Quo vadis Domini? | Toni

busca | avançada
56607 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> ENSINAR A FAZER - MARCENARIA
>>> O Peso do Pássaro Morto faz duas sessões online dias 30 e 31/10
>>> Exposição recupera a memória da ditadura brasileira
>>> Evoluir celebra o mês das crianças com contação de história
>>> Editora H1 chega com proposta de modelo híbrido de apresentação de conteúdo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
Últimos Posts
>>> Mundo Brasil
>>> Anônimos
>>> Eu tu eles
>>> Brasileira muda paisagens de Veneza com exposição
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 12 de Junho #digestivo10anos
>>> crônica - ou ensaio - à la hatoum
>>> Prenda-me se for capaz
>>> Sobre futebol e hinos nacionais
>>> Zeitgeist
>>> Capacidade de expressão X capacidade linguística
>>> Silêncio e grito
>>> Sejam Bem-Vindos
>>> A alma boa de Setsuan e a bondade
>>> O samba de Donga na Festa da Penha
Mais Recentes
>>> Sem medo da tempestade de William Sanches pela Intelitera (2013)
>>> O poder do pensamento positivo de Norman Vincent Peale pela Cultrix
>>> Xamã de Noah Gordon pela Rocco (1993)
>>> A grande sacerdotisa de Nadir Gomes pela Girassol
>>> A grande sacerdotisa de Nadir Gomes pela Girassol
>>> Por que fazemos o que fazemos? de Mario Sergio Cortella pela Planeta (2016)
>>> Memórias de um toxicômano de Marcos alberto ferreira pela Mundo Maior (2005)
>>> Jornada dos anjos de Sandra Carneiro pela Vivaluz (2010)
>>> Almas gêmeas de Mauríco de Castro pela Intelitera (2016)
>>> A força da vida de Zibia Gasparetto pela Vida & Consciência (2019)
>>> A grande mudança de Floriano Serra pela Vida & Consciência (2015)
>>> Tambores de Angola de Robson Pinheiro pela Casa Dos Espíritos (2015)
>>> Lado a lado de Sérgio Chimatti pela Vida & Consciência (2013)
>>> Impulsos do coração de Mônica De Castro pela Vida & Consciência (2015)
>>> A atriz de Mônica De Castro pela Vida & Consciência (2015)
>>> A águia e a galinha de Leonardo Boff pela Vozes (1997)
>>> O patrimônio construído de Sybil bittencourt pela Capivara (2002)
>>> Giorgio Morandi de Giorgio Morandi pela Sem (1997)
>>> Uma Prova do Céu de Dr. Eben Alexander III pela Sextante (2014)
>>> Para além do bem e do mal de Friedrich Nietzsche pela Martin Claret (2011)
>>> Fustel de coulanges de A cidade antiga pela Martin Claret (2005)
>>> O livro dos chakras de C.W. Leadbeater pela Pensamento
>>> Intermédio logosófico de Carlos Bernardo González Pecotche pela Logosófica (2003)
>>> O livro de ouro da mitologia histórias de deuses e heróis de Thomas Bulfinch pela Agir (2014)
>>> Fale tudo em francês de Nancy Alves pela Disal (2010)
COMENTÁRIOS

Segunda-feira, 8/7/2002
Comentários
Leitores


Quo vadis Domini?
O assunto levantado por Julio D. Borges é mesmo instigante (to say the least). Claro que o que está em jogo aqui afeta diretamente a questão da liberdade e o comentário do Heitor De Paula, nesse sentido, me pareceu dos mais pertinentes. Não é necessário se ter muita familiaridade com os petistas para se saber que na visão de mundo desse pessoal o regime cubano é um exemplo a ser seguido. E, sintomaticamente, a internet por lá é descaradamente sabotada pelos barbudos anciões de Havana. Da mesma forma, na China continental, os ventos internáuticos causam o maior desconforto aos ditadores de Pequim. Voltando ao nosso Brasil, não creio que a internet chegue a incomodar os donos de jornais (porque a verdade é que os donos de jornais não mandam mais em seus jornais!!!). Mas incomoda, e muitíssimo, a escalões jornalísticos estrategicamente bem situados. Sem a internet, a "festa" dessa gente seria completa. Aporelli, Heitor, está na ordem do dia...

[Sobre "Digestivo nº 88"]

por Toni
8/7/2002 às
20h46 200.165.226.148
(+) Toni no Digestivo...
 
A arte da crítica
Vale a pena ler este artigo (além de outros no mesmo site) para pelo menos se obter uma versão alternativa à de que existiria uma "barreira petista" contra a liberdade de informação. E alguma informação a mais do que simplesmente apresentar o jornalista Barrionuevo como um solitário e abnegado defensor da liberdade de informação.

[Sobre "Digestivo nº 88"]

por Helion
8/7/2002 às
18h41 200.154.217.49
(+) Helion no Digestivo...
 
A arte da crítica
Como dizia Aporelli, "há algo no ar, além dos aviões de carreira". Neste assunto de jornalismo internáutico há outros interesses que não apenas os dono de jornais tradicionais mas também uma barreira petista que vem estabelecendo uma verdadeira censura nos jornais comuns. Censura que impede, por exemplo, que no Rio se tome conhecimento das perseguições a jornalistas que o Governo Olívio Dutra vem promovendo no Rio Grande do Sul, como o caso com o Barrionuevo. O jornalismo internáutico é muito mais difícil de censurar, mas que tentam, tentam. A PROCERGS, provedora do Governo do RS, tirou do ar a coluna do Diego Casagrande (www.diegocasagrande.com.br) com a mais estapafúrdia das desculpas. Uma tal Comissão Internacional de Ética Literária na Internet (alguém conhece isso?) tenta forçar o site PoliticaRS (www.politicars.com.br) a "despublicar" um artigo da joranalista Mila Kette sobre o escritor Francisco Simões. É, a Internet, tal como os elefantes, incomoda muita gente!

[Sobre "Digestivo nº 88"]

por Heitor De Paola
8/7/2002 às
18h27 200.255.208.123
(+) Heitor De Paola no Digestivo...
 
Em favor do que
Ronaldo, com sua licença, ponho em dúvida essas estatísticas quanto ao número de ONGs e de meninos de rua, já que jamais as encontrei devidamente fundamentadas. De qualquer maneira, as ONGs também representam empreendimentos intelectuais, mesmo que você discorde delas. E poucos empreendimentos intelectuais são tão apoiados e financiados hoje em dia quanto aqueles que defendem a retirada do Estado de seus deveres sociais. A minoria que os apoia certamente não deve se incluir entre as “sem defesa” a que você se refere. Se eu adotasse um conceito de "bantustão" tão abrangente quanto o do Felix Meier, certamente classificaria assim o grupo dos anti-estatistas. Uma minoria defendidíssima./// Quanto ao outro assunto, novamente peço licença para deixar de comentar a relação entre cultura e religiões, tema complexo e que eu, homem sem religião, não me sinto preparado para abordar, embora respeite o sentimento religioso. Por isso mesmo, não vou discuti-lo./// Dizer que o artigo “não é panfletário mas talvez tenha a tônica dos panfletos” me parece pouco claro. Mas acho que talvez não valha a pena continuar tal debate, uma vez que não parece haver interesse do próprio autor em fazê-lo. Continuo achando que a sua “tônica”, como você diz, retira em muito a possibilidade de eu discuti-lo racionalmente./// Quanto à bibliografia sugerida, agradeço as sugestões. Já conheço um desses autores, sobre o qual tenho opinião formada. Quanto ao outro, procurarei lê-lo. Um abraço.

[Sobre "Bantustões brasileiros"]

por Helion
8/7/2002 às
18h35 200.154.217.49
(+) Helion no Digestivo...
 
Tá bem legal
Eduardo, Com certeza foi o melhor texto que já escreveu para o Digestivo. Parabéns o texto está bem engraçado.

[Sobre "Reminiscências de um campeão"]

por Otavio
8/7/2002 às
16h23 200.246.210.5
(+) Otavio no Digestivo...
 
Mônica Waldvogel
Eu que pensava que este assunto já tinha morrido (e acho que já deveria), percebo com indignacão que o Sr. Eduardo Carvalho ainda não está satisfeito com as exposicões de suas ridículas opiniões. Já procurou um psiquiatra para resolver seu caso de múltiplas personalidades? O programa está cada vez melhor, é pena que mentes doentes como a do Sr. Eduardo, não têm alcance suficiente para entendê-lo, pena também que pessoas mal-educadas, e grosseiras como esse tal de Eduardo Carvalho (será mesmo esse o nome dele?) têm espaco num site como esse. Enfim... ces les choses e la vie... Daniela Brusco

[Sobre "Com a calcinha aparecendo"]

por Daniela Brusco
6/7/2002 às
13h41 200.211.164.187
(+) Daniela Brusco no Digestivo...
 
Ora, ora, ora...
Caros participantes do Fórum: Acabo de descobrir este site (pesquisando no Google) e ainda estou em estado de choque com a crítica implacável do Eduardo ao nosso programa. É formidável descobrir como pessoas conseguem ter conceitos tão fechados e resolvidos num mundo em que nenhum dos bons e velhos paradigmas anda parando em pé. Estamos tentando fazer um programa para discutir os temas que nos impactam e que o público nos sugere. É um programa novo, em obras, reflexo de cabeças e mentes inquietas. Só isso. Ninguém ali está tentando dar as grandes respostas - e alguém as tem por aí? - nem buscando dar tratamento intelectual aos fragmentos dos fatos semanais que caem no colo de toda a gente nesses dias conturbados. Também não dá para levar tudo tão a sério neste começo de século, não é mesmo? É preciso um certo humor que vá além do banal e do clichê e nisso o 'Saia Justa' é pródigo. Para os que nos defenderam, em nome de Marisa Orth, Fernanda Young e Rita Lee, agradeço. Para Eduardo e seus seguidores, amém. Abraço, Mônica Waldvogel

[Sobre "Com a calcinha aparecendo"]

por Mônica Waldvogel
6/7/2002 às
12h24 200.161.215.181
(+) Mônica Waldvogel no Digestivo...
 
Amores possíveis
Interessante o seu comentário e fiquei curioso para ler o livro, apesar das restrições que você faz a ele. Não sei se a autora aborda o tema, mas é interessante verificar como a internet realmente inverte a seqüência tradicional das relações amorosas: primeiro nos deparamos com o outro a partir de sua expressão escrita, depois (usualmente) pela voz, através do telefone e, só depois, através do contato visual. É exatamente o contrário das relações tradicionais, permitindo assim um desnudamento, uma abertura, que não é usual entre estranhos. Se isso será bom ou ruim, se essa nova seqüência vai revolucionar as formas de relacionamento, só o tempo dirá./// Penso também num veículo como esse Digestivo, no qual as afinidades – e, mais freqüentemente, as divergências – expressas por escrito entre desconhecidos também assumem uma crueza, um ímpeto, que dificilmente ocorreriam em contatos pessoais. São novas maneiras de amar e de odiar...

[Sobre "A internet e o amor virtual"]

por Helion
5/7/2002 às
14h49 200.154.217.156
(+) Helion no Digestivo...
 
Futebol e pentes
Leio tanta filosofia sobre o futebol e me lembro de algo que me aconteceu estando em Maceio, Dezembro 1997. Um carinha, de cujo nome nao me lembro, estudante de Medicina, filhinho de Dotor, fluente em frances, critica duramente seu namoradinho pelo terrivel crime de torcer com paixao pelo seu Flamingo adorado. Os argumentos, bom, voces conhecen, ne? 15 minutos depois o cara descobre que eu tenho um pente daqueles plasticos, grandes e feios no bolso traseiro da calca. Ai o dotorcinho falou, escandalizado: "Acho engracado voce carregando esse pente no bolso da calca" Entao ta, Flamingo - Vasco, bobagem para adormecer o povao ignorante, MEU pente no bolso da MINHA calca, assunto da maior importancia. Da licenca!

[Sobre "Ludopédio em Pindorama"]

por Dudu
5/7/2002 às
10h36 199.242.231.156
(+) Dudu no Digestivo...
 
Paranóia? Onde?
Prezado Gian: Seu texto tem pontos interessantes sobre a paranóia, mas infelizmente não passa dos pontos comuns já discutidos por todo mundo numa mesa de bar - e pontos equivocados, como chamar a Idade Média de "Idade das Trevas". Se vc ler Etienne Gilson, vai descobrir que a Idade Média não foi nada irracional e que a paranóia que dizem ter sido criado pela Igreja Católica era, na verdade, fruto de escolas dentro da Igreja e que foram expulsas pelo Papa por causa de seu cunho herético. Além disso, como vc pode chamar de "Idade das Trevas" uma época que tinha Santo Tomás de Aquino, Santo Agostinho, Abelardo, Meister Eckart e, bem no final, Dante Alighieri. Por acaso a nossa época - tão paranóica - tem como rivalizar com a honra destes nomes? No mais, se vc quer saber o que é realmente o efeito da paranóia na vida e na arte, leia Thomas Pynchon, em especial "V." e "O Leilão do Lote 49", ambos editados pela Cia de Letras. Um abraço e continue com seu trabalho Martim

[Sobre "A Soma de Todos os Medos"]

por Martim Vasques
5/7/2002 às
08h51 200.211.122.213
(+) Martim Vasques no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Capitalismo e Urbanização
Maria Encarnação B. Sposito
Contexto
(1991)



Singularidade na Inclusão - Estratégias e Resultados
Nívea Maria de Carvalho Fabrício; et Al
Pulso
(2007)



Tudo é linguagem 7º. Ano
Ana Trinconi Borgatto, Terezinha Bertin, Vera Marchezi
Atual
(2010)



Os Esbanjadores
Jonathan Black
Rio Gráfica
(1986)



A Gênese (Os Milagres e as Predições Segundo o Espiritismo)
Allan Kardec
Lake
(2003)



Zolar: Enciclopedia del Saber Antiguo y Prohibido
Sem Autor
Alianza Editorial
(1970)



Serena
Ron Rash
Intrínseca
(2015)



1 e 2 Autobiografia
Doris Lessing
Companhia das Letras
(2007)



A Memória Em Boa Forma: Como Ativá-la e Desenvolvê-la
Jocelyne de Rotrou
Ed Loyola
(1995)



História da Arte para Crianças
Lenita Miranda de Figueiredo
Pioneira





busca | avançada
56607 visitas/dia
1,8 milhão/mês