A morte do disco | Luiz Rebinski Junior | Digestivo Cultural

busca | avançada
31843 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Cinema é filosofia
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Mulher no comando do país! E agora?
>>> YouTube, lá vou eu
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Bar azul - a fotografia de Luiz Braga
>>> Eu + Você = ?
>>> Virtudes e pecados (lavoura arcaica)
>>> Pela estrada afora
>>> A vida sem computador
Mais Recentes
>>> Coleção Os Pensadores de Vários pela Abril Cultural (1973)
>>> Passando a Limpo: a Trajetória de um Farsante: História Completa... de Pedro Collor de Mello/ Coord. Dora Kramer pela Record (1993)
>>> Passando a Limpo: a Trajetória de um Farsante: História Completa... de Pedro Collor de Mello/ Coord. Dora Kramer pela Record (1993)
>>> Um Diplomata da Regeneração - O 1º Conde de Villa Franca do Campo de Fernando Abecassis pela Tribuna da Historia (2007)
>>> Inspeção do Trabalho de Nelson Mannrich pela LTr (1991)
>>> Jurupari - Estudos de Mitologia Brasileira de Silvia Maria S. de Carvalho pela Ática (1979)
>>> Sport in the 21st Century de John Mehaffey & Reuters pela Thames & Hudson (2007)
>>> Matemática para economistas de Alpha Chiang pela Unesp (1982)
>>> Memórias do cárcere 3º volume Colônia Correlaccional de Graciliano Ramos pela José Olympio (1954)
>>> As hortaliças na medicina doméstica de A. Balbach pela Edel
>>> Caderno de teses vol.2 28ºCongresso Nacional procuradores Estado de Helena Maria Silva Coelho pela Metropole industria gráfica ltda (2002)
>>> Casais Inteligentes Enriquecem Juntos de Gustavo Cerbasi pela Gente/ SP. (2004)
>>> Ordem Juridico-econômica e trabalho de Ricardo Antonio Lucas Camargo pela Sergio antonio fabris (1998)
>>> Capo Verde. Una storia lunga dieci isole de Marzio Marzot & Maria de Lourdes de Jesus et alii pela D'Anselmi (1989)
>>> Investimentos Inteligentes: Para Conquistar e Multiplicar o seu Primeiro Milhão de Gustavo Cerbasi pela Thomas Nelson do Brasil (2008)
>>> Esquecidos e Renascidos - Historiografia Acadêmica Luso-americana de Iris Kantor pela Hucitec (2004)
>>> Nova York anos 40 de Andreas Feininger pela Museu Lazar Segall (2011)
>>> O Intelectual e o Poder de Eduardo Portella pela Tempo Brasileiro/ RJ. (1983)
>>> Indivíduo e Cosmos na Filosofia do Renascimento de Ernest Cassirer pela Martins Fontes (2001)
>>> Fundamentos Culturales de Civilizacion Industrial de John U. Nef pela Editorial Paidós/ Buenos Aires (1964)
>>> Noções Preliminares de Direito Previdenciário de Wagner Balera pela Quartier Latin (2004)
>>> Salvador Negro Amor de Sérgio Guerra pela Maianga (2007)
>>> Ensaios de Biologia Social - Encadernado de Josué de Castro pela Brasiliense/ SP (1957)
>>> A imprensa na História do Brasil & Fotojornalismo no século XX de Oswaldo Munteal & Larissa Grandi pela Desiderata/PUC (2005)
>>> Roteiro de Macunaíma (Encadernação de Luxo) de M. Cavalcanti Proença/ Autografado pela Ahembi/ SP. (1955)
>>> Alferes Teófilo Olegário de Brito Guerra -Um Memorialista Esquecido de Raimundo Soares de Brito pela Coleção Mossoroense (1980)
>>> HQ Os Grandes Inimigos do Mandrake Nº 2 + A Volta do Camelo de Barro de Lee Falk pela Globo (1989)
>>> Lugar de Fala de Djamila Ribeiro pela Polen (2019)
>>> Administração Financeira Internacional de David K. Eiteman, ArthurStonehill, e Michael Moffett pela Bookman (2002)
>>> HQ Os Grandes Inimigos do Mandrake Nº 1 + o Retorno do Cobra de Lee Falk pela Ebal (1989)
>>> História da Literatura Portuguesa/ Encadernado de Antonio José Saraiva e Oscar Lopes pela Porto Ed.
>>> Cortez -A Saga de Um sonhador de Teresa Sales -Goimar Dantas pela Cortez (2010)
>>> HQ Os grandes inimigos do Mandrake Nº 4 + Os Oito Tentáculos da Morte de Lee Falk pela Ebal (1989)
>>> HQ Rastros de ódio - Revista Cinemin Nostalgia 3 de Diversos Autores pela Ebal (1989)
>>> Regulamento do ICMS do Rio de Janeiro de Ana Cristina Martins Pereira pela Lex (2006)
>>> A cidade do sol de Khaled Hosseini pela Nova froteira (2007)
>>> HQ Revistsa Elipse nº 1 + Crepúsculo dos Super-heróis de David Campiti & Kevin Juaire & Bart Sears pela Ebal (1992)
>>> Cinquenta tons mais escuros de E L James pela Intrínseca (2012)
>>> As mil e uma noites- os corações desumanos de René Khawam pela Brasiliense (1991)
>>> HQ Quem foi? Os prisioneiros de Sulma de Diversos Autores pela Ebal (1982)
>>> Autoritarismo e Participação Política da Mulher de Fanny Tabak pela Graal/ RJ. (1983)
>>> Cartas entre amigos - sobre os medos contemporâneos de Fábio de melo e Gabriel chalita pela Ediouro (2009)
>>> A Civilização Romana de Pierre Grimal pela Edições 70 (2001)
>>> Centenário de José Bezerra Gomes de Joabel R. de Souza pela Fcjbg (2011)
>>> Alienação na Univesidade - a Crise dos Anos 80 de Paulo L. Hoffmann pela Edit. da UFSC (1985)
>>> O castelo da intriga de Paulo Stewart pela Scipicione (1996)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1993)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1996)
>>> As asas do joel de Walcir Carrasco pela Quinteto Editorial (2019)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1998)
COLUNAS

Quarta-feira, 31/10/2007
A morte do disco
Luiz Rebinski Junior

+ de 2600 Acessos
+ 2 Comentário(s)

A nova onda do do it yourself, lendário lema punk que realçava a livre iniciativa musical e política no fim dos anos 1970, não tem apenas dado novo ânimo a grupos que se valem da internet para gravar e divulgar música. Tem feito muito mais. A revolução da web tem alterado de forma radical a maneira com que se consome música e como as pessoas se relacionam com esse tipo de arte.

Em artigo publicado no Digestivo Cultural (o texto é fragmento do livro Tempestade de Ritmos), Ruy Castro escreve sobre como o último suporte material para se ouvir música, o CD, está desaparecendo ante a avalanche de downloads.

Castro descreve como a música foi das "grosseiras chapas primitivas" até os pequenos tocadores de MP3 em menos de cem anos. "A música hoje se espreme em aparelhinhos menores que uma caixa de fósforos, os quais tendem a diminuir ainda mais para caber, quem sabe, num ponto grampeado ao lóbulo, ou talvez num piercing espetado ao tímpano. A idéia é a de que, em breve, o ato de ouvir música dispense qualquer objeto físico - inclusive as orelhas", escreve o autor de Chega de Saudade - A História e as histórias da Bossa Nova.

Mas além da mudança relacionada ao prazer visual que um disco proporciona - com seus encartes, fotos, informações sobre o artista e detalhes menores tão apreciados pelos aficionados por música -, a passagem para o som "virtual" também acaba com o que os artistas gostam de chamar de "a concepção de um álbum". Se antes um grupo entrava no estúdio para executar peças que - seja temática ou sonoramente - ao serem finalizadas dariam vida a uma obra com unidade musical, agora esse trabalho já não é mais tão requisitado. Isso porque com o formato MP3 dificilmente se escuta um álbum de fio a pavio, como se fazia com os LPs - era impossível ouvir os dois lados do disco todo sem se levantar da poltrona - e ainda hoje com os CDs.

As faixas se sobrepujaram aos discos. Cada um faz sua própria seleção e a coloca em tocadores, sem se importar se aquela música era continuação ou não de outra canção. É pouco relevante também saber se o artista se preocupou dias e dias escolhendo a seqüência das faixas.

Assim hoje faz pouco sentido gravar um disco como Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, dos Beatles, ou Tommy, uma das óperas rock do The Who. Menos sentido faz escutar de forma fragmentada em um tocador de MP3 discos como The Dark Side Of The Moon, a obra-prima do Pink Floyd, em que as músicas estão todas interligadas. Isso porque os exemplos citados são obras feitas para serem apreciadas do começo ao fim, sem interrupções. A concepção do disco, ou como queria Walter Benjamin, a sua aura de obra de arte, perder-se-ia em meio a outras músicas e estilos. Músicas como "Breath" e "The great gig in the sky", de Dark side, não fazem muito sentido entre um ska e um raggae.

É fato, porém, que a troca de arquivos na internet democratizou de certa forma o consumo de música - ainda que este seja também um ponto questionável, já que no Brasil ainda é pequeno o índice de pessoas que tem acesso ilimitado à internet. Se nos anos 1980 um disco demorava cinco ou dez anos para chegar ao Brasil, hoje as coisas são bem mais fáceis. A um clique pode-se ouvir a última novidade de um grupo da Islândia ou Suécia.

O mercado fonográfico por sua vez não sabe o que fazer diante da situação. Com as vendas em queda, as gravadoras estão em dúvida se apostam em novos formatos ou tentam de alguma forma salvar o velho modelo. Muitos selos já lançam músicas especialmente para downloads, em uma tentativa de revigorar a cultura dos singles, que pelo menos na Europa e Estados Unidos nunca saiu de moda.

Do lado dos artistas, a maioria já não se preocupa tanto com vendas, canalizando suas ações em shows e outros tipos de eventos. É assim que vão ganhar dinheiro daqui para frente. Exemplo bem-acabado de tal estratégia é a banda inglesa Radiohead, que colocou seu novo disco, In Rainbows, à venda pela internet, propondo que o interessado pague apenas quanto achar justo pelo álbum.

Abundância de sons
Um fator desagregador, evidenciado até mesmo pelos fiéis "baixadores" de música, é que com a recorrente fragmentação dos sons e a abundância de possibilidades, sobra pouco tempo para apenas um disco ou artista. Outro dia um amigo me disse que tinha baixado a discografia completa do Beatles, incluído aí gravações raras, shows e as diversas coletâneas que a cada ano pipocam do grupo, mas que nunca tinha tido tempo para ouvir o material e que fixou as audições nos discos que já conhecia. Mesmo processo ocorre em relação ao surgimento de novos grupos que, encorajados pela facilidade de produção e disseminação de música na web, não são absorvidos pelo público, que logicamente não consegue captar tamanha informação.

Com isso o prazer de se sentar em uma velha poltrona de frente ao aparelho de som e ler de cabo a rabo as informações do encarte de um disco, enquanto a música rola, perdeu-se entre downloads.

Ainda assim, há uma parcela significativa de pessoas que vêem no CD - ou mesmo no LP - um objeto importante para o ato de escutar música. Para essas pessoas, a internet serve muito mais como meio, e não fim, para se ampliar os horizontes musicais. O conhecimento proporcionado pela troca de arquivos é apenas parte do processo. Afinal, música é muito mais do que um simples ato de ouvir algo mecânico. Música é sentimento, emoção. Quem se interessa por música não se contenta em apenas ouvir e ponto. O culto ao artista, às idéias e à estética musical - e visual, por que não? - como um todo também faz parte do universo sonoro. E esse, quem sabe, talvez seja um detalhe que possa dar sobrevida à velha forma de se escutar uma canção.


Luiz Rebinski Junior
Curitiba, 31/10/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. No encalço do Natal de Elisa Andrade Buzzo
02. 10 maneiras de tentar abolir o debate de Julio Daio Borges
03. A bibliotecária de plantão de Ana Elisa Ribeiro
04. Salinger: uma vida de Luiz Rebinski Junior
05. O futuro do ritual do cinema de Marta Barcellos


Mais Luiz Rebinski Junior
Mais Acessadas de Luiz Rebinski Junior em 2007
01. Literatura pop: um gênero que não existe - 5/12/2007
02. Recordações da casa dos mortos - 12/4/2007
03. Quem é o autor de um filme? - 6/8/2007
04. A Literatura na poltrona - 13/9/2007
05. O sucesso do Cansei de Ser Sexy - 31/5/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
10/11/2007
18h14min
Interessante que a individualização, tão apregoada na sociedade capitalista, tenha refletido também na música; quando você diz que a obra perdeu significância em relação ao single é o singular se sobrepujando sobre o coletivo. Acredito que isso seja um reflexo do próprio mercado, onde artistas são lançados todos os dias e os hits duram algumas semanas, até o próximo e o próximo. Mas também tem aquela outra questão, alguns músicos são tão bons ou tocam de alguma forma tantas pessoas que acabam se tornando eternos, ou mesmo cantores novos que tenham fãs realmente. Ainda escuto cds inteiros, tanto de antigos como o Led como de novos como a Amy Winehouse. Mas concordo que há uma fragmentação de significados e as pessoas acabam perdendo a arte que está na música.
[Leia outros Comentários de Bia Cardoso]
13/11/2007
21h41min
Interessante esta matéria. Eu moro no Rio Grande do Norte e há um tempo alertei um colega, que tem um sebo de Cd´s, sobre essa nova concepção sonora. O vinil aqui tem valorizado bastante (um disco pode chegar a custar até 100 reais!)
[Leia outros Comentários de william Eloi]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




NA TRILHA DO SUCESSO
CLÁUDIO TOMANINI
GENTE
(2009)
R$ 22,00



CONFISSÕES DE UM VIRA-LATA
ORÍGENES LESSA
OURO
(1975)
R$ 8,00



NA CHAMA DO ALTAR
NOAH ARRUDA MARTINS
EDITORES ASSOCIADOS
(1996)
R$ 10,00



SOLTEIRO SOFRE DEMAIS
BRUNO GODOI
EMPIREO
(2015)
R$ 31,84



LICITAÇÕES E CONTRATOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
JAIR LOT VIEIRA SUPERVISÃO
JALOVI
(1988)
R$ 5,70



FUNDAMENTOS PSICOBIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO.
ÍRIS BARBOSA GOULART

(1982)
R$ 8,64



APLICAÇÃO DA LEI DE BENFORD EM CARTAS DE CONTROLE MULTIVARIADAS
DAVENILCIO LUIZ DE SOUZA UND ANDRÉ LUIS KORZENOWSKI
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



USING ASTROLOGY: CREATING, RESEARCHING, COUNSELING, PRACTICING
MAE R WILSON-LUDLAM
AMERICAN FEDERATION ASTROLO
(1985)
R$ 19,28



MANUAL DE EXAMES DE URINA
E. P. VALLADA
ATHENEU
(1997)
R$ 59,50



ENCONTROS COM O PROFESSOR VOL. 5: CULTURA BRASILEIRA EM ENTREVISTA
RUY CARLOS OSTERMANN
TOMO EDITORIAL
(2010)
R$ 33,00





busca | avançada
31843 visitas/dia
1,0 milhão/mês