Bonjour, tristesse | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
101 mil/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Povo Fulni-ô Encontra Ponto BR
>>> QUEÑUAL
>>> Amilton Godoy Show 70 anos. Participação especial de Proveta
>>> Bacco’s promove evento ao ar livre na Lagoa dos Ingleses, em Alphaville
>>> Vera Athayde é convidada do projeto Terreiros Nômades em ação na EMEF Ana Maria Benetti sobre Cavalo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
Colunistas
Últimos Posts
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
Últimos Posts
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
Blogueiros
Mais Recentes
>>> The Matrix Reloaded
>>> Por que as curitibanas não usam saia?
>>> Jobim: maestro ou compositor?
>>> 7 de Outubro #digestivo10anos
>>> A insignificância perfeita de Leonardo Fróes
>>> Soco no saco
>>> De Siegfried a São Jorge
>>> O Paulinho da Viola de Meu Tempo é Hoje
>>> Pelas curvas brasileiras
>>> A pintura admirável de Glória Nogueira
Mais Recentes
>>> Ao Redor do Mundo de Fernando Dourado Filho pela Fernando Dourado Filho (2000)
>>> O Administrador do Rei - coleção aqui e agora de Aristides Fraga Lima pela Scipione (1991)
>>> Memória do Cinema de Henrique Alves Costa pela Afrontamento (2024)
>>> Os Filhos do Mundo - a face oculta da menoridade (1964-1979) de Gutemberg Alexandrino Rodrigues pela Ibccrim (2001)
>>> Arranca-me a Vida de Angeles Mastretta pela Siciliano (1992)
>>> Globalizacão, Fragmentacão E Reforma Urbana: O Futuro Das Cidades Brasileiras Na Crise de Luiz Cezar de Queiroz Ribeiro; Orlando Alves dos Santos Junior pela Civilização Brasileira (1997)
>>> Movimento dos Trabalhadores e a Nova Ordem Mundial de Clat pela Clat (1993)
>>> Falso Amanhecer: Os Equívocos Do Capitalismo Global de John Gray pela Record (1999)
>>> Os Colegas de Lygia Bojunga pela Casa Lygia Bojunga (1986)
>>> Amazonas um Rio Conta Historias de Sergio D. T. Macedo pela Record (1962)
>>> A História de Editora Sextante pela Sextante (2012)
>>> Villegagnon, Paixaƒo E Guerra Na Guanabara: Romance de Assis Brasil pela Rio Fundo (1991)
>>> A Política de Aristóteles pela Ediouro
>>> A Morte no Paraíso a tragédia de Stefan Zweig de Alberto Dines pela Nova Fronteira (1981)
>>> Rin Tin Tin a vida e a lenda de Susan Orlean pela Valentina (2013)
>>> Estudos Brasileiros de População de Castro Barretto pela Do Autor (1947)
>>> A Origem do Dinheiro de Josef Robert pela Global (1989)
>>> Arquitetos De Sonhos de Ademar Bogo pela Expressão Popular (2024)
>>> Desafio no Pacífico de Robert Leckie pela Globo (1970)
>>> O Menino do DedoVerde de Maurice Druon pela José Olympio (1983)
>>> A Ciencia Da Propaganda de Claude Hopkins pela Cultrix (2005)
>>> Da Matriz Ao Beco E Depois de Flavio Carneiro pela Rocco (1994)
>>> Testemunho de Darcy Ribeiro pela Edições Siciliano (1990)
>>> Tarzan e o Leão de Ouro de Edgar Rice Burroughs pela Record (1982)
>>> Viagem de Graciliano Ramos pela Record (1984)
COLUNAS

Quinta-feira, 21/6/2001
Bonjour, tristesse
Adriana Baggio
+ de 6000 Acessos
+ 2 Comentário(s)

"O propósito da vida é, claramente, não ser feliz."
Schopenhauer

"Tristeza não tem fim, felicidade sim."
Vinícius de Moraes

Foi uma frase do filósofo Alain de Botton que colocou em palavras uma sensação que sempre tive. Em entrevista a uma revista feminina, o filósofo suíço disse que "a visão dominante hoje é que, para fazer alguém se sentir melhor, você precisa dizer algo otimista. Só que meu caráter é mais melancólico e, quando estou triste, não sou atraído pelos otimistas".

O nosso grande erro é tentar curar tristeza se juntando aos que estão alegres. Nada aumenta mais a amargura que não conseguir ver felicidade naquilo que faz os outros sorrir. Assim como a gripe, a tristeza é um estado que precisa ser vivido e curtido no seu tempo exato, para que possa ser curada. A gripe, como a tristeza, tem um tempo de maturação determinado. Se for interrompido, depois volta com mais força.

Acho que é óbvio, mas, só para reforçar, não estou falando de casos patológicos. Falo da tristeza que a gente sente e depois passa, da tristeza com um motivo específico. Quando a gente está assim, poucas coisas são mais irritantes do que as pessoas que tentam te animar e colocar "pra cima". A tristeza incomoda os outros. Sempre há a cobrança do alto astral, da risada, do espírito de festa. E, por falar em festa, que sensação horrível sentir-se triste quando todo mundo está alegre. Quando é uma data comemorativa e todos esperam que todos estejam alegres. Como aniversários, Natal, Ano Novo. O ruim não é ficar triste, o ruim é o sentimento de culpa. Por que estou triste quando deveria estar alegre?

De pouco tempo para cá aprendi a aceitar a tristeza assim como aceito de bom grado a alegria. Percebi que ela passa, e deixa em seu rastro um sentimento de paz e dignidade. Não sei por quê, mas sei que deixa. Acho que é porque a tristeza exige um recolhimento que sempre relutamos em permitir que aconteça. E o recolhimento é bom para botar a casa em ordem e fortalecer os anticorpos emocionais.

Sem querer fazer uma apologia da tristeza, muitas vezes fico com inveja das figuras tristes e nobres. Normalmente elas só aparecem nos livros e filmes, porque na vida real a tristeza tende a ser mais triste e comum, sem nenhum charme. Essas personagens são embelezadas e dignificadas pela tristeza, como se o sentimento tornasse o ser humano melhor e mais imune. Meus tristes heróis e heroínas parecem mais felizes porque são mais fortes. Já sofreram e choraram, não vão mais perder a cabeça e puxar os cabelos. Se o infortúnio voltar a acontecer, vão sorrir compreensivamente, conformados, e derramarão apenas uma lágrima silenciosa, muito mais comovente que um choro de carpideira.

É por isso que eu simplesmente odeio pessoas muito felizes, que estão sempre de bom humor. Pessoas imunes à tristeza, ou por ignorância, ou por hipocrisia. Tendo a uma reação repulsiva quando recebo e-mails com mensagens estimulantes em PowerPoint, falando sobre a alegria da vida e a felicidade que a gente deve sentir todo dia. Tenho certeza que Deus não liga se um dia ou outro a gente fica triste. Acho que ele até agradece, porque talvez assim as pessoas fiquem um pouco mais suaves e dignas.

* Escolhi o título deste filme de Preminger para dar nome ao texto como uma homenagem a uma das figuras femininas mais lindas que já vi. Não sei quantas mulheres são (ou foram) tão bonitas na sua tristeza quanto Jean Seberg, a egoísta Cecile.

Para ir além

www.saintjean.co.uk



Adriana Baggio
Curitiba, 21/6/2001

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Encontre seu motivo para blogar de Adriana Baggio


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2001
01. À luz de um casamento - 18/10/2001
02. O Segredo do Vovô Coelhão - 15/11/2001
03. Arte, cultura e auto-estima - 9/8/2001
04. Náufrago: nem tanto ao mar, nem tanto à terra - 25/3/2001
05. Marmitex - 1/11/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
26/4/2002
09h38min
"Nada aumenta mais a amargura que não conseguir ver felicidade naquilo que faz os outros sorrir". Esse trecho me fez lembrar de uma passagem de minha vida, não poderia ser mais exato na definição!Engraçado, mas sempre precisei de tristeza nos meus momentos de inspiração, não consigo imaginar Beethoven um cara alto astral, tocando Moon Light feliz e sorridente....A tristeza escancara a individualidade, levando-nos a introspecção e agussamento investigativo sobre as impressões que temos acerca de tudo, faz-nos mais sensíveis às minucias da consciência e sensibilidade.Traçando um paralelo com a "felicidade", quando estamos alegres entregamos nossa autonomia para o grupo, a massa, multidão, pois é este o consciente coletivo dominante, ter que ser feliz! Dogma da sociedade moderna, felicidade mesmo não estando feliz! Parabéns.
[Leia outros Comentários de Eduardo Vianna]
26/4/2002
2. Blue
14h47min
Eduardo Parece que a tristeza é mesmo encarada como fonte de inspiração. Um dos comerciais mais bacanas que eu já vi é da Heineken. Um negro "bluezeiro" está na varanda de sua casa caindo aos pedaços, em algum lugarejo do sul dos Estados Unidos, na década de 30 ou 40, talvez. Faz sol, o dia está normal, ele não consegue tirar nada do seu violão, ou guitarrra, sei lá. De repente, tudo começa a dar errado. Cai um temporal, a mulher briga com ele e sai de casa, um monte de coisa ruim acontece. É nessa hora que ele consegue fazer o blues...
[Leia outros Comentários de Adriana]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Livro Biografias Vinicius sem Ponto Final
João Carlos Pecci
Saraiva
(1994)



Livro Infanto Juvenis A Chata Daquela Gorda Coleção Navegar
Regina Drummond
Cortez
(2005)



Usar a Mídia a Seu Favor
Paulo Piratininga
Cla
(2008)



Livro Direito Financeiro na Constituição de 1988
José Mauricio Conti
Oliveira Mendes
(1998)



Gestão florestal sustentável- Um diagnóstico no Espírito Santo
Luiz Fernando Schettino
Ed. do Autor
(2000)



O Hobbit
J. R. R. Tolkien
Martins Fontes
(2003)



Enquanto a Banda Tocava Um Blues
Wander Porto
Wp
(2019)



Amar, Verbo Intransitivo
Mário de Andrade
Agir
(2008)



Férias De Natal
W. Somerset Maugham
Globo
(1957)



Turismo Religioso - Ensaios Antropológicos Sobre Religião e Turismo
Edin Sued Abmanssur
Papirus
(2018)
+ frete grátis





busca | avançada
101 mil/dia
2,4 milhões/mês