O Brasil em desenvolvimento | Fabio Silvestre Cardoso | Digestivo Cultural

busca | avançada
54617 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Indígenas é tema de exposição de Dani Sandrini no SESI Itapetininga
>>> SESI A.E. Carvalho recebe As Conchambranças de Quaderna, de Suassuna, em sessões gratuitas
>>> Sesc Belenzinho recebe cantora brasiliense Janine Mathias
>>> Natália Carreira faz show de lançamento de 'Mar Calmo' no Sesc Belenzinho
>>> Miltinho Edilberto e Mariana Aydar trazem Forró, Flor & Cultura ao Sesc Belenzinho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
>>> G.A.L.A. no coquetel molotov de Gerald Thomas
>>> O último estudante-soldado na rota Lisboa-Cabul
Colunistas
Últimos Posts
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
>>> Como declarar ações no IR
Últimos Posts
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
>>> Sexta-feira santa de Jesus Cristo.
>>> Fé e dúvida
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Acho que entendi o Roberto Setubal
>>> A morte do professor de literatura
>>> Guía de lacónicos
>>> Mazelas do coronelismo
>>> Como ler mais livros
>>> Debate Democrata na CNN
>>> A esquerda nunca foi popular no Brasil
>>> Narcos
>>> Dez Anos que Encolheram o Mundo, de Daniel Piza
>>> A minha Flip
Mais Recentes
>>> Fim de um Crime de Ana Bárbara Mendonça pela Insular (2008)
>>> Pequenos Negocios Em Comercio e Serviços de Senac pela Senac Nacional (2006)
>>> Em Torno da Mente de Ana Carolina Guedes pela Perspectiva (2009)
>>> Herculano Pires, o Homem no Mundo de Heloísa Pires pela Feesp (1992)
>>> Carlos Carreño de Alberto Romano Schiesari pela Livrus (2011)
>>> Dos Delitos e das Penas de Cesare Bonesana Beccaria pela Martins Fontes (1997)
>>> Coaching e Liderança de Jaques Grinberg; Jorge Penillo pela Literare Books
>>> Livro do Ano - Programa de Ciência Exitus - 1976 de Ernesto Lima e Outros pela Mirador (1976)
>>> Stopwatch 3 - Students Book & Workbook de Alastair Lane / Simon Brewster/ Viviane Kirmeliene pela Richmond (2016)
>>> Contos para Colorir - Aladim de Não Identificado pela Planetoon
>>> Mãe de Primeira Viagem de Vanessa Dwek pela Giostri (2012)
>>> Top 10. Florença e Toscana de Reid Bramblett pela Publifolha (2016)
>>> Nos Dias de Hoje Português 9 Ano de Moura; Faraco; Campopiano pela Leya Didáticos (2015)
>>> Formação do Preço e do Lucro - Custos Marginais para Formação de ... de Joel J. Santos pela Atlas (1995)
>>> Negócio Fechado de Suzana Doblinski pela Campus (1997)
>>> Sargento Getúlio de João Ubaldo Ribeiro pela Nova Fronteira (1982)
>>> O Que Realmente as Mulheres Querem? de Daniel Bergner pela Agir (2013)
>>> Passes e Curas Espirituais de Wenefledo de Toledo pela Pensamento (1997)
>>> II Brasil Monarquico Vol 3 de Sergio Buarque de Holanda pela Difusao Europeia do Livro
>>> My Job Doce Ilusão de José Augusto Figueiredo pela Évora (2013)
>>> Caos Químico de Antonio Carlos Vilela; Nick Arnold pela Melhoramentos (2001)
>>> Saíra Sete Cores de Débora Knittel pela Solisluna (2010)
>>> O Nome da Rosa de Umberto Eco pela Nova Fronteira
>>> Direito Constitucional: Teoria da Constituição - Vol. 17 - Tomo 2 6ªed de Juliano Taveira Bernardes pela Juspodivm (2017)
>>> Spawn Nº 28 de Editora Abril Jovem pela Abril Jovem
COLUNAS

Terça-feira, 6/12/2005
O Brasil em desenvolvimento
Fabio Silvestre Cardoso

+ de 2900 Acessos

Nas últimas semanas, na contramão da crise política, os índices do IBGE deram um alento ao país. Para quem não leu (e prometo que não vou me ater às estatísticas e às curvas dos gráficos), depois de muito tempo, o fosso social, conforme anunciava a vinheta da Folha de S.Paulo, entre pobres e ricos diminuiu. A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio informa que o número de empregos subiu 3,3% ao mesmo tempo em que a taxa de desemprego abaixou cerca de 0,7%. Esses mesmos indicadores apontam para a queda de renda entre os mais ricos, ou os 50% dos trabalhadores que ganham mais, fator que diminuiu um pouco, segundo os especialistas, a deflagrada desigualdade social. Não foi à toa, portanto, que todo o governo sentiu-se aliviado e pôde anunciar, à vontade, a realidade dos números.

Ainda assim, para além do discurso, não é preciso ser nenhum expert em índices de desenvolvimento econômico e social para constatar que, apesar desses avanços, o Brasil precisa crescer muito para ser o "país de todos", como quer a propaganda oficial. Nesse sentido, aqueles que quiserem entender quais são os caminhos para tal avanço, os dois volumes de Brasil em desenvolvimento são de grande valia, uma vez que trazem vários pontos de vista dos mais gabaritados nomes da Economia, Ciência Política, Tecnologia, todos eles ligados ao think thank acadêmico - é bom que se diga, aliás, que a obra foi composta a partir de uma série de seminários sobre o mesmo tema (Brasil em desenvolvimento) para a UFRJ.

Dada a abrangência dos assuntos tratados, a obra foi dividida em dois tomos: o primeiro aborda economia, tecnologia e competitividade; enquanto o segundo trata de instituições, políticas e sociedade. Em cada livro, uma série de especialistas desfila seus argumentos que buscam interpretar os índices de desenvolvimento, assim como analisar os motivos de determinadas estratégias. É bom ressaltar, ainda, que o trabalho esteve sob a organização de Ana Célia Castro, Antonio Licha, Helder Queiroz e João Sabóia.

Pode-se argumentar, com razão, que não se trata de um trabalho original, uma vez que algumas instituições ou já produziram seminários parecidos, como o DNA Brasil nos últimos dois anos, ou obras com o escopo analítico semelhante após o fim de um determinado período, como A Era FHC (lançado no final do governo Fernando Henrique Cardoso, em 2002) e A História do Real (obra que chegou às prateleiras neste segundo semestre de 2005). Entretanto, o que torna o presente estudo uma obra interessante é o fato de que os livros obedecem a uma perspectiva do que está para acontecer. Não tanto no ramo especulativo, mas sim na ingrata seara das previsões com base nos índices de crescimento. Este, por sinal, é o principal fio condutor dos trabalhos.

Afora isso, nota-se uma preocupação por parte dos organizadores em fazer com que os artigos funcionem também como motor de um projeto de país, "detalhe" que governos políticos de ambas as esferas reclamam durante o período eleitoral. Isso fica notório nos tópicos relacionados ao debate do desenvolvimento brasileiro, dentre os quais se destacam: "organizar e mobilizar definitivamente os atores nacionais relevantes; viabilizar políticas de inclusão social no plano de educação, de emprego, de inclusão digital e de infra-estrutura social".

Para o bem ou para o mal, nos artigos, esses objetivos do parágrafo anterior só se materializam do ponto de vista teórico. No quesito tecnologia, por exemplo, um dos textos mais relevantes é o do professor de Economia da UERJ, Paulo Bastos Tigre, que avalia os pormenores da sociedade da informação e da inclusão digital. Sua proposta para a universalização das tecnologias de informação e comunicação (TIC, de acordo com a nomenclatura) passa pelo software livre. Segundo a avaliação do professor, em São Paulo, os programas de inclusão digital que mais foram bem-sucedidos uniram software livre e hardware simplificado, ampliando as opções até então restritas. Em contrapartida, ainda na esfera tecnológica, Mario Dias Ripper observa uma barreira para a expansão nas telecomunicações principalmente porque há uma excessiva carga tributária no setor, o que demandaria, no caso, mais investimentos do Estado.

Como se observa nos artigos citados, boa parte da discussão sempre passa pelo debate econômico. Subsídios do Estado, investimentos, política macroeconômica são termos em comum em todos textos. Infelizmente, não se pode dizer que os textos correlatos à economia façam a mesma concessão. Muito pelo contrário. O que se vê por parte dos autores é uma exacerbação de análises totalmente voltadas para estudiosos do tema - fator que, em si, não é ruim, mas que limita por demais o entendimento para os demais leitores. Obviamente que não se propõe uma guinada ao populismo analítico de um Freakonomics, mas os textos poderiam ser bem menos áridos, com a mesma fluência de idéias de Eduardo Giannetti.

É com essa clareza, por exemplo, que o ex-grão-fino do PT, Francisco de Oliveira, assina uma artigo sobre o papel das instituções, a partir de uma perspectiva política. Sempre crítico ao modelo neoliberal, ele escreve que as políticas macroeconômicas obedecem cegamente à política de ordem global. E sendo esta fiadora daquela, não resta ao Brasil sequer o papel da conclamada soberania. E ele até brinca: "o homem do povo que assiste ao desfile já não pode dizer, como na lenda clássica, que o rei está nu. Qual rei?". Pode-se até discordar das contundentes e perspicazes observações de Francisco de Oliveira, mas não se pode dizer que ele não se faz entender.

Nos dois livros de Brasil em desenvolvimento, o papel da cultura está presente, ao menos em referência, ao segmento das políticas de educação. É reconfortante que exista esse raciocínio de que desenvolvimento não se faz sem educação ou cultura, por mais acessório que isso ainda possa parecer. Pois de tudo o que foi dito e comentado vale a velha máxima de que o Brasil não será o país de todos enquanto a desigualdade for tão grande. A diminuição dessa desigualdade e até mesmo a compreensão desses estudos passam pela educação e pela cultura.

Para ir além









Fabio Silvestre Cardoso
São Paulo, 6/12/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Viagem aos baixos do Viaduto do Chá de Elisa Andrade Buzzo
02. Voltar com ex e café requentado de Ana Elisa Ribeiro
03. Mini-cartografia do prazer gastronômico paulistano de Adriana Baggio
04. A geração que salvou Hollywood de Gian Danton
05. A evolução da nova democracia brasileira de Luis Eduardo Matta


Mais Fabio Silvestre Cardoso
Mais Acessadas de Fabio Silvestre Cardoso em 2005
01. Brasil e Argentina: uma História Comparada - 3/5/2005
02. O século da canção - 5/4/2005
03. Os Clássicos e a Educação Sentimental - 8/2/2005
04. Estudo das Teclas Pretas, de Luiz Faccioli - 22/2/2005
05. O Afeto Autoritário de Renato Janine Ribeiro - 22/11/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Estrategias para el uso, desarrollo y aprendizaje de las lenguas indígenas en educacion básica
Tania Santos Cano
Sep
(2015)



Gestão de Impostos para Pessoas Físicas e Jurídicas
Mário Shingaki
Saint Paul
(2002)



Penélope Punto de Cruz Nº 47 + Edição Baby Nº 21 - 2 Revistas
Las Labores de Ana
Las Labores de Ana



Esporte para a Saúde nos Anos Finais do Ensino Fundamental
Wagner Wey Moreira, Vilma Lení Nista Piccolo
Cortez
(2012)



Black Widow
Randy Wayne White
Penguin Usa
(2009)



Tatu-balão
Sônia Barros
Aletria
(2014)



Pais e Mães Serenos, Filhos Felizes
Laura Markham
Nversos
(2019)



Mitologia Pessoal. A psicologia evolutiva do Self.
David Feinstein. Stanley Kippner
Cultrix
(1994)
+ frete grátis



Entre dois mundos
Diversos
Estação Liberdade
(2000)



Pequenas Empresas&Grandes Negócios Pegn. Nº 210. Inovação.
Vários
Globo
(2006)





busca | avançada
54617 visitas/dia
1,8 milhão/mês