Plágio | Daniel Bushatsky | Digestivo Cultural

busca | avançada
40570 visitas/dia
957 mil/mês
Mais Recentes
>>> Martie sobe ao palco ao lado do pianista Marcos Nimrichter
>>> Embaixador croata lança livro de poemas no Brasil
>>> Cia. Sansacroma dança a loucura em Sociedade dos Improdutivos
>>> Jornalista lança primeiro livro com crônicas inspiradas em percepções sobre as relações humanas
>>> Livro revisita a popularização da fotografia amadora
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Omissão
>>> Preparar Para o Impacto
>>> Fazendo a coisa certa
>>> Malcolm, jornalismo em quadrinhos
>>> Lembrança de Plínio Zalewski
>>> Que tal fingir-se de céu?
>>> As crianças do coração do Brasil
>>> Três filmes sobre juventude no novo século
>>> Poesia e Guerra: mundo sitiado (parte II)
>>> Notas confessionais de um angustiado (V)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Ebook gratuito
>>> Poesia para jovens
>>> Nirvana pra todos os gostos
>>> Diego Reeberg, do Catarse
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Lançamento e workshop em BH
>>> Reid Hoffman por Tim Ferriss
>>> Software Programs the World
>>> Daphne Koller do Coursera
>>> The Sharing Economy
Últimos Posts
>>> Marola
>>> Quando algo está para acabar, chove. Foi testado.
>>> Tem café?
>>> Ferreira Gullar (1930-2016)
>>> 4 de Dezembro de 2016
>>> Carta aberta ao povo brasileiro
>>> Que bela lição a Colômbia está dando ao mundo
>>> No rastro de Augusto dos Anjos (série: sonetos)
>>> Taxi Driver 40 anos - um retrovisor do presente.
>>> Rio, ontem e hoje
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Guimarães Rosa: um baiano de sangue
>>> Contos de imaginação e mistério
>>> Circulação dos jornais caindo
>>> Perguntas sagradas
>>> A fragilidade da literatura
>>> Simone de Beauvoir: da velhice e da morte
>>> Fazer conta de cabeça e a calculadora
>>> Semana de 22 e Modernismo: um fracasso nacional
>>> Crônicas do DC em livro
>>> A fúria do demônio
Mais Recentes
>>> Nuances Da Memória
>>> A Expedição Kon Tiki
>>> Introdução À Botânica Sistemática Volume 1
>>> Pesquisas Em Relações Econômicas Internacionais
>>> Dr. Clorofila Contra Rei Poluidor
>>> Fundamentos Do Humanismo Jurídico No Ocidente
>>> Para Tarsila
>>> A Nova Era Do Franchising
>>> Sandman - Versão Definitiva Vol. 4
>>> A honra do poderoso Prizzi
>>> Sandman - Edição Definitiva Vol. 3
>>> Sandman - versão definitiva vol. 2
>>> Os intocáveis
>>> Bandidos
>>> Sandman - versão definitiva vol. 1
>>> Os pecados cardeais
>>> Preparation Course for the TOEFL test
>>> Hitler
>>> Ser e Tempo - edição em alemão e português
>>> The Complete Fiction of H.P. Lovecraft
>>> Introdução a Filosofia
>>> Cérebro
>>> Raízes do Brasil
>>> O oitavo mandamento
>>> Eichmanm em Jerusalém
>>> Le Capital au XXI siècle
>>> Carapau
>>> Xaviera
>>> Menos Que Nada - Hegel é a Sombra do Materialismo Dialético
>>> Suave é a noite
>>> Minha Luta
>>> Rebecca, a mulher inesquecível
>>> Grimms Märchen - Vollständige Ausgabe
>>> Expresso do Oriente
>>> Tempo para a paz
>>> O Morro dos ventos uivantes
>>> Os Cem Melhores Contos Brasileiros do Século
>>> À Espreita das Estrelas
>>> A História de Biafra
>>> O Ano Em Que Sonhamos Perigosamente
>>> O milagre de Lázaro
>>> Fausto - Uma Tragédia PRIMEIRA PARTE
>>> Os dez dias que abalaram o mundo
>>> The Introduction of Nazism into Philosophy
>>> Homo Sacer
>>> Os velhos marinheiros.
>>> Era dos Extremos O breve século XX 1914-1991
>>> Dicionário alemão-português-alemão
>>> História da Loucura
>>> Curso de Alemão
COLUNAS

Segunda-feira, 4/4/2011
Plágio
Daniel Bushatsky

+ de 4200 Acessos
+ 4 Comentário(s)

O primeiro caso de plágio da história brasileira aconteceu em 1888. O quadro de Pedro Américo, O Grito do Ipiranga, que retrata a cena da Independência Brasileira é uma cópia quase idêntica de uma obra famosa de Jean-Louis Ernest Meissonier, o quadro 1807, Friedland, que celebra uma famosa vitória de Napoleão Bonaparte.

Não obstante o quadro de Pedro Américo não representar nem de perto os acontecimentos, que de glamorosos não tinham nada, pois o Brasil Colônia estava afundado em crises e o Príncipe Regente passava mal (intoxicação alimentar, provavelmente), ficou o triste registro de a primeira obra artística famosa brasileira, pós-independência, ser acusada de plágio.

Pedro Américo, no texto de apresentação da obra, na academia Real de Belas Artes de Florença, no dia 8 de abril de 1888, 66 anos depois da Independência, não citou possíveis semelhanças com a obra de Meissonier. Limitou-se a explicar as mudanças factuais, deixando claro que a pintura tinha uma intenção moral (e talvez de manipulação do povo, em minha opinião).

A acusação de plágio feita pelo jornalista Elcio Gaspari na edição da revista Veja de 15 de novembro de 1982 nunca ficou realmente provada. Isto porque, para a historiadora Claudia Valladão de Mattos, por exemplo, a obra que retrata Napoleão foi, somente, detalhadamente estudada por Pedro Américo.

Polêmica à parte, o fato é que para leigos a obra da Independência é plágio da vitória de Napoleão.

Como não estudamos história o suficiente na escola, a acusação de plágio contra o Brasil voltou a se repetir 122 anos depois, quando da apresentação do logotipo elaborado pela cidade do Rio de Janeiro para as Olimpíadas. As acusações vieram de todos os lados e, mais uma vez, o Brasil e os organizadores saíram pela tangente com argumentos pouco concretos e de amplo sentido, tais como: "inspirado", "lembra", "coincidência".

As palavras que possuem "todo" e "nenhum sentido" relembram o país que já nasceu com sua história alterada, por um possível plágio, sem que ninguém fizesse nada a respeito.

No caso da logomarca das Olimpíadas, o desenho se parece com dois já existentes: o da Telluride Foundation, no estado de Colorado, dedicada à filantropia e o quadro A dança, de Henri Matisse. Ou seja, a inspiração, lembrança e coincidência vieram de duas obras e não de uma só! Haja coincidência!

O que é uma pena nos casos de plágio (e, por favor, não estou dizendo que foi plágio os narrados acima) é a prepotência de achar que vai conseguir enganar organizadores e participantes quanto à originalidade de uma obra.

Quando o evento ainda é importante, como a Independência do Brasil ou as Olimpíadas no Rio de Janeiro, a ilicitude continua a mesma, mas a falta de noção e a vergonha para o Brasil aumentam em progressão geométrica.

Com um pouco de estudo, todos saberiam que cedo ou tarde os plágios são descobertos. Um país que nasceu, artisticamente falando, com uma cópia, poderia mostrar que 122 anos depois é todo original.

Se definir o que é plágio exige técnica e cuidado, pois inspiração não é crime, um pouco de bom senso também deve ser acrescentado à mistura. Ou seja, na dúvida, é cópia, e para o Brasil se destacar, o que menos precisamos é de dúvida.

Vale aqui um parêntese: segundo o dicionário eletrônico Houaiss, plágio é "apresentação feita por alguém, como de sua própria autoria, de trabalho, obra intelectual etc. produzido por outrem".

A título de comparação, a Bosch, empresa mundialmente famosa pelas várias áreas de atuação, passando de amortecedor para carro a fogão, em 2004 registrou 2.791 patentes. Para explicar, é patenteável a invenção que atenda aos requisitos de novidade, atividade inventiva e aplicação industrial.

Supõe-se, assim, que para a filosofia da Bosch, copiar é mais que uma vergonha. A empresa está orientada a sempre ser criativa.

Assim, aqui fica o recado: ou reforçamos as aulas de História ou as de Criatividade. Em ambos os casos o resultado será o aprendizado do que é plágio e a vergonha de se copiar obra feita por alguém como se fosse sua.

Mas o grande resultado mesmo seria tirar um pouco da prepotência de quem não só imita, como ainda acha que ninguém vai descobrir: casos de plágio estão toda hora na mídia.

Espero que daqui para frente "inspirado", "lembra", "coincidência" virem inspiração, esforço e criatividade.

Viva a descoberta! Viva a Bosch!


Daniel Bushatsky
São Paulo, 4/4/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A Coreia do Norte contra o sarcasmo de Celso A. Uequed Pitol
02. Caiu na rede, virou social de Fabio Gomes
03. A Imagem do Som de Fabio Gomes
04. Eu blogo, tu blogas? de Fabio Gomes
05. A literatura de Marcelo Mirisola não tem cura de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Daniel Bushatsky
Mais Acessadas de Daniel Bushatsky em 2011
01. Plágio - 4/4/2011
02. Felicidade - 14/2/2011
03. O que queremos do Natal? - 21/11/2011
04. Souza Dantas, Almoço e Chocolate - 4/7/2011
05. Preconceitos - 14/3/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
9/4/2011
11h29min
Muito pertinente o texto. Mas, na minha opinião, depois do plágio, como muito bem explicitado pelo autor, é "apresentação feita por alguém, como de sua própria autoria, de trabalho, obra intelectual etc. produzido por outrem", a pior (senão, tão execrável quanto) atitude intelectual é não assumir a paternidade de uma ideia. Então o autor vem e diz que a obra de Pedro Américo e o logo das Olimpíadas do Rio são plágios e depois me sai com um "e, por favor, não estou dizendo que foi plágio os narrados acima"??? Que vergonha!
[Leia outros Comentários de Albarus Andreos]
8/6/2011
14h29min
É o plágio do plágio! O autor do logotipo da Telluride Foundation poderia dizer que foi inspirado no quadro "A dança", de Matisse. O autor do logo do RIO já "chupou" direto da Telluride, talvez pensando que ninguém ia se lembrar de uma fundaçãozinha perdida lá no Colorado.
[Leia outros Comentários de José Frid]
11/6/2011
12h08min
Será fácil resolver o problema. Já que Matisse não pode requisitar os seus "direitos", o dinheiro ganho por quem "criou" a logomarca das Olimpíadas seja devolvido ou entregue para uma "obra" e tem que ser "real" e "autêntica" de "caridade". Não foi assim, com esse espírito de caridade que norteou a "cópia", "lembrança", etc. Será um bom exemplo para o futuro e evitará novos "criadores" de algo já existente. E não venham dizer que se trata de "criatividade" copiar o que é bonito. Abraços!
[Leia outros Comentários de Cilas Medi]
30/11/2012
17h29min
Engraçado que o autor não cita qual é a fonte da informação histórica contida no primeiro parágrafo. Não seria isso plágio???
[Leia outros Comentários de JB]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




RENATO RUSSO - O TROVADOR SOLITÁRIO - PERFIS DO RIO
ARTHUR DAPIEVE
RELUME DUMARÁ
(2000)



200 EXERCÍCIOS E JOGOS PARA O ATOR E O NÃO-ATOR COM VONTADE DE DIZER ALGO ATRAVÉS DO TEATRO - AUGUSTO BOAL
AUGUSTO BOAL
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1980)



VIDA DA CONDESSA DE IGUASSÚ (FILHA DE D.PEDRO I E DA MARQUESA DE SANTOS)
CARLOS MAUL
ZÉLIO VALVERDE
(1942)



MESTRE DOS MARES
PATRICK O'BRIAN
RECORD
(2004)



A ALMA DO NEGÓCIO - PARA UMA GESTÃO POSITIVA
KEN O DONNELL
BRAHMA KUMARIS
(2002)



TEATRO MODERNO
ANATOL ROSENFELD
PERSPECTIVA
(1977)



CONAN - TREVAS SOBRE YARALET - NÚMERO 48 - HISTÓRIA EM QUADRINHOS
VÁRIOS
MYTHOS
(2008)



MARIA A MULHER DO GÊNESIS AO APOCALIPSE
JONAS ABIB
LOYLA
(1999)



O RETRATO DE DORIAN GRAY
OSCAR WILDE
FRANCISCO ALVES
(1981)



ANTOLOGIA POÉTICA DE AUGUSTO DOS ANJOS
AUGUSTO DOS ANJOS
EDIOURO
(1997)





busca | avançada
40570 visitas/dia
957 mil/mês