A sociedade em rede | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
9175 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Teatro Sérgio Cardoso recebe D'arc - Dark de Dinah Perry e Jorge Garcia
>>> Última semana para prestigiar as exposições de Alex Flemming e Marcius Galan na Fundação Ema Klabin
>>> Casa da Memória Italiana realiza debate sobre fotografia
>>> Letícia Sekito, Cia Tentáculo e Marcos Moraes fazem o último Cartografia do Possível no CRDSP
>>> Duo CasaDois se apresenta no Zé do Hamburger
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A vida dos pardais e outros esquisitos pássaros
>>> Blockchain Revolution, o livro - ou: blockchain(s)
>>> Bates Motel, o fim do princípio
>>> Bruta manutenção urbana
>>> Por que HQ não é literatura?
>>> Precisamos falar sobre Kevin
>>> Entrevista com o poeta mineiro Carlos Ávila
>>> Bitcoin, smart contracts, blockchain, cryptoassets
>>> A poesia afiada de Thais Guimarães
>>> Manchester à beira-mar, um filme para se guardar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Caindo na Real - Você Aproveitou as Oportunidades
>>> Ilustrado
>>> Fascínio cotidiano
>>> O que sei do tempo III
>>> Primeiro ato
>>> Pssica e a Amazônia de Edyr Augusto
>>> UM VENTO ERRANTE
>>> Voamos Juntos
>>> Evolução, revolução e regressão
>>> Medo do futuro?
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Estranho Wittgenstein
>>> O Gene Egoísta, de Richard Dawkins
>>> Te cuida, rapaz
>>> As cores de Pamuk
>>> Morreu Vinicius de Moraes
>>> 20 anos de cultura no brasil
>>> Rua da passagem
>>> Olhando pela fresta
>>> Fragmentos de um Paulo Francis amoroso
>>> Era uma vez o conto de fadas
Mais Recentes
>>> Livro, Isto - Cartuns
>>> Quelques Sentiments de Culpabilité
>>> A Ilha Sob o Mar
>>> Criança 44 - 3ª Edição
>>> Sefarad - Um Romance de Romances
>>> Tiro no Coração - A História de Um Assassino - 1ª Edição
>>> Bartleby, O Escrevente - Uma História de Wall Street
>>> O Homem que Comeu de Tudo - 1ª Edição
>>> Como a Música Ficou Grátis - O Fim de Uma Industria... 1ª Edição
>>> Pensando o Século XX - 1ª Edição
>>> Hemorragias Elétricas
>>> Derriça Elétrica
>>> O Sequestro do Santa Maria - Um Sonho de Liberdade
>>> Artigos, Análises e Tutoriais de Telecomunicações
>>> O Desafio da Inovação - A Revolução do Conhecimento nas Empresas Brasileiras
>>> Sob O Olhar de Deus ... - 4ª Edição
>>> Lendas do Deserto - 11ª Edição
>>> Céu de Allah - 11ª Edição
>>> Lendas do Povo de Deus - 8ª Edição
>>> Minha Vida Querida - 12ª Edição
>>> Maktub (Estava Escrito) - 9ª Edição
>>> Seleções (Os Melhores Contos) - 5ª Edição
>>> O Homem que Calculava - 19ª Edição
>>> Mil Histórias Sem Fim... Volume 2 - 5ª Edição
>>> Novas Lendas Orientais - Livro Virgem
>>> Os Filósofos Pré-Socráticos
>>> O Caminho da Cura, o Chi Kung para a Energia e a Saúde
>>> Respiração, pura alquimia
>>> Nossa Senhora dos Heréticos
>>> A Dieta do Tipo Sanguíneo
>>> Os 100 Segredos das Pessoas Felizes
>>> O blog da família
>>> Comer, rezar, amar
>>> Sabor de vitória
>>> Tarô Madame Lenormand
>>> Foundation IELTS Masterclass
>>> Baralho Cigano Lenormand Clássico
>>> Golden Lenormand Oracle Cards
>>> Easy Lenormand: Quick Answers to Everyday Questions
>>> The Lenormand Fortune-telling Cards: The Legendary 18th-Century Oracle
>>> Aleister Crowley Thoth Tarot Deck
>>> A árvore do medo
>>> A invasão francesa do brasil
>>> Coleção 70o Aniversário da II Guerra Mundial
>>> Do outro lado do muro
>>> O advinhador
>>> Rita está crescendo
>>> Fenomenologia da Percepção
>>> A Condição Humana
>>> Carrego no peito
COLUNAS

Segunda-feira, 12/7/2010
A sociedade em rede
Gian Danton

+ de 3400 Acessos


LIANA TIMM© (http://timm.art.br/)

O desenvolvimento das mídias interativas modificou completamente a forma como as pessoas trabalham, compram e se divertem. Essa nova realidade foi batizada de "sociedade em rede" por Manuel Castells, em livro homônimo (Paz e Terra, 2007, 698 págs.).

Castells diz que trata-se de um conceito diretamente relacionado à globalização e à sociedade da informação, tendo como características a segmentação dos usuários por interesses, a convergência de mídias e padrões cognitivos, o fim das separações, a cultura da virtualidade real e a estratificação dos usuários.

Durante milênios, o tecido social era construído através da proximidade física. Os amigos eram parentes e vizinhos. A identidade das pessoas também era construída geograficamente: a nacionalidade, o local de nascimento. Era uma identidade imposta, já que ninguém escolhe onde vai nascer. A era da informação permitiu e estimulou a união de pessoas por interesses em comum, independentemente de estarem próximas. Os sites de relacionamento, como Orkut e Twitter, são exemplos dessa nova realidade: pessoas que nunca se viram podem se tornar amigos e compartilhar sua intimidade.

Num mundo cada vez mais dominado pelos computadores, os amigos virtuais se tornaram tão importantes quanto os amigos presenciais. E o status das páginas sociais dos jornais foi substituído pela busca de mais e mais amigos nas redes de relacionamento, a ponto de surgir um paradoxo, como o de indivíduos que usam todos os mecanismos para conseguir seguidores no Twitter, mas não têm nada a dizer.

Se as novas tecnologias permitem uma ampliação das relações, por outro lado, ela privilegia laços fracos, um equivalente cibernético daquilo que Desmond Morris, no livro O macaco nu, chamava de catar piolho: um comportamento social caracterizado pelo não aprofundamento das relações. A mesma facilidade para criar amizades existe para terminá-las. Basta um clique em "bloquear" e os melhores amigos do último ano se tornam meros desconhecidos.

O fim das separações e a convergência de mídias podem ser vistos como características semelhantes: na sociedade em rede, a diferença entre as coisas tende a se diluir. A casa, por exemplo, sempre foi vista como local de descanso. A rua era o local de diversão, a praça o local de encontro com os amigos, a empresa o local de trabalho, a mercearia o local de compras. Hoje essas separações se desvaneceram. Com cada vez mais pessoas trabalhando em casa, ela se tornou local de diversão, compras (vide o aumento das vendas pela internet) e até de encontro, que nem sempre acontece com os moradores da casa. Numa sociedade em que os relacionamentos são cada vez mais virtuais, até mesmo uma pessoa que mora sozinha pode encontrar seus amigos apenas abrindo o computador e entrando na internet.

Esse processo de dissipação das separações entre as coisas vai se estender até à questão cognitiva. Para as novas gerações, não existe mais distinção entre a educação e diversão, informação e humor. Dois programas atuais mostram bem essa situação: O CQC (Band) e Furo MTV. A ideia antiga, de que um jornalista deveria ser sério para fazer denúncias cai por terra com a popularidade de Rafinha Bastos, apresentando o quadro "Proteste Já" vestido de árvore ou presidiário. No Furo MTV, Dani Calabresa e Bento Ribeiro apresentam as principais notícias do dia ao mesmo tempo em que fazem comentários sarcásticos e infernizam a vida um do outro. O programa, que seria uma aberração na década de 1950, tem alcançado cada vez mais público, especialmente entre os jovens.

Da mesma forma que não distingue o divertido do sério, a nova geração usa as novas mídias de maneira cada vez mais integrada. Está se tornando cada vez mais comum ver jovens assistindo televisão com o notebook no colo, comentando os programas no Twitter ou pesquisando informações no Google. Muitos já nem usam a TV: assistem a tudo no computador, seja no YouTube, seja baixando seus programas prediletos em sites especializados. A indústria, claro, tem se esforçado para aproveitar essa convergência de mídias. Já existem notebooks que pegam TV, celulares nos quais é possível jogar, mandar e-mails, entrar no Twitter, ler e-books... O lançamento do iPad da Apple, se insere exatamente nesse contexto, assim como o Google TV, um mecanismo de busca para ser usado na TV digital.

Outra característica importante da sociedade em rede é a cultura da virtualidade real. As novas gerações, acostumadas ao mundo cibernético, já não fazem diferença entre a realidade presencial e sua representação simbólica. Castells cita um exemplo anterior até à popularização da internet. Em 1992 a protagonista do seriado Murphy Brown resolveu ter um filho, mesmo sendo solteira. O conservador vice-presidente Dan Quayle achou que isso era uma má influência para as mulheres norte-americanas e fez questão de criticar publicamente a série. Os roteiristas não perderam tempo e colocaram, no episódio seguinte, Murphy Brown, personagem que dá nome à série, assistindo pela TV à entrevista do vice-presidente e criticando-o por estar se intrometendo na liberdade das mulheres. Isso gerou uma antipatia tão grande aos republicanos que foi um dos fatores pelos quais o presidente Bush (pai) não conseguiu se reeleger. Castells comenta que, no episódio, Quayle se transformou em um personagem de Brown. Da mesma forma, temos visto a quantidade de celebridades que fazem questão de aparecer nos Simpsons. É como se elas se tornassem reais ao aparecer no desenho.

Nessa sociedade em rede, até mesmo os protestos virtuais têm o mesmo valor dos presenciais. No texto "A nova queda da Bastilha" eu comento a hashtag #forasarney e como ela se tornou mais importante que os protestos geográficos contra o presidente do Senado.

Finalmente, a última característica da sociedade de rede é a estratificação dos usuários entre receptores e interagentes. Os receptores usam as novas mídias de forma passiva e massificada. Entram sempre nas mesmas páginas e não são capazes de usar a internet para descobrir novas versões sobre os fatos. Já os interagentes são críticos e usam bem as possibilidades dos novos meios, inclusive em termos políticos. Infelizmente, existem mais receptores do que interagentes.

A sociedade em rede, de Manuel Castells, é um livro básico para todos os que pretendem entender melhor o mundo em que estamos e o mundo que virá a partir do desenvolvimento das novas tecnologias de comunicação.

Para ir além






Gian Danton
Macapá, 12/7/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A trilogia Qatsi de Guilherme Carvalhal
02. Do amanhecer ao adormecer: leitura, ato de amor de Marcela Ortolan
03. Educando as velhas gerações de Carla Ceres
04. O mundo explicado por T.S. Spivet de Guilherme Pontes Coelho
05. Confissões do homem invisível, de Alexandre Plosk de Ricardo de Mattos


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2010
01. Os dilemas da globalização - 8/11/2010
02. Glauco: culpado ou inocente? - 29/3/2010
03. 2009: intolerância e arte - 4/1/2010
04. As fronteiras da ficção científica - 3/5/2010
05. Maria Erótica e o clamor do sexo - 25/10/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ÍCONES DO SÉCULO XX
GIORGIO TABORELLI
SENAC, MONDADORI
(1999)
R$ 40,00
+ frete grátis



CASAIS TROCADOS
JOHN UPDIKE
CÍRCULO DO LIVRO
(1968)
R$ 3,00



COMO SALVAR SEU CASAMENTO
DR LES PARROTT E DRA LESLIE PARROT
VIDA
(1998)
R$ 18,00



A LITERATURA FRANCESA E A PINTURA - ENSAIOS CRÍTICOS
CELINA MARIA MOREIRA DE MELLO
7LETRAS
(2004)
R$ 20,30



RUMOS DOUTRINÁRIOS
INDALÍCIO MENDES
FEB
(2010)
R$ 9,25



O ENFORCADO
GEORGES SIMENON
LPM POCKET
(2004)
R$ 4,90



ESTRUTURA E FUNÇÕES DO CORPO HUMANO
GARY A. THIBODEAOU E KEVIN T. PATTON
MANOLE
(2017)
R$ 45,00



OS MANUSCRITOS PERDIDOS DOS REIS MAGOS
BRENT LANDAU
MATRIX
(2013)
R$ 9,30



ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING
PHILIP KOTLER
PRENTICE HALL
(2000)
R$ 65,00



A MAGIA DA CAMISA 10
ANDRÉ RIBEIRO & VLADIR LEMOS
VERUZ
(2006)
R$ 14,00





busca | avançada
9175 visitas/dia
1,0 milhão/mês