Sangue, Carne e Fritas | Urariano Mota | Digestivo Cultural

busca | avançada
42881 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Guerra no Iraque

Sexta-feira, 21/3/2003
Sangue, Carne e Fritas
Urariano Mota

+ de 3200 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Imaginamos que existam infinitas maneiras de falar sobre a guerra dos Estados Unidos contra o Iraque. Quase todas, no entanto, passam pela figura do Sr. Bush.

Ainda que nos detivéssemos no início desse primeiro parágrafo e estranhássemos a palavra "guerra", que pressupõe um conflito, uma luta entre verdadeiras forças, um ringue de dois pesos pesados, ainda que estranhássemos o uso de "guerra" onde se deveria dizer "massacre", ainda assim o parágrafo correria pela pessoa do Sr. Bush. E já aqui, ao pular a primeira estranheza, como se superada fosse, uma segunda nos assalta. Pois ao escrever "Bush", escrevemos-lhe antes "figura", "pessoa", "senhor". E nada mais impróprio. Se ele é figura, é algo borrado, borrado porque a definição da sua imagem é para a humanidade um pesadelo. Se ele é pessoa, deveríamos igualmente chamar pessoas às feras, que, sejamos científicos, têm uma humanidade que não encontramos no... não o sabemos, naquilo que preside os Estados Unidos. Se ele é senhor, como dizê-lo? Chamamos igualmente senhor ao porrete e à sua ameaça sobre as nossas cabeças? Se há cacetes com pregos na ponta, queremos dizer, se há mísseis, se há bombas sobre cidades chamamos de senhor, então está tudo bem, digamos com todos os all rights, Bush é um senhor.

Essa estranheza, essa ida e volta em busca do sentido das palavras, se dá porque nessa ... "guerra", nesse massacre, as palavras foram reinventadas, ou melhor, assim como o caos que essa carnificina fará nascer, assim como a noite de Bagdá onde luzem os mísseis, como estrelas cadentes que em vez da queda por entre a atmosfera caem em paralelas curvas ao solo antes da explosão, pois assim como na noite primeira quando a humanidade ainda não era, nessa "guerra" as palavras se anunciam como se ainda viessem a ser inventadas. Pois tão estranhas ficaram. Tão esquisitas, tão deslocadas de sentido. Por exemplo, fala-se que Saddam Hussein, o tenebroso ditador, o Mal, o Terrível Saddam, representa uma ameaça à paz mundial. Estamos todos loucos, idiotas, ou perdemos todo o significado das coisas mais comezinhas? Sim, ameaça à paz mundial, sim, mas com que armas? Certamente que não com aqueles fuzis por ele erguidos para os céus. Sim, isto, e o que dizer de suas armas atômicas? - Sim, mas antes, se é assim, não estariam os Estados Unidos a se referir à Coréia do Norte? E aqui, num breve lapso de memória, esquecemos que o território norte-americano não se localiza bem na América do Norte. Sim, deve ser, porque os Estados Unidos da América do Norte se irradiam de Washington a qualquer lugar do planeta. Ou melhor, para todos os lugares da Terra, que, salvo engano, é propriedade norte-americana.

Mas façamos um esforço para não afundar nessa estranheza, que nos leva para uma digressão. Nem que seja para cair em outra, como esta: o Sr., senhor naquele sentido do porrete, o Sr. Bush, em seu discurso de paz de 48 horas, desejou que os soldados do Iraque não lutassem contra o exército invasor dos Estados Unidos. A essa entrega, espontânea, de armas ele definiu como um ato de não-defesa de um regime moribundo (e imoral !). Muito bem, compreendemos, compreendemos ao nível da idiotia que ele nos quer impor: Bush, quando invade o Iraque, defende a liberdade, vocês vêem, já os soldados iraquianos, quando bravamente defendem a sua terra, batem-se por um regime de um tirano, não se batem? E por isso devem entregar suas velhas armas aos libertadores, de preferência beijando os altos coturnos da libertação, curvados como se se dirigissem a Alá, em prece e saudação. Compreendem? Sim, digamos que sim. Se assim compreendemos, compreenderemos então mais ainda: no seu ultimátum de 48 horas, o Sr. Bush declarou que os iraquianos não deveriam destruir seus poços de petróleo, porque deveriam guardá-los para o bem do povo do Iraque. Compreendem a medida da generosa preocupação? Se acreditarmos em suas palavras, ou melhor, se as aceitarmos no nível que o Sr. Bush ordena que as compreendamos, o exército norte-americano invade o território das segundas reservas de petróleo do mundo para beneficiar o povo iraquiano! Se a esse nível compreendemos, não precisamos olhar para a cara do Sr. Bush, e se não a olhamos, não lhe vemos o ar cínico, arrogante, de desprezo para o mundo que não for norte-americano branco classe média de direita. Ou então digamos que, se não a olhamos, não vemos que sua cara expressa um esforço de abarcar maior humanidade: desprezo somente para o mundo que não for pessoas brancas anglo-saxônicas.

De redefinição em redefinição, de estranheza em estranheza, chegamos à Operação Liberdade do Iraque. Tamanha estupidez nos deixa semiparalisados. Dá-nos vontade de fazer um largo branco na página e encerrar o escrito, tamanho é o abuso. Antes dessa "Operação Liberdade...", o Sr. Bush já nos presenteara com uma "Guerra Preventiva". Sabem o que é isso? - Guerra preventiva é aquela que um troglodita nos faz, quando nos planta já, de imediato, um soco na cara, porque suspeita que num remoto futuro nós poderíamos encará-lo com independência. E nessa guerra, nova, arbitrária, o Neandertal é quem determina o inimigo, naturalmente fundado em razões de saque, rapina, cobiça. Assim fundado, parte para a Guerra Preventiva, que vem a ser a Destruição Prévia do Dono da Riqueza, prévia porque antes de o próprio dono da riqueza crescer na definitiva posse.

E atingimos enfim a sistemática mentira. Tamanha é a sua falta de escrúpulos, tamanho é o seu reacionarismo, que o Sr. Bush não avermelha nem de vergonha. Que lhe importa declarar que procura o terrorista lá no Iraque? Nada demais que a imagem do terror, como o seu nome, como o seu significado, sofra um novo deslocamento. Pois enquanto o Sr. Bush caça o terrorista lá no Oriente, o real e o virtual terror se acham no Ocidente, mais precisamente em frente a ele, Sr. Bush, em qualquer espelho da Casa Branca.

Então fiquemos assim acordados, aprendamos de uma vez por todas: o Sr. Bush quer destruir poderosos arsenais no Iraque, ainda que os jornais noticiem que o povo iraquiano zerou todo um arsenal de desesperadas armas, os tranqüilizantes, nas farmácias; o Sr. Bush quer destruir o Mal, os maus e seus rebentos, enquanto o resto do mundo sabe que as mulheres grávidas do Iraque, para que não venham a morrer sem assistência, na semana da invasão, fazem cesarianas em massa, para que rebentem logo seus frutos aos 7 meses; já os mais crescidos, as crianças que ainda não têm idade suficiente para saudar o invasor à altura, as crianças se escondem debaixo da cama, se escondem em armários, na ingênua busca de proteção dos mísseis. Só lhe falta, Sr. Bush, em seu poder de império, mudar o próprio título deste nosso artigo. Em lugar de Sangue, o senhor ordenaria que se pusesse Ketchup. Em lugar da Carne, cozida pelas bombas, o senhor poria Hambúrguer. E em lugar de Fritas, francesas, o Sr. já sabe, seria posto o genial nome de Fritas da Liberdade.

Mas o senhor deve atentar que falsos nomes não mudam a natureza das coisas. Eufemismos não mudam o crime que a sua cobiça e estupidez cometem. Disfarçam-no, apenas.


Urariano Mota
Olinda, 21/3/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Notas confessionais de um angustiado (IV) de Cassionei Niches Petry
02. A coerência de Mauricio Macri de Celso A. Uequed Pitol
03. Apresentação: Ficção e Sociedade de Heloisa Pait
04. Leblon de Marta Barcellos
05. A poeira do outros e o sabor da realidade de Fred Linardi


Mais Urariano Mota
Mais Acessadas de Urariano Mota em 2003
01. Lulu Santos versus Faustão - 11/7/2003
02. A nova escola - 29/8/2003
03. Alfredo Bosi e a dignidade da crítica - 18/4/2003
04. O chimpanzé, esse nosso irmão - 20/6/2003
05. O rei nu do vestibular - 8/12/2003


Mais Especial Guerra no Iraque
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
7/5/2003
12h16min
Brilhante, você consegue sintetizar um sentimento que entendo seja comum a todos. Parabéns.
[Leia outros Comentários de margarete manes albi]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O PEQUENO PRÍNCIPE
ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY
AGIR
(2003)
R$ 25,00
+ frete grátis



SOLO DE CLARINETA - 2 VOLS
ERICO VERISSIMO
GLOBO
(1976)
R$ 39,96



CARTAS PERSAS 2
MONTESQUIEU
ESCALA
(2006)
R$ 10,00



FAMILY ALBUM, U. S. A.
APEL
MAWELL MACMILLAN
R$ 60,00



BENCHMARKING - O CAMINHO DA QUALIDADE TOTAL
ROBERT C. CAMP
PIONEIRA
(1935)
R$ 10,00



GRUPOS, ORGANIZACOES E INSTITUICOES - COLECAO PSICOLOGIA SOCIAL
GEORGES LAPASSADE
VOZES
(2016)
R$ 71,64



POLÍTICA INTERNACIONAL COMPARADA - O BRASIL E A INDIA NAS NOVAS...
MARCOS COSTA LIMA (ORG.)
ALAMEDA
(2012)
R$ 24,22



HISTOIRE DES IDÉES POLITIQUES: TOMO I - DES ORIGINES AU XVIII
JEAN TOUCHARD E OUTROS (CAPA DURA)
PRESS UNIVERSITAIRES DE FRANCE
(1959)
R$ 17,82



POÈMES DAMOUR DES XIIE ET XIIIE SIÈCLES
ANONYME; EMMANUELE BAUMGARTNER; FRANÇOISE F.
UNION GENERALE
(1983)
R$ 39,82



SELEÇÕES DO READERS DIGEST DE ABRIL DE 1963
TITO LEITE (REDATOR CHEFE)
YPIRANGA
(1963)
R$ 7,00





busca | avançada
42881 visitas/dia
1,2 milhão/mês