Uma tese em três minutos | Carla Ceres | Digestivo Cultural

busca | avançada
77579 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Clássico de Charles Dickens retrata as misérias sociais da industrialização inglesa
>>> Clube latino-americano de Jazz por streaming terá transmissão gratuita no Brasil
>>> Fora da Casinha realizará apresentações circenses virtuais voltadas para toda família
>>> As Clês narram as vozes femininas do mundo
>>> Programa DIVERSAS estreia na Rádio USP dia 11 de março
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Tiro ao alvo
>>> A TETRALOGIA BUARQUEANA
>>> Bom de bico
>>> Diário oxigenado
>>> Canção corações separados
>>> Relógio de pulso
>>> Centopéia perambulante
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A melhor versão shakespeariana de Kurosawa
>>> Cultura às moscas
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Sobre A Produção Contemporânea
>>> Ingmar Bergman, cada um tem o seu
>>> Entrevista com GermanoCWB
>>> A palavra silenciosa
>>> O menino e o Homem Aranha
>>> À beira do caminho
>>> William Faulkner e a aposta de Pascal
Mais Recentes
>>> Pra que serve Matemática ? Geometria de Imenes- Jakubo - Lellis pela Atual
>>> Mário Pedrosa, Retratos do Exílio de Carlos Eduardo de Senna Figueiredo pela Antares (1982)
>>> Pra Que Serve Matemática ? Semelhança de Imenes- Jakubo - Lellis pela Atual
>>> Pra Que Serve Matemática ? Equação do 2º Grau de Imenes- Jakubo - Lellis pela Atual
>>> Pra Que Serve Matemática ? Álgebra de Imenes- Jakubo - Lellis pela Atual
>>> A Viagem de Uma Alma de Peter Richelieu pela Pensamento (1972)
>>> Harry Potter e a Ordem da Fênix de J. K. Rowling pela Rocco (2003)
>>> O Sorriso do Lagarto de João Ubaldo Ribeiro pela Nova Fronteira (1989)
>>> As 10 Mulheres Que Você Vai Ser Até os 35 de Alison James pela Best Seller (2009)
>>> Histórias Extraordinárias de Edgar Allan Poe pela Martin Claret (2001)
>>> Cascata de Luz de Irene Pacheco Machado pela Recanto
>>> O Amanhã a Deus Pertence de Zibia Gasparetto pela Vida & Consciência (2006)
>>> A Insustentável Leveza do Ser de Milan Kundera pela Rio Gráfica
>>> Sheila Levine Está Morta e Vivendo Em Nova York de Gail Parent pela Bertrand Brasil (2007)
>>> Espelho Meu de Edgar J. Hyde pela Ciranda Cultural (2010)
>>> A 2ª Morte de R a Ranieri pela Edifrater (1997)
>>> O Melhor de Mim de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2014)
>>> Cem Melhoramentos Crônicas (que, na Verdade, São 129) de Mario Prata pela Planeta (2007)
>>> Pare de Sofrer de Zibia Gasparetto pela Vida e Consciência (1997)
>>> Harmonização de Francisco Cândido Xavier pela Geem
>>> Mulheres Alteradas 1 de Maitena pela Rocco
>>> Vernon God Little de Dbc Pierre pela Record (2004)
>>> Seja Líder de Si Mesmo de Augusto Cury pela Sextante (2004)
>>> Crônicas para Gostar de Ler Volume 5 de Carlos Drummond de Andrade pela Atica
>>> As Ilusões Perdidas de Honor é de Balzac pela Victor Civita
COLUNAS

Quinta-feira, 5/9/2013
Uma tese em três minutos
Carla Ceres

+ de 3900 Acessos

Bem que eu tentei me convidar para assistir à defesa de tese de um amigo na Universidade Estadual de Campinas, mas o mais novo doutor em Teoria Literária se esqueceu de aceitar meu autoconvite. Devo agradecer? Talvez. Segundo estimativa da Universidade de Queensland, Austrália, uma tese de oitenta mil palavras levaria nove horas para ser apresentada. Não é à toa que a maioria dos alunos de pós faz aquela cara de "É complicado" e muda de assunto quando alguém lhes pergunta sobre seu trabalho de conclusão de curso. Mestrandos e doutorandos dizem algo como "Você não vai querer saber. Eu mesmo não aguento mais pensar sobre isso".

Compreendo essa reação. O êxito em um curso de alto nível requer trabalho exaustivo e poucas pessoas fora da banca examinadora podem compreender a pesquisa em profundidade. Mas acontece que eu quero saber sim e muitas outras pessoas se interessariam se os projetos de pesquisa fossem explicados em linguagem clara e atraente.

Inventores não costumam se fazer de rogados quando lhes perguntam sobre seus projetos. Dê a eles uma oportunidade e verá como falam pelos cotovelos e acabam arrastando o perguntador para conhecer seus protótipos. Demonstram um entusiasmo contagiante e raramente subestimam a inteligência dos interlocutores. Já o pessoal acadêmico, com admiráveis exceções, parece pesquisar apenas para conseguir um título e vantagens profissionais. Obtido um cargo confortável, deitam-se sobre os louros e não escrevem nem um mísero artigo científico se não forem coagidos a isso. Falta-lhes paixão. Sua apatia contamina os alunos e aumenta os lucros das firmas que vendem trabalhos de conclusão de curso.

Precisamos formar futuros pesquisadores apaixonados por suas áreas de atuação. Além da velha ladainha sobre professores bem pagos e bem formados atuando no ensino básico, os pesquisadores atuais poderiam contribuir dedicando parte de seu tempo a atividades de divulgação científica. Qualquer pós-graduando deveria ser capaz de falar sobre seus estudos com quem se interessasse. Não espero que sujeite os leigos curiosos que lhe caírem nas garras a nove horas de explicações detalhadas sobre o cultivo de células-tronco, ou os avanços na criação de marcadores luminescentes para exames laboratoriais. Mas bem que poderiam, pelo menos, dizer o título do trabalho, algo como Linguagem, aprendizagem e sociedade: como a estrutura populacional pode moldar o modo como se fala. É um golpe baixo porque esse palavrório todo assusta quem não se habituou à linguagem acadêmica. Provavelmente, a pessoa vai se dar por satisfeita e mudar de assunto.

Quem persistisse em novas perguntas mereceria uma resposta entusiasmada e compreensível como "É um assunto muito legal. Você deve saber que algumas línguas são mais complexas do que outras. Acontece que a língua portuguesa, o inglês, o mandarim, o alemão são as línguas mais simples do mundo se nós as compararmos, por exemplo, ao tariano, língua ultracomplexa falada na Amazônia. Em tariano, se eu quiser dizer 'choveu', vou ter que usar uma palavra diferente dependendo de como obtive essa informação. Eu vi chover, ouvi chover ou alguém me contou que choveu? Cada caso, exige uma palavra específica. Estou pesquisando o que torna uma língua mais complexa do que outras. Descobri que a variação no grau de complexidade pode estar relacionada a fatores como o número de falantes. A língua tariana, por exemplo, tem apenas 150 falantes. Parece que quanto maior o número de falantes, mais simples o idioma se torna. Quero descobrir se isso realmente acontece e determinar o motivo".

Eu não inventei essa pesquisa nem sua explicação. Elas foram apresentadas por seu autor Mark Atkinson, aluno de PhD da Universidade de Edimburgo, Escócia, durante uma competição internacional chamada Three Minute Thesis. A ideia do concurso nasceu na Universidade de Queensland e foi ganhando a adesão de outras universidades pelo mundo. Todos os competidores precisam ser alunos de PhD e apresentar suas teses em três minutos e um slide, para uma plateia de pessoas inteligentes que não sejam especialistas no assunto. Os jurados não avaliam a tese em si, mas a apresentação, que deve ser clara, empolgante e interessante.

A final da Universidade de Edimburgo teve nove participantes falando sobre suas pesquisas nas áreas de medicina, psicologia, bioquímica, linguística computacional... Alguns se mostraram mais desembaraçados e aproveitaram melhor seus três minutos, mas todos foram claros. Pretendo acompanhar a grande final online, porque divulgação científica bem feita é admirável.

Nota do Editor
Carla Ceres mantém o blog Algo além dos Livros. http://carlaceres.blogspot.com/


Carla Ceres
Piracicaba, 5/9/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A clepsidra e os livros de areia de Daniela Kahn
02. Ação e Reação, de Jean Starobinski de Ricardo de Mattos
03. Figurinhas de Juliano Maesano
04. Casa de espelhos de Daniela Sandler


Mais Carla Ceres
Mais Acessadas de Carla Ceres em 2013
01. Histórias de gatos - 4/4/2013
02. Um livro canibal - 9/5/2013
03. Em busca de cristãos e especiarias - 7/11/2013
04. Autodidatas e os copistas da vez - 7/2/2013
05. Brasileiros aprendendo em inglês - 17/1/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Raiozinho e a furiosa
Mauricio de Sousa
Melhoramentos
(2013)
R$ 10,00



A Entidade - Gênero Terror
Frank de Felitta
Circulo do Livro
(1987)
R$ 17,87



The Story of Textiles
Perry Walton
Tudor
(1937)
R$ 79,37



Minhas memórias dos Monteiro Lobatos
Nelson Palma Travassos
Clube do livro
(1974)
R$ 28,00



O Direito Internacional Privado na Organização dos Estados Americanos
Wilson de Souza Campos Batalha
Ltr
(1997)
R$ 24,99



Zen no dia a dia
C. Alexander Simpkins; Annellen Simpkins
Jbc
(2009)
R$ 25,00



Istoé Guia da Saúde Familiar Diabetes
Dr. Rudy W. Bilous
Istóe
(1999)
R$ 5,00



A Fonte de Israel
James A. Michener
José Olympo
R$ 5,00



Temas De Integração - Vol. III - 1º Semestre - Nº 05
Associação De Estudos Europeus
Almedina Matriz
(1999)
R$ 88,00



Os Objectos Flutuantes À Redescoberta da Relação de Ajuda
Philippe Caillé Yveline Rey
Climepsi
(2003)
R$ 32,38





busca | avançada
77579 visitas/dia
2,1 milhões/mês