Luandino Vieira, o melhor de 2006 | Marcelo Spalding | Digestivo Cultural

busca | avançada
80302 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Liberdade Só - A Sombra da Montanha é a Montanha”: A Reflexão de Marisa Nunes na ART LAB Gallery
>>> Evento beneficente celebra as memórias de pais e filhos com menu de Neka M. Barreto e Martin Casilli
>>> Tião Carvalho participa de Terreiros Nômades Encontro com a Comunidade que reúne escola, família e c
>>> Inscrições abertas para 4ª Residência Artística Virtual Compartilhada
>>> Exposição 'Mundo Sensível dos Mitos' abre dia 29 de julho em Porto Alegre
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Marcelo Mirisola e o açougue virtual do Tinder
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
Colunistas
Últimos Posts
>>> A melhor análise da Nucoin (2024)
>>> Dario Amodei da Anthropic no In Good Company
>>> A história do PyTorch
>>> Leif Ove Andsnes na casa de Mozart em Viena
>>> O passado e o futuro da inteligência artificial
>>> Marcio Appel no Stock Pickers (2024)
>>> Jensen Huang aos formandos do Caltech
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
Últimos Posts
>>> Cortando despesas
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A mulher madura
>>> Banheiros
>>> Semana da Canção Brasileira
>>> Poesia vira imagem: Ronald Polito e Guto Lacaz
>>> Um imenso Portugal
>>> 6 anos esta noite
>>> As noites insanas de Zizi Possi
>>> Sobre cafés e diversão 0800
>>> Temporada de Gripe
>>> Você viveria sua vida de novo?
Mais Recentes
>>> Irmao E Irma de Joanna Trollope pela Record (2008)
>>> Livro Auto Ajuda Fora de Série Outliers Descubra Por Que Algumas Pessoas Têm Sucesso e Outras Não de Malcom Gladwell pela Sextante (2008)
>>> Livro Psicologia Psicoterapia de Grupo Um Guia de Abraham S. Luchins pela Cultrix (1964)
>>> As Gemeas Do Gelo de S.k. Tremayne pela Bertrand (2016)
>>> Livro Literatura Estrangeira As Brumas De Avalon O Prisioneiro Da Árvore Volume 4 de Marion Zimmer Bradley pela Imago (2008)
>>> Literatura Brasileira Capitalismo De Laços de Sérgio G. Lazzarini pela Bei (2018)
>>> Senhorita Ninguem de Tomek Tryzna pela Record (1999)
>>> Muito Carisma E Pouco Caráter de Renato Rubim pela Edificar (2006)
>>> Livro Literatura Estrangeira Minha Querida Sputnik de Haruki Murakami pela Objetiva, Afaguara (2008)
>>> Livro Artes John Dewey E O Ensino Da Arte No Brasil de Ana Mae Barbosa pela Cortez (2001)
>>> Gibis Blue Exorcist Volume 14 de Kazue Kato pela Jbc (2015)
>>> Diga Trinta E Três de Dr. Nick Trout pela Ediouro (2008)
>>> Livro História Geral Vila Madalena Crônica Histórica E Sentimental de Enio Squeff pela Boitempo (2002)
>>> Literatura Brasileira Operação Portuga de Sergio Xavier Filho pela Arquipélago
>>> Crescimento Integral Da Igreja de Pastor Paschoal Piragine Jr. pela Vida (2006)
>>> Livro Pedagogia Formação Continuada De Professores De Ciências de Luis Carlos De Menezes pela Nupes (2001)
>>> Começo Do Adeus: Aprendendo A Se Despedir de Anne Tyler pela Novo Conceito (2012)
>>> Almoço No Restaurante Da Saudade de Anne Tyler pela Mandarim (1998)
>>> Começo Do Adeus: Aprendendo A Se Despedir de Anne Tyler pela Novo Conceito (2012)
>>> Livro Guerra O Diário De Anne Frank de Alves Calado (tradução) pela Record2 (2014)
>>> Livro Sociologia Imagens De Ordem A Doutrina Católica Sobre Autoridade No Brasil, 1922-1933 Coleção Prismas de Romualdo Dias pela Unesp (1996)
>>> O Jogo Da Vida de Anne Tyler pela Mandarim (2000)
>>> Livro Literatura Estrangeira Hibisco Roxo de Chimamanda Ngozi Adichie pela Companhia Das Letras (2019)
>>> Tudo Pode Mudar de Jonathan Tropper pela Arqueiro (2012)
>>> A Arte Do Contorno Corporal: Uma Abordagem Abrangente de Al Aly/ Fabio Nahas pela Thieme Revinter
COLUNAS >>> Especial Melhores de 2006

Terça-feira, 19/12/2006
Luandino Vieira, o melhor de 2006
Marcelo Spalding
+ de 5700 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Num ano de presidente reeleito com votação consagradora, heróis da bola transformados em vilões, revista fazendo papel de panfleto e televisão fazendo as vezes de juiz eleitoral, quero eleger como melhor do ano um escritor que sequer é brasileiro, não escrevia nada de novo desde o começo dos anos 70 e rejeitou, em 2006, o maior prêmio literário da língua portuguesa. Seu nome: Luandino Vieira.

Comecemos falando do prêmio. Instituído em 1988 pelos governos de Portugal e do Brasil com o objetivo de "consagrar anualmente um autor de língua portuguesa que, pelo valor intrínseco da sua obra, tenha contribuído para o enriquecimento do patrimônio literário e cultural da língua comum", o Prêmio Camões concede ao vencedor a importante quantia de cem mil euros, ou seja, cerca de trezentos mil reais! Entre os ganhadores figuram nomes como os portugueses Miguel Torga, José Saramago e Sophia de Mello Breyner, os brasileiros João Cabral de Melo Neto, Jorge Amado, Rubem Fonseca e Lygia Fagundes Telles e o africano Pepetela. Nenhum deles, por óbvio, recusou-o.

Mas Luandino Vieira tem uma biografia muito própria e interessante, guardando mágoas de um tempo de guerras e coerência num tempo de volubilidades. Nascido em Portugal em 1935, foi ainda pequeno para Angola - então um país colonizado -, onde ao invés de ajudar seus patrícios no enriquecimento fácil, combateu ao lado dos angolanos no MPLA, movimento de guerrilha pela libertação de Angola. Em 1959 foi preso pela primeira vez e, em 1961, preso novamente e mandado para o Tarrafal, campo de concentração numa ilha inóspita para onde os presos de guerra eram enviados por Salazar. Enviados para morrer, mas incrivelmente Luandino permaneceu preso por oito anos, ao fim dos quais passou a viver em Lisboa em regime de residência vigiada.

Foi na prisão que o escritor produziu grande parte de sua obra, incluindo o famoso livro de contos Luuanda (Companhia das Letras, 2006, 144 págs.). Em suas três "estórias" - note aqui a influência de Guimarães Rosa -, Luandino foge de um realismo combativo, como se poderia esperar de um preso político, e mescla lirismo e crônica social de forma tão feliz que o livro, publicado em 1963, ganha o Prêmio Camilo Castelo Branco da Sociedade Portuguesa de Escritores em 1965. Na ocasião, o governo Salazar aproveitou a oportunidade para fechar a Sociedade e aumentar ainda mais a repressão cultural no país e nas colônias.

Repressão e guerra colonial que durariam ainda até 1974, quando ocorre a Revolução dos Cravos e cai o regime salazarista. No ano seguinte, 1975, os países africanos tornam-se independentes e Luandino volta a seu país e chega a participar do governo, mas com o fiasco das primeiras eleições livres e o recomeço de uma nova guerra civil, em 1992 decide regressar a Portugal e isola-se de tudo e de todos na fazenda de um amigo no Minho, onde se torna agricultor.

José Rodrigues, outro amigo do escritor, por ocasião da recusa afirmou: "Luandino tem seu mundo muito próprio, e por isso esta reação não me surpreende. A única coisa que me surpreenderia é se ele deixasse de escrever, mas tenho a certeza de que isto não acontecerá".

De fato, no começo de novembro de 2006, Luandino Vieira voltou à cena com a publicação pela editora portuguesa Editorial Caminho de O livro dos rios, primeiro volume de uma trilogia chamada De rios velhos e guerrilheiros. Além disso, também em 2006 a obra Luuanda ganhou nova edição pela Companhia das Letras, facilitando o acesso para os leitores contemporâneos deste acontecimento literário.

Diante da coincidência da recusa do prêmio em pleno ano em que voltou a publicar, não faltou quem acusasse o escritor de fazer marketing para promover seu novo romance ou chamar a atenção para sua figura, o que, cá entre nós, é uma heresia: primeiro porque ninguém rejeita ganhar 300 mil reais por marketing, muito menos um cidadão angolano ciente da quantidade de problemas sociais do seu país. Depois porque o romance de certo estava planejado há anos e escrito há tempos, e só o fato de um escritor premiado nos anos 60 voltar a escrever depois de trinta anos já despertaria interesse da mídia e do público.

As razões para a recusa do prêmio, portanto, são bem mais profundas e, até, anacrônicas. É preciso voltar no tempo, voltar a um tempo em que ideologia não era utopia, em que havia espaço para novas esperanças e homens dispostos a pegar em armas para lutar por elas. Verdade que a resposta foi cruel e em nome da luta foi derramado muito sangue, aniquilado muito sonho, devastado o país. Ainda hoje as minas são um problema sério em Angola, mais sério que os altos índices de analfabetismo, de miséria, de fome e da AIDS.

Por tudo isso não se pode deixar de saudar um ano em que o mesmo império português que prendeu e torturou um homem oferece a ele um prêmio. Um ano em que este homem, com hombridade e coerência, recusa tal prêmio. E, de quebra, no mesmo abençoado ano na vida da literatura angolana, lança o começo de uma trilogia esperada há pelo menos trinta anos.

Por tudo isso Luandino Vieira é o personagem deste 2006 para os leitores de língua portuguesa.

Para ir além






Marcelo Spalding
Porto Alegre, 19/12/2006

Mais Marcelo Spalding
Mais Acessadas de Marcelo Spalding em 2006
01. O centenário de Mario Quintana, o poeta passarinho - 8/8/2006
02. Um defeito de cor, um acerto de contas - 31/10/2006
03. Romanceiro da Inconfidência - 10/1/2006
04. As cicatrizes da África na Moçambique de Mia Couto - 5/12/2006
05. A literatura feminina de Adélia Prado - 25/7/2006


Mais Especial Melhores de 2006
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
19/12/2006
14h54min
Imagino que uma pessoa que vê seus ideais sendo desmembrados, ou melhor, que sente o mundo como um antagonista invencível (e o mundo é), tem motivos de sobra para atitudes como essa. Recusar um prêmio desses, que permitiria viver e escrever tranquilamente, não passa pela cabeça de nenhum escritor. Deve haver muita coisa, um grande e escuro sentimento de perda, no cerne dessa decisão. Falando friamente, não sei se isso é bom ou ruim para a literatura de Luandino Vieira - acho que é preciso garimpar sua obra para responder isso. Sua história, trágica, merece toda a simpatia e sua postura, sem dúvida, toda admiração.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
25/12/2006
22h37min
Sempre que um escritor recusa um prêmio literário, está considerando a literatura como coisa menor - do que a ideologia política, do que a visão filosófica, do que o trauma étnico etc. Luandino poderia recebê-lo e doá-lo a uma instituição de seu país tão sofrido, fundar uma ong etc. Recusá-lo simplesmente assim passa a idéia de que está acima dos países e das instituições, bem como de que considera o passado algo bem mais forte e significativo do que o futuro. Enquanto ele recusa o prêmio Camôes, milhares de escritores de língua portuguesa não conseguem sequer editar um livro e permanecem anônimos com obras extraordinárias, mas fora do circuito comercial. Não questiono os motivos íntimos e inconscientes que o levaram a essa atitude, mas é preciso contemplar o óbvio de que a colonização já terminou e essa é a língua que temos, ainda que em meio a tsunamis culturais.
[Leia outros Comentários de lucila nogueira]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




À Procura da Felicidade
Chris Gardner
Novo Conceito
(2011)



Revelando Um Acervo
Carlos Martins
Bei Comunicacao
(2000)



Maquiavel - Belfagor o Arquidiabo a Mandragora
Ciro Mioranza
Escala
(2007)



A Espada Selvagem de Conan 41
Conan
Panini Comics
(2021)



Livro Gibis Tempest
Senno Knife
Conrad
(2006)



Poesia brasileira/Romantismo
Valentim Facioli e Antonio Carlos Olivieri
Ática
(2011)



O Ateneu
Raul Pompeia
Nova Cultural
(2003)



365 dias com os salmos
Paulo Bazaglia
Paulus
(1994)



Solidariedade a Rede Como Mecanismo de Interação Social
Lia Regina Castaldi Sampaio
Interação



A Cruz de Roma
Pietro Mele
Das Américas





busca | avançada
80302 visitas/dia
2,1 milhões/mês