Gabo, os escritores e a política | Wellington Machado | Digestivo Cultural

busca | avançada
30036 visitas/dia
773 mil/mês
Mais Recentes
>>> Segundas de julho têm sessões extras do espetáculo À Espera
>>> Circo dos Sonhos, do ator Marcos Frota, desembarca no Shopping Metrô Itaquera
>>> Startup brasileira levará pessoas de baixa renda para intercâmbio gratuito fora do país
>>> Filho de suicida, padre lança livro sobre o tema
>>> LANÇAMENTO DO LIVRO "DIALÓGOS DE UM RABINO REFLEXÕES PARA UM MUNDO DE MONÓLOGOS" DE MICHEL SCHLESI
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O dia em que não conheci Chico Buarque
>>> Um Furto
>>> Mais outro cais
>>> A falta que Tom Wolfe fará
>>> O massacre da primavera
>>> Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
>>> Cães, a fúria da pintura de Egas Francisco
>>> O Vendedor de Passados
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Sob o mesmo teto
>>> O alívio das vias aéreas
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES II
>>> Honra ao mérito
>>> Em edição 'familiar', João Rock chega à 17ª edição
>>> PATÉTICA
>>> Presságios. E chaves III
>>> Minha história com Philip Roth
>>> Lars Von Trier não foi feito para Cannes
>>> O brasileiro e a controvérsia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A Erva do Diabo, de Carlos Castaneda
>>> Recordações da casa dos mortos
>>> Viral Loop, de Adam Penenberg
>>> Lauro Machado Coelho
>>> Voltar com ex e café requentado
>>> O Agressor, de Rosário Fusco
>>> Elke Coelho e a estética glacial-conceitual
>>> Como escrever bem - parte 3
>>> Como escrever bem - parte 3
>>> Maria Rezende no Sesc BH
Mais Recentes
>>> Apontamentos para a História da Revolução Rio-grandense de 1893
>>> Einstein Apaixonado + Um romance científico
>>> Leonardo, o primeiro cientista
>>> Envie Meu Dicionário + Cartas e Alguma Crítica
>>> O Segredo de Guilherme Storitz
>>> A selva do dinheiro + Histórias clássicas do inferno econômico
>>> Oscarito Nosso Oscar de Ouro
>>> A Nudez da Verdade
>>> Emoções em Prosa e Verso
>>> A Telessaúde no Brasil e a Inovação Tcnológica na Atenção ...
>>> O Pagador de Promessas
>>> O Caçador das Bolachas Perdidas
>>> Juizado Especial: Criação Instalação, Funcionamento e a ...
>>> Meu Querido Canibal
>>> Anjo de Quatro Patas
>>> Vencendo Aflições, Alcançando Milagres
>>> Eles Pedem em Casamento, Elas Pedem o Divórcio
>>> Procurando Firme
>>> Ensino Holístico da Medicina
>>> Depressão e Autoconhecimento: Como Extrair Preciosas Lições ...
>>> Utopia?
>>> Resistência: a História de uma Mulher Que Desafiou Hitler
>>> Uma Herença Preciosa
>>> Prazer uma Abordagem Criativa da Vida
>>> O Retorno Financeiro de Programas de Promoção da Segurança, ...
>>> Confissão de uma Harpista
>>> Os Mestres de Gurdjieff
>>> Proposta para uma Graduação Médica Contemporânea
>>> O Tao da Física
>>> O Santeiro do Mangue e Outros Poemas
>>> Português para Concursos
>>> Bola na Rede: a Batalha do Bi
>>> Paulo Francis Polemista Profissional
>>> Fisiologia e Fisiopatologia do Hormônio de Crescimento
>>> Ser Médico no Brasil - o Presente no Passado
>>> Padre Severino da Pessoa ao Instituto
>>> Micropoderes Macroviolencias
>>> Educação e Tecnologias no Brasil
>>> Cultura e Tecnologias no Brasil
>>> Hupe - Série Rotinas Hospitalares Pediatria 2 Volumes
>>> A Exposição Oral nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental - Vol. 3
>>> O Reverso da Logística e as Questões Ambientais no Brasil
>>> Gestão Financeira de Fundos de Pensão
>>> Águias Terrestres - uma Missão Planetária
>>> Homem de Montana
>>> Freud - Pensamento Vivo
>>> Manuelzão e Miguilim
>>> O Poder dos Pêndulos
>>> Confesso Que Vivi
>>> Em Cantos do Ser
COLUNAS

Quarta-feira, 14/5/2014
Gabo, os escritores e a política
Wellington Machado

+ de 3100 Acessos

Não poderia ter sido melhor a cobertura feita pela imprensa acerca morte de Gabriel García Marquez, o Gabo, a se considerar a quantidade e a qualidade dos conteúdos publicados. Nos jornais e revistas impressos, uma quantidade incomum (para os dias atuais) de páginas foi dedicada ao escritor, valendo-se de gráficos, tabelas, material infográfico etc. Igualmente ricas foram as matérias publicadas nos diversos sites de jornais do mundo inteiro. Entretanto, na maioria das abordagens, no mar de loas biográficas e literárias justificadamente atribuídas a Gabo, foi citado o seu envolvimento com Fidel Castro, como se essa amizade representasse um único "senão" em toda a história do autor de Cem Anos de Solidão. O paralelo comparativo entre a obra de Gabo e uma suposta "insanidade" do autor na sua aproximação com o líder cubano soou equânime, arranhando de forma injusta a monumental obra do escritor. Parece haver uma dificuldade em dissociar estética de posicionamento político nas análises feitas na mídia.

O histórico de envolvimento de escritores e intelectuais com a política, em sua maioria, demonstra-se desastroso. Caberia pensar até que ponto vale a pena os escritores se engajarem ideologicamente, se aliando a partidos, correntes ou personalidades, posto que comprovadamente tal postura afeta a avaliação das suas respectivas obras - quando elas não são distorcidas. É imperativa a ideia de que o escritor tem de ser intelectualmente engajado? Um exemplo patente aqui no Brasil foi o envolvimento de Graciliano Ramos com o Partido Comunista. Numa tentativa malfadada de se levantar contra o governo Vargas, em 1935, o escritor ficou detido por mais de um ano no Rio de Janeiro.

Os exemplos de escritores que tiveram suas biografias manchadas pelas suas inserções políticas pululam por todo lado. Recentemente, com a publicação autorizada dos cadernos pessoais de Heidegger, confirmou-se o seu envolvimento com o nazismo no período de 1933 a 1945 - bem como os escritores Louis-Ferdinand Céline e Gunter Grass, cada um à sua maneira. Impossível não lembrar de algumas concordâncias dos argentinos Jorge Luis Borges e Ernesto Sabato com algumas medidas polêmicas do ditador Rafael Videla. Já Mario Vargas Llosa levou ao extremo a questão do engajamento político ao tentar se eleger presidente do Peru, em 1990. Ainda que a "mosca azul" tenha lhe seduzido, o escritor peruano se arrependeu amargamente da empreitada, retomando prontamente a carreira de escritor.

Mas o engajamento político não pode ser confundido, creio, com questionamento político. A história nos mostra a importância da atuação dos escritores (e artistas em geral) que lutaram contra a ditadura no Brasil - muitos deles sendo presos, inclusive. Recentemente, o escritor Luis Ruffato se destacou na Feira do Livro de Frankfurt ao fazer duras críticas ao Brasil. Ele destacou a imaturidade e despreparo do país ao lidar com questões como homofobia, violência e desigualdades sociais.

O escritor português José Saramago foi quem mais sofreu com essa contaminação político-ideológica nas análises das suas obras, pelo simples fato de ele ter-se declarado comunista. Não era incomum a imprensa conservadora fazer críticas aos livros do escritor, exaltando sua lente comunista em detrimento da sua qualidade estética. Por outro lado, a imprensa com viés esquerdista, frequentemente exaltava seus livros não pela sua qualidade intrínseca, mas justamente pelo fato de o escritor ser comunista. Essa divisão sempre foi detectável no trato da obra de Saramago no Brasil.

Não seria mais prudente um escritor trazer suas convicções e questionamentos para dentro de suas obras? O próprio Saramago fez isso com maestria em alguns de seus livros. A crítica à gana capitalista está subentendida no romance A caverna. A narrativa aborda a decadência financeira de Cipriano, um oleiro que vivia da venda de sua louça, produzida artesanalmente. A sua vida se desmorona quando é instalado na comunidade um grande centro de compras (shopping), onde passaram a ser vendidos vasos mais baratos que os do oleiro: a produção em massa aniquilou a artesanal. No livro Ensaio sobre a lucidez o foco é a insatisfação com a classe política. A população de uma cidade decide, de forma unânime, a votar em branco numa eleição, como um levante contra a falta de opção, a incompetência dos candidatos a ocuparem cargos públicos.

Parece haver uma exigência de que o escritor tenha, necessariamente, de ser um intelectual atuante, como se fosse um passaporte para a valorização de sua obra. Não é raro, nos acontecimentos mundiais mais marcantes, nas mais variadas instâncias, a imprensa procurar escritores para emitirem sua opinião (é certo que muitos adoram esse assédio). Não é raro encontrarmos respostas generalistas - quando não estapafúrdias. Haveria algo de errado em o artista ser essencialmente um esteta em tempo integral, com o compromisso exclusivo com a arte imaginativa?

Lembro bem da participação do escritor carioca Alberto Mussa na Bienal do Livro de Minas, há alguns poucos anos. Após um debate com outros escritores, foi aberto um espaço para perguntas da plateia. Um aluno de filosofia tomou a palavra e começou a elaborar uma pergunta permeada de digressões, amparada em citações filosóficas previamente anotadas, cheia de nuances ideológicas, como se a intenção fosse encostar o escritor na parede ou deixá-lo de saia justa. Aquele tipo de pergunta em que se pretende ser mais brilhante no questionamento do que na resposta. Mussa, de forma humilde, após ouvir pacientemente a elaboração cheia de tentáculos do aluno "desafiante", pegou o microfone e, de forma objetiva, disse: "não sei responder".


Wellington Machado
Belo Horizonte, 14/5/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O massacre da primavera de Renato Alessandro dos Santos
02. Sebastião Rodrigues Maia, ou Maia, Tim Maia de Renato Alessandro dos Santos
03. Corot em exposição de Jardel Dias Cavalcanti
04. Minha plantinha de estimação de Elisa Andrade Buzzo
05. Uma suposta I.C. de Elisa Andrade Buzzo


Mais Wellington Machado
Mais Acessadas de Wellington Machado em 2014
01. Marcador de página inteligente - 3/9/2014
02. Gullar X Nunos Ramos: o dilema da arte - 6/8/2014
03. Ninfomaníaca: um ensaio sob forma de cinema - 12/2/2014
04. O luto e o luto de Valter Hugo Mãe - 2/7/2014
05. Gabo, os escritores e a política - 14/5/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ANTÔNIA - AUTOGRAFADO
ALEXANDRE SALEM SZKLO
SETTE LETRAS
(1996)
R$ 12,00



AMOR & CIA. LTDA. - PASCHOAL MELANTÔNIO (LITERATURA BRASILEIRA)
PASCHOAL MELANTÔNIO
PRVDENTIA
(1970)
R$ 8,00



TERRAS E POVOS MISTERIOSOS
JIM HICKS
ABRIL LIVROS
(1995)
R$ 10,00



INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA - VOLUME ÚNICO
MAURÍCIO KISCHNHEVSKY / OTTON TEIXEIRA
FAPERJCEDERJ
(2005)
R$ 15,90



UMA CURVA NO TEMPO
DANI ATKINS
ARQUEIRO
(2015)
R$ 8,30



O AMERICANO TRANQUILO
GRAHAM GREENE
ABRIL
(1981)
R$ 8,00



O ENFORCADO DE SAINT - PHOLIEN
SIMENON
COMPANHIA DAS LETRAS
(2018)
R$ 10,00



THE NEW EIGHTEENTH-CENTURY STYLE HARDCOVER - DECEMBER 1, 2006
BY MICHELE LALANDE (AUTHOR),‎ GILLES TRILLARD (PHOTOGRAPHER),‎ LAUREL HIRSCH (TRANSLATOR) 4.0 OUT OF 5 STARS 16 CUSTOMER REVIEWS
EUROPA
(2018)
R$ 120,00



FARDA FARDÃO CAMISOLA DE DORMIR
JORGE AMADO
RECORD
(1979)
R$ 8,99



A PESQUISA EM ARTE
SILVIO ZAMBONI
AUTORES ASSOCIADOS
(2002)
R$ 21,00





busca | avançada
30036 visitas/dia
773 mil/mês