Quem tem medo do Besteirol? | Andréa Trompczynski | Digestivo Cultural

busca | avançada
64948 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Rodolpho Parigi participa de live da FAAP
>>> Para fugir de ex-companheiro brasileira dá volta ao mundo com pouco dinheiro
>>> Zé Guilherme encerra série EntreMeios com participação da cantora Vania Abreu
>>> Bricksave oferece vistos em troca de investimentos em Portugal
>>> Projeto ‘Benzedeiras, tradição milenar de cura pela fé’ é lançado em multiplataformas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Breve História do Cinismo Ingênuo
>>> Minha cartomante não curte o Facebook
>>> Geza Vermes, biógrafo de Jesus Cristo
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Os olhos brancos de Deus
>>> Alívios diamantinos
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Ser intelectual dói
>>> Simone de Beauvoir: da velhice e da morte
>>> Alice in Chains, Rainier Fog (2018)
Mais Recentes
>>> Cachaça artesanal. Do alambique à mesa de Atenéia Feijó & Engels Maciel pela Senac Nacional (2001)
>>> Pirâmides E Soberanos Do Egito de Sérgio Pereira Couto pela Escala (2015)
>>> O Velho Monge do Castelo de Lauro Trevisan pela Mente (2010)
>>> Dinâmica do Desejo de Frei Carmelo Surian pela Vozes (1982)
>>> Testemunho Sem Medo Como Partilhar sua Fé com Segurança de Bill Bright pela Candeia (1988)
>>> Cachaça. The Authentic Brazilian Drink de Diversos Autores pela Abrabe (2010)
>>> Natal a Humanidade e a Jovialidade de Nosso Deus de Leonardo Boff pela Vozes (2000)
>>> Blitzkrieg 1940 de Ward Rutherford pela Bison (1985)
>>> Cantores do Rádio. A trajetória de Nora Ney e Jorge Goulart e o meio artístico de seu tempo de Alcir Lenharo pela Unicamp (1995)
>>> Titeres y marionetas en alemania de Hans R. Purshke pela Neue Darmstädter Verlagsanstalt Darmstadt (1957)
>>> Aritmética da Emília de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Caçadas de Pedrinho de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Histórias Diversas de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Emilia no País da Gramática de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Histórias de tia Nastácia de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> O Saci de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> O Picapau amarelo de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Os 13 Porquês de Jay Asher pela Ática (2009)
>>> Só o Amor é Real de Brian Weiss pela Sextante (2012)
>>> Memórias Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis pela Ciranda Cultural (2017)
>>> O clamor do Mundo de Oswaldo Smith pela Vida (2009)
>>> DVD Coleção Mazzaropi Tristeza do Jeca vol. 3 de Direção, Amácio Mazzaropi / Milton Amaral pela Pam filmes (1961)
>>> A Cinco Passos de Você de Rachael Lippincott pela Alt (2019)
>>> O Poço do Visconde de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Peter Pan de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Memórias da Emília de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> O Minotauro de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> História do Mundo para Crianças de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Dom Quixote das Crianças de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> As Aventuras de Hans Staden de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> A chave do Tamanho de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> viagem ao Céu de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Serões de dona Benta de Monteiro Lobato pela Ciranda cultural (2019)
>>> Go Down Together The true Untold story of Bonnie and Clyde de Jeff Guinn pela Simon & Schuster (2009)
>>> Fbi--43--o grande golpe--105--41--67 de Monterrey pela Monterrey
>>> Hh--epopeias de guerra--375--furia e odio--6--160--146--153--158-- 23--141 de Peter kapra pela Monterrey
>>> Rpg--29--anjos e demonios--58--temporada de caça. de Trama pela Trama
>>> Egw--100--call of duty--black ops de Tambor pela Tambor
>>> A Saga dos Cristãos Novos de Joseph Eskenazi Pernidji pela Imago (2005)
>>> Uma Técnica de Viver de Leonard A. Bullen pela Pensamento (1988)
>>> Avaliação de Programas - Concepções e Práticas de Blaine R. Worthen, James R. Sanders e Jody L. Fitzpatrick pela Gente (2004)
>>> Concentração de Mouni Sadhu pela Pensamento (1984)
>>> O Melhor Livro Sobre Nada de Jerry Seinfeld pela Frente (2000)
>>> A República de Platão pela Nova Cultural (2000)
>>> Condenados da Terra de Frantz Fanon pela Edição Popular (1961)
>>> Com Olhos de Criança de Francesco Tonucci pela Instituto Piaget (1988)
>>> Revista Neuro Educação – Nº 4 – Dormir Bem Para Aprender Melhor de Vários Autores pela Segmento (2015)
>>> de Jorge Carvalho do Nascimento pela Criação (2018)
>>> Revista Ciência & Vida Psique – Ano 1 – Nº 2 – Psicopedagogia Pra Que? de Vários Autores pela Escala
>>> Revista Crescer em Família – Ano 7 – Nº 74 - Primeiro Ano do Bebê de Vários Autores pela Globo (2000)
COLUNAS

Quinta-feira, 12/5/2005
Quem tem medo do Besteirol?
Andréa Trompczynski

+ de 6800 Acessos
+ 4 Comentário(s)

Miguel Falabella? Humpf. Mauro Rasi? Humpf. Besteirol? Humpf, humpf, eu resmungava, arqueando uma sombrancelha, do alto de meu pedestal de quem havia lido uns clássicos a mais. Tinha comprado os pesados volumes de Guerra e Paz, no intuito de impressionar um namorado "intelectual-de-óculos-quadradinho" que me levava para assistir filmes iranianos. Era aquela época da qual fala o Polzonoff, em que é preciso dizer que se gosta de filme iraniano. Eu ria, escondido dele, do Caco Antibes na televisão, assistia a antigos videotapes da TV Pirata e acompanhava, fascinada, a todos os movimentos do Teatro Besteirol. Mas me calava, porque a censura da intelligentsia brasileira não permitia que eu dissesse tal heresia. Ainda não permite, na verdade, mas estou velha e não ligo mais para essas coisas.

Para o novato no meio cultural, somos um mundo dourado. Pois saiba, novato, vivenciamos as mesmas mesquinharias de qualquer outro grupo de seres humanos. De uma academia de ginástica, por exemplo. Suponhamos uma conversa num grupo de amealhadores de músculos. Há uma clara competicão entre os mais musculosos, e, comentam sobre as antigas maneiras de aumentar a massa muscular, ostentando como troféus, os bíceps poderosos. Falam de como "Rocky, o lutador" é que estava certo, arrastando toras na neve. Se alguém, por outro método, consegue os mesmos músculos, isto não presta. Não é bom. Bom mesmo é arrastar toras na Sibéria. Se a maioria agora faz Pilates e consegue resultados satisfatórios e, tem bom momentos com Pilates, não pode ser isto algo bom. É provável que o maiorzão, que leu algo do Nelson Rodrigues, comprado por engano como livro pornográfico, diga alto: "toda maioria é burra".

A maioria gosta do Besteirol, e não daquele teatro tão difícil quanto arrastar toras na neve; daí a dificuldade dos intelectuais brasileiros gostarem, ou admitirem que gostam, deste gênero. Quem tem medo do Besteirol?, de Flávio Marinho, define-o como "um espetáculo de esquetes defendido por uma dupla de atores que vive muito de referências e citações de filmes, peças, programas de TV e da observação do comportamento urbano da zona sul carioca. (...) Exige da platéia uma certa dose de informação". Que tipo de informacão? Das chanchadas da Atlândida aos musicais da Metro, a "música" de Eduardo Dusek, a Sessão da Tarde, além de conhecer o teatro "cabeça", sentir um sono incontrolável durante suas apresentações, e, ter uma família com o comportamento típico de uma família da Classe Média.

Certamente, diria aquele namorado intelectual, este é um movimento teatral alienado. Flávio Marinho contra-atacaria com as palavras de Miguel Falabella: "Alienados seríamos se não refletíssemos sobre a frenética sociedade de consumo em que nos tranformamos. Alienados seríamos se ficássemos restritos aos clássicos, aos grandes autores, em montagens bem-comportadas, para ganhar o beneplácito dos senhores da cultura. Levamos a chanchada e a paródia à cena, sim. Com muito prazer. Porque estamos cada vez mais atentos à realidade à nossa volta." O humor do Besteirol derramava suas críticas, para o bom-entendedor. E, geniais, Falabella e Mauro Rasi, ainda conseguiam divertir o mau-entendedor sem que ele soubesse que ria de si próprio.

Eles conseguiram fazer a intelligentsia atirar longe seus monóculos, levantar forçosamente das poltronas de couro de suas bibliotecas para, citando Becket, Sartre, e o que mais pudessem, tentar explicar o que era aquele fenômeno teatral. Miguel Falabella argumenta com os críticos, obviamente, com adoráveis besteiras : "Há fumaça no ar. Dispara-se em todas as direções. Adjetivos andam à espreita, atacando jovens membros da cena carioca. Guilherme Karam foi atropelado por um 'descartável', ficando de cama três dias, sofrendo de aguda crise de identidade. Vicente Pereira viu-se face a face com um temível 'besteirol' e só conseguiu escapar graças à pronta intervenção de populares que atacaram o monstro. Felipe Pinheiro, perseguido por um 'teatro-brincadeira, recebeu do facínora uma terrível revelcão: seus hilariantes 'esquetes' tinham suas origens, pasmem!, nos esfumaçados cabarés da Alemanha dos anos 1920. Em estado de choque, o ator declarou: 'não morro sem ver Berlim'." Foi um escândalo.

Ah, leitor jovem, se estiver iniciando no mundo intelectual, não declare sua paixão pelo Besteirol. Você poderá assumí-la depois de velho, que lá perde-se a vergonha e os parâmetros. Nós, os velhos, já não tememos mais os intelectuais que arrastam os volumes de Guerra e Paz no gelo da intelectualidade brasileira.

Dançamos na faixa de pedestres, comemos pipoca na rua, vamos ver o Falabella, rimos de nossa própria decrepitude.

Coisa inaceitável na Sibéria.

Para ir além






Andréa Trompczynski
São Mateus do Sul, 12/5/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Bigode de Carina Destempero


Mais Andréa Trompczynski
Mais Acessadas de Andréa Trompczynski em 2005
01. A Auto-desajuda de Nietzsche - 13/10/2005
02. Há vida inteligente fora da internet? - 9/6/2005
03. O lado louco de Proust - 22/9/2005
04. Se o Lula falasse inglês... - 28/7/2005
05. Deus está morto: Severino para presidente - 14/3/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
12/5/2005
11h51min
Andréa, não só rio do besteirol, como eu o assumo como estilo de vida. Sou patético, graças a mim. Ou a algum deus, talvez. Assim como assumo o dramalhão também. Se eu tivesse um nome composto de novela latina, minha vida seria perfeita... mas, voltando ao besteirol, eu não vou às peças do Falabella porque o que eu posso ver ali, eu vejo nas ruas. Vejo em mim, na minha mãe, amigos, inimigos, todos. É isso, eu gozo de decadência. E acho que não poderia ser melhor. Beijão!!!
[Leia outros Comentários de Alessandro de Paula]
13/5/2005
21h01min
Muitos pseudo-intelectuais acham que só há "inteligência" nos clássicos, nos gregos, alemães etc. Eu prefiro me lembrar do professor Darcy Ribeiro que dizia que só os imbecís não vêem novela. Aliás, o besteirol é fonte de muita renda, vide Seinfield, The Nanny, Absoluty Fabolous, etc...
[Leia outros Comentários de Gui ]
30/5/2005
02h19min
Sou um leitor jovem e não tenho medo de demonstrar que gosto de besteirol...parece que você fala apenas em humor besteirol, mas pra mim o besteirol é simplesmente qualquer espécie de arte que, apesar de não ter valor, entretém...e aí incluiria muitos filmes do Spielberg, e a série Guerra nas Estrelas...talvez quem sabe, até o tarantino não passa de um besteirol...mas me divirto muito com esses filmes. O que discordo é que se atribua qualquer valor à essa arte...ela pode chegar a ter importãncia histórica como Star Wars, mas valor artístico não (nem falo isso porque ache que você atribua algum valor à ela, não, apenas cito)
[Leia outros Comentários de rafael]
26/2/2008
16h37min
SENSACIONAL este seu texto, Andrea! Gostaria de ter sido a autora. Eu simplesmente AMAVA Mauro Rasi e acho os textos dele uma verdadeira obra de arte. Adoro Cerimônia do Adeus, Pérola, Viagem a Forli... ler seu texto me fez um bem danado. Vc pensa sobre o besteirol o mesmo que eu, só que teve uma invejável competência para falar sobre. Grande abç, PARABÉNS, e, se me permitir, vou "usá-lo" sempre q couber o assunto. Prossiga no métier pois o mundo precisa de gente com sua cabeça libertária e sua maestria no expressar idéias. VIVA!!!
[Leia outros Comentários de Aurora Miranda Leão]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A CONSTRUÇÃO DA ESTRUTURA CONCEITUAL DA FÍSICA CLÁSSICA
POLITO, ANTONY M. M.
LIVRARIA DA FÍSICA
(2016)
R$ 50,00



PENSAMENTO ATLÂNTICO, ESTUDOS E ENSAIOS DE PENSAMENTO LUSO-BRASILEIRO
PAULO A. E. BORGES
IMPRENSA NACIONAL
(2002)
R$ 81,58



ARARIBÁ PLUS HISTÓRIA 9º ANO
MARIA RAQUEL APOLINARIO
MODERNA
(2017)
R$ 9,00



AS PARÁBOLAS
IVETE RIBEIRO
VOZES
(1974)
R$ 10,00



CAUSAÇÃO EM PSIQUIATRIA: O ENDOGENO
MARCO AURÉLIO BAGGIO
FOGLIO
(2000)
R$ 5,00



O MAPA DO TESOURO
WALMIR AYALA
FDT
(1988)
R$ 10,00



INTERFACES: LITERATURA, MITO, INCONSCIENTE, COGNIÇÃO
MARIA LUIZA RAMOS
UFMG
(2000)
R$ 33,28



SLANG AND EUPHEMISM: OATHS - CURSES - INSULTS - RACIAL SLURS - SE
RICHARD A. SPEARS
SIGNET
(1981)
R$ 32,28



GUIDE DU MUSÉE RODIN: A L'HÔTEL BIRON
MONIQUE LAURENT
HAZAN
(1992)
R$ 14,00



A ANÁLISE E O ARQUIVO
ELISABETH ROUDINESCO
JORGE ZAHAR
(2006)
R$ 33,00





busca | avançada
64948 visitas/dia
2,1 milhões/mês