E Benício criou a mulher... | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
37668 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 19/8/2013
E Benício criou a mulher...
Gian Danton

+ de 5900 Acessos

De 1968 a 1985, um artista reinou absoluto nos cartazes de filmes nacionais. Suas mulheres elegantes e extremamente sensuais povoaram a imaginação de milhões de brasileiros. Eram tão bons que muitos se sentiam logrados por não encontrarem nas películas mulheres tão lindas quanto as dos cartazes. Ao mesmo tempo, nas bancas de revistas, centenas de livrinhos de bolso traziam sua marca. É a história desse artista que Gonçalo Júnior conta em E Benício criou a mulher... (Opera Graphica, 2012, 416 páginas), obra ganhadora do prêmio HQ Mix na categoria melhor livro sobre quadrinhos.

Gonçalo Júnior é um dos mais importantes biógrafos brasileiros e tem se especializado na história editorial brasileira. Seu livro A guerra dos gibis é um clássico ao mostrar como impérios de comunicação, como as organizações Globo, surgiram a partir do lucro gerado pela venda de gibis. Outras obras que seguem essa linha são Maria Erótica e o clamor do sexo e Alceu Pena e as garotas do Brasil.

Benício começou sua carreira como ilustrador publicitário na década de 1950, em Porto Alegre. Em 1953 foi para o Rio de Janeiro tentar realizar o sonho de se tornar pianista. Ele iniciou na editora RGE, de Roberto Marinho, como aprendiz de desenhista. Sua função era adequar as histórias em quadrinhos estrangeiras (a maioria tiras) ao formato gibi da editora. Durante três anos cuidou da adaptação de diversos personagens, entre eles o mais difícil de todos (segundo o próprio Benício): Príncipe Valente, de Hall Foster.

Mas o sonho do artista não era os quadrinhos (ele desenhou uma única história em toda sua vida, Foi o destino, escrita por Edmundo Rodrigues e publicada na revista Cinderla), e sim as ilustrações. Seu alvo eram as revistas femininas, como Cinderela e Querida. Assim, ele passou a produzir desenhos com cenas de amor e espalhar por sua prancheta. As mulheres eram sempre lindas, com olhos grandes, vivos e lábios generosos. Logo ele estava produzindo capas e ilustrações internas para as revistas femininas da RGE.

Em 1965 ele voltou para capital gaúcha, mas continuou aparecendo mensalmente nas bancas de revistas graças às capas feitas para os livros de bolso da editora Monterrey. Suas capas eram tão espetaculares que há quem colecione os pockets apenas por causa das ilustrações.

Entre os trabalhos para a Monterrey, o que mais se destacou foi a espiã Brigitte.

Brigitte era filha de Giselle, a espiã nua que abalou Paris, folhetim do jornalista David Nasser que havia salvado o jornal Diário da Noite, elevando suas vendas na década de 1940 e foi republicada pela Monterrey na forma de livros de bolso. O sucesso foi tanto que, quando a série terminou de ser publicada, o dono da editora teve a ideia de continuá-la através de uma outra personagem: a filha de Giselle.

Brigitte era uma estonteante morena de cabelos negros levemente cacheados, olhos azuis, pele dourada como pêssego e corpo escultural. Seu codinome era "Baby" e era a agente secreta mais perigosa do mundo. Sabia usar todos os tipos de armamentos e nunca se afastava de uma pequena pistola com cabo de madrepérola, que prendia com uma liga na coxa esquerda. Sempre que ia usá-la, fazia surgir as roliças coxas por entre o vestido, o que a fez ser conhecida também como "a espiã de pernas provocantes". Benício já era famoso pelas capas de Brigitte quando começou a produzir cartazes para cinema. A primeira encomenda veio do ator, diretor e produtor Adolfo Chadler, que em 1968 lhe pediu uma ilustração para o filme Os carrascos estão entre nós sobre a caça de nazistas que haviam se refugiado na América Latina após a II Guerra. O filme não fez grande sucesso e é mais lembrado exatamente por ter sido o primeiro a contar com a capa de Benício.

No cartaz o personagem principal apontava uma arma e agarrava uma loira linda, com olhos assustados. A imagem tinha tudo que faria de Benício o mais bem pago ilustrador brasileiro: o erotismo, a sofisticação, a composição muito primorosa e o hiper-realismo. O trabalho chamou a atenção de Osvaldo Massaini, um dos maiores produtores cinematográficos brasileiros, que o contratou para realizar a capa de diversos outros filmes, entre eles Independência ou morte e A madona de Cedro.

Nesse ponto, o livro chega a um dos seus assuntos mais interessantes: o trabalho de Benício para a Boca do Lixo, reduto de produção cinematográfica localizado no centro de São Paulo. Nesse local circulavam diretores, atores, atrizes, cafetões , prostitutas e aspirantes a atrizes buscando uma chance. O termo criado para batizar a produção dessa época, pornochanchada, talvez dê uma imagem irreal do que era produzido. Na maioria os filmes insinuavam muito e mostravam pouco, puxando muito mais para o humor do que para o erótico. Nesse sentido, os cartazes e os títulos com grande apelo sexual ajudavam a aumentar a bilheteria. Entre os títulos: A Virgem, Cada um dá o que tem, O grande gozador, Deixa amorzinho... deixa, A noite das imorais.

A obra de Gonçalo ajuda a preencher a lacuna bibliográfica sobre a Boca do Lixo, mas esse importante momento do cinema popular brasileiro por si só dava um livro com foco nos bastidores das produções. Como o foco é a obra de Benício, Gonçalo se atém mais ao trabalho com os cartazes.

O livro é repleto de ilustrações de Benício. Só por isso já valia a compra, em especial pelas coloridas. A capa, por exemplo, abre em uma orelha dupla com três imagens femininas belíssimas. De negativo apenas a falta de uma melhor revisão (há trechos praticamente repetidos dentro de um mesmo capítulo). Mas, de resto, é uma obra obrigatória para colecionadores.


Gian Danton
Macapá, 19/8/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Gerald Thomas: cidadão do mundo (parte final) de Jardel Dias Cavalcanti
02. O Público Contra Yayoi Kusama de Duanne Ribeiro
03. Autores novos reloaded de Julio Daio Borges
04. A internet não é nada de Fernand Alphen
05. Pequeno contato com a civilização de Rafael Azevedo


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2013
01. E Benício criou a mulher... - 19/8/2013
02. Conservadores e progressistas - 29/7/2013
03. Billy Wilder: o mestre do cinema, parte I - 8/4/2013
04. Procure saber: os novos donos da história - 21/10/2013
05. Biocyberdrama: quadrinhos pós-humanos - 20/12/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PENSE POSITIVO
E. H. SHATTOCK
CÍRCULO DO LIVRO
(1991)
R$ 7,00



OS PERVERTIDOS
HAROLD ROBBINS
RECORD
(1984)
R$ 4,00



ISSO NINGUÉM ME TIRA
ANA MARIA MACHADO
ATICA
(1996)
R$ 8,00



A AUTORIDADE DO PROFESSOR, O QUE PENSAM ALUNOS, PAIS E PROFESSORES
MARIA JOSÉ MAYA
TEXTO
(2000)
R$ 16,66



O PASSARO DE PRATA UMA HISTORIA PARA AQUELES QUE SONHAM
JOYCE PETSCHEK
PENSAMENTO
R$ 7,00



A CRIANÇA E A MÚSICA
KURT PAHLEN
MELHORAMENTOS
(1966)
R$ 15,00



BOTTLE FACTORY OUTING
BERYL BAINBRIDGE
PENGUIN UK
(1995)
R$ 10,00



A TRÍADE
CARLOS ANDRADE E OUTROS
TERRACOTA
(2010)
R$ 15,00



ZAUBER DER FORMEN IN DER NATUR
PETER S. STEVENS
VERLAG MUNCHEN WIEN
(1974)
R$ 70,00



OS DESCOBRIMENTOS PORTUGUESES E O ENCONTRO DE CIVILIZAÇÕES
ANTONIO LUIZ PORTO E ALBUQUERQUE
FUND. CULTURAL BRASIL-PORTUGAL
(1999)
R$ 11,00





busca | avançada
37668 visitas/dia
1,1 milhão/mês