Individualismo e o coletivo | Bia Cardoso

busca | avançada
69289 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Lançamento do livro 'Pesquisa e ensino de história na Amazônia'
>>> Maurício Limeira lança coronavídeo GUERRA
>>> Mostra de Teatro traz quatro peças para assistir on-line
>>> Festival Som na Faixa apresenta edição online com atrações da música instrumental
>>> Leituras Urbanas começa novo ciclo literário
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> Cata-lata
>>> A busca
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> O chá do imperador
>>> Papa Francisco
>>> Pequena notável
>>> Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso
>>> USP: 75 anos de histórias várias
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Minicursos na PUC Minas
>>> 7 de Setembro
>>> Dublinenses
Mais Recentes
>>> Português para convencer de Moreno e Martins pela Ática (2011)
>>> As Raízes do Rock de Florent Mazzoleni pela Companhia Ed. Nacional (2012)
>>> Os Melhores Jogos do Mundo de Diversos Autores pela Abril
>>> A jornada da alma de Jhon A. Sanford pela Paulus (1998)
>>> Cristãos ricos em tempos de fome de Ronald J. Sider pela Sinodal (1984)
>>> O pecado e o medo. A culpabilização no Ocidente (séculos 13-18) 2 vol. de Jean Delumeau pela Edusc (2003)
>>> História das missões de Stephen Neill pela Vida Nova (1998)
>>> História das missões de Stephen Neill pela Vida Nova (1998)
>>> História das missões de Stephen Neill pela Vida Nova (1998)
>>> Mil anos de felicidade. Uma História do Paraíso de Jean Delumeau pela Companhia das Letras (1997)
>>> Revista de História da Biblioteca Nacional Nº 122 de Diversos Autores pela Biblioteca Nacional (2015)
>>> Revista de História da Biblioteca Nacional Nº 116 de Diversos Autores pela Biblioteca Nacional (2015)
>>> A empresa júnior no Brasil e no mundo de Franco de Matos pela Martin claret (1997)
>>> Revista de História da Biblioteca Nacional Nº 112 de Diversos Autores pela Biblioteca Nacional (2015)
>>> Limites da Utopia de Isaías berlin pela Companhia das letras (1999)
>>> As culturas e o tempo de Paul Ricoeur e outros pela Vozes (1975)
>>> Estratégias da arte em uma era catástrofes de Maria Angelica melendi pela Cobogo (2017)
>>> Estratégias da arte em uma era catástrofes de Maria Angelica melendi pela Cobogo (2017)
>>> O Último Coyote de Michael Connelly pela Círculo do Livro (1997)
>>> A voz do passado. História oral de Paul Thompson pela Paz e Terra (1992)
>>> A Última Grande Lição - O Sentido da Vida de Mitch Albom pela Sextante (2008)
>>> De religião e de homens de Jean Delumeau pela Loyola (2000)
>>> E Deus disse: Do que eu gosto é de política, não de religião de Padre Mário de Oliveira pela Campo das letras (2003)
>>> Movimentos messiânicos no tempo de Jesus de Donizete Scardelai pela Paulus (1998)
>>> Literatura: De Homero á contemporaneidade de Ronaldo Alves Mousinho pela Independente (2002)
>>> Historia dos índios no Brasil de Manuela Carneiro da Cunha pela Companhia das letras (2006)
>>> A casa das Máscaras (trilogia dos Aincourt - Livro 3) de Candace Camp pela Harlequin Books (2007)
>>> Analogia de Umbanda - Ponto riscado de Josef Ronton pela Tríade (1985)
>>> O livro dos Exús de Antonio de Alva pela Eco (1973)
>>> As Valkirias de Paulo Coelho pela Gold (2020)
>>> Vida sempiterna de Marie Corelli pela Biblioteca Rosacruz (1990)
>>> A Quintessência sagrada de Starhawk pela Record (1995)
>>> Hatha Yoga - Paz e saúde de Indra Devi pela Civilização Brasileira (1962)
>>> Curso adiantado de Filosofia Yogue de Yogue Ramacharaca pela Pensamento (1977)
>>> Antologia do mais além de Jorge Rizzini pela Lake (1973)
>>> O último Segredo do Templo de Paul Sussman pela Bertrand Brasil (2020)
>>> O Castelo das Sombras (Trilogia dos Aincourt - Livro 2) de Candace Camp pela Harlequin Books (2006)
>>> Vida e obra de Leon Denis de Gaston Luce pela Edicel (1968)
>>> Antipsiquiatria e sexo - A grande revelação de Ernesto Bono pela Record (1983)
>>> Será que eu estava errado? de Erick Von Danicken pela Melhoramentos (1989)
>>> Dias e dias de Ana Miranda pela Companhia Das Letras (2002)
>>> Requiém para Satã de Marie Corelli pela Juniper (1985)
>>> Os astrológicos ou a ciência sagrada do céu de Marcus Manilius pela Artenova
>>> A Mansão dos Segredos (Trilogia dos Aincourt - Livro 1) de Candace Camp pela Harlequin Books (2006)
>>> A humanidade e a Mãe Terra de Toynbee pela Zahar editores (1978)
>>> Bode vermelho de Kurt Vonnegut pela Difel (1985)
>>> O quarto de Jacob de Virginia Woolf pela Nova Fronteira (1980)
>>> Nierzsche -Da Utilidade e do Inconveniente da História para a vida. de Não informado pela Escala (2020)
>>> O Nordeste na segunda guerra mundial - Antecedentes e ocupação de Gen. Paulo Q. Duarte pela Record (1971)
>>> Eu, Judas de Taylor Caldwell & Jess Stearn pela Círculo do livro (1977)
COMENTÁRIOS

Sábado, 10/11/2007
Comentários
Leitores


Individualismo e o coletivo
Interessante que a individualização, tão apregoada na sociedade capitalista, tenha refletido também na música; quando você diz que a obra perdeu significância em relação ao single é o singular se sobrepujando sobre o coletivo. Acredito que isso seja um reflexo do próprio mercado, onde artistas são lançados todos os dias e os hits duram algumas semanas, até o próximo e o próximo. Mas também tem aquela outra questão, alguns músicos são tão bons ou tocam de alguma forma tantas pessoas que acabam se tornando eternos, ou mesmo cantores novos que tenham fãs realmente. Ainda escuto cds inteiros, tanto de antigos como o Led como de novos como a Amy Winehouse. Mas concordo que há uma fragmentação de significados e as pessoas acabam perdendo a arte que está na música.

[Sobre "A morte do disco"]

por Bia Cardoso
http://groselha.wordpress.com
10/11/2007 às
18h14 201.67.10.221
(+) Bia Cardoso no Digestivo...
 
França fascinante
Julio, a França é realmente um país fascinante! País cheio de história, com um povo bem característico. Interessantíssimo! Beijos

[Sobre "Os Franceses, de Ricardo Corrêa Coelho"]

por Amanda B.
http://calcinhasnovaral.com
9/11/2007 às
08h31 200.206.192.107
(+) Amanda B. no Digestivo...
 
Correspondência do texto lido
Achei imprencionante mas muito mais pelas figuras apresentadas. A minha curiosidade é saber qual é a fonte de inspiração que o autor teve para com estas figuras?

[Sobre "O Fel da Caricatura: André de Pádua"]

por Armando Sitoe
9/11/2007 às
07h56 196.28.232.209
(+) Armando Sitoe no Digestivo...
 
Escritor de primeira
Rodrigo Godoy ou Guga Schultze, o certo é que qualquer um vê que se trata de um escritor de primeira.

[Sobre "Guga, para iniciantes"]

por Daniel
http://www.danielslopes.com
9/11/2007 à
01h28 189.12.207.103
(+) Daniel no Digestivo...
 
Coisas que chocam
Excelente a resenha. Mas deixa claro pra mim que jamais lerei esse livro. Qual a intenção de Kohan, o autor? Violência (ou crueldade) não se combate com palavras. Todo escritor deveria saber disso: os violentos são surdos. E uma denúncia, ou um protesto, exige comprometimento afetivo, pessoal, da parte protestante. Se um autor se isenta de uma tomada de posição ao fazer um protesto, não é mais um protesto. É uma propaganda, no sentido em que as coisas que ele escreve se propagam. Tenho minhas suspeitas de que apenas apontar o mal, nomeá-lo, dar-lhe uma forma e não tomar uma posição, é uma maneira de invocá-lo. Ótima a resenha, mas essas coisas ainda me chocam.

[Sobre "Romance quebrado de uma era fraturada"]

por Guga Schultze
9/11/2007 à
00h00 201.80.157.230
(+) Guga Schultze no Digestivo...
 
Deus ou Força Maior
Oi, Mário. Mas sabe, eu acredito muito em mim mesma e nos meus ideais, tenho plena certeza de minha existência, o problema, não apenas meu, mas de todos seres humanos é que necessitamos dar um sentido, uma razão, um saber porquê, como e para onde vamos depois de morrermos, é aí que a idéia de um Deus ou uma força maior entra, consciente ou inconscientemente em todos nós, e toda religião se apropria dessa necessidade humana para levantar seus negócios, que indubtavelmente são doutrinários e coercitivos, além de ser mesmo o que disse. Mas a necessidade de ter uma idéia de Deus ou Força Maior, não necessariamente nos impõe uma religião a ser seguida, apenas nos acalenta de uma ausência de sentidos para a nossa vida tão efêmera. Afinal, ter a consciência da própria morte, faz grande diferença em nossas vidas!

[Sobre "Deus, um delírio, de Richard Dawkins"]

por Danielle
http://www.bloguisteria.blogspot.com
8/11/2007 às
14h43 201.27.238.6
(+) Danielle no Digestivo...
 
Religião: um negócio
Discordo, Danielle! Acreditar em um deus é não acreditar em si mesmo! Quem se enche de fé religiosa, fé doutrinada, é porque é vazio por dentro... É possivel sim viver bem, fazer o bem, sem acreditar em nada disso... a simples libertação dessa doutrinação maléfica e manipuladora nos faz pessoas mais esclarecidas e livres, porém não melhores. Isso depende de cada um. Acho que já temos provas suficientes de que religião é e sempre foi apenas um negócio, ou não? De que ela sempre foi causa ou consequência da aquisição de poder e dinheiro. Se os próprios religiosos que tanto doutrinaram este mundo fossem tementes ao seu próprio deus, não teriam feito 1/4 do deserviço que fizeram até hoje. Respeito tua opinião, mas, pra mim, não há como defender a religião doutrinada, o catolicismo romano ou qualquer outra religião que se espelhe em uma figura de um ser maior. Deus (e o diabo) somos nós mesmos.

[Sobre "Deus, um delírio, de Richard Dawkins"]

por Mario
8/11/2007 às
13h30 189.27.240.116
(+) Mario no Digestivo...
 
Saber ser plural
De setembro de 2006 a novembro de 2007 já passa um bom tempo. Mas esta entrevista competentemente dirigida está sempre atual. Sem deixar de ser necessário ler algo sobre Mia, eis aqui uma exposição de um homem que o destino o entregou a caneta para dela viver e dinamizar a vida dos outros. Mia Couto, tens tú o tamanho do mundo. O intercontinentalismo das tuas obras te eleva a um lugar de destaque na vida. Tú nasceste como qualquer outro, cresceste, estudaste e trabalhaste (e ainda trabalha) como qualquer outro, mas a tua coragem e decisão só tem lugar em si . Fiquei bastante comovido quando a dado passo da entrevista dizias: "uma das razões pela qual eu deixei o jornalismo foi porque entrei em ruptura com certos tipos de atitude". É sempre bom um singular saber ser plural. Ser democrata na vivência e nas ideias. Ser fonecedor da independência aos dependentes. Ser moçambicano a maúscula. Esta é a mensagem que a entrevista carrega. Parabéns por estas palavras prosadas. A luta continua!

[Sobre "Mia Couto revisitado"]

por Jorge Julio Manhique
8/11/2007 às
09h26 196.28.227.126
(+) Jorge Julio Manhique no Digestivo...
 
Gosto é gosto
Gosto é gosto. O que não se pode fazer são afirmações do tipo: "JG é repetitivo". Tecnicamente, JG modifica a harmonia em cada suposta repetição. Os complexos acordes nunca são os mesmos, as diferenças acentuam novos temperos à sonoridade e já deixaram Eric Clapton maluco, quando cismou de gravar um disco com bossa nova. Felizes os que conseguem captar esta riqueza.

[Sobre "A contradição de João Gilberto"]

por Juca Azevedo
7/11/2007 às
18h47 189.2.184.40
(+) Juca Azevedo no Digestivo...
 
Dois polos
A arte e a crítica nunca se deram bem, naturalmente. Parecem dois polos num universo cultural. A crítica exige um volume de informação que a arte descarta, ou precisa descartar. A arte que pretende ser informativa já começou mal. No entanto cabe à crítica extrair alguma informação onde, praticamente, não existe nenhuma. Ou então a crítica cria a informação necessária. Um trabalho meio insano. Ainda mais que a crítica, eventualmente, incorre no paroxismo da auto-crítica. É até uma sorte que o artista, no geral, não tenha uma consciência crítica, senão ia embolar o meio de campo de uma vez. Muito bom o texto.

[Sobre "A arte da crítica"]

por Guga Schultze
7/11/2007 às
02h42 201.80.157.230
(+) Guga Schultze no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




HOUSES OF MEXICO: ORIGENS AND TRADITIONS
VERNA COOK SHIPWAY E WARREN SHIPWAY
ARCHITECTURAL BOOK PUBLISHING
(2012)
R$ 40,00



MUSCULAÇÃO. TEORIA E PRÁTICA
PAULO EDUARDO CARNAVAL, CARLOS EDUARDO C. RODRIGUES
SPRINT
(1985)
R$ 20,12



PERDA DE AUDIÇÃO, AS NOSSAS RESPOSTAS... ÀS SUAS PERGUNTAS
JENNIFER HAY
PLÁTANO
(2001)
R$ 22,66



FILOSOFIA DA CIÊNCIA - RUBEM ALVES
RUBEM ALVES
BRASILIENSE
(1987)
R$ 6,90



SÃO JOSÉ DOS CAMPOS E SUA HISTÓRIA 4100
AGÊ JUNIOR
OFFSET CÓPIA
R$ 10,00



GUIA DE VINHOS DA ARGENTINA E DO CHILE - DESCORCHADOS
PATRICIO TAPIA - JORGE LUCKI E OUTROS
PLANETA
(2009)
R$ 17,92



O PERIGO DO DRAGÃO
BRUNA LOMBARDI
CÍRCULO DO LIVRO
(1990)
R$ 8,00



CONSTRUINDO A MEMÓRIA DO FUTURO. UMA ANÁLISE DA FUNDAÇÃO DO MAM
SABRINA MARQUES PARRACHO SANTANNA
FGV
(2011)
R$ 25,82



NINHO DE OSSINHOS
DENNIS
RESSON
(2008)
R$ 5,90



CUTTING EDGE: ADVANCED - WITH PHRASE BUILDER - STUDENTS BOOK
SARAH CUNNINGHAM E PETER MOORE
LONGMAN
(2004)
R$ 65,00





busca | avançada
69289 visitas/dia
2,0 milhão/mês