A massa não entende | Ricardo Gessner

busca | avançada
54626 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 10 de Abril #digestivo10anos
>>> Não presta, mas vá ver
>>> Sobre o Jabá
>>> Crise da Democracia
>>> Bill Gates e o Internet Explorer
>>> LEM na TV Cronópios
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Poesia para jovens
>>> São Paulo, que dá nome à nossa cidade
>>> Viagem a 1968: Tropeços e Desventuras (3)
Mais Recentes
>>> Ciências - Entendendo a Natureza 8ª - DO PROFESSOR de César, Sezar e Bedaque pela Saraiva (2001)
>>> Ciências - A Vida na Terra 7º ano - DO PROFESSOR de Fernando Gewandsznajder pela Ática (2011)
>>> Com Direito à Palavra: Dicionários em sala de aula de Ministério da Educação pela Ministério da Educação (2012)
>>> Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - Alfabetização Matemática - Caderno 1 de Ministério da Educação pela Ministério da Educação (2014)
>>> Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - Alfabetização Matemática - Educação Inclusiva de Ministério da Educação pela Ministério da Educação (2014)
>>> Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - Alfabetização Matemática - Jogos na Alfabetização Matemática de Ministério da Educação pela Ministério da Educação (2014)
>>> Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - Alfabetização Matemática -Educação Matemática do Campo de Ministério da Educação pela Ministério da Educação (2014)
>>> Orpheus Histoire Générale des Religions - 1909 de Salomon Reinach pela Motterz et Martinet (1909)
>>> Vontade de Saber Matemática 8º ano - DO PROFESSOR de Joamir Souza e Patricia Moreno Pataro pela FTD (2009)
>>> Cartas - Tomo I - 1856 de Alexandre Herculano pela Bertrand (1856)
>>> Projeto Teláris - Geografia 7 - o espaço social e o espaço brasileiro - DO PROFESSOR de J. William Vesentini e Vânia Vlach pela Ática (2013)
>>> Les Liaisons Dangereuses volumes I e II de De Laclos pela Librairie Grund (1936)
>>> Epitome de Historia Universal - 1931 de Jonathas Serrano pela Livr. Francisco Alves (1931)
>>> Gli Eroi Del Cielo, Della Terra e Del Mare de Socrate Ciccarelli pela A.Mondadori (1927)
>>> Interagindo com a Matemática 2 - DO PROFESSOR de Adilson Longen pela do Brasil
>>> Coleção Eu Gosto Mais - Caligrafia vol. 1 - DO PROFESSOR de Déborah Pádua Mello Neves pela IBEP (2012)
>>> Coleção Eu Gosto Mais - Caligrafia vol. 1 - DO PROFESSOR de Déborah Pádua Mello Neves pela IBEP (2012)
>>> Noveau Formulaire Magistral de Thérapeutique Clinique... de Dr.Odilon Martin pela Librairie J.B.Baillière (1920)
>>> Facundo - 1942 de Domingo Faustino Sarmiento pela Editorial Losada (1942)
>>> Coleção Eu Gosto Mais - Caligrafia vol. 4 - DO PROFESSOR de Déborah Pádua Mello Neves pela IBEP (2012)
>>> Coleção Eu Gosto Mais - Caligrafia vol. 5 - DO PROFESSOR de Déborah Pádua Mello Neves pela IBEP (2013)
>>> Coleção Eu Gosto Mais - Caligrafia vol. 5 - DO PROFESSOR de Déborah Pádua Mello Neves pela IBEP (2013)
>>> História e Geografia 1 - Porta Aberta - DO PROFESSOR de Mirna Lima pela FTD (2002)
>>> Uma temporada no Inferno e Iluminações - 1957 de Arthur Rimbaud pela Civilização Brasileira (1957)
>>> Nossa Senhora de Paris - 1º volume - Colecção Lusitánia de Victor Hugo pela Livraria Chardron
>>> Rayons X et la Photographie a travers les corps opaques - 1896 de Ch. - D. Guillaume pela Gauthier-Villars et fils (1896)
>>> Normas da Alimentação de Neila Mara pela Ufpel (1994)
>>> Quimioterapia do Tracoma - 1940 de Octacilio Lopes (autografado) pela Revista dos Tribunais (1940)
>>> Língua Portuguesa 3 - Porta Aberta - DO PROFESSOR de Isabella Carpaneda e Angiolina Bragança pela FTD (2003)
>>> Psicologia do Homem - Psicologia da Mulher Introdução ao... de Grupo Gente Nova pela Grupo Gente Nova
>>> A Nova Dieta Revolucionária do Dr. Atkins de Robert C. Atkins, M.D. pela Record (2001)
>>> A herdeira de Sidney Sheldon pela Círculo do livro
>>> Retrato Num Espelho - 1948 de Charles Morgan pela Globo (1948)
>>> Les Grands Auteurs de La Sociologie de Henri Mendas ; Jean Étienne pela Hatier (1997)
>>> Como Administrar o Tempo de Tim Hindle pela Publifolha (1999)
>>> Sono - Cuide Bem de Sua Saúde de Edzard Ernst professor pela Vitória Régia (2000)
>>> Matemática nos Novos Tempos - Registrando Descobertas 4 - DO PROFESSOR de Maria Apparecida Barroso de Lima pela FTD (2003)
>>> Sistema Integrado de Educação - Planejamento Diário do Professor -2 anos - Educação Infantil de Maria Clara Medeiros pela Formando Cidadãos
>>> Gato Preto em Campo de Neve - 1947 - Ilustrado de Erico Verissimo pela O Globo (1947)
>>> Chamado da Selva (Tã - Tã) - Caminhos da Vida de Attilio Gatti pela Melhoramentos (1957)
>>> Sistema Integrado de Educação - Planejamento Diário do Professor - 5º ano de Maria Clara Medeiros pela Formando Cidadãos
>>> Curumim sem nome - Coleção Estórias do meu Brasil de Baltazar de Godoy Moreira pela Do Brasil
>>> Sistema Integrado de Educação - Matemática 3º ano - Ensino Fundamental - MANUAL DO EDUCADOR de Maria Clara Medeiros pela Formando Cidadãos
>>> Revista do Livro - Ano 6 Março; Junho 1961 - nº 21 - 22 de Augusto Meyer (Diretor) pela Imprensa Oficial (1961)
>>> Sistema Integrado de Educação - Ciências 3º ano - Ensino Fundamental - MANUAL DO EDUCADOR de Maria Clara Medeiros pela Formando Cidadãos
>>> Obras de Eça de Queiroz - Vol. VI Edição do Centenário 1947 - Formato Grande de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão Editores (1947)
>>> Obras de Eça de Queiroz - Vol. V Edição do Centenário - 1946 - Formato Grande de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão Editores (1946)
>>> Novas poesias para moças e crianças nativistas: invernadas mirim, juvenil e das prendas de Dimas Costa pela Martins Livreiro (1995)
>>> Porta Aberta - Guia Interdisciplinar 3 - DO PROFESSOR de FTD pela FTD (2003)
>>> Oceanos - Portugueses no Brasil Independente de Joaquim Romero Magalhães (Director) pela Bertrand (2000)
BLOGS >>> Posts

Domingo, 2/12/2018
A massa não entende
Ricardo Gessner

+ de 500 Acessos

Se a leitura de poesia, atualmente, é algo raro, o que dirá das suas análises? Mais do que raro, é tormentoso; e com razão. Especialistas pululam para lastimar a falta de interesse, ora acusando o capitalismo, ora o comunismo, ora a sociedade secreta dos reptilianos, pela responsabilidade. Entretanto, é importante não deixar fora de foco a própria produção artística, assim como o modo que seus estudiosos e críticos falam dessas obras. Como bem observa Rodrigo Gurgel, em “Reflexões no império dos filisteus” (Crítica, literatura e narratofobia):

“Se o espaço diminui cada vez mais – e o número de publicações dedicadas à literatura escasseia –, isso se deve não só a certas políticas editorias ou questões de ordem sociológica, mas também aos próprios críticos, que afastam os leitores ao incorporar a linguagem hermética da academia e evitar fazer julgamentos claros.

O crítico assinala o teor altamente especializado da crítica literária, que se tornou comum nos idos de 1970 em diante, e facilitou a fuga do público para outros setores, como a música pop ou produções mais digestivas. A crítica literária deixou de exercer sua função básica, criticar, julgar – escudada em discursos politicamente corretos –, para exibir um virtuosíssimo teórico agradável aos ouvidos áridos dos departamentos de teoria literária.

Contudo, a crítica literária responde a um outro fator, que é a especialização da própria arte. Como falei na abertura dessa crônica, a poesia – e as demais formas de arte – não estão na boca do público. Nesse sentido, o filósofo espanhol Ortega y Gasset, em “A desumanização da arte”, segue dessa premissa – de que a arte moderna é impopular e, mais do que isso, antipopular – dividindo o público entre os que a compreendem e os que não: “Não se trata de que a maioria do público não goste da arte moderna enquanto uma pequena parte, sim. O que acontece é que a maioria – a massa – não a compreende”. E isso ocorre porque a arte moderna passou por um processo de desumanização.

De acordo com o filósofo espanhol, a arte é uma forma de olhar para o mundo, como se olhássemos para uma paisagem através do vidro de uma janela. A paisagem é a própria realidade, que não se restringe à concretude, mas abrange o universo humano: pode representar a lida com sentimentos, valores, ações, representações do campo sagrado ou experiências místicas. O vidro, por sua vez, é o modo como o olhar é direcionado para percebê-la; é o análogo da técnica artística. Quanto mais límpido o vidro mais evidente é a paisagem, da mesma forma que por séculos os artistas empregaram técnicas que permitiam representar seus objetos com maior fidedignidade, ou torná-los mais claros.

Contudo, num determinado momento, a realidade deixou de ser o foco principal. “Não é que o pintor caminha torpemente em direção a realidade, mas vai contra ela”. Noutras palavras, a paisagem adquire uma importância menor, pois o vidro da janela – a técnica artística – tornou-se o fator preponderante. Isso foi apresentado como sendo a autonomia do campo artístico, que não depende mais de nenhuma realidade externa e pode sobreviver por si mesmo. O poeta francês Théophile Gautier sistematizou a proposta no conceito, hoje bastante conhecido, de “arte pela arte”. A poesia tornou-se “a álgebra superior das metáforas”, segundo Ortega y Gasset.

Por um lado, a conquista dessa autonomia foi compreendida como uma libertação da Arte, pois estava livre da realidade, livre de convenções, livre do universo humano e poderia voltar-se ao seu próprio. Por outro lado, isso acarretou numa excessiva atenção à técnica, culminando na “desumanização da arte”, da qual fala Ortega y Gasset e sua consequente incompreensão por parte do público. Isto é, como a arte tem a si mesma como referencial e faz isso por meio de técnicas profundamente especializadas, quem não possui esse domínio permanece excluído, ou tem mais dificuldade de compreensão.

Alguns filósofos marxistas celebraram essa característica interpretando-a como se fosse uma forma de resistência a uma sociedade capitalista, burguesa, “hostil à arte, pois não gera riqueza”. Contudo, há de se reconhecer que não apenas os opressores ficaram de fora, como também os oprimidos. “O que acontece é que a maioria – a massa – não a compreende”.

Os artistas se tornaram seus próprios críticos, muitos se dedicando à reflexão filosófica sobre o campo estético, criando sistemas teóricos para justificar suas obras – vide Paul Valery, na França – ou alguns poucos acólitos que passaram pelo processo de iniciação e aprenderam o vocabulário esotérico – como o próprio Paul Valery em relação a Stephane Mallarmé. A crítica tornou-se fechada em si mesma, munida de um arsenal teórico desconhecido por aquele que frui da Arte porque é, antes de tudo, humano:

“Ora, o leitor dos cadernos culturais não quer receber, a cada semana, pílulas estruturalistas ou conceitos derridianos. E não quer chegar ao ponto final do texto sem saber o que, exatamente, o articulista pensa. Quer e precisa de uma crítica que se disponha à tarefa de intermediar o diálogo entre a obra e ele, o leitor. Portanto, se a crítica deseja recuperar seu espaço, deve, antes de tudo, reaprender a respeitar o leitor” (Rodrigo Gurgel, “Reflexões no império dos filisteus”, p. 41)

Com isso, os artistas que esnobam tudo aquilo que “não é Arte”, mesmo que se apresentem como politicamente democráticos, são estilisticamente elitistas ao pressuporem um arsenal teórico para a fruição, além de facilitarem a fuga do público para outras instâncias.


Postado por Ricardo Gessner
Em 2/12/2018 às 17h31


Mais Ricardo Gessner
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TUDO O QUE VOCÊ QUERIA SABER SOBRE ASTROLOGIA
JUAREZ DE FAUSTO PRESTUPA
MADRAS
(2008)
R$ 12,00



A NATUREZA JURÍDICA DO DIREITO DESPORTIVO; O DIREITO DESPORTIVO
REVISTA BRASILEIRA DE DIREITO DESPORTIVO, 1
OAB SP
(2002)
R$ 19,28



JORNALISMO E POLÍTICA DEMOCRÁTICA NO BRASIL
CAROLINA MATOS
PUBLIFOLHA
(2008)
R$ 10,00



ANÁLISE FINANCEIRA DAS EMPRESAS
JOSÉ PEREIRA DA SILVA
ATLAS
(1996)
R$ 35,90
+ frete grátis



BABEL
ALBERTO LINS CALDAS
REVAN
(2001)
R$ 15,00



BOTO TUCUXI
CIÇA FITTIPALDI
SCIPIONE
(1990)
R$ 5,00



A "ART NOUVEAU"
B. CHAMPIGNEULLE
VERBO EDUSP
(1976)
R$ 25,00



ECONOMIA. PRINCÍPIOS BÁSICOS E INTRODUÇÃO À MICROECONOMIA
FLÁVIO RIANI
PIONEIRA
(1998)
R$ 15,00



ELIMINE SUAS DORES NATURALMENTE
JACQUES STAEHLÉ
MARTINS FONTES
(1981)
R$ 10,00



AS VITAMINAS - DO NUTRIENTE AO MEDICAMENTO
JEAN-CLAUDE GUILLAND E BRUNO LEQUEU
SANTOS LIVRARIA
(1995)
R$ 15,00





busca | avançada
54626 visitas/dia
1,3 milhão/mês