Nietzsche é mesmo para poucos | Carlos Patez

busca | avançada
49127 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Projeto que une cultura e conscientização ambiental traz teatro gratuito a Minas Gerais
>>> Show da Percha com Circo do Asfalto
>>> Evento Super Hacka Kids reúne filmes, games, jogos de mesa e muita diversão para a família
>>> SESC BELENZINHO RECEBE RÁDIO DIÁSPORA
>>> Música de Feitiçaria
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
Colunistas
Últimos Posts
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
Últimos Posts
>>> Direitos e Deveres, a torto e a direita
>>> Os chinelos do Dr. Basílio
>>> Ecléticos e eficazes
>>> Sarapatel de Coruja
>>> Descartável
>>> Sorria
>>> O amor, sempre amor
>>> The Boys: entre o kitsch, a violência e o sexo
>>> Dura lex, só Gumex
>>> Ponto de fuga
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com Milton Hatoum
>>> Prenda-me se for capaz
>>> Entrevista com o tradutor Oleg Andréev Almeida
>>> O nome da morte
>>> 21º de Mozart: Pollini e Muti
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Jornalismo: as aulas de Joel Silveira
>>> O 4 (e os quatro) do Los Hermanos
>>> Homenagem a Yumi Faraci
>>> Teledramaturgia ao vivo
Mais Recentes
>>> De Homens e Maquinas de Roberto Mange pela Senai São Paulo (1991)
>>> De Homens e Maquinas de Roberto Mange pela Senai São Paulo (1991)
>>> Projetos e Presepadas de um Curumim na Amazônia de Edson Kayapó pela Positivo (2019)
>>> O Enraizamento de Simone Weil pela Edusc
>>> Adolescencia de Arminda Aberastury pela Kargieman
>>> Como Encontrar a Medida Certa de Carlos Marcondes; Nelson Gentil pela Atica (1992)
>>> A Essência do Franchising de Martin Mendelsohn pela Difusão de Educação e Cultural (1994)
>>> Engenharia Econômica - Cem Tabelas de Juros Impressas Em Computador de Geraldo Hess e Outros pela Difel (1982)
>>> Uma Vida Em Segredo de Autran Dourado pela Ediouro
>>> Os Melhores Contos da America Latina de Flávio Moreira da Costa pela Agir (2008)
>>> A Casa da Madrinha de Lygia Bojunga pela Agir (1932)
>>> Um Hotel na Esquina - Coleção 100 Milhões de Leitores de Jamie Ford pela Agir (2012)
>>> Vira- Lata Virador de Daniel Pennac pela Agir (1995)
>>> 2 Grau Matematica 3 Serie de Atual pela Atual
>>> A Historia de Fernao Capelo Gaivota de Richard Bach pela Editorial Nordica Ltda. (1970)
>>> Almas Antigas de Tom Shroder pela Sextante (2001)
>>> Estação Carandiru de Drauzio Varella pela Companhia das Letras (1999)
>>> O Fugitivo de J. M. Dillard pela Estadão (1997)
>>> Clássicos da Poesia Brasileira - Ler é Aprender de Frederico Barbosa pela Klick (1997)
>>> A Terapia do Abraço 2 de Kathleen Keating pela Pensamento (1987)
>>> Fogo Morto - Ler é Aprender de José Lins do Rego pela Klick
>>> The Founders of Modern Finance: Their Prize-winning Concepts and 1990 de Cfa pela Cfa (1992)
>>> O Poder Cosmico do Homem de Vernon Howard pela Record
>>> Introdução À Mecânica dos Solos de Milton Vargas pela Mcgraw-hill (1977)
>>> 6 +1 Traits of Writing de Ruth Culham e Outros pela Scholastic (2003)
COMENTÁRIOS

Sábado, 4/12/2010
Comentários
Leitores


Nietzsche é mesmo para poucos
Quando leio Nietzsche sinto que a força e a síntese do seu pensamento ainda não alcançam boa parte de seus críticos - e até mesmo de seus seguidores. Mas quando leio um texto como esse, chego a equipará-la em estilo ao próprio; vejo também que a incompreensão de sua obra chega a extremos de alguém lhe recomendar leituras infantis por achar que o nobilíssimo filósofo é apenas um arauto do pessimismo e do mau humor. À esta senhora recomendo que leia "Humano, demasiado humano...". Neste livro, ela, com sua sensibilidade de artista e intelectual, verá o quanto se engana a esse respeito; o calor de suas palavras acendem e rejuvenescem qualquer um. Quanto ao fato de ele continuar a ser para poucos, concordo plenamente, sem ter medo de beirar a idiotificante idolatria, pois, quem lê, estuda e entende Nietzsche não se deixa levar, como muitos, para o lugar comum das ideias prontas e mastigadas, e está sempre questionando e colocando seus textos como guia para um pensamento que nunca parar de mudar e evoluir...

[Sobre "A Auto-desajuda de Nietzsche"]

por Carlos Patez
http://capatez.zip.net
4/12/2010 às
16h23 189.19.67.141
(+) Carlos Patez no Digestivo...
 
Os brasileiros e o Nobel
Acontece que o BraZil já foi contemplado, sim! Somos tetra. Quase ninguém lembra. Ganhamos com o Zé Lins, o Graciliano, o João Cabral e com o mestre Rosa. Não sei e não lembro se a Clarice...

[Sobre "O Prêmio Nobel para Mario Vargas Llosa"]

por jdealmeida
3/12/2010 às
22h12 189.71.63.171
(+) jdealmeida no Digestivo...
 
Em tempo: Não sou jornalista
Acredito que o autor tenha querido registrar que comentários são, sim, bem-vindos; porém, não os dos "espíritos de porco", que, assim como os pichadores de muros, só querem "sujar" a imagem do autor com comentários "sem noção", xingamentos e julgamentos de valor, que agem desvirtuando o teor do assunto abordado. Engraçado como vejo que, em alguns comentários acima, o autor foi justamente mal interpretado e julgado. Pensei até que alguns comentários fossem brincadeira, mas não são. Gente, cabecinha mais aberta e pensante, pelo amor de Deus! Em tempo: não sou jornalista nem cronista. Abraços, Patrícia

[Sobre "Polêmicas"]

por Patrícia
2/12/2010 às
14h53 187.16.188.213
(+) Patrícia no Digestivo...
 
No chão da realidade
Um filme traçado no chão da realidade.

[Sobre "Cidade de Deus: o maior barato"]

por Manoel Messias Perei
http://www.pop.com.br
29/11/2010 às
12h11 189.79.204.12
(+) Manoel Messias Perei no Digestivo...
 
Glauber Rocha aplaudiria
Passados oito anos o filme "Cidade de Deus", continua inteiro. A Katia Lund (co-diretora) estava certa, o filme provocou debates na sociedade. Hoje, na Cidade de Deus, a situação é outra, com a segunda UPP do Rio de Janeiro. Os crí­ticos detratores do "Cidade de Deus" devem ter odiado os "Tropa de Elite" 1 e 2, os três recordistas de público. A câmera está na mão, mas o visual é outro, a nossa terrível realidade pode ser mostrada com outras cores, passando sua mensagem, instigando o debate. Glauber aplaudiria.

[Sobre "Cidade de Deus: o maior barato"]

por José Frid
http://blogdofrid.blogspot.com
28/11/2010 às
12h46 189.69.26.40
(+) José Frid no Digestivo...
 
Diante de um espelho
Lendo sua matéria me sinto diante de um espelho.

[Sobre "O blog no espelho"]

por Roberto
http://oblogdosblogs.com
28/11/2010 às
02h57 201.83.186.140
(+) Roberto no Digestivo...
 
Assino embaixo!
Assino embaixo deste post!!!

[Sobre "Por que os blogs de jornalistas não funcionam"]

por Roberto
http://oblogdosblogs.com
28/11/2010 às
02h57 201.83.186.140
(+) Roberto no Digestivo...
 
Está tudo em Cidade de Deus
Se o que se vê em "Cidade de Deus" não é um ambiente sujo que retrate a realidade, e se o filme não propõe um debate, isso na visão dos referidos críticos, a minha pergunta é: onde vivem esses críticos? No Afeganistão? Terão visto o filme? Imundície e denúncia: está tudo ali. E o que o filme mostra não são produtos de uma realidade violenta: isso é discurso de antropólogos ou sociólogos pedantes: são, sim, psicopatas sanguinários que só merecem o fuzilamento sumário, pois todos ali vivem a mesma realidade, a mesma miséria, mas há muitos pais de famí­lia honestos que trabalham para sustentar sua casa sem recorrer ao crime. "Cidade de Deus" é um excelente filme.

[Sobre "Cidade de Deus: o maior barato"]

por Gil Cleber
http://www.gilcleber.com.br
28/11/2010 à
01h55 200.165.160.106
(+) Gil Cleber no Digestivo...
 
Livro como objeto de arte
O livro de papel nunca vai acabar. Assim como uma pintura feita com o Photoshop nunca irá substituir um Van Gogh ou um Da Vinci, esses cacarecos eletrônicos não passam de um sucedâneo prático, sim, para os que conseguirem adaptar-se, talvez até um pouco mais baratos (embora os preços de livros que tenho visto nesse formato não se justifiquem, e recaímos na velha história dos custos), mas sem qualquer glamour. Eu não falo daquele livreco do Jorge Amado vendido promocionalmente aos quilos nas bancas de jornais: refiro-me àquela edição rara do Dom Quixote, talvez do século XVII, que num sebo eu vi ao módico preço de R$ 12.000,00 e que não terei nunca; ou mesmo edições de luxo, modernas, de grandes clássicos, que custam muito menos (cem ou duzentos reais), mas cuja beleza do acabamento técnico é tão envolvente quanto a própria obra (como uma recente edição do "Grande Sertão", de Rosa). Nesses termos, o livro não é uma simples "leitura", mas objeto de arte.

[Sobre "Cheiro de papel podre"]

por Gil Cleber
http://www.gilcleber.com.br
27/11/2010 às
08h45 200.165.160.106
(+) Gil Cleber no Digestivo...
 
O que importa é a literatura
Adoro o cheiro de livro novo, a capa, passar os dedos pelas páginas, frequento sebos, tenho uma desorganizada biblioteca com mais de mil livros, mas estou pronto para passar a ler num "leitor eletrônico" como você. Só estou esperando o mercado consolidar um equipamento que tenha quase todos os livros publicados no Brasil. O culto ao livro de papel pode continuar, mas tendo o livro como objeto, e não como literatura. Esta é composta pelos textos, que podem estar em qualquer suporte físíco ou não.

[Sobre "Cheiro de papel podre"]

por José Frid
http://blogdofrid.blogspot.com
27/11/2010 às
08h43 189.69.18.2
(+) José Frid no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Aleijadinho
Freudenfeld
Melhoramentos



1808: Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a História de Portugal e do Brasil
Laurentino Gomes
Planeta
(2007)



Baltimore Blues
Laura Lippman
Record



Ciências Naturais 8ª - Aprendendo com o Cotidiano
Eduardo Leite do Canto
Moderna
(1999)



Discurso, Interação e Aprendizagem Matemática Em Ambientes Virtua
Marcelo Almeida Bairral
Edur
(2007)



Vale a Pena Acreditar
Monalisa Guimarães
Yes Books
(2018)



Lucios o Encontro Com a Luz
Lucius e Ortiz B de Souza
Madras
(2003)



Terapia pela Roupa
Mamede de Alcântara
Mandarim
(1996)



Retalhos de Emoções
Carlos J. Benatti
Palas Athena
(1988)



Le Guide Du Routard - Bretagne - 1994/95
Philippe Gloaguen
Hachette
(1995)





busca | avançada
49127 visitas/dia
2,0 milhão/mês