O que está por baixo do medo de usar saia? | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
46580 visitas/dia
1,5 milhão/mês
Digestivo Cultural
O que é?
Quem faz?

Audiência e Anúncios
Quem acessa?
Como anunciar?

Colaboração e Divulgação
Como publicar?
Como divulgar?

Newsletter | Disparo
* Histórico & Feeds
TT, FB e Instagram
Últimas Notas
>>> Daily Rituals - How Artists Work, by Mason Currey
>>> Fernando Pessoa, o Livro das Citações, por José Paulo Cavalcanti Filho
>>> A Loja de Tudo - Jeff Bezos e a Era da Amazon, de Brad Stone
>>> Reflexões ou Sentenças e Máximas Morais, de La Rochefoucauld
>>> O Capital no Século XXI, de Thomas Piketty, o livro do ano
>>> Trágico e Cômico, o livro, de Diogo Salles
>>> Blue Jasmine, de Woody Allen, com Cate Blanchett
>>> The Devil Put Dinosaurs Here, do Alice in Chains
Temas
Mais Recentes
>>> Wilhelm Reich, éter, deus e o diabo (parte I)
>>> Noites azuis
>>> O Bigode
>>> A jornada do herói
>>> Bonecas russas, de Eliane Cardoso
>>> Proposta Decente?
>>> Lares & Lugares
>>> O turista imobiliário
>>> Tectônicas por Georgia Kyriakakis
>>> Miguel de Unamuno e Portugal
Colunistas
Mais Recentes
>>> O Digestivo nas Copas
>>> Idade
>>> Origens
>>> Protestos
>>> Millôr Fernandes
>>> Daniel Piza (1970-2011)
Últimos Posts
>>> Clube de Leitura Sesc do Carmo
>>> Nicolau Sevcenko & jornalismo
>>> Mongólia:ainda dá tempo
>>> Uma Suíte Americana
>>> Petite Messe Solennelle
>>> Stevie Ray Vaughan em Montreux
>>> The Innovators Walter Isaacson
>>> Suassuna no Digestivo
>>> Fire Phone by Jeff Bezos
>>> Trágico e Cômico, o debate
Mais Recentes
>>> Lembranças de Ariano Suassuna
>>> Harold Ramis (1944-2014)
>>> Sergio Britto & eu
>>> Para o Daniel Piza. De uma leitora
>>> Joey e Johnny Ramone
>>> A Cultura do Consenso
>>> De Kooning em retrospectiva
>>> Delírios da baixa gastronomia
Mais Recentes
>>> Jaime Pinsky
>>> Luis Salvatore
>>> Catarse
>>> Chico Pinheiro
>>> Sheila Leirner
>>> Guilherme Fiuza
Mais Recentes
>>> Digestivo Books
>>> Caixa Postal
>>> Nova Seção Livros
>>> Digestivo no Instagram
>>> 2 Milhões de Pageviews
>>> 40 mil seguidores no Twitter
Mais Recentes
>>> Sobre responsabilidade pessoal
>>> A máquina de poder que aprisiona o espírito
>>> Brasil - Uma Cartografia
>>> O Amor Chegou Tarde Em Minha Vida
>>> Duas distopias à brasileira
>>> Discos que me mudaram
>>> Manoel de Barros: poesia para reciclar
>>> Memória das pornochanchadas
>>> Vocabulário Grego da Filosofia
>>> Uma lição de solfejo
LIVROS
Mais Recentes
>>> As Aventuras do Capitão Pirata da Barba Verde
>>> Avantesmas: 13 Histórias Clássicas de Fantasmas
>>> Assim É Como Termina
>>> Assassinato no Expresso do Oriente
>>> Aniquilação - Volume 1
>>> Amo Você, Papai!
>>> Almanaque Ciência em Show Master Pop
>>> Alimentos para o bem-estar
>>> Aliens Vs. Cientistas Loucos no Fundo do Oceano
>>> Alegria, Culpa, Raiva, Amor
>>> Eduardo Campos - Um Perfil (1965-2014)
>>> O Alienista
>>> Ai, Meus Deuses!
>>> Agente da Polícia Federal - Gabaritado e Aprovado
>>> Adeus, Aposentadoria
>>> O adeus à Europa
>>> 52 Lições de Fotografia Digital
>>> 4 Semanas de Prazer
>>> 4 Ps da Oab 2 Fase - Prática Trabalhista
>>> 4 Ps da Oab 2 Fase - Prática Constitucional
>>> A 25ª Hora
>>> (As) 51 Personalidades (Mais) Marcantes do Brasil
>>> Curso de Direito do Trabalho
>>> Invisível
>>> Infinity Drake - Os filhos da Scarlatti
>>> Hotéis
>>> Um Homem Morto a Pontapés
>>> A História da Culinária em 100 Receitas
>>> Hello Kitty - Minha familia e amigos
>>> Hello Kitty - Quebra-cabeças
>>> O Forte De Nove Torres
>>> A festa da insignificância
>>> Fala, memória
>>> Eu Sou Saint German
>>> Um divã no campo de batalha
>>> A Mente Suja de Robert Crumb
>>> Diários de Adão e Eva
>>> Tudo que eu Pensei mas não Falei na Noite Passada
>>> Black Blocs
>>> Gabo - Memórias de uma Vida Mágica
>>> O Encanto do Mar e o Som do Trovão
>>> Empreendedorismo Criativo
>>> Dossiê Michel Vaillant - Ayrton Senna
>>> Direito das Sucessões
>>> Desafiando o Destino
>>> Os deixados para tras - Capa da série
>>> Half Bad
>>> Guia Londres de Bicicleta
>>> O Guia Do Herói Para Invadir O Castelo
>>> Guia Berlim de Bicicleta
COLUNAS

Quinta-feira, 27/2/2014
O que está por baixo do medo de usar saia?
Adriana Baggio

+ de 1100 Acessos



Em meados de fevereiro, último dia daquela onda de calor que torrou os miolos dos curitibanos, alunos de uma faculdade de Comunicação Social aqui da cidade foram para aula usando saia.

A inspiração veio do rapaz no Rio de Janeiro que não pode ir trabalhar de bermuda. Já que as saias não eram proibidas, foi o que ele vestiu. Ficou famoso nas redes sociais. Aproveitando o vácuo da repercussão, o apresentador de TV Rodrigo Faro postou fotinha no dia seguinte chegando de saia na emissora. Como se fosse o que ele veste todo dia.

Mas enfim. Os alunos não são celebridades em busca de audiência e nem são proibidos de usar bermuda na faculdade. Suas motivações eram outras: questionar as proibições sem sentido; gerar uma reflexão sobre as constrições sociais que regem o que se pode ou não vestir; provocar uma fratura no senso comum, para que se entenda que essas coisas que parecem tão certas não têm nada de naturais. São culturais e, como cultura, podem mudar de uma época para outra, dependendo do pendor da sociedade.

Ao serem apresentados a esta ideia - ir de saia para a faculdade -, alguns tiveram receio: "Melhor não, vão pensar que sou gay". Por mais que não haja a mínima relação entre roupa e orientação sexual, quem pode culpá-los por pensar assim? Estamos tão habituados aos simulacros de gênero e sexualidade da nossa sociedade que mal nos damos conta do tanto de desconhecimento que envolve o assunto e a maneira como lidamos com ele.

A saia é uma roupa associada ao gênero feminino. Mas não foi sempre assim. Durante muito tempo, todo mundo, fosse homem ou mulher, usava "saia". Imperadores machos e viris usavam saia. Conquistadores bárbaros e cruéis usavam saia. Jesus usava saia. (E eu nunca ouvi ninguém dizer que Jesus era gay por causa disso.)

Gênero é uma construção cultural que classifica os seres humanos em homens e mulheres, ou seja, em gênero masculino e feminino. As marcas de gênero incluem, é óbvio, aspectos físicos e gestuais, mas não se limitam a eles. E nem sempre as marcas de gênero que certa pessoa apresenta correspondem ao seu sexo biológico.

Ser homem ou mulher - ou melhor, macho e fêmea -, tem a ver com a genitália que apresentamos ao nascer. Mas nem sexo (genitália) nem gênero (construções culturais) definem o que é ser gay ou hétero. A homossexualidade e a heterossexualidade têm a ver com a orientação dos nossos relacionamentos afetivo-sexuais.

É importante frisar o uso da palavra orientação (e não de outra mais determinante ou normativa). Primeiro: trata-se de algo com o qual a pessoa nasce, e não de uma "opção" feita em determinado momento da vida. Segundo: ela indica, e talvez isso seja o mais assustador para alguns, que eventualmente um heterossexual pode experimentar um episódio de homossexualidade. E vice-versa.

Se essas explicações desconstroem a associação entre a roupa e a homossexualidade, elas não dão conta de outros aspectos do receio expresso lá no começo, que seriam: a masculinidade de alguém é algo tão frágil que pode ser colocada em xeque pelo simples uso de uma peça de roupa? Quantos pesos é preciso carregar para ser reconhecido como homem em nossa sociedade? E mais: por que essa obsessão em determinar o que homens e mulheres podem ou não vestir?

Até poucos anos atrás, ainda existia no código penal da França uma lei que proibia as mulheres de usarem calça comprida. Na sua origem, a justificativa para essa lei era a necessidade de se identificar claramente os gêneros. Algo que não seria tão peremptório se os gêneros fossem tratados com igualdade, se um não tivesse mais privilégio do que outro. Certo?

Aliás - e isso é interessante -, as saias, hoje, são quase que "proibidas" também para as mulheres. No dia em que os alunos foram de saia à faculdade, suas colegas também usaram a mesma peça. E não precisa ser muito observador para se dar conta que poucas vezes elas foram vistas na sala de aula com aquela roupa, tão obviamente feminina.

É porque hoje não se usa saia impunemente. Uma mulher de saia (não importa o comprimento) é mais suscetível ao assédio físico e verbal, às "passadas de mão" e "encoxadas" nos transportes coletivos, ao estupro. Duvida? Dê uma olhada nos cartazes e nas palavras de ordem das manifestantes quando protestam contra a violência. Você vai ler e ouvir muitas vezes a palavra "saia".

A experiência que meninos e meninas viveram naquele dia ensinou mais do que qualquer aula sobre o respeito ao outro, sobre diversidade, sobre o fato de que roupa não determina caráter. Já o tratamento dado ao episódio por um certo programa de TV também ofereceu a estes alunos, futuros publicitários e jornalistas, uma lição inestimável: a do papel e da responsabilidade que tem a mídia no reforço e na perpetuação de estereótipos negativos, que por sua vez servem de base para a discriminação, a intolerância e a violência.

Apesar da abertura de pensamento que certamente o "saiaço" conseguiu promover, não há ilusão de que o preconceito acabe. Preconceito todos nós temos. Se é difícil desconstruí-los, pelo menos compreenda como eles se estruturam, controle-os e guarde-os para você. Ter opinião é permitido. Mas julgar e agredir outras pessoas por um motivo tão besta quanto a roupa que decidiram vestir (ou despir), isso é inadmissível.

P.S.: também sobre saias, veja Por que as curitibanas não usam saia? e Pô, gostei da sua saia.


Adriana Baggio
Curitiba, 27/2/2014

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Livros para um cruzeiro de Eugenia Zerbini


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio
01. Apresentação - 31/5/1974
02. Maria Antonieta, a última rainha da França - 16/9/2004
03. Dicas para você aparecer no Google - 9/3/2006
04. Ser bom é ótimo, mas ser mau é muito melhor* - 24/4/2003
05. Por que eu não escrevo testimonials no Orkut - 6/10/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



>>> Três novos volumes reforçam a coleção Educação: Experiência e Sentido
>>> Exposição celebra 30 anos da travessia do Atlântico por Amyr Klink
>>> Petrópolis exibe filmes sobre ditadura
>>> Observatório da Imprensa discute a depressão na mídia
>>> Sebastião Salgado participa do programa Espaço Público da TV Brasil na terça (02)
>>> PAZ, instalação de Regina Carmona no lago do Parque Ibirapuera
* clique para encaminhar

Best Seller
Editora Perspectiva
Nova Fronteira
Arquipélago Editorial
Hedra
Intrínseca
Bertrand Brasil
José Olympio
Primavera Editorial
Companhia das Letras
Busca Sebos
Cortez Editora
WMF Martins Fontes
Editora Record
Editora Conteúdo
Globo Livros
Civilização Brasileira
LIVROS


O FANTASMA VAI Ã GUERRA
Por R$ 18,95
+ frete grátis



COMO SAIR DA FRIEND ZONE
Por R$ 28,95
+ frete grátis



FANTASMA
Por R$ 38,95
+ frete grátis



A COR DO LEITE
Por R$ 24,95
+ frete grátis



DIREITO DAS SUCESSÕES
Por R$ 119,95
+ frete grátis



DICIONÁRIO DE TERMOS TEOLÓGICOS FUNDAMENTAIS DO ANTIGO E DO NOVO TESTAMENTO
Por R$ 139,95
+ frete grátis



A CENA CONTAMINADA
Por R$ 34,95
+ frete grátis



PEIXINHO BRINCALHÃO
Por R$ 15,85
+ frete grátis



ENERGIA EÓLICA
Por R$ 74,99
+ frete grátis



PER / DCOMP
Por R$ 110,24
+ frete grátis



busca | avançada
46580 visitas/dia
1,5 milhão/mês