasileira, uma das mais ricas do mundo, possui inumeráveis tesouros guardados nas estantes das gravadoras. Depois de anos para lançar discos espetaculares, como o do Bossa três (comprem, trata-se de um dos mais fantásticos grupos instrumentais da MPB e o do Pixinguinha, por exemplo, que dispensa qualquer conmentário), o que começou a ser feito sem dúvida, com o impulso da pirataria, o autor ainda chama as gravadoras pejorativamente de recicladoras ou algo do gênero... O que ele não percebe é que as majors (gravadoras multinacionais) estão se voltando em todo o mundo para seus catálogos, enquanto novos selos estão surgindo com extrema especialização, como a Trama, Dubas, Biscoito Fino etc.
[Leia outros Comentários de Carlos Blajberg]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ESCOLAR SOPENA COLOR - DICIONÁRIO ILUSTRADO DE LA LENGUA ESPAÑOLA
EDITORIAL RAMON SOPENA
EDITORIAL RAMON SOPENA
(1976)
R$ 10,00



MÁQUINAS QUE PENSAM - OBRAS PRIMAS DA FICÇÃO CIENTÍFICA
ISAAC ASIMOV / OUTROS
L&PM
(1983)
R$ 39,49



COMO ORGANIZAR E DIRIGIR UMA EMPRESA.
O MAGICO
ADEMPE
(1997)
R$ 35,00
+ frete grátis



PROFESSIONAL VISUAL BASIC .NET
FRED BARWELL
MAKRON
(2004)
R$ 350,00



DE PAI PRA FILHO
LUCIANO VILLAÇA
PROCLAMA
(2001)
R$ 11,92



POESIAS - PRÊMIOS NOBEL DE LITERATURA
ERIK AXEL KARLFELDT
OPERA MUNDI
(1971)
R$ 8,89



TRANSISTORES ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO
SENAI
SENAI
(1998)
R$ 20,00



LEGISLAÇÃO ELEITORAL - 4ª EDIÇÃO REVISTA E AMPLIADA
MARCOS RAMAYANA
ROMA VICTOR
(2006)
R$ 12,00



MATEMÁTICA - 2º GRAU - 3ª VOLUME
LUIZ CARLOS DE DOMÊNICO
IBEP
R$ 13,00



AS PUPILAS DO SENHOR REITOR - BIBLIOTECA FOLHA Nº 11
JÚLIO DINIS
EDIOURO
(1997)
R$ 7,00





busca | avançada
21254 visitas/dia
1,1 milhão/mês