Matrimônio à americana | Daniela Sandler | Digestivo Cultural

busca | avançada
72442 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> FESTIVAL CORO NA QUARENTENA
>>> MAB FAAP estará fechado nos próximos dois finais de semana, devido ao Plano SP
>>> Exposição de Pietrina Checcaci é prolongada no Centro Cultural Correios
>>> Escritora Luci Collin participa de encontro virtual gratuito
>>> Máscaras Decoloniais: Dança e Performance (edição bilingue)
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Kate Dias vive Campesina em “Elise
>>> Editora Sinna lança “Ninha, a Bolachinha”
>>> “Elise”: Lara Oliver representa Bernardina
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Freedom, de Jonathan Franzen
>>> O dia em que Paulo Coelho chorou
>>> Ao Portal Galego da Língua
>>> Have a nice day
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Esboços de uma biografia precoce não autorizada
>>> A une passante
>>> 12 de Julho #digestivo10anos
>>> The Good Life
>>> A odisseia do homem tecnomediado
Mais Recentes
>>> Pantaleão e as Visitadoras de Mário Vargas Llosa pela Alfaguara Brasil (2007)
>>> Psicanálise e Instituição de Chaim Samuel Katz pela Documentário (1977)
>>> O Assassino e a Musa de Roa Lynn pela Francisco Alves (2001)
>>> As Consequências do Amor de Salaiman Addonia pela Record (2009)
>>> Conecte Matemática - Volume 1 de Gelson Iezzi pela Saraiva (2021)
>>> Queda de Gigantes de Ken Follett pela Arqueiro (2010)
>>> Vade Mecum Policial de Carlos Alberto Marchi de Queiroz pela Iglu (2000)
>>> El Libro de la Huerta de Eulalia Domingo pela Libsa (2015)
>>> Isaac Newton - uma Biografia de James Gleick pela Companhia das Letras (2004)
>>> O Noivo da Princesa de William Goldman pela Marco Zero (1987)
>>> Tudo Começou Em Babel de Herbert Wendt pela Ibrasa (1958)
>>> La Misión de Sigmund Freud de Erich Fromm pela Fondo del Cultura Económica (1960)
>>> Rumo a uma Vida Significativa de Simon Jacobson (adap) pela Maayanot (2001)
>>> Sufismo Universal de H. J. Witteveen pela Triom (2003)
>>> Na Escola da Fenomenologia de Paul Ricoeur pela Vozes (2009)
>>> Iniciação à História da Filosofia de Danilo Marcondes pela Zahar (2010)
>>> A Conquista do Presente de Michel Mafessoli pela Rocco (1984)
>>> A Potência de Existir de Michel Onfray pela Martins Fontes (2010)
>>> Ética como Amor-próprio de Fernando Savater pela Martins Fontes (2000)
>>> O Visível e o Invisível de Merleau-Ponty pela Perspectiva (2000)
>>> Não Pise na Bola de Richard Simonetti pela Clarim (1997)
>>> A Consciência em Expansão: os caminhos da abordagem Transpessoal na edução, na clínica e nas organizações de Maria Cristina Monteiro de Barros pela EdiPUCRS (2008)
>>> Folha Explica - Guimarães Rosa de Walnice Nogueira Galvão pela Publifolha (2000)
>>> A Linguagem das Cem Flores de Regina Obata pela Círculo do Livro (1986)
>>> A partilha do Sensível de Jacques Rancière pela 34 (2009)
>>> Revista Caras Extra Nr 18 Álbum De Xuxa E Sasha de Vários Autores pela Caras (1998)
>>> Marco Polo e a Rota da Seda de Jean-Pierre Drège pela Objetiva (2021)
>>> Psicoterapia Reencarnacionista: A terapia da Reforma Íntima de Mauro Kwitko pela Besouro Box (2015)
>>> A pesquisa na psicologia social de Leon Festinger e Daniel Katz pela FGV (1974)
>>> Xuxa de Ana Lucia Neiva pela ArtMeios (2001)
>>> Poesia 1930 - 1962 (Edição Crítica) de Carlos Drummond de Andrade pela Cosac Naify (2012)
>>> Psicoterapia à luz da Apometria de Clecio Carlos Gomes pela Terceira Margem (2000)
>>> O prazer de Viver de Felipe Rodrigues pela Chiado (2016)
>>> Psicologia Integral de Ken Wilber pela Cultrix (2017)
>>> Leadership and the New Science: Discovering Order in a Chaotic World de Margaret J. Wheatley pela Berrett-Koehler (1999)
>>> Por que os Homens Amam as Mulheres Poderosas de Sherry Argov pela Sextante (2009)
>>> A Aura Humana de Walter J. Kilner a Aura Humana pela Pensamento (1989)
>>> Estudios Sobre Técnica Psicoanalitica de Heinrich Racker pela Editorial Paidos (1979)
>>> Learning to Be Me: My Twenty-three-year Battle With Bulimia de Jocelyn Golden pela Iuniverse (2007)
>>> Em Busca de Mim de Isabel Vieira pela Ftd (2000)
>>> Valiosa Vida de Felipe Quartero pela Livre Expressão (2011)
>>> O Cérebro Consciente de Steven Rose pela Alfa-omega (1984)
>>> Royal Botanic Gardens Kew de Souvenir Guide pela Royal Botanic Gardens (2000)
>>> As Dez Maiores Descobertas da Medicina de Meyer Friedman; Gerald W. Friedland pela Companhia das Letras (2000)
>>> A Arte de Curar no Budismo Tibetano de Terry Cliffford pela Pensamento (1987)
>>> And the Winner Is... os Bastidores do Oscar de Emanuel Levy pela Trajetória Editorial (1990)
>>> The Fate of Art - Aesthetic Alienation From Kant to Derrida and Adorno de J. M. Bernstein pela Penn State University Press (1992)
>>> Loterofilia - A arte de colecionar bilhetes de loteria de Sylvio Luongo pela Publicação independente (2014)
>>> Viva Bem Com a Coluna Que Você Tem. de José Knoplich pela Ibrasa (1979)
>>> O Sorriso Distante de Anita Brookner pela Bertrand (2000)
COLUNAS

Quarta-feira, 12/12/2001
Matrimônio à americana
Daniela Sandler

+ de 4500 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Acho curioso como certas comidas têm par. Queijo com goiabada, por exemplo – aliás, Romeu e Julieta. O apelido não poderia ser mais apropriado para indicar a natureza “matrimonial” das combinações alimentícias, e a felicidade amorosa que resulta quando a combinação encontra residência no palato certo.

Porque, claro, é tudo questão de gosto, e nada garante que o meu casamento ideal vá funcionar para você... A questão não é só de gosto pessoal, mas de cultura também. Está certo que algumas combinações são quase universais, ao menos no Ocidente: arroz e feijão, pão com manteiga, café-com-leite. Ao nosso paladar, esses pares parecem feitos um para o outro. Será sempre assim?

Eu de minha parte achava que sim, até vir morar nos Estados Unidos e descobrir um mundo de outros pares insuspeitados. Não que sejam ruins, muito pelo contrário. O que me intriga é a razão de certas uniões, o porquê de determinados ingredientes estarem sempre juntos.

Por exemplo, framboesa e chocolate branco. Essa é combinação clássica. Tão clássica que sua encarnação original, ao natural, foi perdida, e o casal habita agora o panteão dos alimentos processados: sorvete, iogurte, torta, pudim, barra de chocolate, barra de cereal. Não tenho nada contra, mas me pergunto: por que framboesa? Por que não cereja? Amora? Morango? E por que chocolate branco?

Se a gente pensar em arroz e feijão, há muitas respostas para questões similares. A combinação de carboidratos e ferro; o sabor neutro do arroz como pano-de-fundo para o gosto do feijão, e sua textura seca como base para absorver o caldo; fora as circunstâncias históricas, que variam conforme o lugar. O prato, porém, pode ser comido no Brasil inteiro, em Cuba, em New Orleans.

Gelatina e crème brulée

Tudo bem, há alguns casamentos mais evidentes em sua felicidade, mas nem por isso menos arbitrários. Falar em cookies, por exemplo, é falar automaticamente em um copo de leite. A associação é tão consagrada que lojas de produtos “gourmet” vendem seus cookies especiais junto com copos especiais (os copos têm uma vaquinha em relevo, para deixar claro seu propósito). Uma propaganda recente de uma marca de cookies mostra um sujeito mergulhando os tais num imenso jarro de leite (os cookies são grandes demais para o copo). Um comercial de Oreo, mais antigo, tinha um menininho que praticamente se afogava em leite, lutando contra o enorme galão plástico, para conseguir molhar seu biscoito. Bom, agora você já sabe de onde vem o sabor “cookies’n’cream” das barras de chocolate.

Concedo, porém, que há complementaridade de sabor, textura e umidade. Com boa vontade, penso até numa comparação – ostras com vinho branco. Não, não. Acho que a inspiração veio mais dos “biscotti”, aqueles biscoitos italianos bem duros e secos, feitos para mergulhar em bebidas – chá, café, chocolate. Sua versão perfeita, claro, sendo os biscotti de amêndoas chamados “cantuccini”, acompanhados de vin santo, um vinho de sobremesa (como Porto). (suspiro) É, cookies com leite estão a milhas de distância de cantuccini com vin santo.

Mas, como disse Julia Roberts a Cameron Diaz em O Casamento do Meu Melhor Amigo, nem sempre a gente quer comer crème brulée de sobremesa – na maior parte das vezes, a gente quer mesmo é gelatina. (Eu, hein? Eu não!) Já que estou aqui, por que não me deleitar com os casais norte-americanos?

Manteiga de amendoim e chocolate, naqueles bombons da embalagem cor-de-laranja. Falando em chocolate: chocolate-quente, óbvio!, ingerido com pequeninos marshmallows flutuando na xícara. Batatas assadas (baked potatos), de regra, vêm com sour cream e cebolinha verde. Cookies de macadâmia têm chips de chocolate branco (mentes mais liberais estão introduzindo uma versão com chocolate ao leite também). Já os cookies de aveia são sempre cheios de uva-passa.

Cranberries, as frutinhas vermelhas, parecem chamar obrigatoriamente a laranja, em bolos, muffins e biscoitos. Maçãs? Caramelo. Bagel? Cream-cheese. Chá verde? Mel. Ah, aquele intrigante habitante das vending machines, o biscoito de queijo recheado de manteiga de amendoim.

Diferenças conciliáveis

Todos esses casamentos me deixam um pouco dividida. Parte de mim festeja – meu estômago, provavelmente. Parte de mim critica, desconfiada. O problema não são as combinações em si, nem o fato de haver combinações consagradas – como já disse, há casais célebres em todas as nações... steak et frites, salsicha com chucrute, fish & chips...

O problema é que aqui tudo vira padrão. Sei que muita gente pensa nos Estados Unidos como símbolo da democracia – e não vou nem entrar nessa discussão agora –, mas a maioria se esquece de que o país é também símbolo da sociedade de massa. A individualidade – e a liberdade – têm limites numa sociedade industrializada, massificada e estandardizada.

Tudo, quase tudo, vem pronto, semi-pronto, fácil – e vira um carimbo mental. As combinações não são apenas pares clássicos. São lavagens-cerebrais do paladar, inculcadas por mães sem tempo, cantinas sem criatividade, merendas padronizadas, e finalmente pelos produtos industrializados. Iogurte, sorvete, barra de cereal, barra de chocolate, biscoito, tudo isso vem em white-chocolate raspberry, peanut butter chocolate, cherry vanilla, butter pecan e peaches’n’cream (eles adoram cream por aqui).

As palavras vão se fundindo em um nome só, contínuo, como se existisse, na natureza, uma tal coisa como whitechocolateraspberry, peaches’n’cream. Você acha que estou brincando? Pois um amigo americano me falava, outro dia, das delícias de crescer numa fazenda, colher a própria comida, comer fruta do pé. “Aqueles pêssegos, que doçura, a gente ia prá baixo da árvore com uma tigela de creme-de-leite e comia os pêssegos lá mesmo, banhados no creme...” Pêssegos, na árvore, já vêm com creme!... Imagina quando ele morder um pêssego “puro”!

Mas talvez eu esteja sendo parcial. Talvez eu veja a camisa-de-força desses pares de comida porque sou estrangeira. Talvez eu não enxergue o que há de forçado nas nossas próprias associações. Frango com farofa. Frango com catupiry. Côco e chocolate (será o prestígio a versão tupiniquim de cookies’n’cream?). Mate com leite, ou mate com pão-de-queijo. Ou será pão-de-queijo com café? Não, café é com sonho-de-valsa. Está vendo? Não sei se a gente é mesmo mais flexível, ou se é a tal diferença de ponto-de-vista.

E, no fim, se eles são felizes, por que desmanchar o casamento? Por que não celebrar as bodas, simplesmente? Com bolo branco e champagne, evidentemente...


Daniela Sandler
Riverside, 12/12/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Mais outro cais de Elisa Andrade Buzzo
02. O caso Luis Suárez de Humberto Pereira da Silva
03. Gente Esquisita ou Miopia de Daniel Bushatsky
04. Toma! de Adriane Pasa
05. Suicídio, parte 2 de Marta Barcellos


Mais Daniela Sandler
Mais Acessadas de Daniela Sandler em 2001
01. O primeiro Show do Milhão a gente nunca esquece - 8/8/2001
02. Quiche e Thanksgiving - 21/11/2001
03. A língua da comida - 29/5/2001
04. Mas isso é arte??? - 29/8/2001
05. Notícias do fim-do-mundo - 24/10/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
12/12/2001
19h09min
dani! que saudades, querida! descobri seus textos neste site mais do que por acaso. procurava algo sobre duendes (não me pergunte por que...), quando vi seu texto mais recente. acredita que eu estava "discutindo" neste exata momento com um amigo boas combinações. a dele: prosecco com damascos secos (será??); a minha: cheesecake com café! enfim, adorei ler suas coisas e se não fosse o ritmo puxado da vida aqui no jornal, poderia ler durante todo o dia. milhões de beijos, ana
[Leia outros Comentários de ana lucia araujo]
15/12/2001
19h03min
Daniela, me diz agora - sem subterfúgios: quantos quilos você engordou depois que foi para Rochester?
[Leia outros Comentários de Rafael Lima]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Mulheres no Cangaço amantes e guerreiras
Ilsa Fernandes Queiróz
Sbec
(2005)
R$ 45,00



Amor
John Drescher
United Press
(2002)
R$ 30,00



Até Eu Seria Comunista
Nelson A. Queiroz
Loyola
R$ 12,00



Brincando Com o Perigo - Com Suplemento de Leitura
Laís Carr Ribeiro
Moderna
(1995)
R$ 7,00



Argentina En los Mundiales
Sergio Ferraro
Sudamericana
(1998)
R$ 57,82



O Homem Visível e Invisível
C. W. Leadbeater
Pensamento
R$ 15,00



Sinal Verde
Francisco Cândido Xavier; Andre Luiz
Cec
(2001)
R$ 9,00



Não Se Apega, Não
Isabela Freitas
Intrinseca
(2014)
R$ 20,00



Mandado de Injunção
Irineu Strenger
Forense Universitária
(1988)
R$ 15,00



La Ciudad Problemas de Diseño y Estructura
D. Lewis (ed.)
Gustavo Gili
(1970)
R$ 50,00





busca | avançada
72442 visitas/dia
2,4 milhões/mês