3 Grandes Escritores Maus | Alexandre Soares Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
31120 visitas/dia
846 mil/mês
Mais Recentes
>>> O Brasil Visto do Céu faz um passeio pela costa do Sudeste
>>> REVISTA D+ CONQUISTA ABRANGÊNCIA NACIONAL
>>> Nicole Borger apresenta o CD "Raízes/Roots" na Casa-Museu Ema Klabin
>>> TV Brasil apresenta o premiado curta 'Meu amigo Nietzsche' nesta sexta (23/9)
>>> Língua de Gato: nasce um grupo que canta histórias e encanta as crianças
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O Quixote de Will Eisner
>>> Era uma vez um inverno
>>> Caindo as fichas do machismo
>>> Uma livrada na cara
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Srta Peregrine e suas crianças peculiares
>>> Super Campeões, trocas culturais de Brasil e Japão
>>> A noite em que Usain Bolt ignorou nosso Vinicius
>>> Sobre os três primeiros romances de Lúcio Cardoso
>>> Meu querido mendigo
Colunistas
Últimos Posts
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Lançamento e workshop em BH
>>> Reid Hoffman por Tim Ferriss
>>> Software Programs the World
>>> Daphne Koller do Coursera
>>> The Sharing Economy
>>> Kevin Kelly por Tim Ferriss
>>> Deepak Chopra Speaker Series
>>> Nick Denton sobre Peter Thiel
>>> Bill & Melinda Gates #Code2016
Últimos Posts
>>> MARINHA
>>> O que dizer depois da reunião de orientação
>>> Natureza do som
>>> Insone
>>> Sobre a Filosofia (obrigatória) no ensino médio
>>> Estátuas de areia
>>> Diário de um niilista
>>> 10.049 km pelo Brasil
>>> Como responder a pergunta: você não trabalha?
>>> Poesia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Siba e a Fuloresta
>>> Entrevista com Sérgio Augusto
>>> Inflikted, do Cavalera Conspiracy
>>> Cinco Anos Esta Noite
>>> Um conto de duas cidades
>>> O papel do escritor
>>> Babenco traz sua visão do país Carandiru
>>> Strindberg e o inferno de todos nós
>>> O desafio de publicar
>>> Web 2.0 no Brasil
Mais Recentes
>>> A Guerra de Deus - Uma Nova História das Cruzadas Vols. 1 e 2
>>> Memórias - Madame de Stäel
>>> A vida maravilhosa de Sarah Bernhardt - Louis Verneuil
>>> A Divina Sarah ( A vida de Sarah Bernhardt) - Arthur Gold e Roberto Fizdale
>>> Economizar sem Perder o Prazer de Viver
>>> Sexo entre mulher - um guia irreverente
>>> Guia valor econômico de inovação nas empresas
>>> Religião para ateus
>>> Deus foi almoçarLivro novo.
>>> Do golpe ao planalto - uma vida de repórter
>>> Caixa de Costura
>>> Por que mentimosLivro novo. - Os fundamentos biológicos e psicológicos da mentira
>>> Quatro Histórias de Ladrão e mais 26 histórias
>>> Profissionais da Educação Infantil volume 85 formação e construção de identidades
>>> Deixados para trás - A fuga - volume 10
>>> Pós-modernidade Ética e Educação
>>> O cardeal e a sra. White - A face oculta da Guerra
>>> Jacob o Padeiro - Uma sabedoria simples para um Mundo Complicado
>>> E no início eram as bases - Geografia política do voto e comportamento legislativo no Brasil
>>> Tipo assim: Adolescente
>>> Teoria da Literatura na Escola
>>> Euclides da Cunha - Contrastes e confrontos do Brasil
>>> O Fim da Evolução
>>> O monstro
>>> A Administração de Talentos Humanos nas Organizações em Constantes Mudanças
>>> Sexo e temperamento
>>> Os Papas de Pedro a João Paulo II
>>> Palavra de Honra
>>> Indoor Cycling - Guia prático para pedalar em casa
>>> O Nascimento da Europa
>>> Poemas
>>> Fábulas Divertidas
>>> Bolt - O Livro do Filme
>>> O Sapo com Medo Dágua
>>> As Férias de Terezinha
>>> Proibido para Maiores (continua) - Mais piadas para Crianças
>>> Vamos ao Aguário - Imãs Divertidos
>>> Rabito O Rato
>>> João e o Pé de Feijão - Contos Clássicos em Quadrinhos
>>> Tuca e Dedé Descobrem o Cerrado
>>> João e o Pé de Feijão
>>> Orando Antes de Levantar
>>> Responsabilidade - Turma do João
>>> Beleléu
>>> Luísa e Samira brigam
>>> Conquistando o inimigo- Nelson Mandela e o jogo que uniu a África do Sul
>>> A magia existe?
>>> Uma questão de amor - Romance entre mulheres
>>> As cinco tentações de um executivo
>>> Dando a volta por baixo - Manual para Separações
COLUNAS >>> Especial Literatura

Terça-feira, 20/11/2001
3 Grandes Escritores Maus
Alexandre Soares Silva

+ de 5400 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Não se escreve sem veneno. Não se escreve sem violência. Literatura é civilizatória (talvez), mas não é civilizada- uma grande diferença. O escritor está mais perto do saqueador, roubando e destruindo, do que do juiz, do dentista, do presidente do Rotary Clube.

Lembro que quando eu tinha nove, dez anos, escrevi um livro, o terceiro ou quarto que comecei e nunca terminei, sobre uma revolução na minha escola. Os alunos tinham prendido os professores numa sala. A professora de geometria (uma mulher chamada Olanyr) tinha sido amarrada no alto de um poste fincado no centro exato da quadra de vôlei. Era o “Poste dos Martírios”. As crianças jogavam machados nela. Eram machadinhos, pequenos e leves, e ela não morreu logo, se me lembro bem - um machado entrou na perna, outro na mão, outro ainda na madeira...O pecado dela não era que ela quisesse nos ensinar, é claro, mas o fato de ser muito antipática. Meus amigos acharam graça. Alguns, os mais bobinhos, ficaram chocados. Alguns colaboraram com ilustrações.

Mas o fato é que por trás de grande parte da literatura existem sentimentos parecidos com esse, mais ou menos disfarçados. Está certo que comparar Jane Austen com um pirata, digamos, é um tanto absurdo, e que tentar ver Henry James como saqueador não é só grotesco, é impossível. Mas há uma longa linhagem de Grandes Escritores Maus: Saki, Sinclair Lewis, Auberon Waugh, Barbey D’Aurevilly, Nicolau Tolentino, Gregório de Matos, Aretino, Patricia Highsmith, Flaubert, Zola, Oscar Wilde, Jonathan Swift...

A seguir vão três Grandes Escritores Maus. São três; eles são inegavelmente grandes; e que são mauzinhos, são. Fazem parte da escola Assusta-Velhinha de literatura, cujo santo padroeiro é Saki, o autor de um conto em que uma menina chatinha é devorada por um lobo por ser excessivamente virtuosa (The Story-Teller), e de um outro em que uma tia chata é devorada por um deus encarnado no corpo de um furão (Shredni Vashtar), para a alegria do sobrinho de 10 anos.

1) Vladimir Nabokov - Basta ler “Lolita”, um livro em grande parte escrito em animosidade contra a vulgaridade pop americana (não, me deixe reformular isso: contra a vulgaridade mundial). Ou a transcrição das aulas de Nabokov, dadas na Universidade de Cornell. Para o ódio de muitas pessoas (uma delas escreveu um artigo recentemente na Folha chamando Nabokov de “criminoso intelectual”), ele odiava Dostoiévski, Thomas Mann, Sartre, Camus, os beatniks, os adeptos da literatura engajada, os opositores da Guerra do Vietnã...e “livros bonitos”, como “Dr. Jivago”, de Boris Pasternak.

2) Evelyn Waugh - Waugh já foi chamado de “Gênio do Mal”. Hillaire Belloc, o poeta e polemista, quando foi apresentado ao jovem Waugh, disse que ele estava “com certeza possuído” (Belloc era católico e disse isso muito a sério). Waugh era esnobe, e era cruel. Desprezava o próprio pai porque o pai era de classe média. Desprezava (um pouco) os próprios filhos porque “crianças e adolescentes não tem distinção de modos ou de gosto”. Mas era muito engraçado. Leia “Um Punhado de Pó”, “O Ente Querido”, “The Ordeal of Gilbert Pinfold”. Junto com Nabokov, Waugh foi (na minha opinião, é claro- é preciso dizer?) o maior romancista do século. Ninguém escreve melhor do que ele.

3) Eça de Queiroz - Machado de Assis está para a ironia como Eça de Queiroz está para o sarcasmo. Eça, quando escrevia, desprezava o mundo de um modo violento. É difícil imaginar no mundo criado por Eça o homem sendo capaz de chegar à lua, por exemplo. Os astronautas passariam o tempo todo na terra passando xampú contra caspa, arrotando, escrevendo artigos políticos cheios de banalidades e exclamações.

Eça se dizia defensor do que ele chamava de “a bengalada do homem de bem”. Mas verdade seja dita, muitas vezes a sua bengala se descontrolava e ele assumia uma certa semelhança com Mr. Hyde (aquele), que numa certa manhã de Londres fez um cadáver quicar na calçada com o uso similar da bengala. Se você não tem paciência para livros compridos, leia “O Conde D’Abranhos”. Que escrevia maravilhosamente bem, não preciso dizer, preciso?


Alexandre Soares Silva
São Paulo, 20/11/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. 80 anos de Alfredo Zitarrosa de Celso A. Uequed Pitol
02. Ação Social de Ricardo de Mattos
03. Morrer, na literatura de Marta Barcellos
04. Em 2016, pare de dizer que você tem problemas de Fabio Gomes
05. Notas confessionais de um angustiado (II) de Cassionei Niches Petry


Mais Alexandre Soares Silva
Mais Acessadas de Alexandre Soares Silva
01. Filhos de Francis - 15/11/2002
02. Polêmicas - 29/11/2002
03. Defesa dos Rótulos - 30/5/2003
04. Apresentação - 6/11/1968
05. Psiquiatra declara Japão Oficialmente Maluco - 31/5/2002


Mais Especial Literatura
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
17/7/2002
01h44min
Vlad era o mais terno dos escritores maus. Mas era mau. Ô. Aquele pedantismo cruel, que rechaçava os filisteus, tinha muitos ecos em Waugh também. E aquela linha fininha entre a ternura e uma atitude standoffish. Crueldade servida em xícaras de chá de porcelana, acompanhadas de tartes au miel. Nhamnham.
[Leia outros Comentários de Juliana O'Flahertie]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




THEATRO - J. M. GOULART DE ANDRADE (TEATRO BRASILEIRO)
J. M. GOULART DE ANDRADE
GARNIER
(1907)



ANTES DO BAILE VERDE
LYGIA FAGUNDES TELLES
COMPANHIA DAS LETRAS
(2009)



O REI DA VELA - OSWALD DE ANDRADE (TEATRO BRASILEIRO)
OSWALD DE ANDRADE
FOLHA
(2008)



TEILHARD DE CHARDIN, O SANTO TOMÁS DO SÉCULO XX
J. PAULO NUNES
LOYOLA
(1977)



HQ MÔNICA SUPERESTRELA 4
MAURÍCIO DE SOUZA
GLOBO
(1993)



A BRIEF HISTORY OF CARTAGENA
EDUARDO LEMAITRE
COLINA
(1994)
+ frete grátis



ANTOLOGIA DO TEATRO ANARQUISTA
MARIA THEREZA VARGAS
MARTINS FONTES
(2009)
+ frete grátis



A JANELA DE OVERTON
GLENN BECK
NOVO CONCEITO
(2014)
+ frete grátis



TEATRO DE BERTOLT BRECHT - BAAL/A EXCEÇÃO E A REGRA/O JULGAMENTO DE LÚCULO
BERTOLT BRECHT
PORTUGÁLIA
(1965)
+ frete grátis



EM CAMINHO PARA DEUS- MEDITANDO COM MARTHE ROBIN
HENRI-MARIE MANTEAU-BONAMY
CIDADE NOVA
(2003)
+ frete grátis





busca | avançada
31120 visitas/dia
846 mil/mês