Vendem-se explicações do Planeta dos Macacos | Rafael Lima | Digestivo Cultural

busca | avançada
36458 visitas/dia
993 mil/mês
Mais Recentes
>>> ESCOLA PANAMERICANA REALIZA NOVA EDIÇÃO DO ARTESCAMBO
>>> Evento apresenta influência da gastronomia italiana na cultura de São Paulo
>>> Festival Cine Inclusão tem sessão de encerramento dia 23/9 na Unibes Cultural
>>> Exposição de Fábio Magalhães na CAIXA Cultural São Paulo termina dia 24 de setembro
>>> Vânia Bastos apresenta o premiado "Concerto para Pixinguinha", no Teatro Municipal Teotônio Vilela,
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso
>>> O jornalismo cultural na era das mídias sociais
>>> Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto
>>> O Wunderteam
>>> Fake news, passado e futuro
>>> Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo
>>> Da varanda, este mundo
>>> Estevão Azevedo e os homens em seus limites
>>> Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> É de fibra
>>> O indomável Don Giovanni
>>> Caracóis filosóficos
>>> O mito dos 42 km
>>> Setembro Paulista
>>> Apocalipse agora
>>> João, o Maestro (o filme)
>>> Metropolis e a cidade
>>> PETITE FLEUR
>>> O fantasma de Nietzsche
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com o poeta Régis Bonvicino
>>> Pascal e a condição humana
>>> Alberto Caeiro, o tal Guardador de Rebanhos
>>> O gato diz adeus
>>> Ascese, uma instalação do artista Eduardo Faria
>>> Rousseau e a Retórica Moderna
>>> Sartre e a idade da razão
>>> Encontros (e desencontros) com Daniel Piza
>>> Para você estar passando adiante
>>> Para você estar passando adiante
Mais Recentes
>>> Harmonia
>>> O Muro
>>> Tetralogia Monstro
>>> O Poder da Mulher que Ora
>>> Historia Geral Da Africa, Vol.2 Africa Antiga
>>> Revista de Cultura Brasileña - Número 39, junho de 1975 (ESPANHOL/PORTUGUÊS)
>>> Perspectivas da Cultura Brasileira - Miguel Reale
>>> Cenas de um casamento sueco - Ingmar Bergman (Cinema)
>>> Movimento Brasileiro: Contribuição ao estudo do Modernismo - Maria Eugênia da Gama Alves Boaventura (Arte e Ciências Humanas)
>>> André Malraux: Três aspectos e uma síntese (A aventura, a política, a arte) Frederico dos Reys Coutinho (Literatura Francesa)
>>> A música na Revolução Francesa - Enio Squeff
>>> A Invasão Cultural Norte-Americana - Júlia Falivene Alves (Cultura)
>>> Arte-Educação no Brasil - Ana Mae T. B. Barbosa
>>> Informação. Linguagem.Comunicação. - Decio Pignatari (Comunicação)
>>> Mito e Realidade - Mircea Eliade (Filosofia)
>>> A Holanda no tempo de Rembrandt - Paul Zumthor (Artes Plásticas)
>>> Portinari: Exposição de sua obra de 1920 até 1948 (Artes Plásticas)
>>> O Surrealismo - Yvon Duplessis (Arte/Estética)
>>> Museu Lasar Segall - 50 obras do acervo (Artes Plásticas)
>>> Arte & Deformação - Como entender a estética moderna - Assis Brasil
>>> El Arte: Formas de la conciencia social - V. Kelle/M. Kovalson (Em Espanhol) (Arte e Política)
>>> A Perspectiva - R. Taton & A. Flocon (Artes Plásticas)
>>> Cultura de Massa e Política de Comunicações - Waldenyr Caldas
>>> Problemas del arte en la revolución - Carlos Ragael Rodríguez (Em Espanhol)
>>> Itinerario estético da la Revolución Cubana - José Antonio Portuondo EM ESPANHOL(Estética)
>>> O Livro Perdido de Enki-Memórias e Profecias de um Deus Extraterrestre
>>> A Igreja
>>> Blecaute - 28ª ed.
>>> O Populismo na Política Brasileira
>>> Livro de Colorir Reino Animal
>>> Nas Trilhas da Crítica - Coleção: Críticas Poéticas
>>> Fé em Busca de Compreensão
>>> Carta aos Romanos
>>> Enciclopédia da Vida Selvagem - Animais da Selva III
>>> Mary Poppins
>>> Antologia Da Literatura Fantástica
>>> Saco de Ossos - 2 volumes
>>> Olhe Para Mim
>>> Guia Prático Enem - Matemática E Suas Tecnologias
>>> A Sombra Materna
>>> Histórias Da Vida Inteira
>>> Honoráveis Bandidos - Um Retrato Do Brasil Na Era Sarney
>>> Eternidade Mortal
>>> Ambientes Da Democracia Ambiental
>>> Trinta Anos Esta Noite - O que Vi e Vivi
>>> Pimenta Do Reino Em Pó
>>> Machu Picchu
>>> Cidade Escola - Série Jovens Utopias Livro 3
>>> Dr. Clorofila Contra Rei Poluidor
>>> Trio Enganatempo - Sua Mãe Era Uma Neanderthal
COLUNAS

Terça-feira, 4/9/2001
Vendem-se explicações do Planeta dos Macacos
Rafael Lima

+ de 8200 Acessos

Yara Mitsuishi


Porque (ainda) me ufano da minha cidade
- Lindo!
- Poderoso!
O repertório de gritinhos que se ouve toda vez que um cantor se mostra ao público cresce a cada show, mas tenho que reconhecer: a platéia se superou quando Zé Renato adentrou no palco do teatro Rival, acompanhado pelo grupo de choro Madeira Brasil
- Absoluto!
- Sabe tudo!
- For Windows!
Casa de show que não tem na entrada retrato em preto e branco de artistas que já foram consagrados, com nomes que hoje se perdem na memória; que não tem um ligeiro porém marcante cheiro de mofo; que não tem uma cozinha absolutamente suspeita, e que não tem um slogan de vanglória assim meio estúpido ("70 anos de resistência cultural" ou "Aqui se faz a história da música popular brasileira") não merece ser chamada assim. E o teatro Rival é uma autêntica casa de shows.

O nascimento da era caórdica
No texto que escrevi semanas atrás, uma série de conceitos novíssimos deve ter soterrado aquele tipo de leitor desavisado e sempre vulnerável a esses terremotos de informação. O mais interessante quando se começa a se interessar por uma área nova, aparentemente inexplorada, é descobrir alguém em outro canto do mundo, juntando as mesmas peças desse quebra-cabeças remoto. O Nicholas compôs um hipertexto em seu blog - aqui convertido a plain text, utilizando apostos, parênteses e orações explicativas e outros recursos gramaticais em substituição aos recursos HTML e Java - que me surpreendeu pela similaridade de idéias e pela concisão com que expressou:

"O ponto é que estamos no fim de uma era que deu muito mais ênfase ao hierárquico - suprimiu a criatividade, que por ser imprevisível, não poderia ser encaixada nos planos mestres - chegando a pensar que não se poderia obter resultados de outra maneira: os meios tornaram-se o fim, faz-se porquê, independente de ser útil ou não. Chegamos numa crise de desenvolvimento - burocracia, que em magia caótica é o ponto em que o limite da ordem leva ao caos - em que o próximo passo é esse desmontar da construção por coerção (o fim do sono de Newton, como dizia William Blake), substituindo-a por resultados por colaboração: ócio criativo, pressão dos pares."

O Trapalhão no Planalto dos Macacos
Agora é meio tarde que o hype já passou e quem viu, viu, e quem não viu, não viu, mas acho que ainda consigo descolar uns trocados, então lá vai o anúncio:

"A partir da presente data, VENDEM-SE, NESTA COLUNA, EXPLICAÇÕES PARA O FINAL DA NOVA VERSÃO DO FILME O Planeta dos Macacos, mediante módicas quantias (consulte a tabela junto ao nosso editor). Existem 3 modelos de explicações disponíveis: namorada, chope e cabeuça. O primeiro destina-se àqueles que apenas procuram uma desculpa para rebocar a namorada para a sala escura e não querem se passar por trouxas quando a menina faz um muxoxo e diz que não entendeu o final ("Por que todo mundo virou macaco, hein? Por que que a nave dele foi parar na Casa Branca?"), e resume-se a frases espirituosas de rápido efeito. O segundo é perfeito para rodas de chope: envolve citações a clássicos pop - com o perdão pelo oxímoro -, comentários picantes sobre o micro vestido da loirona selvagem, e uma ou duas piadas que, se não explicam o fim do filme, ao menos descontraem o ambiente e relaxam os ânimos pelo efeito catártico de desmoralizar o filme. A terceira é sob medida para enroladores profissionais: envolve paradoxos temporais, H.G. Wells, relatividade, buracos negros, Noam Chomsky, semiótica, História dos E.U.A. e mais um ou dois itens da nossa longa tabela de imposturas intelectuais à escolha do cliente. Sirva-se."

Retratação
É mais fácil pichar um monumento público sem ser pego do que arranhar um mito impunemente. Ter questionado a qualidade de musa de Nara Leão por aqui rendeu reclamações em número suficiente para merecer essa autocrítica. A questão é simples: pelo padrões atuais de marketing pessoal & cultura de mercado, que mandam na produção de cantoras de MPB, é praticamente impossível entender como ela foi elevada ao nível de musa há 40 anos. Reitero: musa de praia e botequim, mas musa, anyway. Quando Nara começou a gravar discos e aparecer na mídia, a imensa indústria de vendas de disco ainda não havia sido catapultada pelos Beatles, nem a interferência de produtores (para ficar só neles; não contemos empresários, consultores de marketing, e os outros tipos pagos pelas gravadoras para nos dizerem do que nós devemos gostar) era suficiente para mudar o conceito de um grupo, vide Jota Quest. Havia espaço para a intuição de Nara indicá-la a seguir a emergente bossa nova, nem bem esperar sua consagração e aderir aos sambas de fonte popular e fundo social (os chamados "de protesto"), ou gravar Roberto Carlos quando seu lado comercial o transformara em persona non grata. Mais do que um par de joelhos redondos, foi exatamente essa habilidade mutante e a disposição para defender sua opiniões o que atraiu atenção para si - de uma maneira totalmente involuntária, é bom observar. Nara Leão era muito tímida para se valer das polêmicas para fazer propaganda, e nem gostava muito de dar opinião (apesar da contundência com que falava). Era desse material que se faziam as musas, antigamente.
:::: Nara Leão, uma Biografia: Sérgio Cabral, editora Lumiar, 2001

Magnun Mini
A gente se esforça para ser tolerante, compreensivo e sensível, mas tem coisas que põem a nossa paciência à prova. A lógica de mercado parece ser capaz de explicar tuuuuuudo - mas eu ainda não consegui entender por que a Kibon faz uma ótima campanha para lançar um picolé novo como o Magnun, com ótimos displays de geladeiras de padaria, focando no tamanho maior e mais robusto do sorvete (uma bela morena atacando a embalagem com vontade), agora vem com essa de Magnum Mini. Ora bolas, ou é Magnun ou é mini. Parece até obra daquele lusitano que escreveu na lousa da padaria:
Pão com manteiga: 9 escudos
Pão sem manteiga: 8 escudos
Pão com margarina: 7 escudos
Pão sem margarina: 6 escudos
Ou daquele que chamaram para desenvolver novos produtos para o McDonald's, e criou o Big Mac em 3 tamanhos: grande, pequeno e médio, afinal, ninguém aqui é preconceituoso e big também pode ser mini... Ora pois...

Brincadeiras idiotas ou Como se divertir perigosamente:
1)Entrar na Toca do Vinícius e perguntar se eles tem o livro do Tinhorão.
2)Passar no Baixo Gávea segunda de noite, e gritar, acompanhando com a buzina do carro "viva o Conde!!!"
3)Meter a cabeça dentro do Bip-Bip na roda de samba de domingo de noite e comentar calmamente: "mas Chico Buarque não passa de um pagodeiro melhorado"

Aspas para o meu chapa multidisciplinar Eduardo Mello: faixa preta, guitarrista e mergulhador

"Não precisa ficar se desculpando, não! Todo mundo sabe para que você quer ir morar sozinho! Para poder levar mulher para casa. Para poder ouvir som alto. Para poder amarrar uma toalha azul no pescoço e sair nu pela casa gritando que é o Super Homem."

Poste Escrito
Um grande abraço para o Sérgio Farias pelas generosas palavras -- agora com direito ao link para o Catarro Verde, que eu fiquei devendo, e um super beijo para a Mônica, minha alma gêmea em incontinência cerebral.


Rafael Lima
Rio de Janeiro, 4/9/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Neste Natal etc. e tal de Elisa Andrade Buzzo
02. Três filmes sobre juventude no novo século de Guilherme Carvalhal
03. Caindo as fichas do machismo de Marta Barcellos
04. Super Campeões, trocas culturais de Brasil e Japão de Luís Fernando Amâncio
05. Eu blogo, tu blogas? de Fabio Gomes


Mais Rafael Lima
Mais Acessadas de Rafael Lima em 2001
01. Charge, Cartum e Caricatura - 23/10/2001
02. A diferença entre baixa cultura e alta cultura - 24/7/2001
03. Sobre o ato de fumar - 7/5/2001
04. Um álbum que eu queria ter feito - 6/11/2001
05. Vendem-se explicações do Planeta dos Macacos - 4/9/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




VERANICO DE JANEIRO
BERNARDO ÉLIS
ICBC
(2006)
R$ 14,00



VOCÊ PODE SER SANTO
PLINIO MOREIRA DA SILVA
ABECAR
(1984)
R$ 15,00



AS CURAS PARANORMAIS
GEORGE W. MEEK ( ORGANIZADOR)
PENSAMENTO
(1990)
R$ 9,20



O ASSASSINATO E OUTRAS HISTÓRIAS
ANTON TCHEKHOV
COSAC NAIFY
(2011)
R$ 15,00



MORTE E VIDA DE CHARLIE ST. CLOUD
BEN SHERWOOD
NOVO CONCEITO
(2010)
R$ 6,00



VENCEDORES VICIADOS- O VÍCIO NÃO ESCOLHE VÍTIMAS
ABRAHAM J. TWERSKI
MAAAYNOT
(2001)
R$ 9,50



POÉTICA MUSICAL: EM 6 LIÇÕES
IGOR STRAVINSKI
ZAHAR
(1996)
R$ 45,50



SOCIOLOGIA DA RELIGIÃO
F. FERRAROTTI - R. CIPRIANI - C. PRANDI - S. BURGALASSI - G. GUIZZARDI - R. STELLA - A. NESTI - E. PACE - D. PIZZUTI - G. DI GENNARO
PAULINAS
(1990)
R$ 34,00



EXTRAÇÃO DE DADOS PARA DATA WAREHOUSE 
MARCIO GONÇALVES
AXCEL BOOKS
(2003)
R$ 6,99



A GESTÃO DE CADEIA DE SUPRIMENTOS DA TOYOTA
ANANTH V. IYER / SRIDHAR SESHADRI / ROY VASHER
BOOKMAN
(2010)
R$ 14,90





busca | avançada
36458 visitas/dia
993 mil/mês