Eleições: opções ruins, mas pelo menos existem | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
49722 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> TOGETHER WE RISE TRAZ UMA HOMENAGEM ÀS PESSOAS QUE FIZERAM PARTE DA HISTÓRIA DO GREEN VALLEY
>>> Instituto Vox realiza debate aberto sobre o livro O Discurso da Estupidez'
>>> A Arte de Amar: curso online desvenda o amor a partir de sua representação na arte e filosofia
>>> Consuelo de Paula e João Arruda lançam o CD Beira de Folha
>>> Festival Folclórico de Etnias realiza sua primeira edição online
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
>>> Meu reino por uma webcam
>>> Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest)
>>> Pílulas Poéticas para uma quarentena
>>> Ficção e previsões para um futuro qualquer
>>> Freud explica
>>> Alma indígena minha
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma aula com Thiago Salomão do Stock Pickers
>>> MercadoLivre, a maior empresa da América Latina
>>> Víkingur Ólafsson toca Rameau
>>> Philip Glass tocando Mad Rush
>>> Elena Landau e o liberalismo à brasileira
>>> O autoritarismo de Bolsonaro avança
>>> Prelúdio e Fuga em Mi Menor, BWV 855
>>> Blooks Resiste
>>> Ambulante teve 3 mil livros queimados
>>> Paul Lewis e a Sonata ao Luar
Últimos Posts
>>> Coincidência?
>>> Gabbeh
>>> Dos segredos do pão
>>> Diário de um desenhista
>>> Uma pedra no caminho...
>>> Sustentar-se
>>> Spiritus sanus
>>> Num piscar de olhos
>>> Sexy Shop
>>> Assinatura
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Nelson Freire em DVD e Celso Furtado na Amazônia
>>> Um caos de informações inúteis
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Parei de fumar
>>> Ford e Eastwood: cineastas da (re)conciliação
>>> Amor à segunda vista
>>> O Gmail (e o E-mail)
>>> Diogo Salles no podcast Guide
Mais Recentes
>>> As Soluções Práticas do Fazendeiro - 1 de Osmar Goeden Reis pela Globo (1987)
>>> Album de Debret de Antonio Accioly Netto pela O Cruzeiro (1965)
>>> Albert Einstein de Mae Blacker Freeman pela Difusao Pan Americana (1964)
>>> Revista Airone Giugno 2009 de Andrea Biavandi Editora pela Mondadori (2009)
>>> Agrião de Clara Pinto Correia pela Relogio d'Agua (1984)
>>> O Estalo - Infanto Juvenil de Luis Dill pela Positivo (2010)
>>> Detetive Cecilia E A Aguia De Bronze - Infanto Juvenil de Luis Eduardo Matta pela Brasil (2017)
>>> Marketing de Guerilha -Táticas e armas para pequenas e médias empresas de Jay Conrad Levinson pela BestSeller (1989)
>>> Doze Reis e a Moça No Labirinto do Vento - Infanto Juvenil de Marina Colasanti pela Global (2006)
>>> Manual da Princesinha - Infanto Juvenil de Sheila Walsh pela Thomas Nelson Brasil (2015)
>>> A Coleção Definitiva Marvel -Homem Aranha - Caido Entre os Mortos de Mark Millor e outros pela Salvat (2017)
>>> A Coleção Oficial de Graphic Novels Marvel - Surpreendentes X- Mem - Superdotados de Joss Whedon e John Cassaday pela Salvat (2013)
>>> Os Herois Mais Poderosos da Marvel - Homem Aranha Feliz Aniversario Homem Aranha e o Sexteto Sinistro de Varios pela Salvat
>>> Não era uma vez- Contos Classicos Recontados - Infanto Juvenil de Adela Basch e outros pela Melhoramentos (2010)
>>> Estrelas Tortas - Infanto Juvenil de Walcyr Carrasco pela Moderna (2003)
>>> O Anjo Rouco - Infanto Juvenil de Paulo Venturelli pela Positivo (2010)
>>> Comunicação Global - Aumentando Sua Inteligência Interpessoal de Lair Ribeiro pela Rosa dos Tempos (1992)
>>> Dívida Externa, Recessão e Ajuste Estrutural de Diversos pela Paz e terra (1983)
>>> Apostila de Direito Comercial de Curso OAB pela Marcato (2005)
>>> A Cura Quântica de Deepak Chopra pela Best Seller (1989)
>>> Curso Teórico Prático do Processo Civil de José da Silva Pacheco pela Borsoi (1962)
>>> Lei dos registros públicos - Comentada de Walter Ceneviva pela Saraiva
>>> Petroladrões: a História do Saque à Petrobrás de Ivo Patarra pela Vide Editorial (2016)
>>> Novo - Código Civil Brasileiro de Auriverde pela Do Autor (2003)
>>> Tdd - Desenvolvimento Guiado Por Testes de Kent Beck pela Bookman (2010)
>>> O Canto do Dodô de David Quammen pela Companhia das Letras (2008)
>>> Financiamentos de Empresas - 25 princípios para captar dinheiro e crescer de Dileep Rao/Richard Cardozo pela Folha de S. Paulo (2003)
>>> Direito Administrativo e Ciência da Administração Direito vol. 3 l. 1 de J.G.Menengale pela Borsoi (1950)
>>> Direito Administrativo e Ciência da Administração Direitovol. 1 de J.G.Menengale pela Borsoi (1950)
>>> O andar do bêbado de Leonard Mlodinow pela Zahar (2009)
>>> A Ponte - Vida e Ascensão de Barack Obama de David Remnick pela Companhia das Letras (2010)
>>> Instituições de Direito Civil de Roberto de Ruggiero pela Saraiva (1958)
>>> Trabalho, Capital Mundial e Formação dos Trabalhadores de Antônia de Abreu e Sousa e Outros (org.) pela Ufc (2008)
>>> Feng Shui Para Harmonizar Seu Lar e Sua Vida de Pier Campadello pela Madras (1998)
>>> Mil Nomes de Deus de Eknath Easwaran pela Ece (1999)
>>> A Antiga Ciência e a Arte da Psicoterapia Prânica de Choa Kok Sui pela Ground (1991)
>>> Sexo, Drogas e Economia de Diane Coyle pela Futura (2003)
>>> Adventure Story de L. G. Alexander pela Longman (1987)
>>> terceiro Setor e Questão social Crítica ao Padrão emergente de intervenção social de Carlos Montaño pela Cortez (2008)
>>> Adventures With a Microscope de Richard Headstrom pela Dover (1977)
>>> O pensamento de Che Guevara de Michael Löwy pela Expressão Popular (1999)
>>> Dom Casmurro de Machado de Assis pela Record (1998)
>>> A Assustadora História da Medicina de Richard Gordon pela Prestígio (2002)
>>> Terapia Floral Bach Aplicada à Psicologia de Victor Kripper pela Gente (1992)
>>> Nova Adventures in Science de John Mansfield pela Addison Wesley (1983)
>>> Parsifal - Um Intelectual na Política de Luís Sérgio Santos pela Escrituras (2017)
>>> L'Adolescence Premier Livre de M. Delapalme pela Hachette (1914)
>>> Tardes de um Pintor Ou as Intrigas de um Jesuíta de Teixeira e Sousa pela Foco Letras (2020)
>>> Comunique-se melhor e Desenvolva sua memória de Jorge Luiz Brand pela Berthier (1999)
>>> Súmulas e Orientações Jurisprudenciais do TST Comentadas e organizadas por assunto de Élison Miessa dos Santos/Henrique Corrfeia pela Juspodivm (2012)
COLUNAS >>> Especial Eleições 2006

Quinta-feira, 28/9/2006
Eleições: opções ruins, mas pelo menos existem
Adriana Baggio

+ de 3100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Daqui a 2 anos vai ter Olimpíadas, eleição para prefeito e aniversário de 40 anos do AI-5.

Em 1988, quando o Ato Institucional completou seu vigésimo aniversário, o jornalista Zuenir Ventura lançou 1968: o ano que não terminou (Nova Fronteira, 2006, 336 págs., integrante da coleção "40 anos, 40 livros" da editora). Os jovens que nasceram nesse ano - um antes das primeiras eleições diretas para presidente no Brasil, após o golpe militar - já têm idade suficiente para votar nas eleições de 2006. E talvez poucos deles conheçam a trajetória de homens que foram protagonistas em 1968 e continuam sendo hoje. Só que de eventos bem diferentes.

O relato de Zuenir Ventura é uma forma acessível e até agradável de conhecer a História do Brasil. Uma história recente, cujas implicações sentimos nos dias hoje, cujos personagens não estão só nos livros. Eles podem ser vistos na TV, nos jornais. Uma História palpável, presente.

O jornalista começa o livro com a descrição de uma antológica festa de Ano Novo, que teria acontecido na casa de Heloisa Buarque de Hollanda, também autora do prefácio da obra. Neste evento, Ventura enxerga uma metáfora para os meses que viriam em seguida. Simplificando a relação entre os fatos: assim como as pessoas daquela festa não estavam preparadas para a liberalidade e para a revolução de comportamento que pregavam, também os movimentos revolucionários não estavam ainda tão maduros a ponto de concretizar o que discursavam. De qualquer forma, as mudanças acontecidas naquele ano ficaram para sempre.

Seria uma verdadeira blasfêmia fazer pouco dos que lutaram, sofreram e morreram pelo desejo de um país melhor, mais justo e democrático. Bem ou mal, pelo Brasil que temos hoje. Por outro lado, o livro de Zuenir serve para desmistificar algumas pessoas e alguns acontecimentos. Uma tarefa mais fácil e confortável, devido à distância do tempo. Mas, mesmo que não seja totalmente isenta, traz alguns pontos de vista bem coerentes.

Os estudantes e os intelectuais tinham a visão de que poderiam estar melhor preparados para defender os interesses também dos operários e dos agricultores. No entanto, talvez os diferentes grupos não tivessem as mesmas aspirações. Na famosa Passeata dos Cem Mil, por exemplo, os trabalhadores do centro do Rio de Janeiro estavam mais interessados em ver os artistas do que participar do protesto. Preferiram ficar na calçada, observando a passagem dos seus ídolos, do que integrar-se aos intelectuais e estudantes. E quem pode dizer que estavam errados?

Esse acontecimento em particular talvez também sirva como metáfora da participação de certos segmentos da sociedade nos movimentos de 1968. O que se percebeu, mais tarde, é que alguns deles talvez não quisessem exatamente acabar com o capitalismo. Eles gostariam mesmo é de acabar com as injustiças do capitalismo e de ter acesso aos benefícios que o sistema proporciona.

O que a gente vê hoje no Brasil parece uma continuidade do que aconteceu naquela época. O PT, partido surgido das insatisfaçãoes e inquietações com os regimes - político e econômico, posicionou-se durante muitos e muitos anos como uma alternativa aos outros partidos, como uma alternativa ao poder das classes dominantes, como uma alternativa a um certo jeito de fazer política. No entanto, quando finalmente chegou lá, a sensação é de que a verdadeira motivação do PT não seria combater o sistema instituído, mas sim aproveitar um pouco do que os outros já tinham se beneficiado antes.

Mesmo com todas as recentes revelações, os integrantes do Governo Federal insistem em se colocar como "diferentes". A meu ver, esta hipocrisia é o segundo grande pecado deles. O primeiro - é importante sempre ter em mente, porque a gente acaba se acostumando - envolve a corrupção, o mau uso do dinheiro público, a cegueira corporativista. Nisso, eles são iguais aos outros.

Não critico os trabalhadores que queriam ver Chico Buarque e Caetano Veloso na Passeata dos Cem Mil e nem os pobres que queriam mais acesso ao consumo. Assim como não criticaria o PT se eles tivessem tido um pouco mais de coerência - antes ou agora. Antes, se fossem lúcidos e corajosos para não se apoiar em um discurso de mudança totalmente retórico, sem nenhuma intenção ou possibilidade de se tornar real. E no agora, se reconhecessem que não são diferentes de ninguém e tomassem providências para extirpar a parte podre do partido (considerando a hipótese de que os vermes estão só na parte podre e ainda não conseguiram contaminar todo o fruto).

Mas talvez este seja um pensamento que ocorra quando a gente está com a barriga cheia, debaixo de um teto seguro. Para quem vive em tamanho estado de penúria que chega a depender do valor de uma cesta básica, fica difícil se preocupar com o discurso do PT. O importante é que o presidente está botando comida na mesa. E como muita gente no Brasil ainda passa fome, aquele que resolve esse primeiro e imediato problema já conquista uma boa vantagem. Quem vai ter coragem de criticar o assistencialismo do Bolsa Família?

E num país com tantas carências, a história é recorrente. Basta lembrar a passagem do filme 2 Filhos de Francisco, em que o pai e os dois meninos cantam uma música "subversiva" na rádio. Eles não entendiam o conteúdo e, mesmo que entendessem, talvez não se mobilizassem. É difícil ser revolucionário quando falta educação que nos faça compreender as coisas e comida que nos dê forças para correr os riscos de fazer oposição.

Isso não significa que os pobres e analfabetos votem mal e os outros votem bem. Se não, as intenções de voto para o candidato à reeleição a presidente não estariam também tão significativas nas chamadas "classes altas", que são impactadas todos os dias com as notícias dos escândalos que rondam o governo. No entanto, quem tem acesso à informação deveria ter mais condições de votar com consciência e mais atitude para exigir.

O problema é que essas pessoas "qualificadas" às vezes não dão muita bola para o voto. Apesar de as alternativas não serem muito motivadoras, ainda acho melhor poder reclamar das opções disponíveis do que não ter a oportunidade de escolher.

Para ir além






Adriana Baggio
Curitiba, 28/9/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Thoreau, Mariátegui e a experiência americana de Celso A. Uequed Pitol
02. Esquerda x Direita de Marta Barcellos
03. O julgamento do mensalão à sombra do caso Dreyfus de Humberto Pereira da Silva
04. O Direito mediocrizado de Celso A. Uequed Pitol
05. A literatura infanto-juvenil que vem de longe de Marcelo Spalding


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2006
01. Dicas para você aparecer no Google - 9/3/2006
02. Eles vão invadir seu Orkut! - 9/2/2006
03. Cruzeiro marítimo: um espetáculo meio mambembe - 23/2/2006
04. O amor e as mulheres pelas letras de Carpinejar - 20/7/2006
05. Breve reflexão cultural sobre gaúchos e lagostas - 12/1/2006


Mais Especial Eleições 2006
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
27/9/2006
23h48min
Concordo em parte com o texto, e acho importante ressaltar mais um dado. Essa é a primeira eleição no Brasil onde o voto da classe média, ora chamados de "formadores de opinião", não está em consonância com o voto das classes mais baixas. Queiram ou não, as classes populares estão, depois de muito tempo, sentindo o efeito dos programas sociais do Governo Lula como ProUni e Bolsa-Família, por exemplo (não entro no mérito se são "bons" ou "ruins"). Depois de muito tempo abandonadas, essas pessoas são muito mais pragmáticas que nossa classe média. Por isso, também acho que é bobagem achar que pobre não sabe votar. Sabe, sim, e sabe muito melhor que muitos que andam por aí se intitulando intelectuais de vanguarda...
[Leia outros Comentários de Éder]
12/10/2006
09h09min
Em um país em que nós elegemos Maluf, Collor, sanguesugas, mensaleiros e, pasmém, Clodovil... esperar o que da politicada? O Brasil teve a grande chance de mudar, mas acho que nós nos acostumamos com a roubalheira, corrupção, impunidade e dinheiro na cueca.
[Leia outros Comentários de Alan]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




AS PARCEIRAS
LYA LUFT
SICILIANO
(1990)
R$ 5,00



OS SEGREDOS DA PRINCESA DE CADIGNAN
HONORÉ DE BALZAC
DPL
(2005)
R$ 8,87



O CASO DOMINIQUE-RELATO EXAUSTIVO DE TRATAMENTO ANALÍTICO DE UMA ADOLESCENTE
FRANCOISE DOLTO
ZAHAR
(1972)
R$ 40,00



STORIA SACRA
SAN GIOVANNI BOSCO
SEI
(1947)
R$ 140,07



DES. CAMINHOS
ADRI ALEIXO
PANTUÁ
(2014)
R$ 19,00



ITINERARIO DE SILVIO ROMERO
SYLVIO RABELLO
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1967)
R$ 5,00



A BELEZA DA AÇÃO INDIRETA
JOHN KAY
BEST SELLER
(2011)
R$ 40,00



OS INCUNÁBULOS DAS BIBLIOTECAS PORTUGUESAS VOL 1 CATALOGO
SECRETARIO DE ESTADO DA CULTURA
BIBLIOTECA NACIONAL DE LISBOA
(1995)
R$ 187,00



OS PENSADORES-NIETZSCHE
F. NIETZSCHE
ABRIL
(1983)
R$ 15,00



O TRIUNFO
JOHN KENNETH GALBRAITH
NOVA FRONTEIRA
(1968)
R$ 5,00





busca | avançada
49722 visitas/dia
2,6 milhões/mês