Hitler e outros autores | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
49395 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Bossa Nova Mall homenageia músicos brasileiros com a programação especial Cantos e Encantos do Brasi
>>> SESC CARMO REALIZA CICLO DE OFICINAS VIRTUAIS SOBRE DIREITOS SOCIAIS E PRIMEIRA INFÂNCIA
>>> Tiras da Niara viram livro
>>> “Relatos da Era Digital”: novo álbum celebra a cultura sound system
>>> Abertas as Inscrições para a Oficina Conteúdo Audiovisual Infantil e Infantojuvenil
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Olavo de Carvalho (1947-2022)
>>> Maradona, a série
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
Colunistas
Últimos Posts
>>> O melhor da Deutsche Grammophon em 2021
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
Últimos Posts
>>> Brega Night Dance Club e o afrofuturismo amazônico
>>> Fazer o que?
>>> Olhar para longe
>>> Talvez assim
>>> Subversão da alma
>>> Bons e Maus
>>> Sempre há uma próxima vez
>>> Iguais sempre
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Suplemento Literário 50 anos
>>> Cegueira
>>> Blog da Petrobras como Napster
>>> Menos fé e mais razão
>>> Aluga-se um escritório
>>> Para gostar de ler
>>> A resistência é vermelha
>>> Wear Sunscreen
>>> Millôr no IMS Paulista
>>> Uma história da Chilli Beans
Mais Recentes
>>> Retorno à Amazônia de Jean-Michel Cousteau pela Guascor
>>> Introdução ao Design Gráfico de Renata Krusser pela UnisulVirtual (2011)
>>> Todas as Copas de 1930 a 1998 de Vários autores pela Lance! (1999)
>>> Para Sempre: Amor e Tempo de Ana Maria Machado pela Record (2001)
>>> Casamento Blindado de Ranato & Cristiane Cardoso pela Thomas Nelson Brasil (2012)
>>> Análise das Demonstrações Financeiras de John N. Myer pela Atlas S.A (1972)
>>> Memórias das Trevas de João Carlos Teixeira Gomes pela Geração Editorial (2022)
>>> O Livro De São Cipriano: Tratado Completo Da Verdadeira Magia de Vários Autores pela Pallas (2013)
>>> Marketing de Guerra de Al Ries e Jack Trout pela Mcgrawhill (2009)
>>> Inocência de Visconde de Taunay pela Dcl (2013)
>>> Eles continuam entre nos de Zibia Gasparetto pela Vida E Consciencia (2008)
>>> Sara Says No! - Confira! de Norman Whitney pela Heinemann (1992)
>>> Comédia Em Pé - o Livro de Vários Autores pela Mirabolantre (2009)
>>> Miss Bronte de Juliet Gael pela Lafonte (2011)
>>> A dama da fé de Ester Bezerra pela Planeta Do Brasil (2016)
>>> O Poder da Esperança de Julián Melgosa pela Casa Publicadora Brasileira (2017)
>>> Reencarnação de Swami Tilak pela Feeu (1974)
>>> Andarilha de Núbia Feitosa pela Cbje (2011)
>>> Gestação: Tratamento Em Dose Única das Infecções Não Complicadas Das Vias Urinárias de Zambon Laboratórios Farmacêuticos S.A pela Zambon Laboratórios Farmacêuticos S.A (2022)
>>> Crimes Hediondos de Antonio Lopes Monteiro pela Saraiva (1997)
>>> O executante de Rubem Mauro Machado pela Record (2000)
>>> Gestão de estoques otimizando a logística e a cadeia de suprimentos de Eduardo saggioro garcia e outros pela E papers (2006)
>>> Manual de Direito Penal V. 3 - Parte Especial de Julio Fabbrini Mirabete pela Atlas (2000)
>>> Revista Sinais dos Tempos Eventos Finais (10 dias de Oração e 10 horas de jejum) de Cpb pela Casa Publicadora Brasileira (2017)
>>> O Poder de Uma Mulher de Barbara Taylor Bradford pela Europa América (1998)
COLUNAS

Sexta-feira, 8/1/2016
Hitler e outros autores
Marta Barcellos

+ de 3100 Acessos

A primeira polêmica de 2016 já tem dono — e que dono. Adolf Hitler, e seu livro Mein Kampft (Minha luta), oferece todos os pré-requisitos e apelos midiáticos para protagonizar as infindáveis discussões polarizadas tão comuns no nosso tempo: preconceito X politicamente correto; liberdade de expressão X discurso de ódio, extrema direita X extrema esquerda, regulação X livre mercado.

Os direitos sobre a obra antissemita e de propaganda nazista pertenciam ao governo da Baviera, que proibiu sua reedição até que o livro se tornasse de "domínio público", o que acontece este ano. Agora, a sorte está lançada: nem que seja em busca dos 15 minutos de fama, os polemistas de plantão vão pregar radicalismos de um lado e de outro. O senso comum, pelo que li até agora, é de que eventuais novas edições devem ser comentadas e contextualizadas, de forma a evitar que a obra seja usada ideologicamente.

Ao mesmo tempo em que a tecnologia da comunicação, hoje, nos permite conhecer radicais em todo canto do planeta — assim como ajuda estas pessoas a se organizarem —, os pesquisadores não param de encontrar vestígios de preconceito — sob a luz dos valores atuais — em nossos ídolos do passado.

Mahatma Gandhi, segundo o livro O great soul, do ex-editor executivo do New York Times Joseph Lelyveld, era racista e pedófilo. Na nossa literatura lusófona, descobrimos que, além de Monteiro Lobato, Eça de Queiroz e Fernando Pessoa também eram francamente racistas. Na coluna do escritor José Eduardo Agualusa, no Globo, surpreendo-me com o seguinte texto de Pessoa:

"O caso do Brasil é típico. Confirma (...) que os territórios sujeitos a excessos climáticos, como o calor intenso e a umidade excessiva, não são aptos a criar raças autóctones susceptíveis de civilização. (...) A escravatura é lógica e legítima; um zulu ou um landim não representa coisa alguma de útil neste mundo. Civilizá-lo, quer religiosamente, quer de outra forma qualquer, é querer dar aquilo que ele não pode ter. O legítimo é obrigá-lo, visto que não é gente, a servir os fins da civilização."

Obviamente, não devemos mudar nossa percepção sobre uma obra artística em função do que hoje consideramos defeitos de caráter. Lobato continua sendo Lobato, Pessoa continua sendo Pessoa. Muitas leitoras, nestes tempos de conscientização feminista, passaram a perceber ranços machistas nas obras dos melhores escritores. Já li estudos, por exemplo, sobre o machismo em Jorge Amado: fazem todo sentido, e não me dei conta quando li todos os seus livros na adolescência.

Por isso a questão da "contextualização" é tão importante — seja na publicação marqueteira do livro de Hitler, seja na leitura das aventuras de Pedrinho. O racismo já foi eugenia que já foi ciência — e hoje ficamos, com razão, chocados com a mentalidade da época.

É nesta hora que me surge uma reflexão: com que tipo de preconceito atual — do que não damos conta da existência - as gerações futuras ficarão chocadas quando forem nos pesquisar?

Tenho um palpite a respeito dos avanços de uma minoria ainda cercada de tabus e vítima de abusos de poder. As crianças. Acredito que no futuro todos ficarão horrorizados quando souberem que os pais e "responsáveis" podiam torturar crianças, psicológica e fisicamente, como se fossem proprietários delas. Um dia, ainda vamos conseguir um jeito de proteger melhor essa minoria — e quem sabe melhorar ainda mais a humanidade. Feliz futuro novo - sem preconceitos - para todos!



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 8/1/2016


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A boa e a média em 2005 de Ana Elisa Ribeiro
02. Apologia dos Cães de Ricardo de Mattos


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2016
01. A selfie e a obsolescência do humano - 7/10/2016
02. Wanda Louca Liberal - 10/6/2016
03. A melhor Flip - 1/7/2016
04. Na hora do batismo - 12/8/2016
05. Literatura engajada - 8/4/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Cabeça de Lobo
J. K. Mayo
Globo
(1989)
+ frete grátis



Movimentos Populares na Idade Média
José Rivair Macedo
Moderna
(2003)



Eu, Malika Oufkir: Prisioneira do Rei
Malika Oufkir e Michèle Fitoussi
Companhia das Letras
(1999)



Teletandem - um Contexto Virtual, Autônomo e Colaborativo para a Apren
João A. Telles
Pontes Fapesp



Para Onde o Coração Aponta
Marcelo Lelis; Murilo Silva Cisalpino
Formato
(1996)



Pesquisa Qualitativa: um Instigante Desafio - 2ª Edição
Maria Lucia Martinelli ( Organizadora )
Veras
(2012)



As Armadilhas do Poder - Bastidores da Imprensa
Gilberto Dimenstein
Summus
(1990)



O Noviço (1997)
Martins Penas
Publifolha
(1997)



Estação Terminal
Boileau Narcejac
Globo
(1980)



A Violência da Moeda
Michel Aglietta, André Orléan
Brasiliense
(1990)





busca | avançada
49395 visitas/dia
1,9 milhão/mês