um conselho: assistam o Jô | Andréa Trompczynski

busca | avançada
50081 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Balé de repertório, D. Quixote estará no Teatro Alfa dia 27/1
>>> Show de Zé Guilherme no Teatro da Rotina marca lançamento do EP ZÉ
>>> Baianas da Vai-Vai são convidadas de roda de conversa no Teatro do Incêndio
>>> Airto Moreira e Flora Purim se despedem dos palcos em duas apresentações no Sesc Belenzinho
>>> Jurema Pessanha apresenta sambas clássicos e contemporâneos no teatro do Sesc Belenzinho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> O melhor da Deutsche Grammophon em 2021
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
Últimos Posts
>>> Brega Night Dance Club e o afrofuturismo amazônico
>>> Fazer o que?
>>> Olhar para longe
>>> Talvez assim
>>> Subversão da alma
>>> Bons e Maus
>>> Sempre há uma próxima vez
>>> Iguais sempre
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A revista Bizz
>>> O elogio da narrativa
>>> Daumier, um caricaturista contra o poder
>>> Na minha opinião...
>>> Tempo vida poesia 4/5
>>> Torce, retorce, procuro, mas não vejo...
>>> Lambidinha
>>> Lambidinha
>>> 12 tipos de cliente do revisor de textos
>>> A Grande História da Evolução, de Richard Dawkins
Mais Recentes
>>> Cultura 21 Ano 5 de Ernesto Geisel pela Ministério da Educação (1976)
>>> Um Homem no sótão de Ricardo Azevedo pela Atica (2013)
>>> 90 anos de malandragem: contos inspirados nas canções de Bezerra da Silva de Ecio Salles e Julio Ludemir pela Funarte (2018)
>>> Conhecendo os Felinos de Conhecendo os Felinos pela Todo Livro (2006)
>>> Bois Mort de James Sallis pela Folio policier (2003)
>>> Maluquinho pelo Mundo de Ziraldo pela Globinho (2012)
>>> Noivos Vol 2 - Grandes Romances Universais Vol 5 de Alexandre Manzoni pela W. M. Jackson (1963)
>>> 90 anos de malandragem; contos inspirados nas canções de Bezerra da Silva de Ecio Salles e Julio Ludemir pela Funarte (2018)
>>> Les recettes sportives de Desconhecido pela Recettes et (1914)
>>> A harmonia oculta de Bhagwan Shree Rajneesh pela Pensamento
>>> Terminator Salvation - The Official Movie Companion de Tara Bennett pela Titan Books
>>> Cultura 12 Ano 3 de Ernesto Geisel pela Ministério da Educação (1974)
>>> A caminho de casa de W. Bruce Cameron pela Harper Collins (2019)
>>> Cultura y Negocios - Libro de claves de Angel Felices pela Edi Numen (2004)
>>> Précis de Thérapeutique Pharmacologie de A. Richaud pela Masson Et (1919)
>>> A caminho de casa de W. Bruce Cameron pela Harper Collins (2019)
>>> O Tribunal dos Bichos - uma Fábula Em Defesa dos Animais de Vilmar Berna pela Paulus (1997)
>>> Agaguk - Grandes Clássicos da Literatura Em Quadrinhos de Yves Theriault pela Del Prado (2015)
>>> Agaguk - Grandes Clássicos da Literatura Em Quadrinhos de Yves Theriault pela Del Prado (2015)
>>> Law and Entrepreneurship de Robert E. Litan pela Edward Elgar Publishing Limited (2013)
>>> Manuel de Syphiligraphie pratique- La Syphilis et le praticien de H. Drouin pela Vigot Freres (1923)
>>> Todo Poderoso Timão Em Quadrinhos de Ziraldo pela Globo (2009)
>>> Superman Batman Inimigos Públicos de Jeph Loeb pela Dc Comics (2015)
>>> Moby Dick de Francesco Artibani pela Panini Comics (2020)
>>> Visão da realidade de J. Krishnamurti pela Instituição cultural Krishnamurti (1959)
COMENTÁRIOS

Terça-feira, 16/11/2004
Comentários
Leitores


um conselho: assistam o Jô
Mário, que pena você ter escrito este artigo antes de assistir a "entrevista" de ontem à noite com Arnaldo Jabor. Foi uma guerra de egos inflados. Obviedades escorriam até a náusea. Quase se estapearam aos risinhos os dois globais para ver quem falava mais abobrinhas. Assisto o programa para aprender o quê não é preciso falar, o quê é ridículo, como ser um pseudo-intelectual chato e babão e fugir disso como o diabo foge da cruz.

[Sobre "Anti-Jô Soares"]

por Andréa Trompczynski
16/11/2004 às
13h47 200.181.234.4
(+) Andréa Trompczynski no Digestivo...
 
o que viemos fazer
Meu comentário é sobre o texto O QUE NOS FAZ HUMANOS. Desconfio que poucas pessoas, infelizmente, se darão ao trabalho de lê-lo porque faz raciocinar de maneira séria sobre por que estamos aqui e o que viemos fazer. Não interessa se se é EVOLUCIONISTA ou CRIACIONISTA, o certo é que aqui viemos por algo muito importante.

[Sobre "Digestivo nº 201"]

por Carmem A. Paulino
17/11/2004 à
01h10 200.202.238.197
(+) Carmem A. Paulino no Digestivo...
 
fruição, resgistro e prazer
Adriana, concordando com vc e alterando um poquinho só, eu diria então... a arte é o conjunto de aspectos que faz uma manifestação (musical, literaria, plástica, etc) ser agradável a ponto de provocar emoção nas pessoas, que traga consigo uma mensagem e que vá além da subjetividade do artísta, que exista não por utilidade, mas para fruição, resgistro e prazer. Não sei... mas a arte conteporânea parece estar cada vez mais "estranha".

[Sobre "Bienal: obras ou arte?"]

por Carolinne
14/11/2004 às
13h23 200.222.130.1
(+) Carolinne no Digestivo...
 
Vamos ver onde isso vai dar
Tomar a "arte pela arte" direciona o trabalho ao "populismo folhetinesco" ou ao "vanguardismo vazio e sem apelo"? Acho que quanto mais gente estiver escrevendo... melhor. Se "o surgimento desenfreado de novos autores parece aumentar ainda mais a angústia daqueles que estão dispostos a sacrificar um bom futuro como advogado, médico ou jornalista para se dedicar à literatura", isso, provavelmente, deverá levar esses "verdadeiros escritores" a serem melhores que os médicos, que as domésticas literárias e que os "gonzo" jornalistas. Também não acho ruim "vulgarizar" a pompa envolta do escritor. Mas eu posso estar interpretando mal o sentido da "vulgarização"... "E aí o escritor vai arrumar emprego, e trabalha, trabalha, trabalha, até que um dia vê no jornal uma reportagem sobre um novo autor. É roído pela inveja, pela vaidade, pragueja contra o fato de não ser ele o contemplado. 'Porque não eu?', grita em silêncio, rilhando os dentes." Pô, vide Bukowisk, Henry Miller, dois escritores... e quanta fome esses malditos não passaram até terem seus livros publicados e reconhecidos? Vai ver que a história é a mesma. Escritor que é escritor fica famoso postumamente... "O negócio é ser publicado. Só isso acalmará a serpente de vaidade que se agita em seu espírito inquieto." Um fanzine resolve o problema (se esse for o problema): o cara faz até na mão, tira xerox e vende. Fiz isso semana passada: R$ 0,60 por seis páginas de papel A4. Vendi tudo, publiquei meu trabalho e tem gente gostando. Muito embora eu ainda sinta imaturidade textual, mas isso a gente resolve treinando, uma hora fica bom. E isso não é tática de auto-afirmação, é avaliação mesmo. "Seguindo a minha ideologia pessoal de que a crítica seguida de sugestão é um gesto muito mais nobre do que o simples resmungo, vai a minha idéia: aumentar o número de concursos, sempre com a participação de um júri popular e um júri especializado." Concordo plenamente com você. Isso tem de ser feito não apenas na literatura, por que enfrentamos o mesmo problema em outras artes. Aposto que você poderia citar alguns bons músicos sem gravadoras e sem discos... e tudo por quê? O mesmo problema... mas eu acho que estamos numa fase onde a reprodutibilidade, que de técnica passou à digital, esta mais facilitada e a dependência dos grandes esquemas parece estar diminuindo nos "circuitos alternativos". Vamos ver onde isso vai dar.

[Sobre "Aflições de um jovem escritor"]

por Carolinne Assis
14/11/2004 às
12h49 200.222.130.1
(+) Carolinne Assis no Digestivo...
 
Morrissey, apaixonante
The Smiths foi aquela banda que mudou minha vida. Sem dúvida! O Morrissey, apaixonante, é daqueles homens de frente que fazem toda a diferença numa banda... Os movimentos dele são inimitáveis, assim como também os movimentos do vocalista do REM, que é outra presença, mas as semelhanças param por ai... Ao menos, eu acho.

[Sobre "Lembranças do Morrissey"]

por Carolinne Assis
14/11/2004 às
11h58 200.222.130.1
(+) Carolinne Assis no Digestivo...
 
só quem vive c/ salário mínimo
Acho que só quem vive com um salário mínimo e tem várias bocas para alimentar, pode dizer se é exagero o comportamento daquelas pessoas. Além disso, o livro mostra um período de revoluções e faz menção a filósofos tais como Marx e Engels. Há todo uma carga histórica e cultural na obra que ajuda a entender melhor.

[Sobre "Um conselho: não leia Germinal"]

por Aline Santos Campos
13/11/2004 às
22h24 201.4.106.106
(+) Aline Santos Campos no Digestivo...
 
Respeito é bom e a gente gosta
Sim, urgente: aulas de como viver em sociedade, nas escolas, cursos, palestras, workshops, seminários... porque respeito é bom e a gente gosta.

[Sobre "A difícil arte de viver em sociedade"]

por Gisele Lemper
13/11/2004 às
15h55 200.181.20.101
(+) Gisele Lemper no Digestivo...
 
Morrissey e nós
Apesar de gostar demais do Velho Moz, sempre gostei mais dos Smiths. Tenho duas coletâneas do Moz solo e o Viva Hate, recentemente saído no país, com bonus tracks. Os anos 80 são verdadeiramente The Smiths, The Cure e U2, além de, para mim, não conseguir excluir o REM, nem que eu quisesse. Também tive minha fase heavy metal (AC/DC e Iron Maiden, parando por aqui). Já comentei anteriormente que, aqui no Norte, tudo é muito difícil. Só sabíamos dos discos importados através de revistas especializadas (Bizz, depois Showbizz, Rock Brigade, que eram as que apareciam por aqui). Lembro que ouvia tanto o “Hatful of Hollow” (em vinil) que o coitado chegou a furar. Ainda o tenho e também “The queen is dead”, “The world won’t listen”, “Louder than bombs”, “Rank”, o primeiro Smiths, e dois EPs, tudo em vinil. As duas coletâneas do Moz dão uma idéia do que o bardo de Manchester era capaz sem seus partners na banda: língua afiada, desencanto sem fim, aliados a sua precisa verve oscar-wilderiana. Eu provavelmente não vou ouvir um guitarrista tão virtuosístico e, ao mesmo tempo, tão melódico quanto Johnny Marr. Não lembro de ter ouvido antes dos Smiths e tenho certeza de que até hoje, pós-tudo, não ouvi. De qualquer forma, ressuscitar os bons tempos do rock inglês servem como alento nesta época em que evanescentes bandas pipocam nos hit parades e nossos horizontes musicais se estreitam a ponto de nos credenciarmos a revivals, na esperança de que tais túneis do tempo nos levem para longe de terras de gigantes em sonoras viagens ao fundo do mar.

[Sobre "Lembranças do Morrissey"]

por Pepê Mattos
12/11/2004 às
22h26 200.252.140.6
(+) Pepê Mattos no Digestivo...
 
The Smiths vs. The Cure
Morrissey espezinhava Robert Smith e sua banda sempre que tinha oportunidade, assim como provavelmente desprezava U2 e The Police. The Smiths nunca fez parte de nenhum "movimento" ou panelinha do rock britânico. Em termos estéticos, o único grupo com o qual eles talvez tivessem alguma afinidade era o REM.

[Sobre "Lembranças do Morrissey"]

por Flávio
12/11/2004 às
13h56 200.188.163.188
(+) Flávio no Digestivo...
 
espaço para assinar embaixo
Você deveria ter deixado espaço para podermos assinar embaixo. Detesto quando os textos de meus amigos são melhores...

[Sobre "Lembranças do Morrissey"]

por André Lima
11/11/2004 às
15h58 192.168.133.52
(+) André Lima no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Morte do Imortal
Lauro Cesar Muniz
Brasiliense
(1966)



Memórias Póstumas de Brás Cubas - Série Bom Livro
Machado de Assis
Ática
(1970)



Carta de Crédito e Upc 500 ( Comentada)
Rómulo Francisco Vera del Carpio
Aduaneiras
(1996)



Desenvolvimento Gerencial, Estrategia e Competitividade
Maria do Carmo Schmidt
Intersaberes
(2012)



Its a Big World, Little Pig!
Kristi Yamaguchi / Tim Bowers Ilustrador
Sourcebooks
(2012)



Educação Pessoal
Educação Pessoal
Pensamento



Wayne de gotham
Tracy Hickman
Casa Da Palavra
(2013)



Adaptação do Livro Esperança para a Família
Willie e Elaine Oliver
Nosso Amiguinho



A Profecia Celestina
Marcos Santarrita; James Redfield
Objetiva
(1993)



The One Thing
Gary Keller; Jay Papasan
Bard
(2013)





busca | avançada
50081 visitas/dia
1,9 milhão/mês