Mãe, lê pra mim? | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
46024 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Um ano de reflexões na Big Apple
>>> Steve Jobs apresentando o iPad
>>> De quantos modos um menino queima?
>>> Mastigar minhas relações
>>> Vaguidão específica
>>> As pedras de Estevão Azevedo
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Festa na floresta
>>> A crítica musical
>>> 26 de Julho #digestivo10anos
Mais Recentes
>>> Coleção para gostar de ler de Varios pela Atica (1985)
>>> Grande Enciclopédia de Modelismo - Cor e Pintura de Walquir Baptista de Moura - Produção pela Século Futuro
>>> Meu pequeno fim de Fabrício Marques pela Segrac (2002)
>>> Grande Enciclopédia de Modelismo - Materiais e Ferramentas de Walquir Baptista de Moura - Produção pela Século Futuro
>>> Livro Dicionário Enciclopédico Veja Larousse - Volume 1 de Eurípedes Alcântara , Diretor Editorial pela Abril (2006)
>>> O diário de Larissa de Larissa Manoela pela Harper Collins (2016)
>>> Corpo de delito de Patricia Cornwell pela Paralela (2000)
>>> A Arte da guerra de Sun Tzu pela Pé da letra (2016)
>>> O fio do bisturi de Tess Gerritsen pela Harper Collins (2016)
>>> A garota dinamarquesa de Davdid Ebershoff pela Fabrica 231 (2000)
>>> Uma auto biografia de Rita Lee pela Globo livros (2016)
>>> Songbook Caetano Veloso Volume 2 de Almir Chediak pela Lumiar
>>> A Sentinela de Lya Luft pela Record (2005)
>>> O teorema Katherine de John Green pela Intriseca (2006)
>>> Louco por viver de Roberto Shiyashiki pela Gente (2015)
>>> A ilha dos dissidentes de Barbara Morais pela Gutemberg (2013)
>>> Sentido e intertextualidade de Emanuel Cardoso Silva pela Unimarco (1997)
>>> Mistérios do Coração de Roberto Shinyashiki pela Gente (1990)
>>> Interrelacionamento das Ciências da Linguagem de Monica Rector Toledo Silva pela Edições Gernasa (1974)
>>> Sociologia e Desenvolvimento de Costa Pinto pela Civilização Brasileira (1963)
>>> O Coronel Chabert e Um Caso Tenebroso de Honoré de Balzac pela Otto Pierre Editores (1978)
>>> O golpe de 68 no Peru: Do caudilhismo ao nacionalismo? de Major Victor Villanueva pela Civilização Brasileira (1969)
>>> Recordações da casa dos mortos de Fiodor Dostoiévski pela Nova Alexandria (2006)
>>> Elric de Melniboné: a traição ao imperador de Michael Moorcock pela Generale (2015)
>>> O Príncipe de Nicolau Maquiavel pela Vozes de Bolso (2018)
>>> Deuses Americanos de Neil Gaiman pela Conrad (2002)
>>> Deus é inocente – a imprensa, não de Carlos Dorneles pela Globo (2003)
>>> Memórias do subsolo de Fiodor Dostoiévski pela 34 (2000)
>>> Songbook - Tom Jobim, Volume 3 de Almir Chediak pela Lumiar (1990)
>>> Comunicação e contra-hegemonia de Eduardo Granja Coutinho (org.) pela EdUFRJ (2008)
>>> Caetano Veloso Songbook V. 1 de Almir Chediak pela Lumiar
>>> Origami a Milenar Arte das Dobraduras de Carlos Genova pela Escrituras (2004)
>>> O vampiro Lestat de Anne Rice pela Rocco (1999)
>>> Nova enciclopédia ilustrada Folha volume 2 de Folha de São Paulo pela Publifolha (1996)
>>> Esperança para a família de Willie e Elaine Oliver pela Cpb (2018)
>>> Leituras do presente de Valdir Prigol pela Argos (2007)
>>> Insight de Daniel C. Luz pela Dvs (2001)
>>> Política e relações internacionais de Marcus Faro de Castro pela UnB (2005)
>>> Harry Potter e a Pedra Filosofal de J. K. Rowling pela Rocco (2000)
>>> Infinite Jest de David Foster Wallace pela Back Bay Books (1996)
>>> Nine Dragons de Michael Connelly pela Hieronymus (2009)
>>> The Innocent de Taylor Stevens pela Crown Publishers (2011)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> Filosofia Para Crianças e Adolescentes de Maria Luiza Silveira Teles pela Vozes (2008)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> Vida de São Francisco de Assis de Tomás de Celano pela Vozes (2018)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
COLUNAS

Sexta-feira, 24/9/2010
Mãe, lê pra mim?
Ana Elisa Ribeiro

+ de 4100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Toda vez que entro em um livro, cumpro um certo ritual, como se entrasse no mar, em um rio caudaloso ou em qualquer coisa que mereça cuidado e vênia. Não é de qualquer jeito que se entra num livro. Não é assim, sem prestar atenção a nada, como se se atravessasse uma rua erma. Para entrar em um livro é preciso medir a profundidade das palavras, olhar bem adiante e dimensionar, só com os primeiros passos, até onde se pode ir. Um livro pode afogar uma pessoa. E o afogamento em um livro não tem salvação, não tem resgate, não tem respiração boca a boca.

Quando me refiro a entrar em um livro, não penso apenas no dispositivo físico, aquele tijolinho de capa e miolo que lançam por aí, ultimamente, a torto e a direito. Não me refiro também a estes novos dispositivos sem páginas de folhear (no máximo, emulações malfeitas delas). Quando falo em livro penso, de fato, em um texto. É esse texto que tira o ar do leitor.

Ficar sem ar pode ser muito ruim. Pode ser a morte. Mas ficar sem ar pode ser emoção, pode ser um ataque de ansiedade. É desta última que estou falando, quando penso nos livros que li e que me lavaram a alma. E os fios da minha lembrança foram todos fisgados pelo livro de Lígia Cademartori, O professor e a literatura (Autêntica, 2009, 128 págs.), não por acaso vencedor do prêmio da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) de 2010.

Lá vai a autora pescando umas piabas da minha memória de leitora. Infância, adolescência e vida adulta. Aí já não tinha volta. Lá vem a autora me relembrar os livros que me fizeram subir os degraus da leitura. Naquela época (que nem está tão longe), as coleções eram outras e bem mais fininhas. O título O escaravelho do diabo causa sensação em muita gente da minha idade. Quem se esqueceu? E se eu disser que, quando conheci o escritor Marçal Aquino, meu frisson foi por causa do livro dele na coleção Vaga-Lume, e não por conta de livros mais recentes ou filmes do cinemão policial nacional?

Lígia Cademartori consegue uma façanha: falar ao professor (de literatura? Ou outro) sobre literatura e leitura, mas com uma linguagem simples, mas tão simples, que a gente começa a conversar com ela, a fazer anotações nas beiradas da página e, de repente, é como se tomássemos café na cozinha de casa. E a ideia é mesmo essa, já que o livro é parte de uma coleção (que deve crescer) chamada "Conversas com o professor". Lá vai Ligia Cademartori contando uns pedaços de uns livros clássicos, só pra a gente ficar com água na boca.

Além de ser uma obra que se lê "de uma sentada", como se diz aqui em Minas, a autora puxa mil fios da lembrança. E isso é um exercício gostoso. Quais são nossos livros infantis? O que é literatura infantil? Aqueles versos bobões de certos escritores subestimam a inteligência de nossas crianças, não é não? Lá vai a autora mostrar que grandes obras lidas por crianças não são escritas "para crianças". Os textos são tão bons que as crianças curtem, os adultos, os idosos e quem mais quiser. De outro lado estão aqueles livros feitos sob encomenda, como se criança fosse tapada.

Vivo esse conflito em casa todos os dias. Uma criança de 6 anos, aprendendo a ler descaradamente, habita a mesma casa que eu. Não lhe faltam livros e estantes cheias deles onde se pode fuçar, pescar volumes e os levar para a cama (o banheiro, a sala, a varanda). Aqui se lê onde se desejar. Há pilhas seletas de livros nos banheiros, na sala, na cozinha. São como cestas de frutas na casa de avó, entendem? É servir-se, pegar a maçã e dar nela uma dentada.

O conflito é que a oferta de livros de casa é muito superior (em quantidade e em qualidade) à da escola. Sabemos que nem sempre é assim, mas este caso particular é. Moram em nossas estantes muitos livros bacanas, não apenas bem-escritos e bem-ilustrados, mas bem-feitos mesmo, em sua totalidade. Bem-editados, pensados, gostosamente projetados. Alguns são traduções, muito bem-escolhidas, outros são de autores brasileiros.

A sessão de leitura da hora de dormir é a hora da mordida na maçã (maçã deliciosa, frise-se, e não aquelas das bruxas maldosas dos contos de fadas). Escolhe-se um livro (inclusive pode ser repetido, não tem problema), deita-se na cama, bem junto e abraçado, lê-se, comenta-se e, quando o sono chega, fecha-se o livro, que fica na cabeceira, pra entrar no sonho da gente.

Os livros que temos aqui foram escolhidos, colhidos no pé, às vezes com autógrafo e tudo, e colocados à diposição do leitor. Não foram comprados porque estavam baratinhos, só pra fazer número. Literatura para criança ler é coisa séria. Pode até não vingar no coração delas, mas vai que vinga? É preciso plantar boas sementes, de qualquer forma.

E vamos nesse ritmo, construindo os caminhos da literatura com bastante cuidado, misturando ler com prazer, dormindo abraçadinhos, quando, de repente, vem a ventaria dos "projetos" da escola. Mãos ao alto, todo mundo tem de ler um livro no final de semana, menino, volte aqui, pegue este livro e peça à sua mãe para ler com você, fazer a ficha, responder a estas questões e colorir no final da página. Lá se vai minha plantação de maçãzinhas frescas.

Mas sim, claro, ter obrigação de ler não é ruim. Todo mundo tem de lidar com obrigações na vida. Não se pode privar alguém disso para sempre. Nem tudo é lúdico, prazeroso, leve e fácil. Mas precisa vir um livro tão ruim? Que penoso é para o pequeno leitor e que penoso para os pais, que precisam fingir que aquele livro... não é maçã podre. Livros feitos com papel ruim, ilustração ruim e texto péssimo. Rimas infames, lições de vida, didatismo exagerado.

Cadê a literatura? A experiência literária é uma outra. Nela não cabe, empurrada, de qualquer jeito, uma lição sobre meio ambiente que mais se parece uma campanha. Nela não cabe aula de boas maneiras. Cabe lá é aquela surpresa que o texto literário faz a gente sentir. Os marcianos que roubam cuecas na Terra; o menino que queria porque queria um sapo; o garoto que enfrentou a bruxa montada num bode; a menina que recebeu a visita de um super-herói; a versão de atirei o pau no gato contada pelo gato. Essas surpresinhas vão deixando a gente animado para ler. Meu piá de 6 anos sabe disso. E depois que o livro acaba, sempre tem uma ilustraçãozinha sobrando, e lá vai ele contar o resto da história, inventando umas evoluções. Não é como esses livros que os pais compram no início do ano só para atender a lista de materiais da escola. Tenho certeza de que foi isso mesmo. Passa no supermercado, vê lá o que está mais barato e tasca na lista do guri. Depois a meninada fica o ano inteiro levando maçã podre para comer em casa. Até as maçãs das bruxas têm um veneno mais sincero.

Ligia Cademartori me deixou cheia de surpresinhas. Fiquei até com vontade de ler o que os meninos de hoje gostam de ler. Quem sabe eu sigo essa trilha duas vezes, pelas mãos de outros encantadores de leitores?

Para ir além






Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 24/9/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Vitrine das vaidades de Elisa Andrade Buzzo
02. 50 anos a mil, a vida de Lobão de Jorge Wagner
03. Uma visão de mestre do cinema de Marcela Tullii
04. Um sopro de vida na literatura de Ram Rajagopal
05. O crime e o castigo de um clássico de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2010
01. O menino mais bonito do mundo - 29/1/2010
02. Por que a Geração Y vai mal no ENEM? - 30/7/2010
03. Meu querido Magiclick - 12/2/2010
04. Palavrão também é gente - 26/2/2010
05. Caçar em campo alheio ou como escrever crônicas - 11/6/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
24/9/2010
07h54min
Ana, querida, sorte do Dudu por ter você! Sorte de todos nós que tivemos quem nos ajudou, ou por nós mesmos termos nos tornado viciados em maçãs suculentas e enormes, nacionais e importadas. Viva os livro-maçã que tiram o fôlego e a gente fica querendo devorar de uma vez e ao mesmo tempo querendo comer devagarinho!
[Leia outros Comentários de Dayse Vilas Boas]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SUCESSO NA PERSPECTIVA DE DEUS
WILDO DOS ANJOS
ANGELS
(2017)
R$ 17,00



IMPERIAL WOMAN (CAPA DURA)
PEARL S. BUCK
THE JOHN DAY COMPANY
(1956)
R$ 8,28



NEFROLOGIA UMA ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR
WILLIAM MALAGUTTI
RUBIO
(2012)
R$ 113,77



BOLETIM DE PSIQUIATRIA VOL. VI - Nº 1 DE 1973
DARCY DE MENDONÇA UCHÔA (RESPONSÁVEL)
DEPTO PSIQUIATRIA E PSICOLOGIA
(1973)
R$ 22,28



SUPERINTERESSANTE MÁFIA Nº 262
VARIOS AUTORES
ABRIL
(2009)
R$ 5,99



OS POEMAS SUSPENSOS
ALBERTO MUSSA
RECORD
(2006)
R$ 33,00
+ frete grátis



ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS - EDIÇÃO COMPACTA
MARCO AURÉLIO P. DIAS
ATLAS
(1995)
R$ 15,00



SEBASTIANA QUEBRA-GALHO
NENZINHA MACHADO SALLES
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1995)
R$ 7,00



IRACEMA
JOSÉ DE ALENCAR
IMPRENSA UNIVERSITÁRIA CEARÁ
(1965)
R$ 40,00



TRANSCENDENTAL MAGIC
ELIPHAS LEVI
SAMUEL WEISER
(1986)
R$ 150,00





busca | avançada
46024 visitas/dia
1,1 milhão/mês