Falta de Cultura e Democracia | Bernardo

busca | avançada
75143 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Sesc 24 de Maio apresenta o terceiro episódio do Desafinados Entrevista
>>> Anexo LONA - Interações 1 - Cristina Elias & Thais Stoklos
>>> Viaje ao som de 'Sky', novo single de Dizin
>>> Lewis Wolpert explica como os organismos multicelulares se formam a partir de um simples óvulo
>>> Festival Aparecida Criativa surge para transformar a produção cultural de Sorocaba
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Canção corações separados
>>> Relógio de pulso
>>> Centopéia perambulante
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
>>> A vida é
>>> (...!)
>>> Notívagos
>>> Sou rosa do deserto
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Pensar Não é Viver
>>> Caminhos para Roma
>>> Solitária cidadã do mundo
>>> Breve biografia
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> A importância da virtude
>>> Deus ex machina
>>> Mulher-Flamingo
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
Mais Recentes
>>> The Teachings of the Compassionate Buddha de E. A. Burtt pela A Mentor Book (1955)
>>> História da Educação e da Pedagogia de Lorenzo Luzuriaga pela Companhia Nacional (1963)
>>> A ditadura de segurança nacional no Rio Grande do Sul(1964-1985): história e memória - volume 3 de Enrique Serra Padrós, Vânia M. Barbosa, Vanessa Albertinence Lopez e Ananda Simões Fernandes orgs. pela Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul (2014)
>>> El Jugador de Fedor Dostoievski pela Salvat / Alianza Editorial (1969)
>>> O Velho da Horta Auto da Barca do Inferno Farsa de Inês Pereira de Gil Vicente, Segismundo Spina pela Brasiliense (1990)
>>> Estado de Sítio; o Estrangeiro de Albert Camus pela Abril Cultural (1979)
>>> A Hagadá de Pessach de Leonard Baskin e Outros pela Bnai Brith do Brasil (1977)
>>> Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro - Poetas da Escola de Anna Helena Altenfelder pela Mec (2008)
>>> O Outro Lado da Vida - um Guia Psíquico para o Nosso Mundo de Sylvia Browne - Lindsay Harrison pela Sextante (2000)
>>> El ritmo lúdico y los placeres en Bogotá de Victoria Peralta pela Ariel (1995)
>>> Cabala - a Tradição Esotérica do Ocidente de F. V. Lorenz pela Pensamento
>>> Doctor Dolittles Circus de Hugh Lofting pela Butler & Tanner (1967)
>>> Mulher Inteligente Valoriza o Dinheiro Pensa no Futuro e Investe de Sandra Blanco pela Qualymark (2004)
>>> Acervo Fotográfico Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Pe. Pedro Renato Carlesso pela Serrana (2006)
>>> Éticas multiculturais - sobre convivência humana possível de Pedro Demo pela Vozes (2005)
>>> Felicidade de Elias Teixeira pela Casa Dois (2013)
>>> Manual de Jornalismo da Radiobrás de Celso Nucci pela Radiobrás (2006)
>>> Desonrada - Depoimento de Mukhtar Mai - Marie Thérèse Cuny pela Best Seller (2007)
>>> Ruah - Quebrando Paradigmas de Que Gordura é Saúde e Magreza é Doença de Padre Marcelo Rossi pela Principium (2015)
>>> Movimento Nacional pela Livre Iniciativa de Roberto CorrÊa (org.) pela Espm (2008)
>>> A Nova Guerra Contra Israel de Herbert London; Jed Babbin pela Simonsen (2015)
>>> Geometria de 1ª a 4ª Série – Uma Brincadeira Séria de Carmen Cecília Schmitz e Outros pela Unisinos (1994)
>>> Encantadores de Vidas de Eduardo Moreira; Nuno Cobra; Monty Roberts pela Record (2012)
>>> Inteligência emocional no trabalho de hendrie Weisinger pela Objetiva (2001)
>>> Pequeno Manual de Princípios do Sucesso de Mamie Mccullough pela United Press (1999)
COMENTÁRIOS

Segunda-feira, 20/5/2002
Comentários
Leitores


Falta de Cultura e Democracia
Caro Júlio, Abstraindo-se da discussão sobre qual seja o papel do Estado na criação - e manutenção de uma televisão de qualidade, não podemos nos esquecer que o nível da programação é meramente o reflexo do VERDADEIRO nível cultural dos telespectadores, por mais lugar que seja essa afirmação. Quero acreditar que a inexistência de bons programas de debates é o resultado do puro desinteresse das "massas" por esse tipo de programa, porque, se for por absoluta falta de profissionais capazes de engendrar boas discussões, estamos mais mal do que pensamos. Abs, Bernardo

[Sobre "Do Manhattan Connection ao Saia Justa"]

por Bernardo
20/5/2002 às
12h35 200.193.230.205
(+) Bernardo no Digestivo...
 
Então tá então
Gustavo, se você pretende mesmo comparar um humano a um animal, aí realmente não há o que fazer. O que me deixou mesmo intrigado foi a sua explicação sobre a acentuação. Você não tem um editor de textos em português? Ou não sabe programar o idioma do teclado no Windows? De fato, esta vida, como diz João Ubaldo Ribeiro, é mesmo muito dura e prenhe de percalços.

[Sobre "Regras da Morte"]

por Alexandre Ramos
20/5/2002 às
10h12 200.179.45.130
(+) Alexandre Ramos no Digestivo...
 
Faculdade para falar mal
Olha, eu nem recebo salário para falar mal dos outros nem acho que seja preciso ter feito faculdade para isso.

[Sobre "E eu mais ainda!"]

por Rafael Lima
20/5/2002 às
09h08 200.179.78.2
(+) Rafael Lima no Digestivo...
 
Estereótipos
Mauro, eu fico triste é de ver que os crioulos americanos, historicamente, tenham interpretado estereótipos na tela de cinema, quando poderiam aproveitar muito melhor seu talento. Para entender melhor ao que me refiro, assista ao filme Bamboozled (A hora do show), do Spike Lee.

[Sobre "Estereótipos"]

por Rafael Lima
20/5/2002 às
08h59 200.179.78.2
(+) Rafael Lima no Digestivo...
 
Acumulando insultos diversos
Assuncao: Nao irei responder a seus insultos juvenis, posto que sua ultima mensagem nada acrescentou a discussao. Ramos: Embora seja completamente irrelevante, creio que voce nao percebeu, ou finjiu que nao percebeu, que a ausencia de acentos em minhas mensagens e proposital, uma vez que os teclados nao possuem suporte intuitivo a eles (lingua inglesa nao contem acentos) e eu nao tenho a menor intencao de decorar sequencias absurdas como alt + 110. Mesmo porque, ausencia de acentos nao prejudica em nada o entendimento da mensagem. Mas vamos deixar de picuinha e ir direto ao cerne da questao, sim? Um humano adulto, no caso um escravo negro, e obviamente uma forma de vida consciente, que responde a estimulos, demonstra capacidade de sentir, contem memorias em seu cerebro e portanto um senso de identidade. O mesmo pode ser dito acerca de um embriao ou feto jovem? E digamos que eu considere moralmente incorreta a criacao de animais em fazendas, cruelmente enclausurados e genocidados apenas para atender aos nossos interesses. O que eu deveria fazer a respeito, proibir a pratica da pecuaria ou me abster de pratica-la? Se voce realmente cre que "toda forma de vida com o potencial para a existencia consciente tem rigorosamente o direito de ter sua vida preservada desde a concepcao", entao o que voce tem a dizer quanto a todas essas formas de vida obviamente conscientes, que demonstram, como ja disse, capacidade de sentir todas as emocoes conhecidas por nos, do odio ao amor, e que sao tratadas virtualmente como judeus em maos nazistas, pela nossa tao honrada e altruista especie? Ou sera que a sua definicao de ser consciente inclui apenas individuos de uma certa especie, que, "obviamente" que por pura e absoluta coincidencia, e a especie a qual vossa senhoria pertence? Se voce realmente leva a serio o que disse, meu caro, entao prevejo uma ardua e indigna existencia para voce, tentando inutilmente manter tal lei absurda que garante direito a vida a todo ser consciente. Talvez voce viaje ate o fundo dos oceanos para salvar os peixinhos da boca do tubarao. Quem sabe um tour pela Africa salvando veadinhos das garras de leoes famintos? E nem pense em atirar no felino quando este resolver que voce e um jantar melhor, afinal de contas ele e apenas um ser consciente que tem seu direito a vida garantido desde a concepcao. Oh, mas estas criaturas nao possuem o DNA da especie ariana, logo ate mesmo um embriao inconsciente, sem memorias e sem sistema nervoso deve ser considerado superior a elas. Outra coisa: Pelo seu raciocinio, se voce possui renda superior ao minimo necessario a sua subsistencia, a mesma deveria ser confiscada para alimentar individuos que nesse momento morrem de fome em algum lugar do mundo. Voce pode dizer "Mas a renda e minha, e se eu escolher nao cede-la para alimentar os tais mortos de fome, estou em meu direito." Creio que ninguem iria discordar e tentar tomar seus bens a forca, correto? Bom, e como e que um embriao cresce e se desenvolve? Ele o faz sugando nutrientes que PERTENCEM a mae, atraves do cordao umbilical e utilizando-se da infra-estrutura propiciada pelo seu utero. A mae nao teria o direito de se recusar a fornecer esses recursos, mesmo que isso implique na morte do embriao, da mesma forma que nos preferimos comprar carros, computadores e bebidas alcoolicas a fornecer recursos que certamente evitariam a morte por inanicao de outras pessoas? O exemplo e ainda mais grave, uma vez que um embriao nao aparenta ser possuidor de uma consciencia, mas uma crianca africana certamente o e. Dessa forma, concluo que seu raciocinio e incoerente e impraticavel e que voce faz vista grossa as implicacoes desagradaveis do mesmo, preservando apenas a parte que lhe convem. Soares: Voce me considera um monstro pelas minhas opinioes. Bom, considere que amanha eu engravide uma moca que pensa exatamente como eu e que nos resolvamos unanimemente que nao desejamos a crianca. Voce acha realmente que tal crianca deveria nascer e ser educada por pessoas como eu? Como voce supoe que a crianca ira se sentir ao crescer sem receber o afeto que merece e ao descobrir que so veio ao mundo gracas a um "acidente" e a uma lei absurda? Como ela ira se sentir ao saber que o projeto de vida de seus pais foi arruinado por sua concepcao e que eles se ressentem dela por isso? Se voce pudesse optar por vir ao mundo na pele dessa crianca, ou jamais existir, qual seria sua escolha? Por essas questoes e que defendo veementemente que NENHUMA crianca indesejada deveria jamais por os pes nesse mundo. Ja temos criancas abandonadas demais e nossa populacao nao para de crescer. Alem disso, nao posso deixar de me ultrajar quando o governo se decide no direito de controlar ate o que nos podemos ou nao fazer com nossas proprias entranhas! (bom, eu nao sou mulher, mas enfim... :) )

[Sobre "Regras da Morte"]

por Gustavo Alckmin
19/5/2002 às
22h32 200.189.2.5
(+) Gustavo Alckmin no Digestivo...
 
As mulheres que abortam
Sinceramente, não acho que o sujeito da mensagem 7 esteja sendo justo nem mesmo com as mulheres que abortam. Não acho que na maioria elas sejam tão, tão horríveis, que realmente encarem seus fetos como parasitas. Querendo defender o aborto, ele fez da mulher que aborta algo pior do que uma assassina- porque pelo menos uma assassina pode perceber o que fez e (quem sabe?) se arrepender. Mas essa hipotética mulher que aborta com a indiferença sem-medo-de-ser-feliz de quem se livra de uma lombriga- essa sim é realmente um monstro que só esta época tão pouco medieval (em outras palavras, tão inumana) poderia conceber. Se é para defender o aborto, é preciso fazer um pouco melhor do que isso- e um pouco melhor também do que usar o argumento "se acha que algo é crime, não o pratique, mas deixe os outros praticarem"; algo que por caridade prefiro achar que saiu sem querer- como uma tênia num banheiro público. Alexandre: gostei muito do texto, mesmo não concordando com uma ou outra coisa. Um abraço, Alexandre Soares.

[Sobre "Regras da Morte"]

por Alexandre Soares
19/5/2002 às
17h12 200.205.157.155
(+) Alexandre Soares no Digestivo...
 
QUEM GOSTAVA DA SÉRIE LEIA...
Olá eu adorei a idéia do Edmilson J. de fazer um abaixo assinado pra tentar fazer com que esta maravilhosa série volte para a tv aberta. O que podemos fazer é mandar e-mails pra tv Bandeirantes já que ela é a atual dona dos episódios. Farei a minha parte espero que com a ajuda de vocês possamos rever essa série novamente...

[Sobre "Anos Incríveis"]

por Meine Anny
19/5/2002 às
16h29 200.151.81.226
(+) Meine Anny no Digestivo...
 
Falha técnica
Problemas no copy/paste. A frase correta é assim: "... se alguém entender que o Gustavo, por causa de sua raça, religião, credo político ou mesmo por suas dificuldades com acentuação deva ser conduzido a um campo de "reeducação", ninguém poderá protestar contra isso, exceto (talvez) o próprio Gustavo".

[Sobre "Regras da Morte"]

por Alexandre Ramos
19/5/2002 às
12h42 200.179.45.130
(+) Alexandre Ramos no Digestivo...
 
Quod scripsi, scripsi
Diego, para achar que uma coisa é boa ou ruim, certa ou errada, é preciso um parâmetro, um referencial, né? Então, o meu eu encontro na Revelação Divina confiada à Igreja. E não “cegamente”, como diz você, pois sou católico porque quero. Essa coisa bem brasileira de “quero falar com o chefe” até que tem muito sentido em se tratando de valores: o negócio é buscar mesmo o fundamento último, porque os filósofos, as maiorias, as minorias, as modas e principalmente o politicamente correto levam você de nada para lugar algum. De mais a mais, aquelas idéias que os filmes que analisei defendem, tanto no nível de “patologia social” como naquele mais “light” que você considera aceitável, em existindo Deus estão erradas do mesmo jeito; em Ele não existindo, aí, meu chapa, é uma questão de oportunidade, talento e coragem. Ou tu acha que, neste caso, eu deixaria escapar a Mena Suvari? Gustavo, acho que antes de enviar um e-mail você não deve esquecer de passar um corretor ortográfico e gramatical. Dito isto, achei curiosa a sua idéia de deixar em paz quem pensa diferente de nós quanto a algumas coisas. Diferente, mas não original, porque um político americano - cujo nome não recordo nem sinto falta disso - depois da independência e antes da abolição da escravidão nos EUA, dizia que as pessoas que eram contra a escravidão deviam se limitar a não ter escravos, sem ficar enchendo o saco dos que preferiam tê-los. É possível que você perceba que, levando esse teu, ahn, digamos, “raciocínio” às ultimas conseqüências, se alguém entender que o Gustavo, por causa de sua raça, religião, credo político ou religioso ou mesmo por suas dificuldades com acentuação deva ser devidamente conduzido a um campo de “reeducação”. Tu já viu aquele poema do Brecht em que a cada noite vinha a polícia ao prédio do sujeito e levava os judeus, os comunistas, não sei mas quem, aí o cara ficava na dele e não fazia nada porque não pertencia a nenhum daqueles grupos, até que uma noite, quando a polícia chegou, ele estava sozinho no prédio? É isso aí. Veja, meu caro, que até para dizer essas bobagens que você diz, é preciso primeiro estar vivo. E um ser que, como incrivelmente até você conseguiu perceber, tem a potência para a vida consciente, tem também, rigorosamente, o direito de ter sua vida preservada desde a concepção.

[Sobre "Regras da Morte"]

por Alexandre Ramos
19/5/2002 às
12h01 200.179.45.130
(+) Alexandre Ramos no Digestivo...
 
Irrelevante
Sinto muito Gustavo, sempre que vejo um potencial de inteligência desperdiçado de tal forma. Não vou debater com você, não porque não tenha argumentos, mas porque você não tem postura para debater o que quer que seja. Ciência de almanaque e livro didático ou nada para mim dá no mesmo. E você é mesmo bi-dimensional, porque não demonstra nenhuma profundidade no que fala. Suas palavras são chapadas, preto-no-branco, maniqueístas e obtusas. Leia, por favor, os comentários bastante razoáveis do Diego, e aprenda a conversar. Não concordo com nada do que ele disse, mas respeito profundamente a posição dele, que não é irrefletida nem arrogante como a sua, apenas diferente da minha. Se vamos usar a ótica cientificista, você nada mais é que um bando de moléculas mal-arranjadas, que bem podiam virar algo de mais útil para a sociedade, como uma mesa de bilhar, por exmplo. Seria ao menos mais elegante.

[Sobre "Regras da Morte"]

por Assunção Medeiros
19/5/2002 às
03h02 200.184.36.199
(+) Assunção Medeiros no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




País das Neves
Yasunari Kawabata
Círculo do Livro
(1974)
R$ 13,00



Candida uma Doença do Século XX
Shirley S Lorenzani
Ground
(1989)
R$ 500,00



Sonhei que a neve fervia
Fal Azevedo
Rocco
(2012)
R$ 16,99



Jornada para a Meditação Voltando para Dentro
Rolf Sovik/ Psy. D.
Madras
(2012)
R$ 36,99



Manual de Prisão e Soltura Sob a Ótica Constitucional
José Herval Sampaio Júnior
Método
(2007)
R$ 27,00



Na Passarela do Samba
André Diniz, Diogo Cunha
Leya
(2014)
R$ 37,00



Você não merece ser feliz
Craque Daniel
Intrínsica
(2020)
R$ 24,00



Biblioteca da Arte - Os Impressionistas: Manet
Gernain Bazein
Três
(1973)
R$ 10,00



Nova York o Guia da Cidade
Vários Autores
Publifolha
(2008)
R$ 5,00



Poemas Escolhidos
Cláudio Manuel da Costa
Ediouro
R$ 5,00





busca | avançada
75143 visitas/dia
2,1 milhões/mês