I do not want this | Daniela Castilho | Digestivo Cultural

busca | avançada
24586 visitas/dia
890 mil/mês
Mais Recentes
>>> Palavraria Conversa e Versa
>>> Supercombo no Templo Music: Tour “Adeus, Aurora'
>>> Barracão Cultural estreia montagem de rua a partir de livro de Eva Furnari
>>> Marina Peralta lança novo EP, 'Leve'
>>> Dan Stulbach faz ensaio aberto de Morte Acidental de um Anarquista para alunos da Escola Wolf Maya
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
>>> O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite
>>> Carta ao(à) escritor(a) em sua primeira edição
>>> Paris branca de neve
>>> A cidade e o que se espera dela
>>> De pé no chão (1978): sambando com Beth Carvalho
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> Nenhum Mistério, poemas de Paulo Henriques Britto
>>> Nos braços de Tião e de Helena
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 3
>>> Juntos e Shallow Now
>>> Dicionário de Imprecisões
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
Últimos Posts
>>> Efervescências
>>> Justoresoluto
>>> Em segundo plano
>>> A ver navios
>>> As esquinas dos amores
>>> Pelagem de flor I: VERMELHO
>>> Idade Mídia
>>> Quando a alma é visível
>>> A MECÂNICA CELESTE
>>> Diagnóstico falho
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O discreto charme dos sebos
>>> O assassinato de Herzog na arte
>>> Animismo
>>> Para tudo existe uma palavra
>>> Lendo Virgílio, ou: tentando ler os clássicos
>>> Entrevista com André Fonseca
>>> Google: utopia ou distopia?
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> A Casa do Saber no Rio de Janeiro
>>> Marcel Proust e o tempo reencontrado
Mais Recentes
>>> Sherlock Holmes - The complete facsimile edition de Arthur Conan Doyle pela Wordsworth Classics (1989)
>>> Pride and Prejudice and Zombies - The Graphic Novel de Jane Austen, Seth Grahame-Smith pela Quirk Classics (2010)
>>> Eating Animals de Jonathan Safran Foer pela Hamish Hamilton (2009)
>>> O desejo da escrita em Italo Calvino: para uma teoria da leitura de Rita de Cássia Maia e Silva Costa pela Companhia de Freud (2003)
>>> Lacrimae rerum: ensaios sobre cinema moderno de Slavoj Zizek pela Boitempo (2009)
>>> Ideografia dinâmica: para uma imaginação artifical? de Pierre Lévy pela Instituto Piaget (1997)
>>> Harry Potter and the Half-Blood Prince de J. K. Rowling pela Bloomsbury (2005)
>>> Orlando de Virginia Woolf pela Wordsworth Classics (2003)
>>> History of the Peloponnesian War de Thucydides pela Penguin Classics
>>> Manual do Roteiro de Syd Field pela Objetiva (2001)
>>> O mundo assombrado pelos demônios de Carl Sagan pela Companhia de Bolso (2016)
>>> Romeo and Juliet - Original + Inglês contemporâneo de William Shakespeare pela Lorenz Educational Publishers (2003)
>>> A hora da estrela de Clarice Lispector pela Rocco (1999)
>>> Guia Prático da Tradução Francesa de Paulo Rónai pela Nova Fronteira (1983)
>>> Reparação de Ian McEwan pela Companhia das Letras (2002)
>>> The Child in Time de Ian McEwan pela Vintage (1992)
>>> O Senhor dos Anéis - As Duas Torres de J. R. R. Tolkien pela Martins Fontes (2000)
>>> O Senhor dos Anéis - A Sociedade do Anel de J. R. R. Tolkien pela Martins Fontes (1999)
>>> 1984 - em inglês de George Orwell pela Penguin/Signet Classic
>>> Diary de Chuck Palahniuk pela Random House (2003)
>>> Pigmy de Chuck Palahniuk pela Anchor Books (2009)
>>> Tell-All de Chuck Palahniuk pela Anchor Books (2010)
>>> Damned de Chuck Palahniuk pela Anchor Books (2011)
>>> L'arrache coeur de Boris Vian pela Livre de Poche (1976)
>>> Musashi - Vol. 1 de Eiji Yoshikawa pela Estação Liberdade (1999)
>>> Tim Burton de Antoine de Baecque pela Cahiers du Cinéma (2011)
>>> O Jardim das Ilusões de Susan Trott pela Círculo do Livro (1992)
>>> Hermenêutica e Unidade Axiológica da Constituição de Glauco Barreira Magalhães Filho pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2004)
>>> Elizabeth Levanta Vôo de Elizabeth Taylor pela Círculo do Livro (1988)
>>> O Verão de Katya de Trevanian pela Círculo do Livro (1983)
>>> Dias na Birmânia/ Capa Dura de George Orwell pela Círculo do Livro (1988)
>>> Os Monstros da Alma de Athur Thompson pela Bruguera (1965)
>>> Changing Their Skies: Stories From Africa - Oxford Bookworms Stage 2 de Steve Chimombo (...) Retold By Jennifer Bassett pela Oxford University Press (2008)
>>> Changing Their Skies: Stories From Africa - Oxford Bookworms Stage 2 de Steve Chimombo (...) Retold By Jennifer Bassett pela Oxford University Press (2008)
>>> Changing Their Skies: Stories From Africa - Oxford Bookworms Stage 2 de Steve Chimombo (...) Retold By Jennifer Bassett pela Oxford University Press (2008)
>>> Changing Their Skies: Stories From Africa - Oxford Bookworms Stage 2 de Steve Chimombo (...) Retold By Jennifer Bassett pela Oxford University Press (2008)
>>> Direito Constitucional da Educação de José Luiz Borges Horta pela Decálogo/ Belo Horizonte (2007)
>>> Direito Constitucional da Educação de José Luiz Borges Horta pela Decálogo/ Belo Horizonte (2007)
>>> Direito Constitucional - Tomo I/ Capa Dura de José Luís Quadros de Magalhães pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2002)
>>> Diários do Vampiro - Reunião Sombria de L. J. Smith pela Galera Record (2011)
>>> Acima de Qualquer Suspeita de Scott Turow pela Record (1987)
>>> Poder Constituinte e Patriotismo Constitucional de Marcelo Cattoni pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2006)
>>> Acima de Qualquer Suspeita de Scott Turow pela Altaya/Record (1996)
>>> Enterrem-me de Botas (Tóxicos o sub-mundo dos tóxicos visto e vivido por uma adolescente) de Sally Trench pela Paulinas (1979)
>>> O Supremo Tribunal Federal e as Constituições Brasileiras de Luís Carlos Martins Alves Jr. pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2004)
>>> As Aventuras de Tom Sawyer (Grandes Sucessos) de Mark Twain pela Abril Cultural (1980)
>>> O Assassino Dentro de Mim de Jim Thompson pela Paulicéia (1991)
>>> A Era da Incerteza de John Kenneth pela Universidade de Brasil (1980)
>>> A Ideologia do Trabalho de Paulo Sérgio do Carmo pela Moderna (1993)
>>> A cabana do Pai Tomás de E. B. Stowe (Tradução Mario Gardelin) pela Paulinas (1966)
COLUNAS

Quinta-feira, 24/8/2006
I do not want this
Daniela Castilho

+ de 7200 Acessos
+ 5 Comentário(s)

Tive um dia horrível. Horrível, horrível. Não estou com vontade nem de falar a respeito.

Lembrei de uma música do Trent Reznor chamada "I do not want this", onde um pedaço diz assim:

(...) "maybe I don't have a choice
and maybe that is all I have
and maybe this is a cry for help
I do not want this
I do not want this
I do not want this
I do not want this
don't you tell me how I feel
don't you tell me how I feel
don't you tell me how I feel
you don't know just how I feel
I want to do something that matters" (...)


É, foi um dia infernal, um dia de moedor de carne.

Hoje eu não consegui falar. Eu só queria ter tido a oportunidade de explicar o que é que eu pensava. Só isso. Eu sou uma pessoa cordata, eu sou fácil de convencer. Eu só queria ter tido a oportunidade de me expressar. Só isso.

Achei esta foto interessantíssima no Google, ilustra bem o dia que eu tive:

É de um fotógrafo chamado Brandon Luhring, de um livro que ele fez que se chama Shut up, que significa "cale a boca". O texto que acompanha o livro é bem interessante:

Mal-entendidos produzidos por aqueles que só falam e nunca escutam são a base do nosso problema social. Racismo, sexismo, até ciúme e ignorância estão entre alguns dos problemas que poderiam ser resolvidos se simplesmente fechássemos a boca, escutássemos e pensássemos mais um pouco.

Não é a primeira vez que, com essa mesma pessoa, eu não consigo falar o que eu penso. É a quarta vez. Hoje eu saí de onde eu estava com a clara impressão de que nada do que eu penso faz a menor diferença. Não é importante. Eu não me senti respeitada nem levada a sério.

Vão dizer que eu estou enganada. Como eu preciso de dinheiro, eu vou sorrir e responder: "Então façam como vocês quiserem". Estou na posição desfavorecida. Não tenho o poder de impor nada.

A vida não é fantástica?

Sabem, não é só a boca que fala. Não é só o texto que fala. Atitude fala, liguagem corporal fala, os olhos falam, tudo fala. O texto de alguém pode ser lingüisticamente preciso, formal, impecável e dizer "olha, eu gosto muito de você". Mas se isso é dito aos gritos, por exemplo, ou com um olhar duro e frio, ou com raiva contida, o texto perde todo o significado original, a atitude grita muito mais alto e comunica outra coisa.

Eu odeio ser tratada com violência. Para mim, intransigência é violência. Não me deixar falar é violência. Eu odeio violência. Odeio. Alguém que não permita me expressar é a maior violência à qual podem me submeter. Se isso vier acompanhado de poder econômico, se eu estiver em situação desvantajosa, eu me sinto pior ainda.

Hoje eu estava muda e amarrada. A única coisa que me sobrou para salvar um resquício da minha dignidade como ser humano foi levantar e sair dali. Antes de me permitir sair, fui obrigada a pedir desculpas por ter perdido a compostura numa situação moedor de carne. Me senti humilhada. Fui chorando pela rua.

Eu odeio isso.

Nesse exato momento, duas da manhã e insone, tem duas coisas que eu adoraria que fossem possíveis: se eu pudesse acordar amanhã de manhã em janeiro de 1999, exatamente como as coisas eram em janeiro de 1999 ou se eu pudesse simplesmente ir embora para algum lugar novo amanhã pela manhã, algum lugar onde as coisas funcionassem diferente de como são aqui. Eu simplesmente odeio o que foi o dia de hoje e como as coisas são. Eu odeio ficar amarrada e amordaçada. Eu odeio que não me permitam ser civilizada. Eu odeio quem fala o tempo todo, joga poderes jurídicos na minha cara e não me deixa dizer o que eu estou pensando ou o que é que está me incomodando.

Já fizeram isso comigo mais de uma vez. Não é nada inédito. O fato de não ser novidade, só faz ficar pior.

Como diria Marilyn Manson:

"Everything's been said before
There's nothing left to say anymore
When it's all the same
You can ask for it by name"


Vejam vocês mesmos, a música é fantástica.

Eu tenho um histórico horrível de pessoas que são prepotentes comigo e que não me permitem expressar o que eu estou pensando. Que não querem me deixar falar. Que vêm pra cima de mim com conversas ameaçadoras. Que jogam poderes legais no meu nariz. Estou cansada disso. Moedor de carne.

Mas eu vou calar a minha boca, uma vez que, hoje, o que eu menos consegui mesmo foi falar qualquer coisa. Shut up, Dani. Você não é ninguém mesmo. Não é dona de nada, nem tem poder pra p**** nenhuma.

Okay.

Hoje pela manhã, com um grande e querido amigo ao telefone, eu disse: a maior mentira do século XX e do XXI é que "dinheiro não traz felicidade". Dinheiro compra tudo e manda buscar tudo. Se você tem dinheiro, as pessoas te respeitam e te tratam bem. Se você não tem, nunca vai ter respeito nenhum. Essa regra foi criada há milênios e continua valendo. O resto é hipocrisia, é controle social, é ilusão para manter todo mundo bem enquadrado nas regras do jogo. Todo mundo é igual, mas o dinheiro faz alguns serem mais iguais que os outros.

Eu odeio isso. Eu nunca avaliei ninguém pela conta bancária. Eu detesto estar numa posição onde eu dependo das outras pessoas. Eu odeio estar amarrada. Eu tenho saudades de 1999.

Vou encerrar com uma única frase, cujo autor eu não recordo, mas nunca esqueci:

Se você quer que uma pessoa grite "não" com todas as suas forças é só tentar obrigá-la a sussurrar um "sim" quando ela não quer.

Nota do Editor
Daniela Castilho é designer, diretora de arte e assina o blog MadTeaParty, onde este texto foi originalmente publicado.


Daniela Castilho
São Paulo, 24/8/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Os Doze Trabalhos de Mónika. 1. À Beira do Abismo de Heloisa Pait
02. A selfie e a obsolescência do humano de Marta Barcellos
03. Você sabe quem escreveu seu show preferido? de Fabio Gomes
04. As ruas não estão pintadas. E daí? de Duanne Ribeiro
05. Retrato do Leitor enquanto Anotação de Duanne Ribeiro


Mais Daniela Castilho
Mais Acessadas de Daniela Castilho em 2006
01. Hotmail versus Gmail: nem um, nem outro - 27/3/2006
02. Orkut, um sonho impossível? - 7/2/2006
03. Guimarães Rosa e as aulas do professor Aguinaldo - 10/4/2006
04. Mas afinal, o que é podcasting? - 29/8/2006
05. A difícil arte de fazer arte - 27/10/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
24/8/2006
12h27min
Força, Daniela! É terrível se sentir assim, eu sei. Não digo que já passei por isso, pois, não cheguei a perder a compostura, e aí não tive que me desculpar. Mas isso porque deixei de falar muitas coisas que via, e que achava erradas, no lugar onde eu trabalhava. É o que você falou: a necessidade da grana, do emprego. Eu até pensei em chutar o balde antes de sair, mas não iria adiantar nada. E, justiça seja feita, depois que eu saí, as coisas começaram a vir à tona, por elas mesmas. Um dos ditados mais conhecidos por aí, é aquele "A justiça tarda mas não falha", ou algo semelhante. Ou aquele outro da justiça de Deus e da justiça dos homens. Resumindo: quem está errado, vai pagar pelos erros, cedo ou tarde. Eu prefiro acreditar nisso, sempre. Força pra você! E sempre que precisar, desabafe assim, que é bom. Não resolve, mas ajuda.
[Leia outros Comentários de Rafael Rodrigues]
26/8/2006
11h12min
Dependendo do nosso estado espiritual de humor, expressar-se pode ter um grande valor ou não. No fundo mesmo não tem, porque a vida será o que sempre foi mesmo assim. Porém, para a nossa própria salvação de não cair em dúvidas do porquê de nossa existência como indivíduo "diferente" dos outros, queremos às vezes dar todo o valor a isto. Afastar-se um pouco da nossa vida em primeira pessoa e "dar uma" de observador nos faz também entender que a "brincadeira" continua, e não há motivos para o desapontamento. Não estamos em guerra nem em competição entre nós mesmos. Vamos abrir caminho onde é possivel, e deixar os muros de pedra apenas como ornamentos para serem apreciados de vez em quando e pouco entendidos em sua profundidade. Momentos negativos existirão sempre, para todos, em todos os dias. Quem lidar melhor com eles, de preferência de forma irônica, terá um pouco mais de vida. Vc lidou bem, porque produziu com ele... algumas pessoas conseguem isso. Imagino que vc é muito feliz...!
[Leia outros Comentários de Aluizio]
27/8/2006
09h31min
Daniela, você foi ótima. Escreve e se expressa muito bem, conseguindo comunicar muito bem o que está sentindo. Não se apoquente. Se não deixarem você falar, pelo menos você escreve e se comunica muito bem. Não desista, continue. Você é muito boa. Abraços, Maurão
[Leia outros Comentários de mauro gorenstein]
29/8/2006
18h44min
Você deve trabalhar com publicidade, não é? Lendo seu texto meio veio uma sensação de déjà vu...
[Leia outros Comentários de Adriana]
1/9/2006
10h05min
Situações como a que ocorreu com a autora do artigo acontecem volta-e-meia comigo e acredito que com algumas outras pessoas também devam acontecer. É chato, é desagradável... O problema, do meu ponto de vista, é que isso é quase impossível de se evitar. Um dos únicos jeitos é possuindo títulos, ou dinheiro, ou sei-lá-mais-o-quê, que confira autoridade ao possuidor. Fora nesses casos, só algumas pessoas com raro talento para se relacionar conseguem (e olha que mesmo essas têm de engolir muita coisa desagradável...). Entendo perfeitamente o fato de a autora ter perdido a compostura, o sono, e tudo mais que lhe houve de conseqüência. Parabéns àqueles que conseguem passar incólumes por coisas desse tipo! E vamos expresar nossos descontentamentos pra que, quem sabe, algumas pessoas se enxerguem e percebam que magoam as outras, e que é bem melhor conviver bem com os outros em relações onde a troca e aproveitamento de experiências e opiniões realmente ocorram. TODOS dependemos de ser ouvidos, é inegável. Força!
[Leia outros Comentários de Mateus]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




VIVA PARA CONTAR
LISA GARDNER
NOVO CONCEITO RIBEIRÃO PRETO
(2012)
R$ 14,00



OS PENSADORES: SANTO AGOSTINHO
JOSÉ AMÉRICO
NOVA CULTURAL
(1999)
R$ 15,00



ESPIRITUALIZAÇÃO DA MAÇONARIA
MÁRIO LEAL BACELAR
MANDARINO
R$ 45,00



SIMAO PEDRO: E OS PRIMEIROS CRISTAOS
LÉA CARUSO
IDE
(2015)
R$ 10,80



AMOR NO EXÍLIO DA TERRA
DOM JOSÉ NARNI MANCINELLI (AUTOGRAFADO)
DO AUTOR
(1975)
R$ 10,00



BIBLIOTECA DA MATEMÁTICA MODERNA - VOLUME 5
ANTÔNIO MARMO DE OLIVEIRA E AGOSTINHO SILVA
LISA
(1976)
R$ 15,00



BIFES MAL PASSADOS
JOÃO MAGUEIJO
GRADIVA
(2014)
R$ 25,00



DORA E O SOL
VERONICA STIGGER
34 SÃO PAULO
(2010)
R$ 27,00



MICROCAMP INFORMÁTICA - ACCESS 2010
JAMIL MARTINS LOPES
MICROCAMP TECNOLOGIA
(2011)
R$ 20,00



O MAL DE ALZHEIMER
MICHELLE BITENCOURT
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 251,00





busca | avançada
24586 visitas/dia
890 mil/mês