Gabo, os escritores e a política | Wellington Machado | Digestivo Cultural

busca | avançada
58257 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Sessão Única com Jogo de Escape Game e debate do filme 'Os Bravos Nunca se Calam' em SP
>>> OBRAS INSPIRADAS DURANTE A PANDEMIA GANHAM DESTAQUE NO INSTITUTO CERVANTES, EM SÃO PAULO
>>> Sempre Um Papo com Silvio Almeida
>>> FESTIVAL DE ORQUESTRAS JUVENIS
>>> XIII Festival de Cinema da Fronteira divulga Programação
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
>>> Sem chance
>>> Imcomparável
>>> Saudade indomável
>>> Às avessas
>>> Amigo do tempo
>>> Desapega, só um pouquinho.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> iPad
>>> iPad
>>> iPad
>>> Sátiro e ninfa, óleo s/ tela em 7 fotos e 4 movies
>>> poeta del vacío existencial
>>> Croft & Kidman
>>> Histórias de gatos
>>> Whitesnake, 1987
>>> Por que Dilma tem de sair agora
>>> A árvore da vida
Mais Recentes
>>> Memórias de Adriano de Marguerite Yourcenar pela Record (1951)
>>> O Investidor Inteligente de Benjamin Graham pela Harper Collins (2017)
>>> Livro - O Boi Cor-de-rosa de Jorge Miguel Marinho pela Peirópolis (2007)
>>> O herói improvável da sala 13B de Teresa Toten pela Bertrand Brasil (2016)
>>> Estrela Distante - Coleção Folha Literatura Íbero-Americana de Roberto Bolaño pela Folha de S. Paulo (2012)
>>> Livro - A Fábula da Convivência de Lecticia Dansa; Salmo Dansa pela Ftd (2002)
>>> Obras de Edgar Allan Poe de Edgar Allan Poe pela Pandorga
>>> Livro - Meu Primeiro Livro de Contos de Fadas de Mary Hoffman pela Companhia das Letrinhas (2014)
>>> Atlas da Culinária na Baía de Todos os Santos de Jailson de Andrade, Vanessa Hatje, Gal Meirelles, Núbia Ribeiro pela Edufba (2013)
>>> Morri Para Viver de Andressa Urach pela Planeta (2015)
>>> Livro - A Civilização Inca de Rosana Bond pela Atica (2015)
>>> Abril Vermelho de Santiago Roncagliolo pela Alfaguara (2007)
>>> Ansiedade 3 Ciúme o medo da perda acelera a perda de Augusto Cury pela Benvirá
>>> Marx (Sem Ismos) de Francisco Fernández Buey pela Ufrj (2022)
>>> Livro - A Ave-maria de Natália Maccari pela Paulinas (2013)
>>> A Arte de ter Razão de Arthur Schopenhauer pela Martins Fontes (2017)
>>> Um pedido às estrelas de Priscille Sibley pela Benvirá (2013)
>>> Livro - Sambura de Lendas de Blandina Franco e José Carlos Lollo pela Leya (2011)
>>> Em má companhia/ O músico cego - 2 volumes de Vladimir Korolenko pela Carambaia (2016)
>>> Conversas com Gestores de Ações Brasileiros de Luciana Seabra pela Penguin (2018)
>>> Pérolas Negras Primeiros Fios: Experiências Artísticas e Culturais nos Fluxos Entre África e Brasil de Roberto Conduru pela EdUerj (2013)
>>> Socorro, caí dentro do videogame de Dustin Brady pela Milk Shakespeare (2021)
>>> Livro - X-Men - Mutant Genesis de Chris Claremont, Jim Lee pela Marvel
>>> Livro - Dicionário Infantil Ilustrado de Douglas Tufano pela Moderna (2011)
>>> O Conde de Monte Cristo de Heloisa Prieto pela Ftd (2014)
COLUNAS

Quarta-feira, 14/5/2014
Gabo, os escritores e a política
Wellington Machado

+ de 4000 Acessos

Não poderia ter sido melhor a cobertura feita pela imprensa acerca morte de Gabriel García Marquez, o Gabo, a se considerar a quantidade e a qualidade dos conteúdos publicados. Nos jornais e revistas impressos, uma quantidade incomum (para os dias atuais) de páginas foi dedicada ao escritor, valendo-se de gráficos, tabelas, material infográfico etc. Igualmente ricas foram as matérias publicadas nos diversos sites de jornais do mundo inteiro. Entretanto, na maioria das abordagens, no mar de loas biográficas e literárias justificadamente atribuídas a Gabo, foi citado o seu envolvimento com Fidel Castro, como se essa amizade representasse um único "senão" em toda a história do autor de Cem Anos de Solidão. O paralelo comparativo entre a obra de Gabo e uma suposta "insanidade" do autor na sua aproximação com o líder cubano soou equânime, arranhando de forma injusta a monumental obra do escritor. Parece haver uma dificuldade em dissociar estética de posicionamento político nas análises feitas na mídia.

O histórico de envolvimento de escritores e intelectuais com a política, em sua maioria, demonstra-se desastroso. Caberia pensar até que ponto vale a pena os escritores se engajarem ideologicamente, se aliando a partidos, correntes ou personalidades, posto que comprovadamente tal postura afeta a avaliação das suas respectivas obras - quando elas não são distorcidas. É imperativa a ideia de que o escritor tem de ser intelectualmente engajado? Um exemplo patente aqui no Brasil foi o envolvimento de Graciliano Ramos com o Partido Comunista. Numa tentativa malfadada de se levantar contra o governo Vargas, em 1935, o escritor ficou detido por mais de um ano no Rio de Janeiro.

Os exemplos de escritores que tiveram suas biografias manchadas pelas suas inserções políticas pululam por todo lado. Recentemente, com a publicação autorizada dos cadernos pessoais de Heidegger, confirmou-se o seu envolvimento com o nazismo no período de 1933 a 1945 - bem como os escritores Louis-Ferdinand Céline e Gunter Grass, cada um à sua maneira. Impossível não lembrar de algumas concordâncias dos argentinos Jorge Luis Borges e Ernesto Sabato com algumas medidas polêmicas do ditador Rafael Videla. Já Mario Vargas Llosa levou ao extremo a questão do engajamento político ao tentar se eleger presidente do Peru, em 1990. Ainda que a "mosca azul" tenha lhe seduzido, o escritor peruano se arrependeu amargamente da empreitada, retomando prontamente a carreira de escritor.

Mas o engajamento político não pode ser confundido, creio, com questionamento político. A história nos mostra a importância da atuação dos escritores (e artistas em geral) que lutaram contra a ditadura no Brasil - muitos deles sendo presos, inclusive. Recentemente, o escritor Luis Ruffato se destacou na Feira do Livro de Frankfurt ao fazer duras críticas ao Brasil. Ele destacou a imaturidade e despreparo do país ao lidar com questões como homofobia, violência e desigualdades sociais.

O escritor português José Saramago foi quem mais sofreu com essa contaminação político-ideológica nas análises das suas obras, pelo simples fato de ele ter-se declarado comunista. Não era incomum a imprensa conservadora fazer críticas aos livros do escritor, exaltando sua lente comunista em detrimento da sua qualidade estética. Por outro lado, a imprensa com viés esquerdista, frequentemente exaltava seus livros não pela sua qualidade intrínseca, mas justamente pelo fato de o escritor ser comunista. Essa divisão sempre foi detectável no trato da obra de Saramago no Brasil.

Não seria mais prudente um escritor trazer suas convicções e questionamentos para dentro de suas obras? O próprio Saramago fez isso com maestria em alguns de seus livros. A crítica à gana capitalista está subentendida no romance A caverna. A narrativa aborda a decadência financeira de Cipriano, um oleiro que vivia da venda de sua louça, produzida artesanalmente. A sua vida se desmorona quando é instalado na comunidade um grande centro de compras (shopping), onde passaram a ser vendidos vasos mais baratos que os do oleiro: a produção em massa aniquilou a artesanal. No livro Ensaio sobre a lucidez o foco é a insatisfação com a classe política. A população de uma cidade decide, de forma unânime, a votar em branco numa eleição, como um levante contra a falta de opção, a incompetência dos candidatos a ocuparem cargos públicos.

Parece haver uma exigência de que o escritor tenha, necessariamente, de ser um intelectual atuante, como se fosse um passaporte para a valorização de sua obra. Não é raro, nos acontecimentos mundiais mais marcantes, nas mais variadas instâncias, a imprensa procurar escritores para emitirem sua opinião (é certo que muitos adoram esse assédio). Não é raro encontrarmos respostas generalistas - quando não estapafúrdias. Haveria algo de errado em o artista ser essencialmente um esteta em tempo integral, com o compromisso exclusivo com a arte imaginativa?

Lembro bem da participação do escritor carioca Alberto Mussa na Bienal do Livro de Minas, há alguns poucos anos. Após um debate com outros escritores, foi aberto um espaço para perguntas da plateia. Um aluno de filosofia tomou a palavra e começou a elaborar uma pergunta permeada de digressões, amparada em citações filosóficas previamente anotadas, cheia de nuances ideológicas, como se a intenção fosse encostar o escritor na parede ou deixá-lo de saia justa. Aquele tipo de pergunta em que se pretende ser mais brilhante no questionamento do que na resposta. Mussa, de forma humilde, após ouvir pacientemente a elaboração cheia de tentáculos do aluno "desafiante", pegou o microfone e, de forma objetiva, disse: "não sei responder".


Wellington Machado
Belo Horizonte, 14/5/2014


Mais Wellington Machado
Mais Acessadas de Wellington Machado em 2014
01. Marcador de página inteligente - 3/9/2014
02. Gullar X Nunos Ramos: o dilema da arte - 6/8/2014
03. O luto e o luto de Valter Hugo Mãe - 2/7/2014
04. Proust, rugas e colesterol - 9/4/2014
05. Ninfomaníaca: um ensaio sob forma de cinema - 12/2/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Mulher - Dicas para Construir o Sucesso Feminino
Catalina Isnardi Morgenthaler
vozes
(1999)



O Feiticeiro e seu Aprendiz - Escritos Herméticos Desconhecidos
S. L. MacGregor Mathers e J. W. Brodie-Innes
pensamento
(1983)



A Cidade de Quatros Portas
Doris Lessing
Record
(1969)



Muito Prazer! Eu Sou a Felicidade
Diverso
Clareon
(2007)



Eu Mexi no Seu Queijo
Darrel Bristow Bovey
Bertrand Brasil
(2000)



O Piloto de Hitler - A vida e a época de Hans Baur
C. G. Sweeting
Jardim dos Livros
(2011)



Livro - Suave é a Noite
F. Scott Fitzgerald
Nova Cultural
(2003)



Lady Frida
M. Maryan
Gautier & Languereau
(1927)



O Outro Jesus Segundo os Evangelhos Apócrifos
Antonio Piñero
paulus
(2002)



A Profecia das Pedras
Flavia Bujor
Planeta Jovem
(2003)





busca | avançada
58257 visitas/dia
1,6 milhão/mês