Aqui o sol nasce primeiro | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
28879 visitas/dia
957 mil/mês
Mais Recentes
>>> 'D. Quixote de La Mancha pelas mãos de Canato'
>>> Projeto nacional de educação musical estará em santos no próximo dia 24.10, em Guarujá 25.09 e Santo
>>> Teatro Fase abre palco para comédia
>>> Artistas da 33ª Bienal participam do open studio na Residência Artística da FAAP
>>> Europa de Portas Abertas 2018
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Alice in Chains, Rainier Fog (2018)
>>> Cidades do Algarve
>>> Gosta de escrever? Como não leu este livro ainda?
>>> Assum Preto, Me Responde?
>>> Os olhos de Ingrid Bergman
>>> Não quero ser Capitu
>>> Desdizer: a poética de Antonio Carlos Secchin
>>> Pra que mentir? Vadico, Noel e o samba
>>> De quantos modos um menino queima?
>>> Entrevista com a tradutora Denise Bottmann
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> O conservadorismo e a refrega de símbolos
>>> Ingmar Bergman, cada um tem o seu
>>> Em defesa do preconceito, de Theodore Dalrymple
>>> BRASIL, UM CORPO SEM ALMA E ACÉFALO
>>> Meus encontros com Luiz Melodia
>>> Evasivas admiráveis, de Theodore Dalrymple
>>> O testemunho nos caminhos de Israel
>>> UM OLHAR SOBRE A FILOSOFIA (PARTE FINAL)
>>> Os livros sem nome
>>> O mundo era mais aberto, mãe...
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Retrato em branco e preto
>>> Dilma na Copa 2014
>>> Receita para se esquecer um grande amor
>>> Duas escritoras contemporâneas
>>> Henry Moore: o Rodin do século XX
>>> Entrevista com Antonio Henrique Amaral
>>> O assassinato de Jesse James pelo covarde Robert Ford
>>> Dando nome aos progres
Mais Recentes
>>> Analise de credito e risco de Christian marcelo rodrigues pela Ibpex
>>> Judas--maxi-serie-1-3-4-5-7-9-10-11-12-13-14-16. de Sergio bonelli pela Record
>>> Richard ferber de Bom sono pela Celebris
>>> Ze colmeia--numero 1--raro. de Editora abril pela Abril
>>> Turma da monica-coleçao coca cola de Editora globo pela Globo
>>> Almanaque do popeye--2--raro. de Editora rge pela Rge
>>> Cura pela agua--a nova ciencia de curar. de Louis kuhne pela Hemus
>>> Mandrake--254. de Editora rge pela Rge
>>> Gibi de ouro-os classicos em quadrinhos-mandrake-cavaleiro negro-ferdinando--nick holmes de Editora rge pela Rge
>>> Popeye--13--rge. de Editora rge pela Rge
>>> Maldito-a vida e o cinema de jose mojica marins,o ze do caixao. de Andre barcinski e ivan finotti pela 34
>>> Materiais de construçao de W. j. patton pela E. p. u (1978)
>>> Diferentes formas de amar de Susana balan pela Best seller
>>> O novo paradigma dos negocios de Michael ray e alan rizsler pela Um
>>> Prisma--girando a piramide corporativa. de Werner k. p. kugelmeier pela Publit
>>> A fazenda mal assombrada de Alexandre dias pela Lachatre
>>> Conhecendo e trabalhando com o visual basic 6.0. de Pedro luiz cortes e roberto alessandre scherr. pela Erica
>>> Aguerra se torna mundial de Folha de sao paulo pela Folha de sao paulo
>>> Visual basic--simples e objetivo 3.0. de Ignacio c. m. massum. pela Erica
>>> Windows 98--answers--certified tech support. de Martin s. mattews an carole boggs mattews pela Mcgraw-hill
>>> Wit: Jornada de um Poema de Margaret Edson pela Peixoto Neto (2000)
>>> Bestiário de Júlio Cortázar pela Edibolso (1977)
>>> Conflito de Culturas de Coelho de Sousa pela Ministério da Educação e Saúde (1953)
>>> Segredo Rebelde de Marcelo Ferla pela Futuro (2006)
>>> Planejamento e Organização do Turismo de Ivan Fernandes pela Campus (2011)
>>> Turismo e Empreendedorismo de Jovo Ateljevic pela Campus (2011)
>>> Stagium: As Paixões da Dança de Décio Otero pela Hucitec (1999)
>>> A Capitania das Minas Gerais de Augusto de Lima Júnior pela Livraria Itatiaia (1978)
>>> Histórias do Japão de José Arrabal pela Peirópolis (2004)
>>> As brumas de avalon de Marion zimmer Bradley pela Imago (1985)
>>> As brumas de avalon de Marion zimmer Bradley pela Imago (1985)
>>> Recordação da casa dos mortos de Dostoievski pela Saraiva (1949)
>>> Era no tempo do Rei de Luiz Antonio Aguir pela Ática (2009)
>>> Planejamento e gestao estrategica nas empresas. de Luiz alberto a. dos santos. pela Atlas
>>> Comportamento organizacional de John a. wagner e john r. hollenbeck pela Saraiva
>>> Bom sono de Richard ferber pela Celebris
>>> Em dia com a digestao de Serafina petrocca pela Epoca
>>> Religioes do povo de Giorgio paliari pela Am
>>> Escoliose--a causa das nossa dores fisicas. de Antonio benedito do nascimento pela Ottoni
>>> Gibi audax-ano 1-numero 5. de Editora abril pela Abril
>>> Gibi nick raider--4--chinatow de Ediroa record pela Record (2018)
>>> Programando em clipper 5.01. de Stephen j. straley pela Berkeley ebras
>>> Priv@cidade.com de Charles jennigs e lori fena pela Futura
>>> Adobe photoshop 5 in 24 hours de Carla rose pela Sams
>>> Liebieghaus de Vierte auflage pela Verte auflage
>>> Roses de David Squire pela Tiger Books International (1995)
>>> Sime Gen: The Unity Trilogy de Jacqueline Lichtenberg e Jean Lorrah pela Meisha Merlin Publishing (2003)
>>> O Poder Regulamentar Autônomo do Presidente da República de André Rodrigues Cyrino pela Fórum (2005)
>>> Los Llamados a Seguir a Cristo de Serafin Matellán pela Instituto Teológico de Vida Religiosa (1973)
>>> Reencarnação e Emigração Planetária de Dinkel Dias da Cunha pela Cátedra (1989)
COLUNAS

Quinta-feira, 8/11/2001
Aqui o sol nasce primeiro
Adriana Baggio

+ de 5600 Acessos
+ 6 Comentário(s)

O mar nunca esteve tão lindo como nesses últimos dias. Está de uma cor verde azulada pra lá de convidativa. Na hora do almoço a maré baixa, e mostra uma grande faixa de areia, branca e limpa, já que há poucos banhistas. Tenho a sorte de morar em frente a essa paisagem, e na hora do almoço dá vontade de atravessar a rua, correr pela areia e cair na água. E no começo da noite, quando a lua está cheia, ilumina toda a praia e forma um reflexo dourado no mar. Todas essas vezes que admiro a beleza desta cidade, me pergunto porque João Pessoa é tão desprezada pelo turismo.

Mas não sou apenas eu a questionar. A imprensa, os empresários, o governo, todos debatem e se debatem em busca de uma explicação e de uma saída para o problema. Segundo um artigo em um jornal diário desta semana, a Paraíba perde em turismo até para o Piauí. Que me desculpem os moradores deste estado pela preposição utilizada. Apenas reproduzo o que diz o artigo. A comparação negativa com o Piauí se deve ao fato de que sua capital não fica no litoral, ao contrário de todas as outras do Nordeste, e o litoral também não tem o mesmo apelo que o de outros estados.

Antes de tentar responder a questão da nossa baixa estima turística, gostaria de argumentar sobre o potencial que a Paraíba apresenta. Temos mais de 130 km de litoral formado por baías, enseadas, praias bravas, praias mansas, praias com falésias, praias com recifes, bancos de areia, pedras, enfim, todos os elementos que agregam beleza e interesse a uma praia. Temos até uma praia de nudismo, que por sinal recebe visitantes que ficam por lá mesmo e nem chegam à capital. No interior, a Paraíba guarda antigos engenhos de açúcar e marcas mais históricas ainda, como as pegadas de dinossauro e pinturas rupestres. Sem falar no turismo sertanejo, no qual o próprio clima e aspecto geográfico são atrações para pessoas que moram em locais de vegetação verde a abundante. Existem ainda regiões para a prática de esportes radicais, outro apelo para turismo temático. Ou seja, a Paraíba está repleta de atrações naturais.

João Pessoa tem um charme, a meu ver, que é conservar alguns aspectos de uma cidade calma, tranqüila. Ao contrário de outras capitais nordestinas, como Maceió, por exemplo, a orla pessoense ainda conserva ares de praia mesmo. Existe uma lei de zoneamento que proíbe a construção de grandes edifícios na orla. Assim, a beira da praia conta com casas das décadas de 50, 60 e 70 junto com novas residências, prédios baixos, hotéis e pousadas, bares e restaurantes. Tem cara de cidade para morar, e não para visitar. Por mais que isso pareça desencorajador turisticamente, acredito que na realidade é um diferencial. As pessoas que viajam querem conhecer novos lugares justamente pela diferença em relação a seus locais de origem. Quando se começa a ter uma pasteurização na paisagem, perde-se também a identidade.

Tantos aspectos positivos às vezes perdem seu destaque em contraste com a falta de estrutura e serviços que a cidade apresenta. Já adianto que sempre há exceções, mas no geral, os estabelecimentos pecam no serviço. Garçons, vendedores, balconistas, todos precisam de mais treinamento e melhores condições de trabalho. Se nos restaurantes "da cidade" já existem problemas, naqueles que ficam à beira mar a coisa é pior ainda. Na verdade são grandes bares, com barracas na areia, que servem a cerveja quente, o coco gelado quente, e a comida fria. O som é muito alto, é difícil conseguir a atenção do garçom e os banheiros... bem, isso nem se fala. Mas parece que pouca gente se importa, porque esses lugares vivem cheios. Mas pergunto: vivem cheios de turistas? Acho que não. Um turista mal atendido talvez nem tenha a oportunidade de voltar para o bar, pela brevidade de sua visita, mas com certeza vai desencorajar seus amigos que por acaso estejam pensando em visitar João Pessoa. É essa falta de visão no futuro que acho uma das principais causas do problema turístico daqui. Parece que os empresários e comerciantes vivem para o hoje, mas esquecem de construir a boa imagem de seu estabelecimento e de sua cidade.

Um outro problema apontado é a falta de grandes hotéis e resorts, em comparação com Bahia e Pernambuco, que investem firme neste segmento. Talvez a Paraíba não deva tentar seguir por essa linha. Penso que seria muito mais efetivo assumir a identidade de uma cidade calma, tranqüila e hospitaleira. O turismo estadual deve seguir pelo mesmo caminho. Um dos preceitos básicos do marketing é que, se for difícil concorrer em determinada categoria, inaugure outra e seja pioneiro! Preceitos esses que o pessoal do marketing da PBTUR, órgão estadual de turismo, deveria conhecer e aplicar. Mas aí entra outro problema, de raízes mais profundas e efeitos devastadores: cargos como o de Diretor do Marketing da PBTUR, por exemplo, são usados como moeda de troca por favores políticos. E a Paraíba sente até hoje o maltrato causado pela má administração política do estado.

Em contrapartida, quem trata bem seu produto turístico é a cidade de Campina Grande, segunda maior do estado, e rival da capital tanto em relação à população quanto politicamente (o atual prefeito de Campina Grande, Cássio Cunha Lima, filho do senador "pistoleiro" Ronaldo Cunha Lima, é arquiinimigo do governador do estado, José Maranhão). Campina Grande está descobrindo seu nicho e é responsável por grandes eventos de alcance nacional, sem tentar concorrer com outros destinos mais fortes e famosos, mas "inaugurando" ou potencializando suas próprias categorias no mercado turístico. Para que tentar brigar com Recife ou Salvador durante o Carnaval? Nesta época, Campina Grande promove o Encontro da Nova Consciência, um evento ecumênico, que reúne gente de todas as religiões e de várias partes do Brasil do exterior. A cidade fica lotada, os hotéis ficam lotados... O carnaval de Campina – a Micarande – é fora de época, e também lota a cidade. No meio do ano a cidade tem o São João (o maior do mundo, dizem eles) e um Festival de Inverno, também com ótimos resultados turísticos.

A iniciativa de Campina deveria servir de exemplo para a organização turística da Paraíba toda. A começar pelo marketing. Enquanto Campina batizou sua festa junina de "O Maior são João do Mundo", um slogan que está gravado na cabeça de muita gente (como todos os bons slogans), a Paraíba teve 38 campanhas de incentivo ao turismo durante 41 anos de atuação da PBTUR. Como é que alguém vai gravar uma "marca" que muda quase todo ano?

Com base nessa reflexão toda que está aí, me convenço que, além dos problemas políticos e financeiros, falta identidade para a Paraíba deslanchar como destino turístico. Não existem profissionais qualificados trabalhando nisso. Para encerrar este texto e para dar um exemplo da incompetência que eu propago: na lista telefônica (de responsabilidade da incompetentíssima Telemar), o número divulgado para informações turísticas, tanto em João Pessoa quanto em Campina Grande, é o mesmo. Mas o pior é que esse número é de um restaurante de comida árabe, delicioso, por sinal. Por infelicidade, o restaurante fechou. Não sei de quem eu tenho mais pena: do novo dono do telefone ou do coitado do turista que liga para pedir informações.


Adriana Baggio
Curitiba, 8/11/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Um Furto de Ricardo de Mattos
02. A falta que Tom Wolfe fará de Rafael Lima
03. Sebastião Rodrigues Maia, ou Maia, Tim Maia de Renato Alessandro dos Santos
04. Como se me fumasse: Mirisola e a literatura do mal de Jardel Dias Cavalcanti
05. Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá? de Renato Alessandro dos Santos


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2001
01. À luz de um casamento - 18/10/2001
02. Náufrago: nem tanto ao mar, nem tanto à terra - 25/3/2001
03. Marmitex - 1/11/2001
04. O Segredo do Vovô Coelhão - 15/11/2001
05. Aqui o sol nasce primeiro - 8/11/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/11/2001
13h26min
Adriana, Fui a João Pessoa, por acaso, a trabalho e me apaixonei pela cidade. Volto, como turista, sempre que posso. A lua, refletida no mar, na Ponta do Seixas, é uma das imagens mais impressionantes que trago na memória. É uma pena, realmente, que a cidade não aproveite este potencial. Abraços, Ana
[Leia outros Comentários de Ana Veras]
9/11/2001
10h09min
Adriana, sou da família Baggio também, como sei que são poucos no Brasil, gostaria de manter contato para saber nosso grau de parentesco. Obrigada
[Leia outros Comentários de Daniela]
9/11/2001
13h10min
Ana, fico feliz em saber que você gostou daqui! "Adotei" a cidade, valorizando seus pontos positivos. E o luar aqui realmente é muito lindo, muito romântico. Volte sempre prá cá!
[Leia outros Comentários de Adriana Baggio]
9/11/2001
13h12min
Oi Daniela Sou curitibana, meu pai é da Lapa, uma cidade a 70 km de Curitiba. Não sei muito sobre a origem da família aqui no Brasil, mas tenho o maior interesse em descobrir. Você é de onde?
[Leia outros Comentários de Adriana Baggio]
3/3/2002
20h34min
Adriana, o q aconteceu foi falta de investimentos ao longo dos anos por parte dos administradores locais. A cidade não tinha uma iluminação decente. Veja, por exemplo, a rua que passa em frente à estação rodoviária, totalmente esquecida pela Saelpa! Não permitiam a construção de equipamentos à beira mar; Não abriam novas vias de acesso às praias do sul ou do norte; os órgãos de turismo locais não divulgavam o lugar; os hotéis da cidade não faziam parceria com as grandes agências de turismo (elas divulgariam a cidade nas grandes revistas e jornais do País); some-se a isto o q você citou acima: mais uma vez, a FALTA DE INVESTIMENTOS em treinamento daqueles q atendem diretamente ao turista. Felizmente, nos últimos anos, a cidade parece ter recebido investimentos significativos em sua infraestrutura turística, o que, a médio prazo, permitirá q ela se transforme num destino bem procurado. Morei em JP de 84 a 92 e sempre leio os jornais locais via internet. A cidade é, de fato, apaixonante!!
[Leia outros Comentários de Francisco Costa (SP)]
4/3/2002
11h35min
Francisco A cidade é realmente apaixonante. E é até por isso que dá tanta pena de ver o turismo mal trabalhado por aqui. Mas acho que você tem razão: os investimentos estão acontecendo, mesmo que lentamente. Mas o que ainda falta é um trabalho profissional na área de turismo. Os cargos nos órgãos responsáveis por essa parte ainda são ocupados por pessoas não preparadas. Espero que mude!
[Leia outros Comentários de Adriana]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PRECISO DE VOCÊ
SÔNIA SALERNO FORJAZ

(1996)
R$ 8,98



DULCINA E O TEATRO DE SEU TEMPO
SÉRGIO VIOTTI
LACERDA
(1987)
R$ 38,00



CASAIS INTELIGENTES ENRIQUECEM JUNTOS - FINANÇAS PARA CASAIS - 141ª E
GUSTAVO CERBASI
GENTE
(2008)
R$ 9,90



OS CÉUS PROCLAMAM - LETRA E PARTITURA - VOLUME 5
JOÃO WILSON FAUTINI
IMPRENSA METODISTA
(1988)
R$ 70,00



AVENTURA NA HISTÓRIA - A ARCA PERDIDA (REVISTA) - ED. Nº 44
PATRICIA HARGREVES- REDADORA CHEFE
ABRIL CULTURAL
(2007)
R$ 8,90



A FUNÇÃO SOCIOECONÔMICA DA PROPRIEDADE
CÁSSICA CELINA PAULO MOREIRA DA COSTA
AMÉRICA JURÍDICA
(2006)
R$ 20,00



SOLO DE CLARINETA
ÉRICO VERÍSSIMO
GLOBO
(1976)
R$ 5,00



CARTA AOS ESTUDANTES - FAUSTO WOLFF (LITERATURA JUVENIL)
FAUSTO WOLFF
CIA. NACIONAL
(1987)
R$ 4,00



O HOMEM DA GLOBO - 1003
CLETO FALCÃO
GERAÇÃO
(1996)
R$ 10,00



DOIS MUNDOS UM HEROI: UMA AVENTURA NÃO OFICIAL DE MINECRAFT
REZENDEEVIL (PEDRO AFONSO REZENDE)
OBJETIVA/SUMA LETRAS
(2015)
R$ 9,00





busca | avançada
28879 visitas/dia
957 mil/mês