Leitura obrigatória | Wilton Cabral

busca | avançada
60396 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conto HAYEK, de Maurício Limeira, é selecionado em coletânea da Editora Persona
>>> Os Três Mosqueteiros - Um por Todos e Todos por Um
>>> Sesc 24 de Maio recebe o projeto Parlavratório - Conversas sobre escrita na arte
>>> Cia Caravana Tapioca faz 10 anos e comemora com programação gratuita
>>> Eugênio Lima dirige Cia O GRITO em novas intervenções urbanas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
Últimos Posts
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
>>> Mimético
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Em defesa da arte urbana nos muros
>>> Sombras Persas (IV)
>>> I’ve been up, I’ve been down
>>> Sombras Persas (VIII)
>>> 8 de Agosto #digestivo10anos
>>> Situação da poesia hoje
>>> Leitura vertical e leitura horizontal
>>> United States of Brazil
>>> Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha
>>> A Onda, de Dennis Gansel
Mais Recentes
>>> Minhas Aventuras na América do Sul de Gerson Galli pela Visei (2021)
>>> O livro do silêncio: Livro 1 da trilogia deuses de dois mundos de Pj Pereira pela Planeta (2018)
>>> Dia 21 de Kass Morgan pela Record (2015)
>>> The 100 - Os Escolhidos de Kass Morgan pela Record (2014)
>>> A Terceira Visão de Lobsang Rampa pela Nova Era (2005)
>>> O Mínimo Que Você Precisa Saber Para Não Ser Um Idiota de Olavo de Carvalho pela Record (2013)
>>> O Cirurgião de Tess Gerritsen pela Record (2013)
>>> A Honra do Poderoso Prizzi de Richard Condon pela Record (1982)
>>> O Amante do Vulcão de Susan Sontag pela Cia. das Letras (1992)
>>> A Menina que Roubava Livros de Markus Zusak pela Intrísica (2014)
>>> A primeira Impressão é a que Fica. de Ann Damarais pela Sextante (2005)
>>> Bruxas e Bruxos de James Patterson pela Novo Conceito (2013)
>>> Amor de Puta de Ricardo Daumas pela Sensus (2016)
>>> Somos Todos Inocentes de Zibia Gasparetto pela Vida e Consciência (2000)
>>> A Odisséia dos Essênios de Hugh Schonfield pela Mercuryo (1991)
>>> A Solidão do Espinho de Américo Simões pela Barbara (2011)
>>> Grimpow de Rafael Abalos pela Ediouro (2006)
>>> O Complo de Heather Graham pela Harlequin (2006)
>>> Despertar de um Imperio de Sam Bourne pela Suma (2010)
>>> A Promessa de Halan Coben pela Arx (2008)
>>> Técnico em Informática de Antonio Álvaro de Assis Moura e equipe da editora pela Etb (2014)
>>> O Uno e o Múltiplo nas Relações entre as Áreas do Saber de Maria L. Martinelli Maria Lucia R. Salma Tannus M. pela Cortez (2001)
>>> Coletânea Martinista - Escritos Esotéricos Cristãos Livro III de Escola Internacional de Estudos Esotéricos pela Ágora Hermética (2013)
>>> Coletânea Martinista - Escritos Esotéricos Cristãos Livro II de Escola Internacional de Estudos Esotéricos pela Ágora Hermética (2013)
>>> Introdução à Teoria da Literatura de Antonio Augusto Soares Amora pela Cultrix (1994)
COMENTÁRIOS

Terça-feira, 9/10/2007
Comentários
Leitores


Leitura obrigatória
Muito interesante este histórico sobre música clássica. Eu não tinha conhecimento sobre seu site, mas agora ele será leitura obrigatória. Muito boa a matéria sobre Frida Kahlo! Boa sorte nas matérias posteriores, espero que não me decepicione! Parabéns...

[Sobre "Beethoven"]

por Wilton Cabral
9/10/2007 às
23h47 200.97.121.116
(+) Wilton Cabral no Digestivo...
 
Ariano, o sábio
Ariano é a síntese da inteligência universal. Sinto-me orgulhoso de ter nascido no mesmo país que ele.

[Sobre "Ariano Suassuna 80 anos "]

por Antônio P. Andrade
9/10/2007 às
22h51 189.12.108.36
(+) Antônio P. Andrade no Digestivo...
 
Menos partidarismo, na verdade
Só uma consideração ao comentário anterior. Assim que postei, fiquei pensando... o mais justo seria "Mais arte, menos partidarismo" para o título do comentário. Porque a Política sempre foi, é e será necessária para nossa vida. O problema, na verdade, é o descaso com que se trata ela, seja por indiferença, seja por excesso de interesses privados em detrimento de interesses públicos. Era só esta correção: "Mais arte, menos partidarismo". Abraços

[Sobre "A propósito de Chapolin e Chaves"]

por Rogério Kreidlow
http://rogerkrw.blogsome.com
9/10/2007 às
20h37 200.180.59.152
(+) Rogério Kreidlow no Digestivo...
 
Mais arte, menos política
Dificilmente faço críticas "negativas" aqui, mas acho que elas nos ajudam a rever alguns pontos. O texto está bem escrito, a relação com os autores é boa, mas, primeiro, não traz nada de tão novo sobre Bolaños a não ser que é "gênio" — um conceito discutível. Segundo, há muito preconceito aí. Deixa o pessoal do interior dançar Strauss em seu casamento, o que há de brega nisso? Para muitas pessoas, é o momento mais especial da vida, não há nada de brega, errado ou feio — se há, é em achar isso brega. Também achei exagerado "momentos mais ridículos" da existência humana. E nunca assinei nem leio Caros Amigos, devido a seu excesso de partidarismo. Mas a crítica a ela, no meio de um texto como este, é desnecessária. Tenho amigos que lêem Caros Amigos e são fãs de Chaves sem, necessariamente, serem deste ou daquele partido ou ideologia. Bolanõs é um artista excelente e sua arte (ou seja, a Arte) não precisa vir acompanhada de julgamentos de valor pessoais. Abraço e até a próxima!

[Sobre "A propósito de Chapolin e Chaves"]

por Rogério Kreidlow
http://rogerkrw.blogsome.com
9/10/2007 às
20h34 200.180.59.152
(+) Rogério Kreidlow no Digestivo...
 
Identificação
Muito bom o texto! Batalhando exatamente para inscrever meu filme (digital) em festivais (estrangeiros, né...) me identifiquei totalmente. Como colaborador do Digestivo, estou até devendo uma matéria de "bastidores de produção cinematográfica no Brasil", mas parece que a novela não acaba nunca e o texto periga virar um tratado! Abraços! Jabá: se estiver interessado em conhecer meu filme, entre aqui.

[Sobre "Fetiche por película"]

por André
http://www.lanho.com.br/indodoc
9/10/2007 às
20h19 201.53.48.41
(+) André no Digestivo...
 
Novas Observações 06
Uma das coisas que também se falava muito em relação à película era a velocidade de gravação. Além disso, enquanto a película fazia 24 fotogramas por segundo, as câmeras digitais semi-profissionais (e até mesmo alguns modelos digitais) gravavam de modo entrelaçado, ou seja, toda a resolução que tinham era de, no máximo, 1080 linhas entrelaçadas em 29,97 frames por segundo (não eram fotogramas). Chama-se 1080i, os formatos de gravação das conhecidas HDV. Hoje esse modo de gravação já estava superado pela Panasonic, que lançou uma camera HDV que gravava em 24 progressivo (e não entrelaçado, como nas outras digitais). Com a RED também não é diferente, podendo filmar em 24, 30, 60 e outros.

[Sobre "Fetiche por película"]

por Déborah Guaraná
http://postodegasolina.blogspot.com
9/10/2007 às
20h16 200.249.25.12
(+) Déborah Guaraná no Digestivo...
 
Novas observações 05
Pesquisando encontrei uma empresa super legal! Imagine que você quer montar uma sala de cinema digital e alguém lhe oferece um computador (conectado à empresa distribuidora via satélite), projetor e tela. Faz um investimento inicial e depois paga apenas por sessão exibida! A empresa chama-se RAIN Network e, por incrível que pareça, é brasileira! Gente, o único entrave para que o cinema não se transforme é o dinheiro que as grandes empresas norte-americanas vão perder com essa conversão. Imagine todas aquelas câmeras da Panavision sendo jogadas no lixo. Imagine que as distribuidoras iriam lucrar BEM menos com o cinema digital. Imagine se elas vão deixar isso acontecer? Imagine se a gente tem poder pra fazer alguma coisa com o pensamento retrógrado da maioria dos cineastas cheios de fetiche burro...

[Sobre "Fetiche por película"]

por Déborah Guaraná
http://postodegasolina.blogspot.com
9/10/2007 às
20h12 200.249.25.12
(+) Déborah Guaraná no Digestivo...
 
Novas observações 04
E ainda tem quem diga que vídeo não é cinema. Ou seria o contrário? Uma vez fiz uma matéria, no Cine-Pe, festival de cinema aqui em Recife, sobre a empresa que possui um projetor móvel de película e exibe os filmes nos festivais brasileiros. Não lembro agora o nome da empresa, mas ia combinar de entrevistar o pessoal no intervalo e o técnico puxou uma cadeira e disse para conversarmos no meio da exibição do primeiro longa da noite. Fiquei com o coração na mão e perguntei se ele não ia ver o filme. O cara deu uma risada e disse que já tinha visto mils vezes. Fiquei curiosa e sentei: "Como assim?". Pergunta à qual ele respondeu com muita calma e naturalidade mais ou menos assim: só tem a gente com esse projetor no Brasil, a gente acaba indo pra todos os festivais e vendo esses filmes milhões de vezes.

[Sobre "Fetiche por película"]

por Déborah Guaraná
http://postodegasolina.blogspot.com
9/10/2007 às
20h11 200.249.25.12
(+) Déborah Guaraná no Digestivo...
 
Novas observações 03
A empresa define a camera como Ultra High Definition. Onde editar? No Final Cut Pro 2, que já oferece suporte para edição em 4K. Claro que isso tudo vai aumentar um pouco o orçamento de qualquer produção digital, mas ainda assim, nunca chegará aos pés do preço da película.

[Sobre "Fetiche por película"]

por Déborah Guaraná
http://postodegasolina.blogspot.com
9/10/2007 às
20h11 200.249.25.12
(+) Déborah Guaraná no Digestivo...
 
Novas observações 02
Uma das coisas que também se falava muito em relação à película era a velocidade de gravação. Além disso, enquanto a película fazia 24 fotogramas por segundo, as câmeras digitais semi-profissionais (e até mesmo alguns modelos digitais) gravavam de modo entrelaçado, ou seja, toda a resolução que tinham era de, no máximo, 1080 linhas entrelaçadas em 29,97 frames por segundo (não eram fotogramas). Chama-se 1080i, os formatos de gravação das conhecidas HDV. Hoje esse modo de gravação já estava superado pela Panasonic, que lançou uma câmera HDV que gravava em 24 progressivo (e não entrelaçado, como nas outras digitais). Com a Red também não é diferente, podendo filmar em 24, 30, 60 e outros.

[Sobre "Fetiche por película"]

por Déborah Guaraná
http://postodegasolina.blogspot.com
9/10/2007 às
20h10 200.249.25.12
(+) Déborah Guaraná no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Corpo Humano no Tempo
Kenneth Jon Rose
Mcgraw Hill
(1989)



Vencendo as Barreiras do Infinito
Fátima Moura
Celd
(2003)



Enfermagem Pediatrica
Cecilia Helena de Siqueira Sigaud
Epu
(1996)



Auditoria Jurídica Apontamento para o Moderno Exercício da Advocacia
Jayme Vita Roso
Hammulabi
(2003)



Cairbar Schutel e a Mediunidade Missionária
Aziz Cury
Elevacao
(2010)



La Palabra de Dios, los Derechos Humanos y El Pueblo de Dios
Metodista
Metodista
(1981)



Fundamentos Economicos das Politicas de Defesa da Concorrencia
Jorge Fernandes
Singular
(2003)



Históricas Políticas
Obras Completas de J. M. Vargas Vila
Ramón Sopena



Livro dos Sonetos: 1500 - 1900
Sérgio Faraco
L e Pm
(2002)



Estações
Gabriel Chalita
Globo
(2010)





busca | avançada
60396 visitas/dia
2,2 milhões/mês