Aqui o sol nasce primeiro | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
59113 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 8/11/2001
Aqui o sol nasce primeiro
Adriana Baggio

+ de 5900 Acessos
+ 6 Comentário(s)

O mar nunca esteve tão lindo como nesses últimos dias. Está de uma cor verde azulada pra lá de convidativa. Na hora do almoço a maré baixa, e mostra uma grande faixa de areia, branca e limpa, já que há poucos banhistas. Tenho a sorte de morar em frente a essa paisagem, e na hora do almoço dá vontade de atravessar a rua, correr pela areia e cair na água. E no começo da noite, quando a lua está cheia, ilumina toda a praia e forma um reflexo dourado no mar. Todas essas vezes que admiro a beleza desta cidade, me pergunto porque João Pessoa é tão desprezada pelo turismo.

Mas não sou apenas eu a questionar. A imprensa, os empresários, o governo, todos debatem e se debatem em busca de uma explicação e de uma saída para o problema. Segundo um artigo em um jornal diário desta semana, a Paraíba perde em turismo até para o Piauí. Que me desculpem os moradores deste estado pela preposição utilizada. Apenas reproduzo o que diz o artigo. A comparação negativa com o Piauí se deve ao fato de que sua capital não fica no litoral, ao contrário de todas as outras do Nordeste, e o litoral também não tem o mesmo apelo que o de outros estados.

Antes de tentar responder a questão da nossa baixa estima turística, gostaria de argumentar sobre o potencial que a Paraíba apresenta. Temos mais de 130 km de litoral formado por baías, enseadas, praias bravas, praias mansas, praias com falésias, praias com recifes, bancos de areia, pedras, enfim, todos os elementos que agregam beleza e interesse a uma praia. Temos até uma praia de nudismo, que por sinal recebe visitantes que ficam por lá mesmo e nem chegam à capital. No interior, a Paraíba guarda antigos engenhos de açúcar e marcas mais históricas ainda, como as pegadas de dinossauro e pinturas rupestres. Sem falar no turismo sertanejo, no qual o próprio clima e aspecto geográfico são atrações para pessoas que moram em locais de vegetação verde a abundante. Existem ainda regiões para a prática de esportes radicais, outro apelo para turismo temático. Ou seja, a Paraíba está repleta de atrações naturais.

João Pessoa tem um charme, a meu ver, que é conservar alguns aspectos de uma cidade calma, tranqüila. Ao contrário de outras capitais nordestinas, como Maceió, por exemplo, a orla pessoense ainda conserva ares de praia mesmo. Existe uma lei de zoneamento que proíbe a construção de grandes edifícios na orla. Assim, a beira da praia conta com casas das décadas de 50, 60 e 70 junto com novas residências, prédios baixos, hotéis e pousadas, bares e restaurantes. Tem cara de cidade para morar, e não para visitar. Por mais que isso pareça desencorajador turisticamente, acredito que na realidade é um diferencial. As pessoas que viajam querem conhecer novos lugares justamente pela diferença em relação a seus locais de origem. Quando se começa a ter uma pasteurização na paisagem, perde-se também a identidade.

Tantos aspectos positivos às vezes perdem seu destaque em contraste com a falta de estrutura e serviços que a cidade apresenta. Já adianto que sempre há exceções, mas no geral, os estabelecimentos pecam no serviço. Garçons, vendedores, balconistas, todos precisam de mais treinamento e melhores condições de trabalho. Se nos restaurantes "da cidade" já existem problemas, naqueles que ficam à beira mar a coisa é pior ainda. Na verdade são grandes bares, com barracas na areia, que servem a cerveja quente, o coco gelado quente, e a comida fria. O som é muito alto, é difícil conseguir a atenção do garçom e os banheiros... bem, isso nem se fala. Mas parece que pouca gente se importa, porque esses lugares vivem cheios. Mas pergunto: vivem cheios de turistas? Acho que não. Um turista mal atendido talvez nem tenha a oportunidade de voltar para o bar, pela brevidade de sua visita, mas com certeza vai desencorajar seus amigos que por acaso estejam pensando em visitar João Pessoa. É essa falta de visão no futuro que acho uma das principais causas do problema turístico daqui. Parece que os empresários e comerciantes vivem para o hoje, mas esquecem de construir a boa imagem de seu estabelecimento e de sua cidade.

Um outro problema apontado é a falta de grandes hotéis e resorts, em comparação com Bahia e Pernambuco, que investem firme neste segmento. Talvez a Paraíba não deva tentar seguir por essa linha. Penso que seria muito mais efetivo assumir a identidade de uma cidade calma, tranqüila e hospitaleira. O turismo estadual deve seguir pelo mesmo caminho. Um dos preceitos básicos do marketing é que, se for difícil concorrer em determinada categoria, inaugure outra e seja pioneiro! Preceitos esses que o pessoal do marketing da PBTUR, órgão estadual de turismo, deveria conhecer e aplicar. Mas aí entra outro problema, de raízes mais profundas e efeitos devastadores: cargos como o de Diretor do Marketing da PBTUR, por exemplo, são usados como moeda de troca por favores políticos. E a Paraíba sente até hoje o maltrato causado pela má administração política do estado.

Em contrapartida, quem trata bem seu produto turístico é a cidade de Campina Grande, segunda maior do estado, e rival da capital tanto em relação à população quanto politicamente (o atual prefeito de Campina Grande, Cássio Cunha Lima, filho do senador "pistoleiro" Ronaldo Cunha Lima, é arquiinimigo do governador do estado, José Maranhão). Campina Grande está descobrindo seu nicho e é responsável por grandes eventos de alcance nacional, sem tentar concorrer com outros destinos mais fortes e famosos, mas "inaugurando" ou potencializando suas próprias categorias no mercado turístico. Para que tentar brigar com Recife ou Salvador durante o Carnaval? Nesta época, Campina Grande promove o Encontro da Nova Consciência, um evento ecumênico, que reúne gente de todas as religiões e de várias partes do Brasil do exterior. A cidade fica lotada, os hotéis ficam lotados... O carnaval de Campina – a Micarande – é fora de época, e também lota a cidade. No meio do ano a cidade tem o São João (o maior do mundo, dizem eles) e um Festival de Inverno, também com ótimos resultados turísticos.

A iniciativa de Campina deveria servir de exemplo para a organização turística da Paraíba toda. A começar pelo marketing. Enquanto Campina batizou sua festa junina de "O Maior são João do Mundo", um slogan que está gravado na cabeça de muita gente (como todos os bons slogans), a Paraíba teve 38 campanhas de incentivo ao turismo durante 41 anos de atuação da PBTUR. Como é que alguém vai gravar uma "marca" que muda quase todo ano?

Com base nessa reflexão toda que está aí, me convenço que, além dos problemas políticos e financeiros, falta identidade para a Paraíba deslanchar como destino turístico. Não existem profissionais qualificados trabalhando nisso. Para encerrar este texto e para dar um exemplo da incompetência que eu propago: na lista telefônica (de responsabilidade da incompetentíssima Telemar), o número divulgado para informações turísticas, tanto em João Pessoa quanto em Campina Grande, é o mesmo. Mas o pior é que esse número é de um restaurante de comida árabe, delicioso, por sinal. Por infelicidade, o restaurante fechou. Não sei de quem eu tenho mais pena: do novo dono do telefone ou do coitado do turista que liga para pedir informações.


Adriana Baggio
Curitiba, 8/11/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A Última Ceia de Leonardo da Vinci de Jardel Dias Cavalcanti
02. A realidade, na verdade, é mentira de Ivan Bilheiro
03. A maçã de Isaac Newton de Gian Danton


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2001
01. À luz de um casamento - 18/10/2001
02. Náufrago: nem tanto ao mar, nem tanto à terra - 25/3/2001
03. O Segredo do Vovô Coelhão - 15/11/2001
04. Marmitex - 1/11/2001
05. Aqui o sol nasce primeiro - 8/11/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/11/2001
13h26min
Adriana, Fui a João Pessoa, por acaso, a trabalho e me apaixonei pela cidade. Volto, como turista, sempre que posso. A lua, refletida no mar, na Ponta do Seixas, é uma das imagens mais impressionantes que trago na memória. É uma pena, realmente, que a cidade não aproveite este potencial. Abraços, Ana
[Leia outros Comentários de Ana Veras]
9/11/2001
10h09min
Adriana, sou da família Baggio também, como sei que são poucos no Brasil, gostaria de manter contato para saber nosso grau de parentesco. Obrigada
[Leia outros Comentários de Daniela]
9/11/2001
13h10min
Ana, fico feliz em saber que você gostou daqui! "Adotei" a cidade, valorizando seus pontos positivos. E o luar aqui realmente é muito lindo, muito romântico. Volte sempre prá cá!
[Leia outros Comentários de Adriana Baggio]
9/11/2001
13h12min
Oi Daniela Sou curitibana, meu pai é da Lapa, uma cidade a 70 km de Curitiba. Não sei muito sobre a origem da família aqui no Brasil, mas tenho o maior interesse em descobrir. Você é de onde?
[Leia outros Comentários de Adriana Baggio]
3/3/2002
20h34min
Adriana, o q aconteceu foi falta de investimentos ao longo dos anos por parte dos administradores locais. A cidade não tinha uma iluminação decente. Veja, por exemplo, a rua que passa em frente à estação rodoviária, totalmente esquecida pela Saelpa! Não permitiam a construção de equipamentos à beira mar; Não abriam novas vias de acesso às praias do sul ou do norte; os órgãos de turismo locais não divulgavam o lugar; os hotéis da cidade não faziam parceria com as grandes agências de turismo (elas divulgariam a cidade nas grandes revistas e jornais do País); some-se a isto o q você citou acima: mais uma vez, a FALTA DE INVESTIMENTOS em treinamento daqueles q atendem diretamente ao turista. Felizmente, nos últimos anos, a cidade parece ter recebido investimentos significativos em sua infraestrutura turística, o que, a médio prazo, permitirá q ela se transforme num destino bem procurado. Morei em JP de 84 a 92 e sempre leio os jornais locais via internet. A cidade é, de fato, apaixonante!!
[Leia outros Comentários de Francisco Costa (SP)]
4/3/2002
11h35min
Francisco A cidade é realmente apaixonante. E é até por isso que dá tanta pena de ver o turismo mal trabalhado por aqui. Mas acho que você tem razão: os investimentos estão acontecendo, mesmo que lentamente. Mas o que ainda falta é um trabalho profissional na área de turismo. Os cargos nos órgãos responsáveis por essa parte ainda são ocupados por pessoas não preparadas. Espero que mude!
[Leia outros Comentários de Adriana]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TERRENOS OU EXTRATERRENOS
MICHEL GRANGER
NOVA FRONTEIRA
(1977)
R$ 10,00



GESTÃO HOSPITALAR: UM DESAFIO PARA O HOSPITAL BRASILEIRO
ROSA MARIA CASTEAR; PATRICK MORDELET; VICTOR GRABO
ENSP
(1995)
R$ 70,00



UMA BIBLIOGRAFIA SOBRE JORGE DE SENA, SEPARATA DE AS ESCADAS NÃO
JORGE FAZENDA LOURENÇO
COTOVIA
(1997)
R$ 42,70



O MASSACRE DA SERRA ELÉTRICA
STEFAN JAWORZYN
DARKSIDE
(2013)
R$ 32,00



CONTRATOS
ARNALDO RIZZARDO
FORENSE
(2016)
R$ 150,00



ENCICLOPÉDIA DO HUMOR JUDAICO - DOS TEMPOS BÍBLICOS À ERA MODERNA
HENRY D. SPALDING
SÊFER
(1997)
R$ 20,00



A NOVA EXECUÇÃO DE SENTENÇA
ALEXANDRE FREITAS CÂMARA
LUMEN JURIS (RJ)
(2006)
R$ 24,82



MANUAL DOS CRIMES CONTRA AS RELAÇÕES DE CONSUMO
DORA DUSSAB CASTELO NATÁLIA FERNANDES ALIE...
CENACON
(1999)
R$ 14,97



ARCO-IRIS EM PRETO E BRANCO
NARA VIDAL
DIMENSÃO
(2014)
R$ 20,00



A CABEÇA DE ALVISE
LINA WERTMÜLLER
RECORD
(1981)
R$ 8,00





busca | avançada
59113 visitas/dia
1,1 milhão/mês