O Ira! na formação do adulto contemporâneo | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Toda forma de amor
>>> O filósofo da contracultura
>>> Oderint Dum Metuant
>>> Beleza e barbárie, ou: Flores do Oriente
>>> A fragilidade dos laços humanos
>>> A fragilidade dos laços humanos
>>> Melhores Blogs
>>> Dilbert
>>> Entrevista com Paulo Polzonoff Jr.
>>> Olavo de Carvalho: o roqueiro improvável
Mais Recentes
>>> O Regimen Democrático e o Direito Civil Moderno de Georges Ripert pela Saraiva (1937)
>>> Manuel Du Droit Fédéral Des Obligations de Virgile Rossel pela L. Larose Forcel (1892)
>>> Tratados dos Testamentos e Successões de Augusto Teixeira de Frêitas pela B.L. Garnier (1881)
>>> Comentários à Lei de Registros Público de Wilson de Souza Campos Batalha pela Forense (1979)
>>> Revista Forense de Vários pela Forense (1993)
>>> Algumas Lembranças de Caio Mário da Silva Pereira pela Forense (2001)
>>> Dos Contratos Nominados no Direito Civil Brasileiro de Eduardo Espíndola pela Gazeta Judiciária (1953)
>>> Da Compra e Venda de Darcy Bessone de Oliveira Andrade pela Bernardo Alves S.A. (1960)
>>> Direito das Sucessões de Jefferson Daibert pela Forense (1974)
>>> Direitos Reais de Darcy Bessone pela Saraiva (1988)
>>> Successione Di Diritto Nel Rapporto Assicurativo de Giorgio de Zuliani pela Milano Dott aA. Giuffré (1960)
>>> Família no direito Civil Brasileiro de Eduardo Espíndola pela Conquista (1957)
>>> Mora no Negócio Jurídico de Oswaldo Opitz pela Borsoi (1966)
>>> Sistemas de Registros de Imóveis de Maria Helena Duniz pela Saraiva (1992)
>>> Das nulidades dos atos jurídicos de Martinho Garcez pela Renovar (1997)
>>> Competindo na Terceira Onda de Jeremy Hope e Tony Hope pela Campus (2000)
>>> Comentários ao Código Processo Civil ( Tomo XVII ) de Pontes de Miranda pela Forense (1978)
>>> Comentários ao Código Processo Civil ( Tomo XVI ) de Pontes de Miranda pela Forense (1977)
>>> Tudo valeu a pena de Zibia Gasparetto pela Vida e consciencia (2003)
>>> Comentários ao Código Processo Civil ( Tomo XIV ) de Pontes de Miranda pela Forense (1977)
>>> Comentários ao Código Processo Civil ( Tomo XIII ) de Pontes de Miranda pela Forense (1977)
>>> Comentários ao Código Processo Civil ( Tomo XII ) de Pontes de Miranda pela Forense (1976)
>>> Comentários ao Código Processo Civil (Tomo XI) de Pontes de Miranda pela Forense (1976)
>>> Primeiras Linhas do Direito Processual (Volume 2) de Moacyr Amarral Santos pela Saraiva (1977)
>>> Primeiras Linhas O Processo Civil (Adaptada ao Novo Código de Processo Civil) Volume 1 de Moacyr Amarral Santos pela Saraiva (1977)
>>> Da Reconvenção no direito Brasileiro de Moacyr Amarral Santos pela Max Limonad (1966)
>>> Conceituação do Recurso Extraordinário de Vasco de Larceda Gama pela Edição do Autor (1936)
>>> Tudo valeu a pena de Zibia Gasparetto pela Vida e consciencia (2003)
>>> Concurso de Credores de Sylvio Martins Teixeira pela Jacintho (1936)
>>> Manual de Direito Processual Civil Vol.4 (Processo de Execução Processo Cautelar Parte Geral) de José Frederico Marques pela Saraiva (1976)
>>> Manual de Direito Processual Civil Vol.3 ( Processo de Conhecimento) 2ª Parte de José Frederico Marques pela Saraiva (1976)
>>> Codigo do processo Civil e Commercial do Estado de São Paulo (Annotações) de João Evangelista Rodrigues pela Revista dos Tribunais (1930)
>>> Traité Des Preuves En Droit Civil Et En Drit Criminel de Édouard Bonnier pela Librairie Plon (1888)
>>> Embargos de Nulidade e Infringentes do Julgado de E.D. Moniz de Aragão pela Saraiva (1965)
>>> Introdução ao estudo do processo Civil de Eduardo J. Couture pela José Bushatsky (1951)
>>> Estudo sobre o processo civil Brasileiro de Enrico Tullio Liebman pela Saraiva (1947)
>>> Processão de Execução de Enrico Tullio Liebman pela Saraiva (1946)
>>> Eficácia e Autoridade da Sentença e ouros escritos sobre a coisa Julgada. de Enrico Tullio Liebman pela Forense (1984)
>>> Princípios Gerais do Direito Processual de Anésio de Lara Campos Junior pela José Bushatsky (1964)
>>> Doutrina das Acções de José Homem Corrêa Telles pela H. Garnier (1902)
>>> Como Requer em Juízo ( Formulário Cível) de Yara Muller Leite pela Freitas Bastos (1967)
>>> Decisões de Decio Cesario Alvim pela Officinas do Centro da Boa Imprensa (1930)
>>> O Procedimento Sumaríssimo de Domingos Sávio Brandão Lima pela José Bushatsky (1977)
>>> Aspectos Fundamentais das Medidas Liminares de R. Reis Friede pela Forense (1993)
>>> Curso de Direito Processual Civil Volume 3 de Humberto Theodoro Júnior pela Forense (1995)
>>> Curso de direito Processual Civil Volume 1 de Humberto Theodoro Júnior pela Forense (1995)
>>> Estudo sobre o processo civil Brasileiro de Enrico Tullio Liebman pela José Bushatsky (1976)
>>> Processão de Execução de Enrico Tullio Liebman pela Saraiva (1980)
>>> Consultor Civil Acerca de Todas as Acções Seguidas no Fôro Civil de Carlos Antonio Cordeiro e Oscar de Macedo Soares pela H. Garnier (1910)
>>> O Brasil na vidão do artista. O país e sua cultura de Frederico Morais pela Prêmio (2003)
COLUNAS

Segunda-feira, 16/4/2001
O Ira! na formação do adulto contemporâneo
Adriana Baggio

+ de 3500 Acessos

Nem lembro quando comecei a gostar do Ira!. Na época dos primeiros sucessos deles, no início dos anos 80, eu tinha somente um disco de adulto, da Rita Lee. Lembro que as rádios tocavam umas músicas muito loucas, como Mamma Maria, Vamos a la Playa, etc. Era tudo muito ingênuo e divertido.

Enquanto o Ira! ia se dando bem no rock brasileiro, eu curtia o RPM. Fiz meu pai me levar a um show lotadíssimo no ginásio do Tarumã, em Curitiba. Enquanto estávamos na fila, ele ia me dizendo que aquilo não prestava, que o que estava acontecendo de bom era Paralamas do Sucesso. Bem, mas isso é outra história.

No segundo grau, tendo contato com outras cabeças, outros estilos, começo a gostar de coisas diferentes. Nessa época tinha uma rádio maravilhosa em Curitiba, a Estação Primeira. Só tocava rock, música boa, dos novos e dos velhos tempos. Foi uma injeção de experiência musical, concentradíssima. Tudo que eu poderia ter conhecido sobre música desde o começo da adolescência foi despejado em cima de mim naquela época. A rádio me proporcionou um leque de bandas e músicos para eu gostar, amar, falar, ir em shows. E toda noite eu gravava minhas fitinhas cassete com as músicas de um programa de música brasileIra. Mas e o Ira!? Bom, o Ira! entra nessa fase. Tocava muito na Estação. Isso já era início dos anos 90, ou seja, a banda já estava há tempos na estrada. Eu adorava Pobre Paulista! Ficava arrepiada toda vez que escutava! Foi o hit dos hits das minhas cassetes!

Quando ouvi Pobre Paulista e amei, e ouvi outras músicas do Ira! e amei, não tinha nenhum motivo racional para amar. Não amei o Ira! porque eles tocavam assim ou assado, porque os solos de guitarra eram isso ou aquilo, ou por qualquer outro argumento lógico-crítico. Amei porque amei. Gostei do peso, da força, das letras. Gostei na energia que me chacoalhava quando começava a música. Gostei de sentir que podia tomar emprestado um pouco do "punkismo" daqueles caras. Ah, me deu uma vontade de ter meus 18 anos na década de 80... Por mais normal, até careta que eu fosse, de repente me senti vibrando com punk rock! As coisas que eles falavam eram as coisas que eu sentia, mas nem sabia que sentia. Eu queria pular, cantar, gritar, dar mosh (nem sei se é assim que escreve), ficar toda roxa de tanto me bater com os outros. Eu queria ser punk, mas estava só uns 10 anos e uma discoteca atrasada!

Fui acompanhando de longe a carreIra dos caras, nunca comprei um disco, ficava esperando aquele frisson que me dava quando, de surpresa, ouvia o comecinho de Pobre Paulista. Por causa do Ira!, conheci e aprendi a gostar de outros punks rockers, como Ramones, Sex Pistols, The Clash.

Até que, no ano passado, em Curitiba, estava eu no meio de vários dilemas adultos e extremamente sacais quando chega o Ira!. Fazia séculos que não ia num show. Fui. Foi o máximo. Me senti transportada no tempo. Primeiro porque a faixa etária tinha subido misteriosamente naquele ponto da noite curitibana, e eu não era mais velha do que as pessoas que estavam do meu lado. Olhávamos desconfiados uns para os outros, avaliando nossas idades e experiências, se estávamos deslocados ou não. Observávamos nossas roupas, e tentávamos descobrir as referências de cada um. Por que você está aqui? Por que ele está aqui? Por que eles estão aqui? Por que nós estamos aqui? O ponto máximo antes do show foi observar uma dupla que estava por perto. Dois caras, altos e magros. Braços cruzados, cabeça levantada, cara emburrada. Nada interessava, nada chamava a atenção deles. Eles eram... fleumáticos! Essa é a palavra! Vestiam botas, roupas escuras, mas nada que impedisse que saíssem na rua à luz do dia. Só se dignaram a balançar um pouco os pés quando tocou um Smiths enquanto a gente esperava o Ira!. Fiquei ao lado deles durante o show. Enquanto eu pulava, me esgoelava, chacoalhava minha garrafa de cerveja, eles assistiam o show impassíveis, na deles.

Acabou o show. A turba de dispersou. Entre os que ficaram, começaram a aparecer os conhecidos, as pessoas da sua faixa etária, aqueles que você nunca mais tinha encontrado. Estavam todos lá, no show do Ira!. Engenheiros, advogados, jornalistas, publicitários. Pessoas "normais" no dia-a-dia, mas que, naquela noite, graças ao Ira!, tiveram a oportunidade de liberar seu lado punk. Isso não significa necessariamente que eles pularam, berraram, chutaram. Significa que puderam curtir uma noite de bom rock, que puderam sentir aquela raiva rebelde contra as coisas que estão erradas, que puderam ser melancolicamente românticos e nada práticos.

No dia seguinte, restou a nostalgia que as coisas "do nosso tempo" provocam. E uma tremenda dor no corpo, de tanto ficar pulando. Ficou um pequeno travo na garganta, de saudades de um jeito que você era e nunca mais será. Da maneIra como o mundo se apresentava. E da possibilidade de ter outras bandas como o Ira!, que tornem nossa vida um pouco mais punk.


Adriana Baggio
Curitiba, 16/4/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Uma dádiva celestial - Ein musikalisches Opfer de Rafael Azevedo
02. A Concepção da Popozuda de Paulo Polzonoff Jr


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2001
01. À luz de um casamento - 18/10/2001
02. Náufrago: nem tanto ao mar, nem tanto à terra - 25/3/2001
03. O Segredo do Vovô Coelhão - 15/11/2001
04. Marmitex - 1/11/2001
05. Aqui o sol nasce primeiro - 8/11/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




REVISTA SAPERE AUDI
DIVERSOS
PUCMINAS
(2011)
R$ 30,00



SUPERFANDOM: COMO NOSSAS OBSSESÕES ESTÃO MUDANDO E O QUE COMPRAMOS E QUEM SOMOS
ZOE FRAADE-BLANAR
ANFITEATRO - ROCCO
(2018)
R$ 47,80



BTOOM! 2
JUNYA INOUE
JB
R$ 7,00



MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA DO ANFITRIÃO INEXPERIENTE
CELIA RIBEIRO
L&PM
(1995)
R$ 4,59



TRISTÃO E ISOLDA
FERNANDEL ABRANTES
MARTIN CLARET
(2009)
R$ 4,00



O ENCANTADOR DA MONTANHA
EDUARDO MOREIRA
RECORD
(2013)
R$ 8,00



CEM ANOS DE SOLIDÃO - GABRIEL GARCIA MÁRQUEZ
GABRIEL GARCIA MÁRQUEZ
RECORD
(2017)
R$ 29,99



UMA VERDADE DELICADA
JOHN LE CARRE
RECORD
(2013)
R$ 25,00



MEDITAÇÃO
LUCIA CRISTINA DE BARROS E MÁRCIA DE LUCA
CARAS
(2004)
R$ 6,00



DAS SENSIBLE CHAOS
THEODOR SCHWENK
FREIES GEISTESLEBEN / STUTTGA
(1962)
R$ 99,00





busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês