Alice in Chains, Rainier Fog (2018) | Luís Fernando Amâncio | Digestivo Cultural

busca | avançada
54424 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Nasi e Scandurra apresentam clássicos do IRA! no Sesc Santo André
>>> Douglas Germano apresenta 'Umas e Outras'
>>> Mostra de Cinemas Africanos acontece em São Paulo e Curitiba a partir de 6 julho
>>> Iecine abre inscrições para a Oficina de Crítica e Fruição Cinematográfica
>>> Orquestra Modesta retorna ao Sesc Santo Amaro com 'Canções Para Pequenos Ouvidos 2'
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> O Apocalipse segundo Seu Tião
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
>>> Para não dizer que eu não disse
>>> Espírito criança
>>> Poeta é aquele que cala
>>> A dor
>>> Parei de fumar
Blogueiros
Mais Recentes
>>> L’Empereur
>>> Longa vida à fotografia
>>> iPad pra todo mundo
>>> Minha pátria é a língua portuguesa
>>> Minha pátria é a língua portuguesa
>>> Wikipedia e a informação livre
>>> Público, massa e multidão
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> Os Clássicos e a Educação Sentimental
>>> O youtuber é um novo dândi?
Mais Recentes
>>> Onze - Confira !!! de Bernardo Carvalho pela Companhia das Letras (1995)
>>> Fundação - (imperdível, Confira!) de Isaac Asimov pela Aleph (2009)
>>> Oups- o Mensageiro do Planeta Coração (descriÇÃo Fiel!) de Kurt Hortenhuber pela V & R (2006)
>>> No Reino da Fala de Eleonora Motta Maia pela ática (1999)
>>> A Caverna de Cristal / 7ª Ed - Confira !!! de Mary Stewart pela Best Seller (1970)
>>> O Efeito Urano de Fernanda Young - 2001 pela Objetiva (2001)
>>> A Queda de Michael Connelly, Cassio Arantes pela Suma (2014)
>>> A Garota do Penhasco - Confira!! de Lucinda Riley, Henrique Amat Rego Monteiro pela Novo Conceito (2013)
>>> Como Te Leio? Como-te Livro? / Capa Dura - Confira !!! de Marcia Grossmann pela Cultura (2002)
>>> O Senhor do Mundo Seguido de os Violadores do Bloqueio de Julio Verne / Capa Dura pela Edico
>>> Anil S Ghost de Michael Ondaatje pela Bloomsbury (2000)
>>> Um Estudo Crítico da História II - Confira !!! de Helio Jaguaribe pela Paz e Terra (2001)
>>> The Euro and the Battle of Ideas / Capa Dura - Confira !!! de Markus K Brunnermeier pela Princeton University Press (2016)
>>> Confie Em Mim - Desenvolvendo um Estilo de Liderança Que os Outros de Wayne Hastings e Ran Potter pela Motivar (2005)
>>> Brasil: Passado e Presente - Estudo de Problemas Brasileiros Col. Kair de Osmar Salles de Figueiredo pela E. P. U (1979)
>>> Além da Globalização de Hazel Henderson pela Cultrix (2003)
>>> Maria Callas: a Mulher por Trás do Mito - Confira !!! de Arianna Stassinopoulos Huffinton pela Companhia das Letras (1996)
>>> Céu de um Verão Proibido - Confira !!! de João Pedro Roriz pela Besourobox (2014)
>>> A Ideia de uma Sociedade Cristã - Col. Abertura Cultural - Confira! de T. S. Eliot pela É Realizações (2016)
>>> A Dança dos Dragões - as Crônicas de Gelo e Fogo Livro Cinco de George R. R. Martin pela Leya
>>> Rumo à Consciência Cósmica de Huberto Rohden pela Alvorada
>>> Revista Jataí 1 de Desconhecido pela Faculdade Rudolf Steiner (2019)
>>> E o Príncipe Dançou... o Conto de Fadas, da Tradição Oral à Dança Cont de Katia Canton pela Ática (1994)
>>> Socorro! Meu Filho Come Mal - Confira! de Gabriela Kapim, Ana Abreu pela Leya Casa da Palavra (2014)
>>> Desafios do Envelhecimento: Vez, Sentido e Voz - Confira! de Vicente de Paula Faleiros, Altair M. Lahud Lourei pela Universa (2006)
COLUNAS

Sexta-feira, 21/9/2018
Alice in Chains, Rainier Fog (2018)
Luís Fernando Amâncio

+ de 3200 Acessos

Rainier Fog, o sexto álbum de estúdio do Alice in Chains, foi lançado no dia 24 de agosto e veio ao mundo cercado de expectativas. Embora a banda não seja um enorme sucesso de audiência, possui seu público cativo e conta com certo respeito na crítica musical. Além disso, o Alice in Chains possui uma discografia consideravelmente pequena para um grupo que existe há três décadas, o que faz o lançamento ser um momento especial.



O álbum é o primeiro da banda pela gravadora BMG e foi produzido por Nick Raskulinecz, parceiro do grupo em seus dois trabalhos anteriores, Black Gives Way to Blue (2009) e The Devil Put Dinosaurs Here (2013). É também o terceiro álbum da nova fase do Alice in Chains, desde que o grupo retomou as atividades após o falecimento de Layne Staley, com William Duvall (vocais, guitarra) se juntando a Jerry Cantrell (vocais, guitarra), Mike Inez (baixo) e Sean Kinney (bateria). O disco abre com “The One You Know”, já conhecida dos fãs, pois foi o primeiro single. Uma canção construída em um ritmo crescente, mas que acaba sendo frustrado no refrão, que soa como um anticlímax. Talvez não tenha sido a melhor escolha para música de trabalho, embora o solo de guitarra e a dobradinha vocal Cantrell/ Duvall façam valer a pena. Em seguida, a faixa título, “Rainier Fog”, atende bem as expectativas. Seu nome faz alusão ao Mont Rainier, vulcão adormecido situado em Seattle, a maior montanha do estado de Washington. É um tributo à cena grunge e aos seus inúmeros músicos falecidos. Só ex-integrantes da banda são dois, Mike Starr e Layne. Os exemplos, infelizmente, vão bem além dos nomes consagrados. A chegada da heroína em Seattle foi avassaladora entre os anos 1980 e 1990.

“Red Giant” reforça o clima sombrio do álbum, que é parte importante da identidade sonora da banda. “Fly”, primeira balada, também tem essa característica. Ela apresenta bastante potencial para ser a próxima música de trabalho, com o equilíbrio entre melancolia e beleza que o Alice in Chains domina como poucos.

“Drone”, quinta música, foge um pouco do estilo do grupo – mas bem pouco. Possui um riff arrastado e recebeu críticas bem favoráveis. “Deaf Ears Blind Eyes” é uma típica canção de meio de álbum, sem grande destaque, mas longe de ser ruim. “Maybe”, em seguida, é outra balada. Começa com uma harmonização vocal que nos remete a ópera rock.

A oitava música do disco também foi liberada anteriormente, “So Far Under”, a mais noventista do disco – curiosamente, composta por William Duvall, que não fazia parte do grupo no período. Um petardo que merece que o volume vá para o máximo. Aliás, o trio final de canções do disco é forte. “Never Fade”, outra liberada anteriormente, possui um refrão bem solar, algo raro na discografia do AiC. Para finalizar, outro momento mais introspectivo com “All I Am”, a faixa mais longa do disco, com duração superior a sete minutos.

É nítido, com Rainier Fog, que o Alice in Chains optou em seu retorno por uma sonoridade mais estável, mantendo uma identidade ao longo dos últimos três álbuns e, consequentemente, sem propor grandes inovações. Para alguns, pode parecer comodismo, a repetição de uma fórmula. Mas a verdade é que, ao dar play em um álbum do Alice in Chains, os fãs tem algo em mente que só a banda sabe entregar. Um som pesado, doce, com guitarras distorcidas e solos simples, mas melodiosos. É uma banda bastante genuína e, em Rainier Fog, mais uma vez não decepciona.





Luís Fernando Amâncio
Belo Horizonte, 21/9/2018


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Stabat Mater, de Giovanni Battista Pergolesi de Ricardo de Mattos
02. O Botão de Puchkin, de Serena Vitale de Ricardo de Mattos


Mais Luís Fernando Amâncio
Mais Acessadas de Luís Fernando Amâncio em 2018
01. A barata na cozinha - 26/10/2018
02. O Brasil que eu quero - 22/6/2018
03. Como eu escrevo - 23/11/2018
04. Piada pronta - 16/2/2018
05. Alice in Chains, Rainier Fog (2018) - 21/9/2018


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Ciência 100 Cientistas Que Mudaram o Mundo
Jon Balchin
Madras
(2013)



A politica científica e tecnológica
Eduardo Augusto Guimarães
Jorge Zahar
(1985)



País de nieve
Yasunari Kawabata
Booket
(2009)



Livro - Saindo das Sombras Entrando na Luz
Rick Medeiros
Madras
(2014)



Gestão de Tecnologias Emergentes
George S. Day, Paul J. H. Schoemaker
Bookman
(2003)



Alimentação Saudável
Programa Alimenta Bem
Compre Bem



Ilha Deserta Filmes
Publifolha
Folha
(2003)



Newspaper Chase Easystarts Active Reading
Escott
Pearson
(2007)



A Emergência da Teoria Sociológica - 1ª Edição - Coleção: Sociologia
Jonathan H. Turner & Leonard Beeghley & Charles H.
Vozes
(2016)



Elvis Presley - História, Discografia, Fotos e Documentos
Gillian G. Gaar & Rosemarie Ziegelmaier (Tradutor)
Publifolha
(2016)





busca | avançada
54424 visitas/dia
1,8 milhão/mês