Ainda vale a pena | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
79202 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> 7ª edição do Fest Rio Judaico acontece no domingo (16 de junho)
>>> Instituto SYN realiza 4ª edição da campanha de arrecadação de agasalhos no RJ
>>> O futuro da inteligência artificial: romance do escritor paranaense Roger Dörl, radicado em Brasília
>>> Cursos de férias: São Paulo Escola De Dança abre inscrições para extensão cultural
>>> Doc 'Sin Embargo, uma Utopia' maestro Kleber Mazziero em Cuba
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
Últimos Posts
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Bate-papo com Jeanette Rozsas
>>> Mais Kaizen
>>> O Cabotino reloaded
>>> Deleter
>>> O roteirista profissional: televisão e cinema
>>> Clínica de Guitarra de Brasil
>>> Vestibular, Dois Irmãos e Milton Hatoum
>>> Circo Roda Brasil
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> O corpo-reconstrução de Fernanda Magalhães
Mais Recentes
>>> Nova História e Novo Mundo (col. Debates 13) de Frédéric Mauro pela Perspectiva (1969)
>>> O Gerente Eficaz Em Aco Drucker Peter Fer Ed. 2007 de Drucker pela Gen (2007)
>>> Um Ano Para Enriquecer de Napoleon Hill pela Record (1998)
>>> Leituras De Escritor de Moacyr Scliar pela Sm (2015)
>>> Formaciones Económicas Precapitalistas de Carlos Marx pela Anteo (1973)
>>> A Revolução das Bonecas de José Carlos Oliveira pela Sabiá (1967)
>>> Por Que Ninguém Me Disse Isso Antes?: Ferramentas Para Enfrentar Os Altos E Baixos Da Vida de Julie Smith pela Mixfly (2022)
>>> O Positivismo Jurídico: Lições Da Filosofia Do Direito de Norberto Bobbio pela Icone (1995)
>>> O Falecido Mattia Pascal de Luigi Pirandello pela Civilização Brasileira (1971)
>>> Inovaçao: A Arte De Steve Jobs de Carmine Gallo pela Lua De Papel (2010)
>>> Illustrated Directory Of Guitars de Ray Bonds pela Barnes & Noble (2006)
>>> Dinamite Mental de Napoleon Hill pela Citadel
>>> Amar e Ser Amado de Pierre Weil - Roland Tompakow Ilustrações pela Civilização Brasileira (1965)
>>> Manual De Introdução Ao Estudo Do Direito de Rizzatto Nunes pela Saraiva (2009)
>>> Maneiras De Amar - Como A Ciencia Do Apego Adulto Pode Ajudar Voce A Encontrar ¿ E Manter ¿ O Amor de Amir Levine pela Sextante (2021)
>>> Guia Atemporal Das Noivas Com Estilo de Carol Hungria pela 3R Studio (2018)
>>> Os Cinco Príncípios Essenciais De Napoleon Hill de Napoleon Hill pela Citadel Press (2022)
>>> Os Dez Mandamentos Da Etica de Gabriel Chalita pela Nova Fronteira (2003)
>>> O Quarto Em Chamas de Michael Connelly pela Suma (2018)
>>> Dinamite Mental de Napoleon Hill pela Citadel
>>> Venda À Mente, Não Ao Cliente de Jurgen Klaric pela Planeta Estrategia (2017)
>>> Processo Decisório de Max H. Bazerman pela Elsevier (2004)
>>> O que é leitura de Maria helena martins pela Brasiliense (1982)
>>> Atriz de Mônica de castro pela Vida E Consciencia (2009)
>>> Trilhando a linha do tempo da reforma de Aecep pela Aecep
COLUNAS >>> Especial Festas 2001

Quinta-feira, 27/12/2001
Ainda vale a pena
Adriana Baggio
+ de 4000 Acessos

Hoje é dia 27 de dezembro. Já deu tempo de curar a ressaca do Natal. Seu aparelho digestivo já teve tempo de expurgar o menu natalino, diferente do que ele está acostumado no resto do ano. Talvez você até já esteja tentando trocar os presentes que não ficaram adequados ao seu corpo ou ao seu gosto. Fora isso, o que mais ficou do Natal? Alguns restos de peru no freezer e uma fatura de cartão de crédito que vai causar cólicas de arrependimento em janeiro?

A humanidade vive de rituais para marcar os acontecimentos, para celebrar, para determinar a época em que certas atitudes deve ser tomadas. O Natal tem uma origem ritual que não tem nada a ver com shoppings lotados, por incrível que pareça. Mas com certeza, para boa parte da humanidade o sentido do Natal original já está perdido. No entanto, em meio às sacolas de compras e receitas de peru, acredito que as pessoas ainda procuram fazer coisas diferentes no Natal. Junto com a festa vem a obrigação de tentar ser melhor, de ajudar o próximo, de esquecer as picuinhas, fazer as pazes com o cunhado, com a prima, com o irmão, de tentar ser um pouco mais espírito e menos matéria. O ideal seria que a gente tivesse esses bons impulsos em todas as épocas do ano, mas isso não acontece. Uma teoria muito pessoal diz que a necessidade que o ser humano tem de ser sinalizado, de ter limites estabelecidos, também se reflete na hora de tentar mudar e ser melhor. É aí que entram os rituais. Precisamos de um Natal, que prega a fé, o amor, a generosidade, para tentar encontrar dentro de nós esse tipo de sentimento. Precisamos de um Dia das Mães que nos redima de nossos papéis de filhos não tão devotados quanto deveríamos ser. Precisamos de um Ano Novo para tomar coragem e pensar na vida, e pelo menos tentar fazer planos que nos tirem da mesmice em que vivemos.

O ponto onde quero chegar é que, mesmo com o consumismo, a hipocrisia e a falsidade que também acompanham estes rituais, ainda existe nas pessoas um sentimento mais nobre, uma intenção em ser melhor. É por isso que acredito no Natal. Se a gente não tivesse essas datas de pagamento do nosso imposto sentimental, provavelmente as coisas estariam piores. Mesmo quando você vai atrás do presente de amigo secreto do chato do seu colega de trabalho, já está sendo uma pessoa melhor, porque talvez, pela primeira vez, esteja pensando nele, em seus gostos, em sua personalidade.

Agora o Natal passou, você já cumpriu seu papel tentando ser uma pessoa melhor para seus amigos e sua família, chegou a hora de fazer coisas boas para você mesmo. São mais alguns dias de stress antes do Ano Novo. Além da preparação para festa, existe aquele alarme na sua cabeça cobrando as promessas que você vai fazer para ser diferente. Mas perceba: o fato de você ir atrás das lentilhas e da calcinha branca já cria um espírito de renovação, de mudança. Você está pensando em melhorar. Na pior das hipóteses você vai agradar seu namorado, marido ou quem quer que seja com uma calcinha nova. E isso não é legal?

O que quero dizer com isso tudo é que, mesmo permeados de artificialismo, rituais como Natal e Ano Novo ainda podem ser aproveitados como marcos para nosso aprimoramento. Não há ilusão: comprar presentes vira um inferno, participar de algumas confraternizações é um pé no saco, ter que encarar estrada lotada para passar o reveillon na praia é uma roubada. Mas nosso empenho em participar disso tudo já faz com que as datas tenham um significado mais sincero do que o capitalismo nos faz pensar. Pelo menos nessas datas a gente acaba fazendo coisas boas pelos outros e por nós mesmos. É uma obrigação? Não é autêntico? Não importa. O efeito no outro pode ser legítimo, e só aí já valeu a pena. Pior seria se a gente não tivesse nem essas datas para tentar ser melhor.

Cara leitora, caro leitor (sou uma gentlewoman, mulheres primeiro!): espero que seu Natal tenha sido legal, que você não esteja achando tudo isso aí em cima muito utópico, que você não esteja lembrando do barraco que foi o almoço em família e queira apedrejar o monitor que mostra minhas palavras de esperança. Espero, sinceramente, que todos vocês tenham um ótimo fim de ano, e um ótimo começo de ano. E para provar que minha visão das festas talvez não esteja tão equivocada, acompanhem meu raciocínio: estou escrevendo um texto para o Digestivo Cultural; não conheço vocês pessoalmente; se não houvesse este veículo, não estaria desejando Boas Festas a vocês. Mesmo que meu motivo para estar escrevendo essas palavras não seja um afeto pessoal por qualquer um de vocês, ainda assim desejo, sinceramente, um Feliz Ano Novo a todos. E aí, não valeu a pena? Acho que votos de felicidade nunca vão ser demais.


Adriana Baggio
Curitiba, 27/12/2001

Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2001
01. À luz de um casamento - 18/10/2001
02. O Segredo do Vovô Coelhão - 15/11/2001
03. Arte, cultura e auto-estima - 9/8/2001
04. Náufrago: nem tanto ao mar, nem tanto à terra - 25/3/2001
05. Marmitex - 1/11/2001


Mais Especial Festas 2001
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Memória
Jonathan K. Foster - Camila Werner
Lpm
(2011)



Podemos dizer adeus mais de uma vez
David Servan-Schreiber
Fontanar
(2011)



Livro Relativismo
Raymond
Loyola
(2010)



Guia Completo De Aromaterapia
Joanna Hoare
Pensamento
(2010)



Ser Médium
Carlos A. Baccelli
Didier
(1997)



Por Que o Uso da Droga
Menyr A. B. Zaitter
Do Autor



Livro Gibis Azumanga Daioh 4
Kiyohiko Azuma
New Pop
(2015)



O despertar do bebê: práticas de educação psicomotora
Janine Lévy
Martins fontes
(2001)



Livro Saúde Eu Não Consigo Emagrecer A dieta francesa que conquistou mais de 30 milhões de leitores
Pierre Dukan; Ana Adao
Best Seller
(2012)



Livro Religião Os Mistérios da Vida de Jesus
Dom João E. M. Terra Sj
Ave Maria
(2009)





busca | avançada
79202 visitas/dia
2,3 milhões/mês