O morto que sabia amar demais | Blog Feitosa dos Santos - Prosas & Poemas

busca | avançada
31131 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Civilizado?
>>> Um Cântico para Rimbaud, de Lúcia Bettencourt
>>> Dar títulos aos textos, dar nome aos bois
>>> Na CDHU, o coração das trevas
>>> Acordei que sonhava
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> Um Furto
>>> Nasi in blues no Bourbon
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
BLOGS >>> Posts

Segunda-feira, 4/1/2016
O morto que sabia amar demais
Antonio Feitosa dos Santos

+ de 300 Acessos

Repentinamente a luz se apaga, houve falta de energia no prédio da repartição.

Antonio, Iza, Marta e Vera, já haviam chegado. Sentaram-se ao redor de uma mesa e começaram a conversar. Conversa vai e conversa vem, cada um expunha suas ideias, histórias e fatos ocorridos.

Vera muito reservada, até demonstrava uma certa timidez, pôs-se a narrar uma história de família. Surpreendeu-me a narrativa, e ao que parecia um terror, ela conseguiu colocar uma boa pitada de humor com sua maneira suave de falar. Com o seu jeito tímido, passeou ao verbalizar o caso.

- Eu tenho um primo, um safado, diz Vera — Antonio a interpela — Ele sabe que você o chama assim? Após um delimitado sorriso ela respondeu: - Não! O safado já morreu. Mesmo depois de escafeder-se continuou aprontando.

- Continua Vera. Falou a Iza. Ela continuou narrando — pois é o safado do Arilson era casado com minha prima, por assim ser o considerava como primo. Casou-se com a Danubia após certo tempo de encontros e desencontros; logo, tivera uma filha, Nalva, menina bonita e inteligente.

Danubia sempre foi uma mulher cheinha de corpo, nunca teve porte atlético e era descompromissada com a baixa autoestima. Tocava sua vida com bom humor e sempre comprometida com os seus haveres.

Resolveram juntos, ela e o marido, comprar um taxi. Assim o Arilson podia melhorar a renda doméstica nas horas que lhe sobravam das reformas que executava nas casas adquiridas para revendas.

Cada vez mais Arilson ia ocupando o seu tempo com a praça. O taxi era o pretexto que ele precisava para justificar o seu tempo nas ruas. Tempo esse, consumido na casa de uma namorada, uma segunda mulher.
BR>O tempo correu e certo dia Danubia descobre que o seu marido, Arilson, enrabichou-se por uma mulher. Ele já era pai de duas outras filhas, com a namorada.

Houve um tremendo bafafá. Arilson quis sair de casa, mas Danubia ponderou e lhe disse: sua filha Nalva, gosta muito de você, ela não necessita sofrer por isso, reconheça e cuide das outras duas filhas, cuide delas e fique aqui até quando possível ou até a Nalva aceitar a separação. Essas presepadas de adultos, não devem interferir na vida das crianças. Presepadas essas, no nosso caso, as suas. Arilson foi ficando e ficando até...

Numa determinada manhã, Danubia o vê arrumando suas tralhas e mesmo sem ela perguntar ele diz: estou saindo fora, vou morar com a minha outra mulher e as minhas duas filhas. Danubia vê e ouve, mas nada fala ou faz, deixando que ele se vá.

O tempo passou. Cada um tocando a sua própria vida. Danubia arranja um namorado, mais jovem é claro, novas metas, novas perspectivas. Mas sabemos que ninguém é de ferro ou nasceu para viver eternamente. Certo dia Danubia recebe a notícia que o pai de sua filha, Nalva, partiu dessa para melhor, bateu a caçoleta, morreu, escafedeu-se.

A mulher atual do Arilson não tinha como pagar para enterrar o corpo. A mãe do dê cujo, descartou a possibilidade, os parentes? Nem pensar. Sobrou! Sobrou para quem? Advinha? Mais uma vez a Danubia se viu envolvida com as trapalhadas do seu ex-marido, que nem depois de morto lhe dava sossego.

Ela contratou a funerária, comprou o caixão, arrumou as flores, imaginem flores, e também a capela para onde levaram o corpo a ser velado.

Diante mão, Danubia já sabia que a prestação do taxi, iria cair de bandeja em suas mãos. Seja o que Deus quiser disse ela.

Puseram o caixão no centro do salão; Danubia e sua filha de um lado, os parentes e amigos ao redor e do outro lado a outra e suas duas filhas. Todas vestidas de preto e chorosas. Assim transcorria o velório do Arilson. Vez por outra Danubia cerrava os dentes e emitia um som peculiar nessas últimas horas. Safado!

Uma hora antes do funeral, adentra a capela uma senhora de preto, cabelos pretos, longos e lisos, lembrando a imagem da Mortiça, da família Adans. Mira a urna mortuária e se lança sobre o féretro como um vendaval — Adilson não se vá, não me deixe seu malvado, como vou viver sem você? Logo agora que íamos nos casar, não suportarei sua ausência. Ela sacudia o caixão de um lado para o outro, sua maquiagem derretia com as lágrimas, ia breando tudo, desde a urna ao defunto.

As pessoas ficaram estáticas. Entreolhavam-se e não sabiam o que fazer. Danubia, porém, emitia o som característico. O safado tinha outra! Quem nasce para ser safado, mesmo depois de morto continuará sendo safado. Soprava por entre os dentes.

Esse filho da mãe tinha outra e ninguém sabia, vociferava ela. Safado, Safado, mil vezes safado.

Danubia sai sorrateiramente, vai até a administração do cemitério e solicita a mudança da alameda para o enterro, da melhor para a pior. Contratou outro local de difícil acesso, no canto esquerdo do Campo Santo, em um recanto íngreme e sem nenhuma árvore, que venha lhe facilitar um sombreado.

Rancor? Não. Apenas precaução. Nunca se sabe. Acontece as idas sem voltas, mas também aquelas que... Bem, vai que aconteça. Não é mesmo?

Safado... Diz Danubia por entre os dentes.


Postado por Antonio Feitosa dos Santos
Em 4/1/2016 às 20h06


Mais Blog Feitosa dos Santos - Prosas & Poemas
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MATEMÁTICA PARA O ENSINO MÉDIO - VOLUME 2
MIGUEL JORGE E OUTROS
EB
(2010)
R$ 95,00



VADE MECUM SARAIVA
EDITORA SARAIVA
SARAIVA
(2016)
R$ 75,00



ERKS: MUNDO INTERNO - 12ª EDIÇÃO
JOSÉ TRIGUEIRINHO NETTO
PENSAMENTO
(2012)
R$ 27,00



NOVA MECÂNICA INDUSTRIAL - METAIS, LIGAS E TRATAMENTO TÉRMICO
AMÉRICO YOSHIDA
LTDA
R$ 30,00



LÍNGUA E TRANSDISCIPLINARIDADE
CLAUDIO CEZAR HENRIQUES; MARIA TERESA G. PEREIRA
CONTEXTO
(2002)
R$ 35,00



O NÚMERO 1
ALVARO CARDOSO GOMES
MODERNA
(1997)
R$ 10,00



HISTÓRIA DA AMÉRICA
RAYMUNDO CAMPOS
ATUAL
R$ 4,00



VIVENDO SEMPRE
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER / ESPÍRITOS DIVERSOS
IDEAL
(1981)
R$ 11,00



ENCARANDO A VERDADE
ADÈLE GERAS
BERTRAND BRASIL
(2006)
R$ 12,90



EUCLIDES DA CUNHA E O PARAÍSO PERDIDO
LEANDRO TOCANTINS
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1978)
R$ 10,00





busca | avançada
31131 visitas/dia
1,3 milhão/mês