Alice in Chains, Rainier Fog (2018) | Luís Fernando Amâncio | Digestivo Cultural

busca | avançada
47273 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Meu Telefunken
>>> Meu Telefunken
>>> Vida Virtual? Quase 10 anos de Digestivo
>>> Sombras Persas (X)
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Atmosphere
>>> O Segredo do Vovô Coelhão
>>> Separações é Amores II
>>> 10 de Abril #digestivo10anos
>>> Não presta, mas vá ver
Mais Recentes
>>> Pra discutir... e gerar boas conversas por aí de Donizete Soares pela Instituto GENS (2015)
>>> Educomunicação - o que é isto de Donizete Soares pela Projeto Cala-boca já morreu (2015)
>>> Ficções fraternas de Livia Garcia-Roza - organizadora pela Record (2003)
>>> Prisioneiras de Drauzio Varella pela Companhia das Letras (2017)
>>> O diário de Myriam de Myriam Rawick pela Dark Side Books (2018)
>>> Contos de Rubem Fonseca pela Nova Fronteira (2015)
>>> Notícias - Manual do usuário de Alain de Botton pela Intrínseca (2015)
>>> Um alfabeto para gourmets de MFK Fisher pela Companhia das Letrs (1996)
>>> Os Mitos Celtas de Pedro Paulo G. May pela Angra (2002)
>>> A vida que ninguém vê de Eliane Brum pela Arquipélago Editorial (2006)
>>> As Cem Melhores Crônicas Brasileiras de Joaquim Ferreira dos Santos - organizador pela Objetiva (2007)
>>> O tigre na sombra de Lya Luft pela Record (2012)
>>> Elza de Zeca Camargo pela Casa da Palavra (2018)
>>> Sexo no cativeiro de Esther Perel pela Objetiva (2007)
>>> O clube do filme de David Gilmour pela Intrínseca (2009)
>>> Coisa de Inglês de Geraldo Tollens Linck pela Nova Fronteira (1986)
>>> As mentiras que os mulheres contam de Luis Fernando Veríssimo pela Objetiva (2015)
>>> Equilíbrio e Recompensa de Lourenço Prado pela Pensamento
>>> Cadernos de História e Filosofia da Ciência de Fátima R. R. Évora (org.) pela Unicamp (2002)
>>> Revista Internacional de Filosofia de Jairo José da Silva (org.) pela Unicamp (2000)
>>> Dewey um gato entre livros de Vicki Myron pela Globo (2008)
>>> Ilha de calor nas metrópoles de Magda Adelaide Lombardo pela Hucitec (1985)
>>> Sua santidade o Dalai Lama de O mesmo pela Sextante (2000)
>>> Meninas da noite de Gilberto Dimenstein pela Ática (1992)
>>> Paulo de Bruno Seabra pela Três (1973)
>>> Grandes Enigmas da Humanidade de Luiz C. Lisboa e Roberto P. Andrade pela Círculo do livro (1969)
>>> A História de Fernão Capelo Gaivota de Jonathan Seagull pela Nórdica (1974)
>>> Os Enigmas da Sobrevivência de Jacques Alexander pela Edições 70 (1972)
>>> Mulheres visíveis, mães invisíveis de Laura Gutman pela Best Seller (2018)
>>> Construir o Homem e o Mundo de Michel Quoist pela Duas cidades (1960)
>>> Vida Positiva de Olavinho Drummond pela Olavinho Drummond (1985)
>>> Força para Viver de Jamie Buckingham pela Arthur S. DeMoss (1987)
>>> Consumidos de David Cronemberg pela Alfaguara (2014)
>>> Viver é a melhor opção de André Trigueiro pela Correio Fraterno (2015)
>>> O Caso da Borboleta Atíria de Lúcia Machado de Almeida pela Ática (1987)
>>> Cânticos de Cecília Meireles pela Moderna (1995)
>>> Caminho a Cristo de Ellen G. White pela Cpb - Casa Publicadora Brasileira (2019)
>>> Um Estranho no Espelho de Sidney Sheldon pela Nova Cultural (1986)
>>> Le Divorce de Diane Johnson pela Record (1999)
>>> Trajetória do Silêncio de Maria do Céu Formiga de Oliveira pela Massao Ohno-Roswitha Kempf (1986)
>>> Zezinho, o Dono da Porquinha Preta de Jair Vitória pela Ática (1992)
>>> Aconselhamento Psicológico de Ruth Scheeffer pela Atlas (1981)
>>> Razão e Revolução de Herbert Marcuse pela Paz e Terra (1978)
>>> A Doutrina de Buda de Bukkyo Dendo Kyokai pela Círculo do livro (1987)
>>> Somos Todos Inocentes de Zíbia Gasparetto pela Vida&consciência (1997)
>>> Luzia-Homem de Domingos Olímpio pela Escala (1980)
>>> Vida e Obra de Anália Franco de Maria Cândida Silveira Barros pela Copidart (1982)
>>> O Sentido da Vida de Bradley Trevor Greive pela Sextante (2002)
>>> A Luz que Cura - Oração Pelos Doentes de Agnes Sandford pela Loyola (1985)
>>> O Mundo Assombrado Pelos Demônios de Carl Sagan pela Companhia das Letras (1998)
COLUNAS

Sexta-feira, 21/9/2018
Alice in Chains, Rainier Fog (2018)
Luís Fernando Amâncio

+ de 1400 Acessos

Rainier Fog, o sexto álbum de estúdio do Alice in Chains, foi lançado no dia 24 de agosto e veio ao mundo cercado de expectativas. Embora a banda não seja um enorme sucesso de audiência, possui seu público cativo e conta com certo respeito na crítica musical. Além disso, o Alice in Chains possui uma discografia consideravelmente pequena para um grupo que existe há três décadas, o que faz o lançamento ser um momento especial.



O álbum é o primeiro da banda pela gravadora BMG e foi produzido por Nick Raskulinecz, parceiro do grupo em seus dois trabalhos anteriores, Black Gives Way to Blue (2009) e The Devil Put Dinosaurs Here (2013). É também o terceiro álbum da nova fase do Alice in Chains, desde que o grupo retomou as atividades após o falecimento de Layne Staley, com William Duvall (vocais, guitarra) se juntando a Jerry Cantrell (vocais, guitarra), Mike Inez (baixo) e Sean Kinney (bateria). O disco abre com “The One You Know”, já conhecida dos fãs, pois foi o primeiro single. Uma canção construída em um ritmo crescente, mas que acaba sendo frustrado no refrão, que soa como um anticlímax. Talvez não tenha sido a melhor escolha para música de trabalho, embora o solo de guitarra e a dobradinha vocal Cantrell/ Duvall façam valer a pena. Em seguida, a faixa título, “Rainier Fog”, atende bem as expectativas. Seu nome faz alusão ao Mont Rainier, vulcão adormecido situado em Seattle, a maior montanha do estado de Washington. É um tributo à cena grunge e aos seus inúmeros músicos falecidos. Só ex-integrantes da banda são dois, Mike Starr e Layne. Os exemplos, infelizmente, vão bem além dos nomes consagrados. A chegada da heroína em Seattle foi avassaladora entre os anos 1980 e 1990.

“Red Giant” reforça o clima sombrio do álbum, que é parte importante da identidade sonora da banda. “Fly”, primeira balada, também tem essa característica. Ela apresenta bastante potencial para ser a próxima música de trabalho, com o equilíbrio entre melancolia e beleza que o Alice in Chains domina como poucos.

“Drone”, quinta música, foge um pouco do estilo do grupo – mas bem pouco. Possui um riff arrastado e recebeu críticas bem favoráveis. “Deaf Ears Blind Eyes” é uma típica canção de meio de álbum, sem grande destaque, mas longe de ser ruim. “Maybe”, em seguida, é outra balada. Começa com uma harmonização vocal que nos remete a ópera rock.

A oitava música do disco também foi liberada anteriormente, “So Far Under”, a mais noventista do disco – curiosamente, composta por William Duvall, que não fazia parte do grupo no período. Um petardo que merece que o volume vá para o máximo. Aliás, o trio final de canções do disco é forte. “Never Fade”, outra liberada anteriormente, possui um refrão bem solar, algo raro na discografia do AiC. Para finalizar, outro momento mais introspectivo com “All I Am”, a faixa mais longa do disco, com duração superior a sete minutos.

É nítido, com Rainier Fog, que o Alice in Chains optou em seu retorno por uma sonoridade mais estável, mantendo uma identidade ao longo dos últimos três álbuns e, consequentemente, sem propor grandes inovações. Para alguns, pode parecer comodismo, a repetição de uma fórmula. Mas a verdade é que, ao dar play em um álbum do Alice in Chains, os fãs tem algo em mente que só a banda sabe entregar. Um som pesado, doce, com guitarras distorcidas e solos simples, mas melodiosos. É uma banda bastante genuína e, em Rainier Fog, mais uma vez não decepciona.





Luís Fernando Amâncio
Belo Horizonte, 21/9/2018


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O testemunho de Bernanos de Celso A. Uequed Pitol
02. Caminhos para a esquerda de Celso A. Uequed Pitol
03. Política e Cidadania no Sertão do Brasil (parte 1) de Diogo Salles
04. Dooois ou um? de Adriane Pasa
05. Meu Caro Amigo de Carina Destempero


Mais Luís Fernando Amâncio
Mais Acessadas de Luís Fernando Amâncio em 2018
01. O Brasil que eu quero - 22/6/2018
02. A barata na cozinha - 26/10/2018
03. Como eu escrevo - 23/11/2018
04. Piada pronta - 16/2/2018
05. Alice in Chains, Rainier Fog (2018) - 21/9/2018


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O MENINO E O PÁSSARO - LEONARDO CHIANCA (LITERATURA INFANTIL)
LEONARDO CHIANCA
SCIPIONE
(2005)
R$ 7,00



ARQUITETURA E CIDADE
RINO LEVI
ROMANO GUERRA
(2001)
R$ 290,00



ONCOLOGIA ORAL
LÚCIO LARA SANTOS, LUIS MEDEIROS TEIXEIRA
LIDEL
(2011)
R$ 100,00



SHAMAN KING 37
HIROYUKI TAKEI
JBC
(1998)
R$ 4,00



DIREITO TRIBUTARIO - TEMAS ATUAIS
SACHA CALMON NAVARRO COELHO
QUARTIER LATIN
(2006)
R$ 40,00



BLADE - A LÂMINA DO IMORTAL 35
HIROAKI SAMURA
CONRAD
(2004)
R$ 4,51



A CRUELDADE MELANCÓLICA
JACQUES HASSOUN
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(2002)
R$ 25,00



O PANDA SAPECA
VÁRIOS
IMPALA
(2013)
R$ 12,00



O ATENEU
RAUL POMPEIA
ATICA
(1986)
R$ 10,00



UMBANDA, MEU CAMINHO
FANNY PITAKI CUNICO
ÍCONE
(2006)
R$ 18,00





busca | avançada
47273 visitas/dia
1,3 milhão/mês