Marina Silva (a terceira via?) | Rafael Rodrigues | Digestivo Cultural

busca | avançada
87666 visitas/dia
2,7 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Nova Exposição no Sesc Santos tem abertura online nessa quinta, 17/06
>>> Arte dentro de casa: museus e eventos culturais com exposições virtuais
>>> “Bella Cenci” Estreia em formato virtual com a atriz Thais Patez
>>> Espetáculo teatral conta a história de menina que sonha em ser astronauta
>>> Exposição virtual 'Linha de voo', de Antônio Augusto Bueno e Bebeto Alves
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
>>> Fernando Cirne sobre o e-commerce no pós-pandemia
>>> André Barcinski por Gastão Moreira
>>> Massari no Music Thunder Vision
>>> 1984 por Fabio Massari
>>> André Jakurski sobre o pós-pandemia
>>> Carteiros do Condado
>>> Max, Iggor e Gastão
Últimos Posts
>>> A lei natural da vida
>>> Sem voz, sem vez
>>> Entre viver e morrer
>>> Desnudo
>>> Perfume
>>> Maio Cultural recebe “Uma História para Elise”
>>> Ninguém merece estar num Grupo de WhatsApp
>>> Izilda e Zoroastro enfrentam o postinho de saúde
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Autores & Ideias no Sesc-PR I
>>> Balangandãs de Ná Ozzetti
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> A sétima temporada de 24 horas
>>> De olho neles
>>> Saudações cinemusicais
>>> 1998 ― 2008: Dez anos de charges
>>> The Book of Souls
>>> Carta ao pai morto
>>> Rousseau e a Retórica Moderna
Mais Recentes
>>> Cristãos Hoje de N. Maccari pela Paulinas (1976)
>>> Salmos de Edgard Armond pela Aliança (1979)
>>> Lobas, Lobos e Afins - a Eterna Busca da Liberdade... de Solange Torino pela Virgo (2001)
>>> Vida, Morte e Destino de Maria Fernanda S. e Edson Olivari de Castro pela Cia Ilimitada (1992)
>>> Rezas, Orações e Preces de Varios Autores pela Rita Carneti (1992)
>>> Como Falar em Publico e Influenciar Pessoas no Munndo dos Negócios de Dale Carnegie pela Record (1962)
>>> Uma Jornada Interior de Sara Mariott pela Pensamento (1993)
>>> Jovens e Adultos Dominical Fidelidade de Varios Autores pela Betel
>>> O Manual da Felicidade de Pe. Alberto Luiz Gambarini pela Ágape (2008)
>>> Como Enfrentar o Stress de Marilda Novaes Lipp e Colaboradores pela Ícone (1990)
>>> Auxiliares Invisíveis de C. W. Leadbeater pela Pensamento (1997)
>>> Oito Passos para Você ter Saúde de Ana Maria Freitas pela N/a
>>> O Livro do Destino de Herman Kirchenhoffer pela Círculo do Livro (1978)
>>> Eles Voltaram de Francisco Cândido Xavier pela Instituto de Difusão Espírita (1982)
>>> Os Remédios Florais do Dr. Bach de Dr. Edward Bach pela Pensamento (2006)
>>> Encontros, Desencontros e Reencontros de Florangela M. Desidério pela Paulinas (1982)
>>> Cavaleiro da Concórdia de Manoel Jacintho Coelho pela Racional (1988)
>>> Fátima, Aurora do Terceiro Milênio de João S. Clá Diaz pela Associação Cultural Nossa Senhora de Fátima (2000)
>>> I Ching, O Livro das Mutações de Juan Echenique Pérsico pela Melhoramento (2012)
>>> O Encontro, os mais Belos Encontros de Cristo de João Mohana pela Agir (1979)
>>> Boca de Forno de Olga Diniz de Castro pela Santo Alberto Artes Graficas
>>> Ginástica Cerebral de Paul E. Dennison pela Século xxi (2000)
>>> Brasil Coração do Mundo Pátria do Evangelho de Francisco Cândido Xavier pela Feb (1999)
>>> Evangelho no Lar de Maria T. Compri pela Feesp (1991)
>>> Guia do Outro Mundo de Ornella Volta pela Hemus (1973)
COLUNAS >>> Especial Eleições 2010

Sexta-feira, 16/7/2010
Marina Silva (a terceira via?)
Rafael Rodrigues

+ de 5000 Acessos
+ 4 Comentário(s)


Marina Silva no traço de Paulo Caruso

Quando se fazem comentários ou previsões sobre uma eventual vitória de Marina Silva nas eleições para a Presidência da República, um dos pontos mais abordados se refere à governabilidade. O escritor Milton Hatoum, ele mesmo um amazonense, e talvez seja por isso que vê com bons olhos a candidatura de uma pessoa verdadeiramente preocupada com o meio-ambiente e com o desenvolvimento sustentável, diz, em um artigo, que "se Marina Silva for eleita, seu primeiro grande desafio será a governabilidade. Como o PV vai obter uma maioria no congresso nacional? Com minoria no congresso, é impossível governar. É nesse momento que a chantagem e a barganha por cargos entram escancaradamente em cena e minam as boas intenções de qualquer Presidente da República".

Lembremos que, em nome da governabilidade, o presidente Lula e o PT fizeram as mais improváveis e escusas alianças políticas já vistas no Brasil. Nunca antes na história desse país, para utilizar um dos bordões do presidente, vimos tantos conchavos até então impossíveis de serem realizados. Foi em nome da governabilidade que o PT apoiou José Sarney, figura sempre envolta nos mais abomináveis fatos e escândalos. Foi em nome da governabilidade que o PT recebeu, de braços abertos, o apoio de Fernando Collor de Mello, aquele nosso ex-presidente que, entre outras coisas, transformou a economia brasileira em um verdadeiro caos.

Tais alianças foram/são defendidas com unhas e dentes por petistas. Segundo eles, foram acordos inevitáveis; caso não fossem feitos, seria muito mais difícil ter a maioria necessária no Congresso para aprovar projetos etc. Daí que o raciocínio lógico, quando se trata de uma eventual vitória de Marina Silva, é mais ou menos o seguinte: se o PT, que é um grande partido, que vem ganhando terreno nas últimas eleições, aumentando o número de prefeitos, governadores e deputados eleitos, tem dificuldades para governar e precisa trocar apoio com José Sarney, Fernando Collor e outros que tais, o PV, pequeno que é, não conseguiria fazer nada, aprovar nada, propor nada. Caso a chapa do PV vença a eleição, o Brasil seria "ingovernável".

Questionada sobre isso em sua mais recente participação no programa Roda Viva, da TV Cultura, transmitido no dia 14 de junho de 2010, a candidata disse que iria tentar o que nunca antes foi tentado: uma conversa com PT e PSDB, para quem sabe desse diálogo surgir uma coalizão em prol do Brasil. É utópico? É. Mas é impossível? Não.

A eleição de Lula em 2002 foi um acontecimento excepcional, é verdade, mas se comparada com uma eventual vitória de Marina Silva, não seria tão emblemática. Antes de 2002, Lula disputou três vezes a presidência. Em mais de dez anos tentando chegar ao Planalto, não apenas ele, mas também o PT mudou bastante. Deixou de lado certos posicionamentos extremados e foi, de certa forma, se centralizando. Tanto Lula quanto seu partido se distanciaram da esquerda utópica e se aproximaram da esquerda possível. Não foi à toa que, durante a campanha, chamavam o então candidato de "Lulinha paz e amor". Isso é tão visível a olhos nus que a distância entre a esquerda defendida hoje pelo PT e a direita, representada com mais destaque pelo PSDB, não é a mesma de 8 anos atrás.

Quando Barack Obama foi eleito presidente dos Estados Unidos, em 2008, muita gente comparou o acontecido com a vitória de Lula em 2002. Mas a candidatura que mais tem semelhanças com a de Obama é justamente a de Marina Silva. Primeiro, pela cor da pele. Dizemos que não, mas somos, sim, uma nação preconceituosa. Apesar de nossa população ser composta, em sua maioria, por pessoas negras, o Brasil tem constantemente provado ― e isso volta e meia é noticiado ― que é um país racista. Não tanto como os Estados Unidos são/foram, é verdade, mas um grande número de brasileiros carrega esse preconceito deplorável em suas costas. Segundo porque Obama venceu a eleição na primeira vez em que disputou, o que pode acontecer agora, com Marina. E terceiro porque teríamos no poder uma pessoa preocupada com o desenvolvimento sustentável e com o meio ambiente ― apesar de o presidente norte-americano estar desapontando não apenas sua nação, mas o mundo inteiro, no que se refere às questões ambientais.

É preciso reconhecer que o Brasil progrediu muito nos últimos 8 anos. Não há como negar que o governo Lula fez muitos avanços, mas é preciso também admitir que muito mais poderia ter sido feito. A educação não pode ser tratada como vem sendo, por exemplo ― nem pode ser tratada de maneira pior, como fez o governo anterior; uma ironia, aliás, visto que o ex-presidente é um intelectual que coleciona títulos de doutor honoris causa, conferidos por diversas universidades conceituadas. A saúde pública, no Brasil, merece maiores cuidados, mais investimentos, assim como a segurança pública. Entre os três candidatos à presidência de maior destaque, Marina Silva é provavelmente a que melhores condições tem de lidar com esses assuntos, que deveriam ser "prioridade zero", como diria Lula, mas que não foram assim tratados pelo seu governo.

Mesmo sendo a mais íntegra e equilibrada entre os três principais candidatos, Marina Silva vem sendo constantemente alvo de mal-entendidos e comentários levianos por conta de sua religião. De formação católica, Marina converteu-se ao evangelismo, e sua escolha religiosa não é bem vista por muitas pessoas. Suas declarações sobre questões polêmicas como aborto e casamento entre pessoas do mesmo sexo volta e meia são distorcidas. No Roda Viva ela, mais uma vez, esclareceu sua visão a respeito desses assuntos: quanto ao aborto, prefere que seja feito um plebiscito para as questões não previstas em lei (a legislação brasileira permite o aborto em caso de gravidez consequente de estupro, por exemplo); sobre os homossexuais, ela é contra qualquer tipo de preconceito ― óbvio ― e é a favor da união civil, mas é sincera ao dizer que não é a favor do casamento. São posições muito claras e sinceras, mas ainda há quem tente inventar factóides para prejudicar a candidata. Um jogo sujo e baixo, coisa que infelizmente predomina na política.



Depois da vitória do PT em 2002, criou-se o slogan de que "a esperança venceu o medo". Agora, depois desses 8 anos de governo Lula, talvez o slogan devesse ser outro. "As promessas deram lugar à incompetência", ou algo do tipo. A esperança, a verdadeira esperança, de um país mais justo e mais igual, e não apenas aparentemente igual ― porque, da forma como as coisas foram feitas, a distribuição de riqueza no país continua a mesma e, se falarmos a verdade, não foram as classes mais baixas que foram "promovidas" à classe média, mas sim a classe média que caiu alguns degraus ― renasce agora, na figura de Marina Silva. Uma mulher negra que trabalhou em seringais, foi empregada doméstica, estudou, diplomou-se, elegeu-se senadora por um estado que dizem não existir (o Acre; mas foi de lá que também veio o gênio Armando Nogueira) e que agora tem a chance de chegar à Presidência da República Federativa do Brasil. Sua luta, como já disseram por aí, parece a de um Davi contra não apenas um, mas dois Golias. Ela pode vencê-los? Nós podemos finalmente fazer deste país uma terra mais justa para todos?

Sim, ela pode. Sim, nós podemos.

Nota do Autor
Meus sinceros agradecimentos a Diogo Salles, Guilherme Montana e Rafael Fernandes pelas conversas sobre política, que foram de suma importância para a finalização deste texto.


Rafael Rodrigues
Feira de Santana, 16/7/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Guilherme Carvalhal de Guilherme Carvalhal
02. Ditadura e um urso gostoso de Marcelo Miranda


Mais Rafael Rodrigues
Mais Acessadas de Rafael Rodrigues em 2010
01. Meus melhores livros de 2009 - 22/1/2010
02. O altar das montanhas de Minas - 21/5/2010
03. O grande jogo de Billy Phelan - 2/4/2010
04. O petista relutante - 29/10/2010
05. Sobre o preço dos livros 1/2 - 20/8/2010


Mais Especial Eleições 2010
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
17/7/2010
12h58min
Boa tarde! Excelente e muito oportuno o texto. Acho que estamos vivendo o momento mais importante, até agora, da política nacional. Como foi dito em relação ao nosso FHC, os títulos de mestre, dr. etc. são de suma importância para que o "feitor" possa gerir qualquer "empreendimento ou governo". Conhecimento é fundamental. Mas não é tudo, o que vale mesmo é a índole o, caráter da pessoa. Existe muito "bandido" por aí com título de dr. no exterior... E chega de assistencialismo, resgatar a dignidade do povo brasileiro, sim, é o caminho.
[Leia outros Comentários de Célio José Ramiro]
17/7/2010
13h29min
Com relação ao "nosso planeta", não importa se ganhando Marina ou outro candidato: mudem! É de responsabilidade de todos os cuidados com o meio ambiente, então mude seus maus hábitos. Alguns oportunistas fazem parecer modismo o assunto, mas não é! É urgente, estamos acabando com a vida do "nosso planeta", ou seja, com a nossa própria existência. Não deixem só para os "nossos governantes". Faça já. Pequenas ações podem ser começadas agora.
[Leia outros Comentários de Célio José Ramiro]
19/7/2010
18h52min
Banco Central que não diminui o custo do dinheiro, contribuindo para os grandes investidores/especuladores acumular mais e mais riqueza... Na morte não levam nada. Quando em vida, se ela lhes deu a graça de serem competentes para ganhar dinheiro, que ele seja meritório para atender a quem não tem essa facilidade de saber "fazer" falcatruas e improbidades administrativas. Basta tirar o excesso de uns. Ninguém consegue almoçar mais de um quilo por vez. O resto é mesmo resto. Ganância, simplesmente. Abraços.
[Leia outros Comentários de Cilas Medi]
23/7/2010
08h55min
O problema que nós temos no Brasil é o mesmo que há nos EUA. Os governantes, não importando o partido nem os discursos, são apenas marionetes dos financistas do Estado (vejam e investiguem quem é a elite no Brasil). Essa elite financia todos os partidos, assim nosso poder de voto fica anulado. Nenhum presidente "governa" para o povo, todos "controlam" o povo em prol dos interesses das grandes corporações e seus grandes banqueiros. A pressão exercida pela elite que controla o Estado não dá poder de governabilidade a absolutamente nenhum de seus marionetes. Quem ainda acredita nessa bobagem, que os governantes têm o poder da governabilidade? O poder de voto do cidadão, é influenciado e controlado pela mídia. É esta quem define qual será eleito, e de tal forma, que ilude numa falsa autonomia, ou livre escolha. E por favor, parem de propagandear, que o Brasil é um país racista. Racista é a elite do Brasil e não todo o povo. Marina não será eleita porque a elite tem outros planos para ela.
[Leia outros Comentários de Márcia Zaros]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Terra dos Peixes - Memórias de Rio das Ostras
Selma Rocha (2ª Ed.)
Prefeitura de Rio das Ostras
(1997)



Desejo Cigano: Sob o Fascínio da Linguagem Muda
Betânia Ferreira
Comunicarte (recife)
(1995)



Entre os Reinos de Gog e Magog
Sílvio Fiorani
Siciliano
(1994)



Meu Pai, Seu Porco e Eu
Jna Scheerer
Rocco
(2006)



Malditos Frutos do Nosso Ventre
Carlos Alberto Luppi
Ícone
(1987)



Direito Tributário e Finanças Públicas
Arché Interdisciplinar Nº 27 Vol. 9 de 2000
Univ Cândido Mendes
(2000)



Véu do Passado
Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho/antônio Carlos
Lúmen
(1997)



Alô Você! Conquiste Seu Lugar
Evandro Guedes
AlfaCon
(2016)



Longitudes and Attitudes: Exploring the World After September 11
Thomas L. Friedman
Farrar Straus and Giroux
(2002)



Santa Cruz del Vale de los Caidos - Tourist Guide Book
Editorial Patrimonio Nacional (tenth Edition)
Patrimonio Nacional (madri)
(1974)





busca | avançada
87666 visitas/dia
2,7 milhões/mês